Categoria: Saúde


09:00 · 25.05.2019 / atualizado às 10:00 · 25.05.2019 por
O Hospital Regional do Sertão Central começou a funcionar em setembro de 2016. Já é considerado referência no atendimento de AVC.

Os promotores de Justiça de Quixeramobim, Vicente Anastácio e Raqueli Costenaro, ajuizaram Ação Civil Pública (ACP) cobrando do Governo do Estado o atendimento de urgência e emergência e de emergência obstétrica, neonatalogia, neurologia, neurocirurgia, o atendimento integral de traumatologia e a cirurgia vascular no Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), instalado nessa cidade. Os representes do Ministério Público justificam que esses atendimentos funcionam nos  outros dois Hospitais Regionais do Estado, no Cariri e na Região Norte.

De acordo com divulgação feita pelo MPCE, a Promotoria de Quixeramobim reconhece que a maioria dos serviços, prometidos à população e idealizados no cronograma de implantação do HRSC, de fato, estão funcionando, entretanto, conforme apurado, mais de quatro anos após a inauguração, se uma pessoa sofrer um acidente nas imediações do complexo hospitalar, a exemplo a CE-060, é encaminhada para o Hospital Geral de Fortaleza (HGF) ou o Instituto Doutor José Frota (IJF), também na capital, ou para o Hospital Regional do Cariri.

Constata-se que existe uma ‘Ala’ enorme para o serviço de emergência hospitalar, toda equipada, com instalações modernas desde a sala de atendimento e espera, passando por vários consultórios, ambulatórios, até os leitos prontos para internação. Todavia, até hoje, a população do Sertão Central tem que se dirigir à Fortaleza ou à região do Cariri para receber pronto atendimento em casos mais graves e urgentes”, ressaltam os promotores.

Além de solicitarem a apuração de responsabilidades pelo não funcionamento integral do HRSC, inclusive eventuais atos de improbidade administrativa em relação à entrega da obra com problemas estruturais, eles também investigam a contratação de pessoal em seleção pública com supostas irregularidades. Acrescentam haver dois anos de buscas do MPCE, pela solução dos problemas.O hospital foi inspecionado em junho de 2017. Nova inspeção foi feita na data de 22 de novembro de 2018. O hospital começou a funcionar em setembro de 2016.

Os promotores de Justiça requerem o atendimento de todos os serviços a partir de três meses, principalmente no que se refere aos atendimentos de traumatologia, obstetrícia e neurologia. Requer ainda a imediata instalação do letreiro “Emergência” do HRSC, no mesmo local de onde foi retirado. O descumprimento da medida dentro do prazo estipulado pode acarretar multa pessoal diária no valor de R$ 10 mil, cujo ônus deverá recair sobre o governador do Ceará, Camilo Santana, e o secretário de Saúde do Estado, Carlos Roberto Martins Sobrinho.

A Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) informou que ainda não foi notificada sobre o processo instaurado pelo MPCE na Justiça do Estado em relação ao HRSC.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

06:00 · 14.05.2019 / atualizado às 05:25 · 14.05.2019 por

Nesta segunda-feira (13) o Ministério da Saúde divulgou a nova etapa do Programa Mais Médicos. O objetivo é priorizar os municípios com altos índices de vulnerabilidade social. O novo edital também prioriza a participação de profissionais formados e habilitados com CRM no Brasil. As inscrições, para cerca de duas mil vagas em todo o País, começam no dia 27 de maio.

No Ceará estão sendo disponibilizadas preliminarmente aproximadamente 250 vagas. Desse total 15 estão disponíveis para seis municípios do Sertão Central, sendo uma para Boa Viagem; três para Choró; o mesmo número para Pedra Branca e uma em Piquet Carneiro. Quixadá com três e Quixeramobim, quatro vagas, entram na lista, apesar de não constarem como de extrema pobreza.

O edital do novo programa Mais Médicos do Governo Federal está aberto a profissionais formados em instituições de educação superior brasileiras e estrangeiras, desde que com diploma revalidado no País. Os médicos devem começar a atuar na Atenção Primária a partir de junho. A remuneração bruta é de R$ 12,386.50. Com descontos do INSS, de R$ 642,33, o valor líquido é R$ 11.744,17.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

07:30 · 13.05.2019 / atualizado às 07:25 · 13.05.2019 por

Uma lesão muscular jogando bola deixou o estudante Rafael Costa da Silva, 19 anos, tetraplégico. Passados quase cinco meses ele continua lutando para se reabilitar. Além da força de vontade, realiza seções de fisioterapia. Para facilitar o tratamento precisa de uma cadeira de rodas especial. O acessório custa R$ 9 mil. Como é de família humilde está contando com a colaboração de amigos para juntar o dinheiro necessário.

