Categoria: Natureza


10:00 · 23.03.2019 / atualizado às 11:20 · 23.03.2019 por
Tremores de terra voltaram a ocorrer a cerca de 25 km da sede de Boa Viagem, no Sertão Central.

Um estrondo muito forte e assustador, foi como moradores da localidade de Poço do Gado, na zona rural de Boa Viagem relataram mais um tremor de terra no Município. Logo depois foi sentido mais um; até o telhado de algumas casas estremeceu. Foi o quato esta semana. A comunidade atingida fica localizada na extrema com o município de Quixeramobim.

O coordenador da Defesa Civil de Boa Viagem, Ivandir Silva, informou à reportagem do Sistema Verdes Mares que apesar de a comunidade ter se alarmado ainda mais com o último abalo sísmico a intensidade foi um pouco menor em relação ao maior, na quarta-feira (20). de magnitude 2,9 na escala Richter. Dessa vez foi de 2,5.

O tremor desta madrugada foi realmente um pouco menor, mas como ocorreu quando as famílias estavam dormido, puderem ouvir o barulho com mais intensidade“, explicou Silva.

Os técnicos do Laboratório Sismológico (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) conformaram os sismos registrados nas primeiras horas deste sábado como de magnitude 2,5. Mais detalhes não foram informados. A equipe está trabalhando.

De acordo com o LabSis, a estação NBPB localizada no município vizinho, Pedra Branca, vem registrando pequenos sismos desde o último domingo (17) na região. Na quinta (21) e na sexta (22) foram registrados diversos abalos. A estação está localizada a aproximadamente 50 km ao sul da área epicentral, na localidade de São Joaquim, em Quixeramobim.

No mapa divulgado pelo Labsis da UFRN é possível ver a localização da estação sismológica e a área dos tremores. Foto > LabSis

Causas

Tremores de terra são comuns no Ceará. Segundo o Laboratório de Sismologia da UFRN, esses abalos ocorrem devido a fossas subterrâneas que estão constantemente em atividade sismológica. Elas são ligadas ao encontro das placas tectônicas no Oceano Atlântico, que ligam a América do Sul ao continente africano, explicam os especialistas.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

09:30 · 20.03.2019 / atualizado às 11:20 · 20.03.2019 por
Tremores de terra continuam ocorrendo no Interior do Ceará. Além de Quixeramobim e Boa Viagem foram sentidos em Madalena.

Um dia após engenheiros do Laboratório Sismológico (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) registrarem cinco abalos sísmicos no Interior do Ceará o fenômeno voltou a ocorrer no Sertão Central. Os tremores de terra foram sentidos no início da manhã desta quarta-feira (20), na localidade de Papa Leite, a pouco mais de 20 Km do Centro de Boa Viagem e na cidade vizinha, Madalena.

O coordenador da Defesa Civil de Boa Viagem, Ivandir Silva, informou à reportagem do Sistema Verdes Mares que moradores da comunidade atingida ouviram um forte estrondo, entretanto, nenhuma gravidade foi confirmada. Os levantamentos estão sendo realizados. A localidade atingida fica próxima do Açude Fogareiro, na zona rural de Quixeramobim, onde haviam ocorrido microterremotos na segunda-feira (18).

Praticamente no mesmo horário confirmado em Boa Viagem, por volta das 7h30, os tremores também foram relatados por moradores da localidade de Quieto, na zona rural de Madalena, e em alguns bairros da cidade.

De acordo com o analista de sismologia da Universidade de Brasília (UNB), Juraci Carvalho, os tremores desta quarta-feira (20) foram detectados às 7h19, 7h32 e 8h32. O segundo, nos limites de Boa Viagem com Quixeramobim, foi o mais forte, atingiu magnitude 2,9.

Os engenheiros do LabSis informaram que os sismos começaram a ocorrer domingo (17) à noite. Foram dois. O primeiro, por volta das 22h20, atingiu  magnitude 1,8 na escala Richter. O segundo ocorreu praticamente uma hora depois, às 23h20, com magnitude 2,1. O terceiro foi registrado já na madrugada da segunda-feira (18), de magnitude 2,4. O epicentro do tremor anterior foi a aproximadamente 20 quilômetros de Boa Viagem.

Na tarde da segunda-feira foram computados mais dois eventos. O primeiro, de magnitude 2,3, ocorreu às 12h45. O segundo, de magnitude 2,6, às 16h28. Com os últimos registros confirmados oficialmente, já são oito tremores em quatro dias.

Causas

Tremores de terra são comuns no Ceará. Segundo o Laboratório de Sismologia da UFRN, os tremores ocorrem devido a fossas subterrâneas que estão constantemente em atividade sismológica. As fossas são ligadas ao encontro das placas tectônicas no Oceano Atlântico, que ligam a América do Sul ao continente africano.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

12:00 · 18.03.2019 / atualizado às 15:26 · 18.03.2019 por

Técnicos do Laboratório Sismológico (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) estão analisando tremores de terra registrados na noite deste domingo (17) na localidade de Passagem, na zona rural de Quixeramobim. A equipe está reunida para definir a causa do abalo de magnitude 2.4 na escala Richter, e o número preciso de efeitos sísmicos. Os resultados serão divulgados nesta tarde.

Informações sobre o fenômeno natural passaram a ser divulgadas através das redes sociais logo após as 22h30. Mesmo se tratando de pequena magnitude em uma escala de 2 a 10,  quem mora no distrito localizado a 43 km da sede do Município, ficou assustado. Tremores foram notados em São Joaquim, na Agrovila, Pedras Altas, Perdição e também em Maraquetá, pequenos povoados de Passagem.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

07:30 · 13.10.2018 / atualizado às 07:35 · 13.10.2018 por
Montanhismo desponta em Quixadá como lazer de aventura para famílias.

Uma iniciativa de dois jovens, Samuel Kélvyn Alves e Rutielle Queiroz de Alencar, ganhou destaque neste sábado (13) nas páginas do Diário do Nordeste. Namorados e apaixonados por aventura, eles resolveram convidar outros casais e famílias a se unirem na prática de um esporte que atrai cada vez mais adeptos, o montanhismo. A cidade onde nasceram e moram, Quixadá, é o lugar ideal para a prática desse esporte. Afinal, é conhecida como “Terra dos Monólitos“.

> Esporte reúne famílias em torno da natureza

No mês passado Kélvyn e Rutielle promoveram a Abertura da Temporada de Montanhismo (ATM). Com o apoio da Federação Cearense de Montanhismo e Escalada do Ceará (Femece) atraíram participantes de todos os cantos do Ceará e de outros estados. Quem nunca havia escalado recebeu instruções de uma equipe especializada, pôde superar seus limites e contemplar a natureza e a beleza da região por ângulos especiais. Depois da aventura, o descanso na Tribo do Benjamim.

Mas para quem perdeu a oportunidade de participar da ATM pode manter contato com eles e programar uma expedição particular, e familiar, inclusive para iniciantes. No pacote podem ser incluídas trilhas a lugares exóticos, e tudo bem pertinho da área urbana. Opção não falta. Basta agendar os passeios através da empresa criada pelo casal, a Quixadá Turismo, através do Whats App (88) 9 9274 8771 ou pela Fanpage/Instagram @quixadaturismo.

A proposta está atraindo famílias para a atividade de lazer na natureza.
As famílias se reúnem um torno da aventura. A ATM foi um exemplo.
Com orientação dos mais experientes é possível superar qualquer obstáculo.

Copiar conteúdo autoral sem prévia autorização é crime previsto no Artigo 184 do Código Penal. A pena é de detenção, de três meses a um ano, ou multa.

Diário Sertão Central. Participe pelo fone e whats app (85) 9 8755 0154

13:30 · 02.10.2018 / atualizado às 13:20 · 02.10.2018 por
O redemoinho derrubou o teto de alumínio sobre seis carros estacionados no pátio interno da delegacia.

Um redemoinho, um fenômeno natural provocado pela convecção do ar, em forma de espiral, derrubou o teto do estacionamento interno da delegacia regional da Polícia Civil, em Quixadá, no Centro do Estado. Policiais que estavam de serviço na unidade de segurança pública do Estado no momento da forte ventania informaram que ninguém ficou ferido, mas alguns veículos foram avariados. O teto de alumínio desabou sobre eles.

Pedaços de telhas também foram arremessados na Av. Presidente Vargas, onde o prédio público fica localizado. Um deles atingiu uma caminhonete estacionada do outro lado da via pública. Os vizinhos também relataram terem visto folhas de alumínio voando a mais de 100 metros de distância. Provavelmente atingiu algum terreno, já que não houve nenhuma outra reclamação de dano material nas adjacências da delegacia.

Algumas folhas de alumínio foram arremessadas a mais de 150 metros. Uma delas quebro o para-brisa de um carro.

No momento do turbilhão de ar quem estava nas dependências da delegacia se assustou ao ouvir um forte barulho, seguido de muita poeira. Os policiais correram para os fundos do prédio onde se depararam com os estragos. A perícia técnica foi acionada. Operários de uma empresa especializada em estruturas metálicas foram solicitados para retirarem as telhas de alumínio arreadas sobre os carros.

 Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Participe do Diário Sertão Central através do telefone e whats app (85) 9 8755 0154

00:00 · 15.08.2018 / atualizado às 22:10 · 14.08.2018 por

Em Quixadá, mais de 200 hectares do bioma tipicamente brasileiro, a caatinga, estão ganhando proteção permanente.

A Associação Caatinga, com o apoio da Fundação Grupo O Boticário de Proteção à Natureza concluíram os processos de criação de duas novas Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs), Uma delas está localizada em Guaramiranga, no Maciço de Baturité e a outra no município de Quixadá, no Sertão Central. A divulgação foi feita pela Associação Caatinga neste terça-feira (14).

De acordo com a instituição ambiental, a RPPN Sítio Lagoa, localizada em Guaramiranga, foi criada em janeiro deste ano. São 70 hectares na região serrana, a 110 km da capital cearense. A segunda reserva natural foi criada recentemente na Fazenda Fonseca, a pouco mais de 5 km do Centro de Quixadá. Trata-se da propriedade de Irmã Heloísa e Maurício Holanda, possuindo 226,20 hectares.

Ambas foram aprovadas a partir do projeto RPPN: Conservação Voluntária Gerando Serviços Ambientais. Promovido pela Associação Caatinga, o plano tem como objetivo contribuir para a conservação no bioma Caatinga através do apoio à criação e fortalecimento das Unidades de Conservação privadas em áreas de mata nativa no Ceará. A proposta era criar, no mínimo, duas RPPNs. Prevê, ainda, a execução de importantes ações previstas no Plano de Manejo da Reserva Natural Serra das Almas, gerida pela Associação Caatinga.

Associação Caatinga e a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza

A parceria iniciou em 2002 quando a Associação Caatinga apoiou a realização, em Fortaleza, do 3º Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação. Nos anos de 2007 e 2008 a Associação executou um projeto de ecodesenvolvimento patrocinado pela Fundação Boticário, que fomentava o desenvolvimento sustentável em comunidades rurais de Crateús (CE) e contribuía principalmente para a geração de renda.

Ainda de acordo com a Associação Caatinga, ao longo dos quase 20 anos de atuação desta entidade ambiental a Fundação Boticário tem sido uma grande parceira na promoção de desenvolvimento sustentável, na criação de Unidades de Conservação e desenvolvimento de estratégias para diminuir o risco de extinção de espécies silvestres ameaçadas, como o Tatu-bola.

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Participe do Diário Sertão Central através do telefone e whats app (85) 9 8755 0154

09:30 · 30.12.2017 / atualizado às 09:49 · 30.12.2017 por

Parte do telhado da pousada foi retorcido pela forte ventania. Foto > VC Repórter

Uma forte ventania, registrada por volta das 14 horas desta sexta-feira (29), destruiu parte do  telhado da Pousada João de Barro, no município de Quixeramobim.  A hospedaria, construída recentemente, fica situada à margem da CE-060, na entrada da cidade, ao lado de uma igreja e a poucos metros do Hospital Regional do Sertão Central (HRSC).

Vizinhos informaram que um redemoinho se formou repentinamente e atingiu a pousada. Muita gente ficou assustada e correu ao ver a cena e ouvir o barulho. No estabelecimento havia apenas funcionários. Ninguém ficou ferido. Houve apenas danos materiais. Nenhum outro prédio foi atingido pelo fenômeno.

De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), eventos dessa natureza são atípicos no Ceará. Pode ter sido causado por ventos descendentes das bases das nuvens. Entretanto, como o dia estava com muito sol e calor na região, e os ventos se formaram em espiral, acredita-se que um redemoinho destruiu parte do telhado.

Previsão meteorológica 

Para este sábado (30) a Funceme prevê possibilidade de chuvas isoladas na faixa litorânea no decorrer do dia. Nas demais áreas, céu entre parcialmente nublado e claro, e para o domingo (31), véspera do réveillon, nebulosidade variável com possibilidade de chuvas isoladas na faixa litorânea da madrugada à manhã. Nas demais áreas, céu parcialmente nublado ao longo do dia.

No intervalo das últimas 24 horas não foram registradas chuvas em nenhuma região do Ceará.

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Participe do Diário Sertão Central através do telefone e whats app (85) 9 8755 0154

19:00 · 27.10.2017 / atualizado às 19:15 · 27.10.2017 por

Desesperados, moradores enfrentaram o fogo com enxadas para evitar que atingisse as suas casas.

O número de queimadas está aumentando na zona rural de Quixadá. Em pouco mais de uma semana já foram registrados três incêndios de grandes proporções, dois deles em áreas no entorno do Açude Cedro. Os moradores apontam que se tratam de ações criminosas, entretanto não sabem por qual motivo estão ateando fogo na vegetação totalmente seca, excetuando os juazeiros, causando prejuízos com a devastação da mata, a destruição de cercas e  a morte de animais.

Conforme o presidente da Associação dos Agricultores do Riacho Verde, Francisco Rodrigues, conhecido como Chicão, nesta sexta-feira (27) a sua comunidade foi atingida por enormes chamas. Por pouco o fogo não chegou às moradias da comunidade onde moram 200 famílias. O Corpo de Bombeiros de Quixeramobim foi acionado e auxiliou no combate ao incêndio, evitando que atingisse as casas. Os moradores mais experientes realizaram o “”corta-fogo“, como denominam a queima controlada de faixas para evitar que os focos se espalhem.

Quando o incêndio começou na localidade de Riacho Verde era possível ver de longe a enorme cortina de fumaça.

As estradas que cortam a região também contribuíram para evitar que o fogo se alastrasse ainda mais na região. Acrescentou o líder comunitário que dessa vez a queimada começou nas adjacências no conjunto Minha Casa Minha Vida, em construção no entorno da área de proteção do Açude Cedro. A localidade de Pote Seco, mais próxima do habitacional foi a primeira atingida. Há cerca de uma semana ocorreu outro incêndio, com as mesmas características no Assentamento Palmares, na localidade de Engano, também naquelas imediações.

Na localidade de Pote Seco o trabalhador rural Aldenor Lira de Lima e familiares enfrentaram o fogo com uma enxada e baldes. Como não havia água e não podiam esperar pela chegada do Corpo de Bombeiros apagaram as chamas que chegavam próximo da casa com areia. O animais foram retirados para outros terreiros. Mesmo assim, a preocupação continuava. O vento ainda soprando forte e a qualquer momento poderia mudar de direção, atingindo outras áreas de vegetação seca.

Sem água, os moradores encheram os baldes com areia para apagarem o fogo.

Apesar do esforço, grande parte da vegetação foi consumida pelo fogo e as cercas foram destruídas.

Alguns moradores rurais construíram cercas novas. A preocupação é de não serem destruídas pelo fogo.

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

09:00 · 10.09.2017 / atualizado às 09:15 · 10.09.2017 por

Estrutura do ginásio poliesportivo de Banabuiú desabou com a força do vento. Foto VC Repórter 

Uma forte ventania derrubou parte do telhado do ginásio poliesportivo João Claudino, no Centro de Banabuiú. Conforme informações de populares o acidente natural ocorreu na tarde deste sábado (9). No momento do desabamento da estrutura metálica um grupo de jovens praticava atividades esportivas no local, mas ninguém ficou ferido.

A reportagem do Diário do Nordeste tentou manter contato telefônico com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) para saber informações sobre a intensidade da ventania e qual fenômeno provocou o desabamento do telhado, todavia, até a publicação desta edição as ligações não haviam sido atendidas.

Internautas postaram nas redes sociais os estragos causados pelo vento no telhado do ginásio poliesportivo.

Entretanto, no fim de julho o órgão oficial do governo do Ceará, havia divulgado o início da temporada dos ventos fortes no Estado, com auge nos meses de agosto e setembro, sendo mais notada no litoral. Neste segundo semestre as rajadas de vento podem chegar a até 60Km/h.

Ainda de acordo com a Funceme, alguns fatores influenciam na elevação da intensidade dos ventos. O primeiro, e mais importante é o deslocamento do Sistema de Alta Pressão Atmosférica do Oceano Atlântico Sul em direção ao Nordeste do Brasil, e o segundo é a redução na nebulosidade.

Antes do desabamento o ginásio poliesportivo municipal era muito utilizado pela população

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

08:00 · 13.08.2017 / atualizado às 08:00 · 13.08.2017 por

Caatinga, bela e desconhecida pelos próprios habitantes, está cada vez mais ameaçada de extinção.

A beleza da caatinga é indiscutível. Segundo estudos ela se estende por uma área de 850 mil km², ocupando cerca de 10% do território brasileiro, englobando de forma contínua parte do Ceará, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Maranhão, Alagoas, Sergipe e Bahia na região Nordeste, e parte do norte de Minas Gerais, já na região Sudeste do Brasil. Mas a sua biodiversidade, principalmente a sua flora, é pouco conhecida, inclusive por quem mora nesse bioma classificado erroneamente como genuinamente nacional.

Conforme ambientalistas do Movimento Pró-Árvore, um coletivo multidisciplinar lançado em setembro de 2011 na capital cearense, ao contrário do que se diz, a caatinga, além de não ser exclusivamente brasileira – existem florestas secas em outras regiões do planeta – possui mais de 1.700 espécies vegetais, e mais de mil a serem descobertas. O motivo desse desconhecimento está no pouco interesse pela “floresta seca” como é classificada pelos pesquisadores. A maioria da população não sabe reconhecer sua flora. O interesse maior tem sido pela floresta úmida, a amazônica.

Entretanto, enquanto os olhos dos governantes não despertam para a importância científica dessa floresta semiárida a preocupação com a possibilidade da sua extinção aumenta. Quem conhece a sua importância ambiental alerta para a ampliação da sua degradação, provocada principalmente pelo desmatamento e pelas queimadas. Técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), também em processo de extinção, estão tentando conscientizar a população sertaneja no Ceará.

Pesquisadores independentes, como o engenheiro agrônomo com doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Deodato Aquino, também estão preocupados. Ele realizou recentemente um estudo sobre o desmatamento na sua terra natal, Senador Pompeu, onde a totalidade do seu território está inserida na caatinga. Constatou que 22% de toda a área do Município, o equivalente a 22 mil campos de futebol, foi devastado nos últimos 30 anos.

O alerta se estendeu também à mata ciliar dos rios da região. A proteção dos mananciais foi convertida em solo exposto, roçados, pastos e capoeira, provocando o assoreamento dos córregos. As regiões mais afetadas com o desmatamento foram coincidentemente as que banham os rios e riachos tributários das nascentes da barragem do Açude Patu, próximo a serra de Pedra Branca. Até 2009 8,5 milhões de hectares, o equivalente a 57% de toda a área do Município, mantinha a sua flora.

Entretanto, pelo menos a mata ciliar, numa extensão de 25Km do rio Banabuiú, onde foi criada uma Área de Preservação Permanente (APP), demonstrou um avanço positivo. Aproximadamente 250 hectares foram recuperados. Mas nesse caso a intervenção do Ministério Público foi crucial, proibindo o cercamento e roçados na calha e margens do rio, explicou Deodato Aquino, ressaltando que o seu trabalho foi apresentado recentemente à sociedade de Senador Pompeu.  Resta aos órgãos públicos e à população reagirem, para a sua beleza não passar a ser apreciada apenas nas fotografias.

Veja também a reportagem no Diário do Nordeste 

Degradação da Caatinga avança no Estado

No período das chuvas, exóticas espécies, como a carnaúba, árvore símbolo do Ceará, encantam pela beleza.

Quando a seca chega a paisagem da caatinga sofre uma metamorfose, mas a sua beleza continua.

Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité. Inclua entre os seus links favoritos. Participe do Diário Sertão Central através do telefone (88) 9 9970 5161

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Diário Sertão Central

Fatos diários do Sertão Central e do Maciço de Baturité em infraestrutura, polícia, economia, política, esporte e cultura. Por Alex Pimentel.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags