Busca

Categoria: Seca


11:56 · 13.01.2017 / atualizado às 11:56 · 13.01.2017 por

Quixadá. Membros do Comitê da Seca do Sertão Central promovem nesta exta-feira (13), mais uma reunião para tratar das ações desenvolvidas na região. O encontro deve começar as 14h, no salão da Câmara de Vereadores de Quixadá. Autoridades do Governo do Estado devem participar da reunião.

Participam da reunião do Comitê da Seca representantes da SDA, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), Fundação Cearense de Recursos Hídricos (Funceme), Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Exército, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) entre outros. O encontro fará um balanço das ações desenvolvidas pelos órgãos do Estado a cerca das iniciativas realizadas em 2016 na região.

“A decisão de realizar a reunião em Quixadá foi um consenso entre os integrantes do comitê por conta da programação do Dia dos Profetas das Chuvas e da importância da divulgação das ações do comitê. É um momento simbólico e muito significativo para os agricultores, que esperam alguma informação sobre a previsão da quadra invernosa de 2017, mesmo com a divulgação oficial pela Funceme só ocorrer no dia 18. O trabalho que realizamos no comitê é fundamental para atender às demandas dos municípios e queremos destacar nossas ações”, disse o secretário da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), Dedé Teixeira.

De acordo com a pasta, além de apresentar alguns dados sobre as atividades do comitê, que em 2016 coordenou e encaminhou a perfuração de 1.800 poços profundos em todo o Estado, o secretário vai discutir com os membros do comitê as estratégias para 2017. Atualmente, a Operação Carro Pipa vem atendendo a 137 municípios em todo o Estado do Ceará utilizando dois mil veículos.

__________

O Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité.

Participe enviando a sua sugestão de notícia, vídeo ou foto através do WhatsApp 55 85 99931 3798, ou através do email: jornalismosertaocentral@gmail.com

10:43 · 13.01.2017 / atualizado às 10:44 · 13.01.2017 por
Encontro começa no sábado (14), no IFCE de Quixadá (Foto: arquivo/Alex Pimentel)
Encontro começa no sábado (14), no IFCE de Quixadá (Foto: arquivo/Alex Pimentel)

Quixadá. Chove ou não chove este ano? O Ceará vai passar por mais um ano de estiagem? Essa resposta deverá vir dos profetas da chuva, homens e mulheres conhecidos por formular suas previsões do tempo, com base no conhecimento popular e na observação de fenômenos da natureza, como o formigueiro, o xique-xique e a casa do João-de-Barro. O encontro começa neste sábado (14), no auditório do Instituto Federal do Ceará (IFCE).

A organização do encontro prevê a participação de cerca de 30 profetas e mil pessoas. “É um evento que vem crescendo a cada ano”, disse Soares. “O nosso esforço é manter viva essa tradição, a nossa cultura, pois os nossos pais, avós sempre se preocuparam com o inverno, olhavam para a natureza para saber se haveria muita ou pouca chuva a cada ano”.

Profetas realizam previsões com base em observações da natureza
Profetas realizam previsões com base em observações da natureza

O encontro é promovido pelo Instituto de Pesquisa da Viola Cultural do Sertão Central. Começou de forma tímida, a partir de uma sugestão dada pelo próprio Soares ao engenheiro Químico da Cagece Hélio Cortez, que a cada ano observava o comportamento dos agricultores que sempre indagavam ser haveria ou não um bom inverno. “As pessoas insistiam, perguntavam ao Cortez e ele me falou muito sobre isso, quando fui presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Quixadá. Então tive a ideia de reunir, convidar os profetas da chuva”, explicou.

No sábado, a partir das 8h, começa, no auditório do campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) o Encontro dos Profetas da Chuva. Não há uma programação pré-definida, avisa um dos fundadores do evento, o empresário João Soares. Antes, haverá apresentação de duplas de violeiros, dentre eles, está confirmada a participação de Geraldo Amâncio e Edmilson Soldado.

Leia a matéria completa na editoria Regional da edição desta sexta-feira do jornal Diário do Nordeste >> Começa hoje o encontro dos Profetas da Chuva

__________

O Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité.

Participe enviando a sua sugestão de notícia, vídeo ou foto através do WhatsApp 55 85 99931 3798, ou através do email: jornalismosertaocentral@gmail.com

10:00 · 14.11.2016 / atualizado às 10:00 · 14.11.2016 por
Segundo organizadores seis mil pessoas podem ter participado da Caminhada (Foto: José Avelino Neto)
Segundo organizadores seis mil pessoas podem ter participado da Caminhada (Foto: José Avelino Neto)

Senador Pompeu. Fieis deste Município do Sertão Central, distante cerca de 280 km da Capital, promoveram, no último domingo (13), mais uma Caminhada da Seca. O ato relembra as centenas de vidas perdidas em consequência da estiagem de 1932, um das piores da cidade. Conforme os organizadores, a Caminhada reuniu um público de seis mil pessoas chegando a sua 34ª edição este ano. A quantidade ficou abaixo do que era esperado mas segue um número que tem se mantido ao longo dos anos.

Cortejo segue por estrada que leva ao Açude Patú e relembra mortos da seca de 1932 (Foto: Pascom de Iguatu)
Cortejo segue por estrada que leva ao Açude Patú e relembra mortos da seca de 1932 (Foto: Pascom de Iguatu)

A homenagem às vítimas da estiagem emocionou o povo e renovou a fé na esperança de dias melhores. A concentração começou por volta de quatro e meia da manhã em frente à Igreja Matriz, no Centro de Senador Pompeu. Cerca de uma hora depois os fiéis saíram em cortejo em direção a barragem do açude Patú, por uma estrada de terra batida. A grande maioria estava vestida de branco e caminhava com pés descalços. Conter a emoção era difícil e muitos choravam durante o percurso.

O cortejo seguiu até o Cemitério da Barragem, onde uma missa foi celebrada pelo bispo da Diocese de Iguatu, dom Edson de Castro Homem, e concelebrada pelos padres Anastácio Ferreira de Oliveira, também de Iguatu, e João Melo dos Reis, de Senador Pompeu. Segundo relatos históricos, no Cemitério da Barragem estariam enterrados a grande maioria dos mais de dois mil mortos daquele ano. Todos teriam morrido em virtude da falta de comida, água e cólera, e foram enterrados como indigentes. A sensação de emoção era única, compartilhada por mulheres, idosos, crianças, jovens e homens.

A Caminhada se tornou tradicional no segundo domingo de novembro. Ela já era tradição na cidade mas só foram oficializadas na década de 1980, a pedido do povo, pelo padre Albino Donati, falecido há dois anos. O movimento recebe o apoio do Centro de Defesa dos Direitos Humanos da cidade e vem crescendo graças ao gesto de fé e respeito de não esquecer o sofrimento de conterrâneos.

Leia a matéria completa na edição desta segunda-feira do Diário do Nordeste >> Fiéis fazem a 34ª Caminhada da Seca

_________

O Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité.

Participe enviando a sua sugestão de notícia, vídeo ou foto através do WhatsApp 55 85 99931 3798, ou através do email: jornalismosertaocentral@gmail.com

10:03 · 10.11.2016 / atualizado às 10:03 · 10.11.2016 por
Tradicional Caminhada relembra mortos pela seca de 1932 (Foto: arquivo/Alex Pimentel)
Tradicional Caminhada relembra mortos pela seca de 1932 (Foto: arquivo/Alex Pimentel)

Senador Pompeu. Cerca de 10 mil pessoas são esperadas em mais uma Caminhada da Seca. O evento simbólico acontece anualmente, no segundo domingo de novembro, neste Município da região Central, como forma de lembrar as pessoas que foram dizimadas pela fome provocada pelos tempos difíceis da estiagem no Estado. Este ano a caminhada chega a sua 34ª edição.

O evento deve começar às 4h30 da manhã com a concentração em frente a igreja Matriz da cidade. De lá, os fiéis seguem em caminhada pela estrada de terra que dá acesso ao açude Patu e que leva ao cemitério da barragem, onde foram enterradas milhares de pessoas mortas em 1932 em virtude da seca. O local é considerado uma espécie de “Campo de Concentração” dos flagelados pela estiagem daquele ano.

Conforme os organizadores “A lembrança é uma forma de conscientizar as pessoas sobre o holocausto do sertão, durante a seca de 1932”. A caminhada é organizada pela Paróquia Nossa Senhora das Dores e recebe o apoio do Centro de Defesa dos Direitos Humanos – Antônio Conselheiro.

_________

O Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité.

Participe enviando a sua sugestão de notícia, vídeo ou foto através do WhatsApp 55 85 99931 3798, ou através do email: jornalismosertaocentral@gmail.com

13:53 · 31.10.2016 / atualizado às 13:53 · 31.10.2016 por
Francisco Ademar usa palma forrageira e solta bichos no pasto (fotos: José Avelino Neto)
Francisco Ademar usa palma forrageira e solta bichos no pasto (fotos: José Avelino Neto)

Banabuiú. Com o acúmulo de cinco anos seguidos, os efeitos da seca em quase todo o estado tem sido enormes. Mas na zona rural deste Município, localizado há 220 km de Fortaleza, criadores de ovinos e caprinos convivem com animais com produtividade em alta, ajudando na geração de lucro para a família. Uma proeza, visto que em algumas situações, até a água do lugar precisa ser comprada. Os criadores afirmam seguir estratégias que fazem os animais resistirem à estiagem.

Para os açudes, o período chuvoso de 2016 gerou recargas tão pequenas que 130 dos 153 deles, monitorados pela Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh), estão com volume abaixo dos 30%. Mas para o agricultor Atanias Salviano Gonçalves, 45, a pouca chuva que caiu, serviu e tem garantido o abastecimento do rebanho. “A chuva pra gente foi boa! Tenho um açude pequeno lá por perto e é com essa água que eu abasteço meus bichos. Lá em casa nunca entrou uma pipa d’água”, diz Atanias.

Mesmo em período de seca, gado rende mais de 300 litros de leite ao dia
Mesmo em período de seca, gado rende mais de 300 litros de leite ao dia

Se houve um período ruim para os produtores da região foi 2012. “Eu perdi 40 cabeças de gado de 120 que eu tinha. Morreram tudo de fome e outras doentes porque comiam salsa”, conta Francisco Ademar Lopes, 66. A água que tem em casa ele compra de caminhões pipa. Mesmo assim a situação não é ruim. “Dou forragem, tem a água que eu compro e minhas criação produzem 300 litros de leite por dia, então, não tenho do que reclamar”, diz ele.

Ciente do momento difícil que enfrentaria Francisco Ademar foi buscando meios de superar as dificuldades geradas pela estiagem. Uma das alternativas foi o plantio de palma forrageira, ideia que ele investiu após receber orientação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce). “Tenho uma plantação que comecei com umas sementes que ganhei na Ematerce e isso aí hoje me ajuda muito”. A produção de leite que é garantida de seus animais é comprada por uma empresa de laticínios, o que ajuda a garantir o sustento de casa.

As alternativas encontrada por agricultores do Sertão Central em meio a seca é o principal destaque da editoria Regional do Diário do Nordeste desta segunda-feira (31). Leia a matéria completa >> Produtores driblam a seca por mais um ano no Sertão Central

_________

O Diário Sertão Central é o blog oficial do Diário do Nordeste no Sertão Central do Ceará e Maciço do Baturité.

Participe enviando a sua sugestão de notícia, vídeo ou foto através do WhatsApp 55 85 99931 3798, ou através do email: jornalismosertaocentral@gmail.com