Para ajudar na arrecadação foi criada uma conta no site Vakinha. A campanha se encerra em 23 agosto. Já foram arrecadados aproximadamente R$ 5,5 mil. Ainda falta mais de 40%. Qualquer quantia é bem vinda. “A vida me tirou a capacidade de andar. Teimoso que sou, continuarei perseguindo meus sonhos. Minhas pernas já não podem me levar até eles, então irei de cadeira de rodas mesmo”, diz Rafael.

Rafael também recebe doações diretamente em suas contas bancárias. Elas aparecem no banner abaixo.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

09:00 · 11.05.2019 / atualizado às 09:45 · 11.05.2019 por

O Consórcio Público de Saúde da Microrregião de Quixadá abriu edital para realização de processo seletivo simplificado. Estão sendo disponibilizadas 96 vagas, distribuídas na Policlínica de Quixadá e no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) de Quixeramobim.

O Instituto Nacional de Gestão, Educação, Tecnologia e Inovação – Ingeti, responsável pelo processo seletivo, disponibilizou apenas três dias para as inscrições, e se encerram neste sábado (11), mas podem ser feitas pela internet, no site da Ingeti.

Ainda de acordo com o Edital Nº 004/2019, o valor da inscrição para cargo com formação em nível médio é de R$ 60,00. Para quem pretende concorrer a uma das vagas com nível superior a taxa é de R$ 120,00.

As remunerações variam um salário mínimo, para cargos com nível médio como Auxiliar de Saúde Bucal e Técnico em Enfermagem, com carga de 40 horas semanais, e R$ 4.671,37 para nível superior, como Médico Especialista em diversas áreas, dentre elas Anestesiologia, Angiologia, Cardiologia Clínica,  com 20 horas semanais.

A avaliação documental e análise técnica segue até o dia 14. O resultado preliminar também sai nesse dia. A prova escrita está marcada para o dia 19 e o resultado final será divulgado em 4 de junho.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

17:30 · 25.04.2019 / atualizado às 17:45 · 25.04.2019 por
Os pacientes do HRSC com AVC estão participando de atividades lúdicas na recuperação das suas enfermidades. Foto > HRSC

A equipe multidisciplinar das unidades de Acidente Vascular Cerebral (AVC) agudo e subagudo do Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), do Governo do Ceará, instalado em Quixeramobim, passou a desenvolver atividades ao ar livre na recuperação dos pacientes. Segundo a administração do HRSC, são utilizados diferentes recursos, trabalhando os aspectos motores, cognitivos e psicossociais deles. As atividades são realizadas três vezes por semana.

Através do lúdico, o adoecimento pode ser enfrentado de maneira menos dolorosa. A hospitalização passa a ser vivenciada de forma mais humanizada, permitindo o paciente estar mais próximo do contexto a qual vivia antes da internação, onde o simples fato de ver e sentir a luz do sol traz benefícios incalculáveis para a recuperação”, afirma a terapeuta ocupacional, Jamila Gaspar.

A psicóloga da equipe especial, Renata Viana, explica que todos os pacientes participam de dinâmicas de grupo para expressão de sentimentos, autoconhecimento e reflexão sobre a hospitalização. “O trabalho multiprofissional tende a ver o paciente como um sujeito biopsicossocial, que se refere ao bem-estar físico, mental e social.Nenhuma doença tem origem em apenas um fator”, ressalta.

Os pacientes diagnosticados com AVC apresentam diminuição dos movimentos do corpo, como também sensorial e cognitivo. Há pacientes que não interagem. A ausência do ambiente familiar provoca tristeza e solidão, destaca a fisioterapeuta da equipe multidisciplinar, Herta Costa “Quando nós os levamos para essas atividades, fazemos com que eles interajam entre si. Conseguem evoluir com a recuperação dos movimentos. Como eles ficam mais motivados, eles têm interesse em fazer o tratamento. Se estão desmotivados, não sentem interesse. Eles relatam grande satisfação”, completa.

AVC

O AVC, conhecido popularmente como “derrame”, é uma das principais causas de morte, incapacidade adquirida e internações em todo o mundo. Acontece quando vasos que levam sangue ao cérebro entopem ou se rompem, provocando a paralisia da área cerebral que ficou sem circulação sanguínea. Quanto mais rápido for o tratamento, maiores serão as chances de recuperação completa. Dessa forma, torna-se primordial a identificação dos sinais e sintomas do AVC e o atendimento médico imediato.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

06:30 · 17.04.2019 / atualizado às 06:25 · 17.04.2019 por
Mãe ficou feliz com a recuperação da filha e com o atendimento especializado do Hospital Regional do Sertão Central e o auxílio da Ciopaer e do SAMU. Foto > HRSC

O primeiro recém-nascido, uma menina, transportada pelo serviço aeromédico da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), que funciona em parceria com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para a Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTI Neo) do Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), em Quixeramobim, recebeu alta.

A divulgação foi feita pela direção do HRSC, registrando a gratidão da mãe, a operadora de caixa Ana Cláudia Ferreira, 30. No dia 22 de março ela teve um parto prematuro em um hospital de Várzea Alegre. No dia seguinte, a filha precisou de cuidados especiais. Ela nasceu prematura de 32 semanas. Ficou internada quinze dias na UTI Neo e mais quatro na Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) do Hospital Regional. Ana Vitória recebeu alta na quinta-feira, 11 de abril.

É uma vitória estar aqui hoje com minha filha bem. Estou muito feliz mesmo. Estive aqui com ela todos os dias”, disse emocionada ao receber a alta hospitalar da filha. De acordo com a médica neonatologista Carla Soares, a criança tinha baixo peso e dificuldade para respirar. “A paciente chegou abaixo do peso e com a síndrome do desconforto respiratório, que é uma patologia que atinge os prematuros, além de outras complicações”, afirmou.

O HRSC informou que a recém-nascida contou com todo o suporte técnico e profissional para ter uma plena recuperação. Segundo a médica, nos primeiros dias, o quadro clínico dela era instável, mas depois teve uma melhora significativa. “O tratamento fez efeito e precisou de nenhuma outra medida mais agressiva. Evoluiu extremamente bem, ganhou peso, aprendeu a mamar. Recebeu alta em boas condições clínicas e com os exames normais. Como ela nasceu prematura, precisará vir para fazer consultas de rotina no nosso ambulatório”, ressaltou.

Referência

O Hospital Regional do Sertão Central teve o serviço de neonatologia implantado em dezembro de 2018. É composto pela UTI Neonatal e pela Unidade de Cuidados Intermediários. É um hospital terciário de alta e média complexidade, que atende pacientes encaminhados via Central de Regulação. Todos são encaminhados pelas secretarias municipais de saúde ou pelos hospitais da macrorregião.

Como o hospital fica localizado em um município que está no centro geográfico do Ceará, a distância para as demais regiões é a mesma. Com isso, o tempo dos recém-nascidos chegarem até o nosso serviço é menor. Vamos continuar ajudando a rede de saúde para garantir uma assistência de qualidade para os recém-nascidos que necessitarem de um atendimento especializado”, destaca o diretor de processos assistenciais do HRSC, Cristiano Rabelo.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

09:30 · 28.03.2019 / atualizado às 12:40 · 28.03.2019 por

Os planos da Faculdade Estácio de Sá, de início do curso de Medicina em Quixadá ainda este ano ou no começo de 2020, deverão ser no mínimo adiados. O juiz federal Renato Coelho Borelli, da 9ª Vara Civil da Seção Judiciária do Distrito Federal (SJDF) suspendeu a decisão do Ministério da Educação (MEC) que dava prerrogativa ao Grupo Estácio para oferta da formação acadêmica neste Município.

De acordo com divulgação feita pela Justiça Federal, a decisão atende ação impetrada por outra entidade concorrente à implantação do curso nesta cidade, o Centro Universitário Christus, que alega irregularidades na proposta feita pelo Grupo Estácio a municípios do Ceará.

No parecer judicial  o magistrado considera que a instituição vencedora integra um consórcio que não poderia ter participado do processo de escolha da entidade educacional para abrir o curso de Medicina. Entretanto, a Estácio pretende recorrer da decisão.

Fake News

Até a concretização da liberação do curso de Medicina para Quixadá, a disputa política pela autoria da aprovação junto ao MEC foi muito concorrida, apesar dos grupos adversários terem demonstrado união pela conquista.

Todavia, tão logo a decisão do juiz federal foi divulgada, nas redes sociais começou a circular uma fake news de que o Governo Bolsonaro havia suspendido a autorização do curso para a cidade.

O curso de Medicina ainda está previsto para ser instalado em Quixadá, entretanto, não se sabe quando sairá o resultado da disputa judicial sobre qual instituição será autorizada a implantá-lo.

Nota da Estácio 

A  Estácio esclarece que cumpriu rigorosamente todas as exigências do Edital SERES/MEC nº1/2018, na proposta apresentada para implantação do curso de Medicina no município de Quixadá, tendo o seu projeto sido selecionado como a melhor proposta para atender as necessidades da população local.

Desta forma, a Estácio está adotando as medidas cabíveis para reverter a decisão judicial que determinou a suspensão do resultado do edital, dado que não existem irregularidades nas propostas, visando não comprometer o início da oferta do curso e o consequente desenvolvimento social e das condições de saúde da região. 

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

11:30 · 25.03.2019 / atualizado às 19:50 · 25.03.2019 por
Uma bebê de 32 semanas foi a primeira paciente recebia no Hospital Regional do Sertão Central através de transporte aéreo da Ciopaer. Fotos > SESA

O atendimento de uma criança recém-nascida foi o primeiro transporte aéreo de paciente neo natal recebido pelo Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), localizado em Quixeramobim, desde o início do seu funcionamento, em setembro de 2016.

De acordo com divulgação feita pela Secretaria de Saúde do Estado Ceará (Sesa), a paciente, prematura de 32 semanas, foi transferida do município de Várzea Alegre. Ela está na UTI Neonatal do HRSC. O seu quadro clínico é estável.

A operação de transporte foi realizada no último sábado (23) por uma equipe da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Contou com o apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Quixeramobim.

A recém-nascida chegou ao HRSC em uma incubadora neo natal. As equipes da Ciopaer e do SAMU de Quixeramobim agiram com cuidado.
No fim to trajeto, do heliponto até o HRSC, a paciente seguiu numa ambulância do SAMU.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

08:00 · 20.02.2019 / atualizado às 12:05 · 20.02.2019 por

Aparelho digital de Raio X instalado no hospital municipal de Aracoiaba deverá gerar economia de R$ 100 mensais para os cofres públicos.

A prefeitura de Aracoiaba, no Maciço de Baturité, está modernizando as instalações do Hospital Maternidade Santa Isabel, para melhor assistência à população deste Município. A unidade hospitalar municipal recebeu aparelhos de ar-condicionado, além de novos equipamentos, como uma central digital de Raio x e uma lavanderia.

De acordo com o secretário de Saúde do Município, Nazareno Bezerra, o moderno equipamento de raio X, deverá economizar aproximadamente R$ 100 mil todo mês com a eliminação das impressões dos exames. Os médicos receberão os resultados, digitalizados, diretamente no consultório, no momento do atendimento do paciente.

Além do hospital as Unidades de Saúde do município também estão passando por uma requalificação, acrescenta o prefeito Helder Paz, ressaltando haver esforço da sua administração para propiciar mais conforto aos pacientes e acompanhantes, uma vez que os mesmo sentiam-se desconfortáveis com as instalações e dependências antigas do hospital e das unidades de saúde do Município.

O prefeito de Aracoiaba, Helder Paz, e sua equipe, comemoram as mudanças na área da saúde no Município.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

08:30 · 15.02.2019 / atualizado às 08:26 · 15.02.2019 por

 

Pecuaristas de Quixeramobim revindicam auxílio econômico do Estado para crise do setor não se agravar.

Produtores da maior bacia leiteira do Estado estão preocupados com o agravamento da crise desse setor. Dessa vez o motivo é a chegada das chuvas na quadra invernal no Nordeste. O pasto revigorado vai elevar a produção do leite in natura e provocar prejuízos ainda maiores na base da cadeia láctea, estima um representante da categoria, Cirilo Vidal. Ele é o atual presidente do Sindicato Patronal Rural de Quixeramobim e membro da diretoria da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC).

De acordo com levantamentos realizados pelo produtor, hoje, o custo do litro de leite no balde está a R$ 1,20. O lastro na venda não ultrapassa R$ 2,00. Manter toda a estrutura de produção com apenas R$ 0,80 de saldo está levando a categoria a se endividar cada vez mais. Ao mesmo tempo a produção diária de 107 mil litros no Município tende a se elevar. As indústrias de laticínios em atividade no Ceará não têm aporte para receber toda a produção. A alternativa está na revitalização do parque industrial de Quixeramobim. Hoje, apenas duas das três usinas funcionam, mesmo assim com utilização de apenas 40% do seu parque industrial.

3.300 pequenos produtores rurais de Quixeramobim se dedicam à bovinocultura leiteira

90 mil é o número do rebanho bovino neste Município

36 mil são vacas leiteiras

Os industriais querem incentivos do Governo do Estado para revitalizarem suas máquinas. Além do aquecimento econômico local e Estadual, com o beneficiamento da matéria prima, a medida vai assegurar a manutenção de mais de 30 mil empregos no campo e gerar mais 10 mil evitando o êxodo rural. Os produtores, principalmente os pequenos, não consideram justo a atual política de negócios. Apesar de as despesas na industrialização, transporte e impostos, o valor da venda ao consumidor chega ao dobro. Nas prateleiras o litro está à venda na média dos R$ 4,00.

Parque industrial de laticínios de Quixeramobim precisa de incentivos financeiros para se revitalizar.

Barreiras Sanitárias 

Outra opção está no fortalecimento das barreiras sanitárias. Vidal estima haver entrada mensal de milhares de toneladas de queijo, do tipo mussarela. A maior parte desse produto é oriunda do Norte do País, do Pará. Cruza as estradas do Ceará sem nenhuma garantia de qualidade. Há suspeita de não possuir sequer selo de inspeção e transporte adequado. No Estado funcionam apenas 11 barreiras, mesmo assim em situação precária, acrescenta o líder classista.

O coordenador da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adragri) na região, Fernando Cristino, confirma a deficiência na fiscalização. Apesar do esforço do órgão em assegurar o controle sanitário dos produtos alimentícios destinados ao consumidor, o número de fiscais e de barreiras é insuficiente para controlar toda a circulação, incluindo as fronteiras com outros estados.

O queijo produzido em Quixeramobim é considerado de excelente qualidade, mas perde na concorrência com o produto de outros estados sem garantias sanitárias.

Parque Industrial

Para dar melhor assistência ao setor agropecuário cearense o Governo do Estado criou uma secretaria executiva do Agronegócio. A nova pasta está se estruturando. Em breve os planos e projetos serão apresentados, baseados na atual estrutura do setor, informou a assessoria da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), vinculada da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet).

Potencial produtivo

A Sedet reconhece a bovinocultura de leite no Ceará como a atividade que mais gera benefícios econômicos e sociais para o interior cearense. O segmento leiteiro é alavancado, principalmente, pelo consumo de lácteos no Estado e na região Nordeste, e, a consequente expansão das unidades industriais. Evidenciando este dinamismo, o volume de leite produzido no Ceará cresceu de 158,5 milhões de litros no ano de 1990 para 577,9 mi em 2017, um aumento de 265% no período, com crescimento médio anual de 7,9%, enquanto o Brasil cresceu 5,1% e o Nordeste 3,9% no mesmo período.

O leite é o produto do agronegócio cearense de maior valor da produção, cerca de de R$ 743 milhões em 2017, sendo o 3º do Nordeste e 10º do País e, mais importante do que isso, movimenta a economia das pequenas cidades, ajuda na distribuição de renda e gera empregos permanentes no meio rural, sendo produzido em todos os 184 municípios do Ceará, também  um dos mais promissores setores da agropecuária.

2,6 milhões é o rebanho total do gado no Ceará

577,9 milhões litros de leite in natura foram produzidos em 2017 no Estado

Todavia, de acordo com o órgão governamental,apesar de ser uma atividade secular e com forte presença no meio rural, o longo período de exploração leiteira no estado do Ceará não foi suficiente para que a bovinocultura se desenvolvesse por completo, sendo, de forma geral, uma atividade ainda explorada pela maioria em baixos níveis de tecnologia e de eficiência.

O Ceará atravessa uma crise econômica com reflexos perversos na produção agrícola, enfrentando cinco anos seguidos de chuvas abaixo da média, de 2012 a 2016, forçando a descapitalização das unidades produtivas. Por esses motivos algumas ações direcionadas à cadeia produtiva do leite estão em andamento. São executadas de forma isolada por diversas entidades ligadas à atividade, entretanto são pouco impactantes, ressalta a Adece.

Para a diretoria executiva de Agronegócio, enquanto uma agenda estratégica ampla que contemple os anseios do setor não se consolide, há necessidade de as diversas entidades públicas e privadas unirem esforços e estabeleçam um pacto garantindo o desenvolvimento dos pequenos, médios e grandes produtores, laticínios e indústrias. Os resultados esperados serão a geração de empregos, renda e arrecadação de tributos, desenvolvendo o sistema e melhorando sua competitividade frente aos demais estados produtores do Nordeste.

Diário Sertão Central. Participe pelo whats app (85) 9 8755 0154

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Diário Sertão Central

Fatos diários do Sertão Central e do Maciço de Baturité em infraestrutura, polícia, economia, política, esporte e cultura. Por Alex Pimentel.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags