Sopa de Livros

Categoria: Não ficção


11:44 · 15.03.2016 / atualizado às 12:01 · 15.03.2016 por

Os livros-reportagem “Auri, a anfitriã”  e “Na Marca do pênalti: o sonho de ser jogador de futebol” serão lançados durante a Aula Magna do semestre 2016.1 do Curso de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará, nesta quarta-feira, dia 16, na área II do Centro de Humanidades da Universidade. As obras, de autoria das jornalistas Aline Moura e Bárbara Almeida e de Allan Barros e Jéssica Welma, trazem o selo Imprensa Universitária.

Sobre as obras

“Auri, a anfitriã” traz um apanhado de narrativas sobre trajetórias que se cruzam nos corredores do único presídio feminino do Estado do Ceará, localizado no município de Itaitinga. Orientado pela Profª Naiana Rodrigues, o livro é escrito em primeira pessoa, tendo como narradora a própria “entidade-presídio”. É Auri quem nos conduz pelo seu interior, apresentando várias histórias de erros, dores e também sonhos com a liberdade.

 

Auri
Essa foi a capa da edição lançada pelo Catarse, em 2015

 

Em 2014, a obra foi agraciada com cinco prêmios: melhor Livro-reportagem no Expocom Nordeste, melhor Edição de Livro no Expocom Nordeste, melhor Livro-reportagem no Expocom Nacional, melhor Edição de Livro no Expocom Nacional e melhor Trabalho de Conclusão de Curso no prêmio de Gandhi de Comunicação. Em 2015, a obra foi publicada com a ajuda do projeto Catarse, que financia o lançamento de livros.

“Na Marca do Pênalti” é assinado pelos também jornalistas Alan Barros e Jéssica Welma e versa sobre outro tipo de sonho: o de ser atleta profissional. Os repórteres acompanharam a “peneira” de jovens talentos que almejam uma vaga nas divisões de base do futebol cearense e investigaram a fundo a realidade de jogadores e técnicos de sucesso. A orientação ficou a cargo do Prof. José Ronaldo Salgado.

Debate
Além do lançamento, está prevista uma mesa-redonda sobre o gênero com os autores e presenças docentes. Uma delas será do Prof. José Ronaldo Salgado, mestre em Letras, pesquisador da área de Jornalismo Literário e professor orientador do Laboratório de Jornalismo Impresso do Curso de Jornalismo da UFC. A segunda convidada é Mayara de Araújo, especialista em Docência no Ensino Superior, professora substituta do Curso de Jornalismo da UFC e autora do livro-reportagem “Histórias de Beco: quando a poeira assenta, entrevemos rostos, punhos e corações” (2011).

O projeto Livros-Reportagem foi concebido em 2011 pela Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional para dar a oportunidade de trabalhos desse gênero produzidos pelos concludentes do Curso de Jornalismo da UFC ultrapassarem as bibliotecas acadêmicas e chegarem às mãos da comunidade leitora externa. Embora consista em uma atividade letiva para os novos ingressantes, a programação é gratuita e aberta ao público.

capa auricapa penalti

Essas são as edições a serem lançadas pela UFC amanhã.

Serviço:

Aula Magna do Curso de Jornalismo e lançamento dos livros “Auri, a anfitriã” e “Na Marca do Pênalti”
Quando: 16 de março de 2016, às 18h
Onde: Auditório da Pós-Graduação em História da UFC
(Av. da Universidade, 2762 – Benfica – 1º andar)
Horário: 18h

15:02 · 10.02.2016 / atualizado às 15:03 · 10.02.2016 por

 

Assim como a nossa colaboradora Rosiane Melo o fez, eu também vim expor as minhas metas de leitura para esse ano que está em curso. Infelizmente, já se passou um mês e cá estou, ainda “presa” em uma leitura iniciada em 2015, de um livro que nem é extenso. (vergonha!)

Não vou ter grandes ambições em 2016. A meta é ler pelo menos 30 livros, o que nem é um número tão grande.  Mas vamos aos desejos de leitura para esse ano, até mesmo para que eu me organize e venha a cumprir esses objetivos. O bom é que quase todos já estão lá à minha espera, na estante.

 

1. Casa Grande e Senzala – Gilberto Freyre

casa

2. Chatô – Fernando Morais

3. Trilogia Getúlio – Lira Neto

4. A noite do meu bem – Ruy Castro

5. Os Maias – Eça de Queirós

maias

6. Mulheres de Cinzas – Mia Couto

7. 1889 – Laurentino Gomes

8. Diário de Anne Frank

9. A carne e o sangue – Mary del Priore

carne

10. A alma encantada das ruas – João do Rio

11. O visconde partido ao meio – Italo Calvino

12. Malala – a menina que queria ir a escolaAdriana Carranca

13. O jardim secreto – Frances Hodgson Burnett

jardim

14. As sete irmãs – Lucinda Hiley

15. Na berma de alguma estrada – Mia Couto

16. Aprender a viver –  Luc Ferry

17. Doze contos peregrinos – Gabriel García Marquez

doze

18. Zelota – Reza Aslan

19,. Dizem que os cães veem coisas – Moreira Campos

20. As mulheres do nazismo – Wendy Lower

21. O diamante –  J. Courtney Sullivan

diamante1jpg

 

22. As cartas lacradas – Dora Oppenheim

23. O símbolo perdido – Dan Brown

24. O tempo e o vento – Erico Veríssimo

25.  A amiga genial – Elena Ferrante

amiga

26. Quarenta Dias – Maria Valéria Resende

27. Os homens sem mulheres – Haruki Murakami

28. Irmãs Romanov – Hellen Rappaport

29. Ao farol – Virgínia Woolf

 

farol

30. Objetos cortantesGillian Flynn

 

 

14:47 · 18.01.2016 / atualizado às 14:23 · 19.01.2016 por

Tudo bem que para muita gente o ano só vai começar mesmo depois do Carnaval, em fevereiro. Entretanto, para as editoras, isso muda de figura e são muitos os lançamentos de janeiro, perfeitos para quem quiser incluir alguma novidade nas metas de leitura. Vem ver!

Companhia das Letras

Kaos Total, de Jorge Mautner

Todas as letras de Jorge Mautner reunidas pela primeira vez com poemas inéditos e pinturas que revelam uma face até agora desconhecida do autor de Maracatu Atômico.

companhia1

Como curar um fanático, de Amóz Oz

Em ensaios lúcidos e ponderados, um debate sobre a tragédia no sentido mais antigo do termo: a batalha entre o certo e o certo.

 

compnhia2

Uma história de solidão, de John Boyne

Autor de O menino do pijama listrado, John Boyne aborda com extrema delicadeza o tema dos abusos sexuais na Igreja católica.

companhia3

 

Objetiva

Outros cantos, de Maria Valéria Rezende

A vencedora do Prêmio Jabuti de 2015 oferece um romance magistral sobre as viagens movidas a sonhos.

objetiva1

O foco triplo, de Daniel Goleman e Peter Senge

Um olhar inovador sobre como melhorar nosso desempenho acadêmico e desenvolvimento pessoal em tempos de tecnologia.

objetiva2

 

Seguinte
A Sereia, de Kiera Cass

Novo livro da autora da série A Seleção, Kiera Cass fala sobre uma garota que foi salva de um naufrágio pela própria água e que para pagar sua dívida, se torna uma sereia.

seguinte

 

Paralela
Coroa Cruel, de Victoria Aveyard

Descubra o passado sangrento de Norta em dois contos que se passam no universo de A rainha vermelha.

seguinte2
58 listas (33 úteis e 25 nem tão úteis assim), de Manu Barem

Afiadíssima, Manuela Barem, editora do Buzzfeed Brasil, reúne em um livro suas melhores listas de tweets, fatos bizarros sobre o Brasil e muito mais!

seguinte3

Zahar

Estado de crise, de Zygmunt Bauman

A crise mais séria da modernidade, a de 1929, foi habilmente contornada pelo Estado. Contudo, a crise pela qual hoje passamos é diferente. No mundo globalizado, os governos estão cada vez mais impotentes para gerenciá-la, e os cidadãos, cada vez mais insatisfeitos com seus governantes. Nesse livro indispensável, Zygmunt Bauman e Carlo Bordoni se debruçam sobre o atual contexto para debater esta nova crise mundial, fazendo uma análise inédita das questões que a sociedade líquida vem enfrentando. Os pensadores advertem que essa crise não é passageira. Por isso, é necessário que se entendam seus mecanismos a fim de estabelecer novos campos de atuação e luta.

zahar1

O conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas

A fantástica edição comentada de O conde de Monte Cristo agora em volume único!
O conde de Monte Cristo é um clássico da literatura mundial, uma história emocionante e cheia de ação e vingança, que vem fascinando leitores há quase dois séculos. Alexandre Dumas prende o leitor numa trama de tirar o fôlego, traições, denúncias anônimas, tesouros fabulosos, envenenamentos e apresenta uma galeria de personagens que retrata o espectro social de um mundo em transformação.
Essa obra-prima tem aqui a edição brasileira que merece: uma tradução viva do texto integral, vencedora do prêmio Jabuti, 170 gravuras de época e mais de 500 notas explicativas, além de uma rica apresentação e cronologia de vida e obra do autor. A versão impressa apresenta ainda capa dura e acabamento de luxo.

OCondeDeMonteCristo_comentado

As aventuras de Robin Hood: edição bolso de luxo, de Alexandre Dumas

Ao mesmo tempo bandido e mocinho, herói de inúmeras histó­rias e canções da tradição oral, o lendário Robin Hood tem sua saga contada pelo talento inquestionável de Alexandre Dumas. Ambientado na Inglaterra nos séculos XII e XIII, o livro traz as aventuras do fora da lei e seu bando em busca de justiça, igual­dade e também diversão. Nas matas de Sherwood e Barnsdale, acompanhamos os embates de Robin com o xerife de Nottingham, sua história de amor com lady Marian e sua parceria com o leal João Pequeno e frei Tuck.

zahar3

Pequena Zahar
Tudo muda, de Anthony Browne

Em Tudo muda, Anthony Browne aborda, com sua perspectiva singular e suas formidáveis ilustrações, o tema da mudança na vida de uma criança.

zahar4
Rocco

CIDADE DOS ÚLTIMOS DIAS – O último policial #2 Ben H. Winters

A pouco mais de dois meses para o asteroide Maya atingir a Terra, investigar crimes não é mais uma prioridade para a força policial de Concord. Mas Hank Palace não pensa assim. Cidade dos últimos dias é o novo livro de Ben H. Winters, e segunda parte da trilogia O último policial. A obra acompanha o ex-detetive na investigação do misterioso desaparecimento de Brett Cavatone, o marido da sua antiga babá. Com a sociedade se desmantelando a sua volta, Hank tenta a todo custo juntar as poucas pistas que tem, até descobrir o paradeiro de Brett aparenta ser somente uma questão de tempo. Mas será que Maya dará este tempo a Hank? A elogiada trilogia de Bem H. Winters traz novas indagações sobre o que os homens devem uns aos outros quando o fim está próximo.

rocco1

 

HOTELLES – QUARTO 2 Emma Mars

O jogo de sedução envolvendo a jovem Annabelle Lorand, conhecida como Elle, está de volta. Hotelles – Quarto 2 mostra o que aconteceu com a protagonista da trilogia erótica da francesa Emma Mars depois de trocar o noivo, o magnata da comunicação David Barlet, por Louis, irmão mais velho dele. Ambientada em Paris, a trama conserva a mistura de romance, mistério e intrigas, bem como as cenas quentes que marcaram o primeiro livro, ao acompanhar a educação sexual de Elle, jovem jornalista que resolve trabalhar como acompanhante de luxo para pagar o pagamento de saúde da mãe, e acaba se enredando num jogo sedutor e perigoso que envolve os dois irmãos, os famosos quartos do Hôtel des Charnes, cada um dedicado a uma famosa cortesã do passado, sua melhor amiga, Sophia, e a agência Belas da Noite.

rocco2

 

SOB A LUZ DOS SEUS OLHOS Chris Melo

Considerada a “Nicholas Sparks de saia” pelos fãs, por suas histórias românticas voltadas especialmente para o público jovem adulto, a paulista Chris Melo estreia na Rocco, pelo selo Fábrica231, com Sob a luz dos seus olhos. A trama conta a história de Elisa, que embarca para a Inglaterra decidida a começar sua vida adulta, levando na bagagem seus planos e sonhos para o futuro; e Paul, um artista tentando se encontrar e que vive intensamente cada momento. O que poderia ser apenas um encontro casual entre dois jovens tentando achar o seu lugar no mundo se transforma, pelas mãos de Chris Melo, numa profunda jornada de autoconhecimento, superação, perdão e recomeços protagonizada por duas pessoas comuns que experimentam o poder extraordinário do amor. O livro chegará às prateleiras em edição revista, trazendo novas cenas e um epílogo emocionante, inaugurando a coleção <3 Curti, dedicada a leitores que não abrem mão de uma boa história romântica com final feliz.

rocco3

 

A GAROTA DINAMARQUESA David Ebershof

Com estreia nos cinemas em fevereiro, já acenando com um possível novo Oscar para Eddie Redmayne, ganhador da estatueta de melhor ator por A teoria de tudo, A garota dinamarquesa reconstrói a história de Lily Elbe, talvez a primeira transexual da história a fazer a cirurgia de redesignação sexual (ou “mudança de sexo”). Vivendo até a meia-idade como Einar, um pintor dinamarquês na Europa dos anos 1920 e 1930, ela teve a sorte de contar não apenas com um médico pioneiro, mas com uma mulher brilhante, generosa e apaixonada, sua própria esposa, Greta, para encontrar sua verdadeira identidade. Num momento em que as questões de gênero estão cada vez mais em voga, o aclamado romance de David Ebershoff, que volta às prateleiras com novo projeto gráfico, capa com o pôster do filme e posfácio assinado pelo autor, é um livro delicado e envolvente e uma leitura necessária nos dias atuais.

rocco4

 

NUTRIÇÃO DESCOMPLICADA, BOA FORMA FACILITADA Rodrigo Paiva

Por que emagrecer? Somente para ficar em forma ou para diminuir taxas como glicose ou colesterol que estão ameaçando a saúde? Quem sabe para dar uma guinada na autoestima? O motivo não importa. Nutricionista e preparador físico com pós-graduação em fisiologia, Rodrigo Paiva afirma que a chave para alcançar qualquer objetivo em relação ao próprio corpo está na força de vontade. E também em compreender o “pensamento” do corpo. Em Nutrição descomplicada, boa forma facilitada, seu livro de estreia pelo selo de bem-estar Bicicleta Amarela, o autor esmiúça temas variados como vitaminas, metabolismo, a diferença entre emagrecer e perder peso, exercício e queima de energia, os mitos e verdades da alimentação, entre outros assuntos. E mostra que sempre é tempo de se imaginar em melhor forma e mais saudável e traçar metas para conquistar esse objetivo.

rocco5

 

MISSÃO JUSTIÇA – CRÔNICAS DE ELEMENTIA: Uma aventura não oficial de Minecraft Sean Fay Wolfe

 

Fan-fiction inspirada no fenômeno Minecraft, um dos jogos mais vendidos do mundo e febre entre os pré-adolescentes, o primeiro volume da série Crônicas de Elementia, do jovem Sean Fay Wolfe, foi escrito entre uma aula e outra num notebook que Sean levava para o colégio e publicado de forma independente quando ele tinha apenas 16 anos. Mas o sucesso do jovem autor logo chamou a atenção da gigante HarperCollins, que não demorou a adquirir os direitos de publicação da obra. Em Missão justiça, que chega agora às prateleiras de todo o Brasil pelo selo Rocco Jovens Leitores, três jovens jogadores de Minecraft são vítimas de preconceito e perseguição de usuários mais experientes no servidor Elementia e se veem envolvidos em grandes batalhas contra as forças do mal. Uma jornada eletrizante para os fãs do universo Minecraft e para qualquer leitor em busca de uma boa aventura.

rocco6

 

Rocco Jovens Leitores

A ETERNIDADE PELOS ASTROS – Coleção Memórias do Futuro Louis Blanqui (Org. Marco Lucchesi)

No segundo livro da coleção Memórias do Futuro – que reúne clássicos inéditos ou pouco conhecidos no Brasil, mas que mantêm o frescor estético e a atualidade –, o teórico socialista e revolucionário francês Louis-Auguste Blanqui (1805-1881) une química e poesia para refletir sobre a dinâmica do universo e a existência humana. Segundo ele, o universo é composto por um número finito de elementos que, combinados de incalculáveis maneiras diferentes, repetem-se, com pequenas variações, eternamente: “A eternidade encena, imperturbável, no infinito, as mesmas representações.” Mais do que a veracidade científica de suas hipóteses, a beleza da viagem empreendida por Blanqui, que antecipou o pensamento de Nietzsche acerca do eterno retorno, está no modo como se desenrola a argumentação, na riqueza das analogias e no brilhantismo sardônico de seu estilo.

NANOOK – Ele está chegando Gustavo Bernardo

Bernardo só começou a falar aos quatro, ainda assim numa língua irreconhecível. Aos 15, o garoto, considerado problemático pela mãe, é levado a uma clínica psiquiátrica e, durante a consulta, numa espécie de surto, faz uma declaração enigmática: “Eu só queria avisar: Nanook está chegando.” Durante seu tratamento, Bernardo torna-se um desafio para seu médico, principalmente quando fatos estranhos começam a ocorrer, como a queda brusca das temperaturas em todo o mundo e o aparecimento de estranhos cães brancos pela cidade de Ouro Preto. Que ligação pode existir entre o aviso de Bernardo e esses fatos? Com quarta-capa assinada por Ana Maria Machado, Nanook encerra a Trilogia da Utopia, do escritor, ensaísta e professor universitário Gustavo Bernardo. Um romance envolvente que mergulha nas tradições da população inuit, os primeiros habitantes das regiões árticas do Canadá, e convida o leitor a refletir sobre questões como autismo e mudanças climáticas.

rocco7

O TÚMULO DA BORBOLETA – The Murder Notebooks #3 Anne Cassidy

Depois de Hora morta e A morte de Rachel, a série de suspense The Murder Notebooks chega ao seu terceiro volume, O túmulo da borboleta, levando os jovens Rose e Joshua a Newcastle, onde o tio de Joshua está internado e onde os dois descobrirão fatos surpreendentes sobre seus pais e o mistério que cerca seu desaparecimento. Decididos a investigar o paradeiro de Kathy, mãe de Rose, e Brendam, padrasto da garota e pai de Joshua, os dois adolescentes se veem enredados numa trama de perigos e segredos que envolve uma tatuagem de borboleta e seis cadernos com anotações em código, mapas e foto que eles terão que desvendar se quiserem descobrir o que realmente aconteceu. E principalmente se quiserem sobreviver.

rocco8

12:09 · 04.01.2016 / atualizado às 12:11 · 04.01.2016 por

Nesses primeiros dias de 2016, é hora de avaliar as leituras do ano que passou. Na retrospectiva, apresento os melhores livros que li em 2015, apesar dos enjoos que minaram o meu tempo mais precioso de leitura, que era no ônibus. Infelizmente, como muitos, eu não consegui bater a meta de aumentar a quantidade de obras, mas pelo menos mantive o número de 26 livros. E para vocês, que livros interessantes 2015 trouxe? Conseguiram ler mais? Aguardo respostas nos comentários. Feliz 2016 para todos!

Os escritores que eu matei – Marco Severo

Os escritores que eu matei é uma compilação de crônicas sobre o universo da literatura e suas descobertas e que mais parece um diálogo entre quem escreve e quem lê. De leitura rápida, traz várias questões pertinentes a quem gosta de ler. No site da editora, o resumo diz isso: “As crônicas – parte delas publicadas anteriormente em blogs na internet e retrabalhadas para este volume, aliadas a outras inéditas – são o resultado de quase quatro anos contribuindo com o pensar e o fazer literário, aqui elevados à potência máxima, culminando com um ensaio que só atesta a vigorosa escrita do autor, que tem a capacidade de nos fazer querer caminhar com ele por este universo de encantamentos que é a literatura, virando página após página, seduzidos pelos labirintos da palavra. Dono de um estilo sagaz, ao criar uma obra a um só tempo incisiva e sensível, Marco Severo comprova que a literatura ganhou um cronista de mão cheia”.

Confira entrevista com o autor

E aqui é possível comprar o livro e ainda ler duas crônicas que fazem parte dele.

79482a_b1ab14a536024ad7a75cd9170c4504ca

Os escritores que eu matei

Marco Severo

Editora Substânsia

R$ 30

No mundo da Luna – Carina Rissi

Essa foi uma grande surpresa, porque não tenho o hábito de ler livros assim. Mas é tão bem escrito que é possível devorá-lo em um fim de semana. Um pouco dessa chick-lit deliciosa: A vida de Luna está uma bagunça! O namorado a traiu com a vizinha, seu carro passa mais tempo na oficina do que com ela e seu chefe idiota vive trocando seu nome. Recém-formada em jornalismo, ela trabalha como recepcionista na renomada Fatos&Furos. Mas, em tempos de internet e notícias instantâneas, a revista enfrenta problemas e o quadro de jornalistas diminuiu drasticamente. É assim que a coluna do horóscopo semanal cai em seu colo. Embora não tenha a menor ideia de como fazer um mapa astral e não acredite em nenhum tipo de magia, Luna aceita o desafio sem pestanejar. Afinal, quão complicado pode ser criar um texto em que ninguém presta atenção? Mas a garota nem desconfia dos perigos que a aguardam e, entre muitas confusões, surge uma indesejada, porém irresistível paixão que vai abalar o seu mundo. O romance perfeito — não fosse com o homem errado. Sem saída, Luna terá que lutar com todas as forças contra a magia mais poderosa de todas, que até então ela desconhecia: o amor.

Também entrevistamos a autora no blog. Veja nesse link.

Para quem não leu, a Record liberou antes do Natal um conto inspirado nesse livro, mas sem spoilers. É possível baixar aqui.

 

download (3)

No mundo da Luna

Carina Rissi

Editora Verus

R$ 42

Nada será como antes – Julio Maria

Em 2015, Elis Regina completaria 70 anos de vida. Essa biografia do jornalista Julio Maria, lançada em março, mostra muito da vida da cantora, que morreu jovem, com apenas 36 anos. Ótimo para quem é fã e também para quem quer aprender mais sobre a história recente da música no Brasil, porque o livro mergulha fundo na carreira e em cada uma das facetas da cantora. Para ficar ainda melhor, que tal ler e escutar seus discos?

Aqui, uma de suas interpretações viscerais:

YouTube Preview Image

 

Sinopse: Livro “Elis Regina – Nada Será Como Antes”, escrito pelo jornalista Julio Maria, repórter do jornal O Estado de S. Paulo, traz a história da maior cantora do País. Narra a vida de Elis desde seus primeiros dias em Porto Alegre, quando cantava ‘Fascinação’ ao lado das amigas nas escadarias de um colégio, até sua despedida trágica, aos 36 anos, quando estava prestes a, de novo, mudar tudo em sua vida. Ao todo foram quatro anos de entrevistas e pesquisas em arquivos. A ideia de escrever a biografia surgiu por meio de um convite da editora ao jornalista Julio Maria. No começo, o perfil do livro era uma homenagem, mas conforme Julio foi descobrindo mais histórias e avançando nas entrevistas, viu que havia muito mais o que contar. Pessoas importantes que até então nunca haviam se pronunciado – como dezenas de músicos que tocaram com ela. Na contramão da batalha das biografias que dividiram artistas e editoras sobre a autorização prévia dos biografados, os filhos de Elis, João Marcelo Bôscoli, Pedro Mariano e Maria Rita, entenderam que o autor precisava de liberdade para retratar todos os lados da cantora sem restrições. Depois de dois anos em campo – durante esse tempo foram inúmeros arquivos consultados e 126 entrevistas, a maioria delas feitas pessoalmente –, Julio começou a colocar a história no papel. “Mesmo quando parei para escrever, as histórias continuavam a aparecer, e o livro ganhava novas partes de tempos em tempos. Ele ficou vivo o tempo todo. E confesso que, se pudesse, estaria neste momento colocando mais histórias”, conta. ‘Não vivi a era de Elis. Quando ela faleceu, em 19 de janeiro de 1982, eu tinha nove anos de idade, e diante dessa personagem gigante, fui o que sou há 16 anos: repórter. Me joguei com o respeito que a história merecia, mas sem nenhuma tese a defender. Creio que o olhar descontaminado de paixões ou ódios ajude a traçar um perfil mais humano e menos divino”, diz Julio Maria.

 
download (6)
Nada será como antes
Elis Regina
Julio Maria
Master Books
R$ 39
O réu e o Rei – Paulo César de Araújo
Essa obra explica o porquê de o autor ter escrito a biografia proibida do cantor mais famoso do Brasil, Roberto Carlos e traz todos os detalhes dos bastidores da execução do livro e também do processo movido pelo cantor contra o seu biógrafo nos tribunais.
Sinopse: Objeto de verdadeira polêmica pública, a batalha em torno da proibição de Roberto Carlos em detalhes é o cerne de ‘O Réu e o Rei’. Paulo Cesar de Araújo conta a história da sua intensa relação com a música de Roberto Carlos, os dezesseis anos de pesquisa que embasaram a redação da biografia, e por fim os meandros de uma das mais comentadas e controversas guerras judiciais travadas recentemente no Brasil. Em novembro de 2006, Paulo Cesar de Araújo lançou ‘Roberto Carlos – Em detalhes’, primeira biografia de fôlego do maior ídolo da música brasileira. A recepção imediata do livro foi proporcional ao tamanho da empreitada. Em poucos dias, ele ganhava resenhas entusiasmadas e atingia a lista de best-sellers. Não foi para menos: o trabalho consumiu dezesseis anos de pesquisa, contou com centenas de entrevistas com as maiores personalidades da MPB e figuras-chave na vida do cantor, e condensava em uma narrativa ágil e equilibrada todo o percurso do ícone da Jovem Guarda. Mas a boa onda duraria pouco. Em sua coletiva de Natal daquele ano, Roberto Carlos reagiu com virulência quando indagado sobre o livro. Acusando o autor de invadir sua privacidade, disse que o caso já estava com seus advogados, que em breve entrariam na Justiça para impedir a circulação da biografia. Em 10 de janeiro de 2007, o rei de fato bateu às portas dos tribunais contra o autor e sua então editora. Foi o início de uma rumorosa batalha judicial, dolorosíssima para todas as partes, e também de uma das mais graves agressões à liberdade de expressão na história brasileira recente. A reação que se seguiu à notícia de que Roberto Carlos propusera ações nas esferas cívil e criminal contra Paulo Cesar — que resultaram na apreensão do livro — ocupou os principais veículos de comunicação do país e alguns no exterior. A polêmica envolveu não só personalidades da política, da cultura e das artes no Brasil, como pessoas comuns, que comentavam avidamente o caso, em redes sociais, blogs, praças, praias, bares. Nunca antes o debate sobre a proibição de uma obra alcançou tamanha repercussão no país. O livro conta a história interna dessa história. Os detalhes, os bastidores. Trata de música e censura. De artistas e advogados. De entusiasmo juvenil e audiências judiciais. Da busca por fontes e negativas. Da luta entre liberdade de expressão e controle da informação. É, antes de tudo, a história de um biógrafo que tenta encontrar sentido nos anos dedicados a estudar a trajetória de seu ídolo na música brasileira. É uma história ainda sem ponto final, mas sobretudo por isso necessária, que deve ser lida por todos os que se interessam pela discussão em torno da liberdade de expressão em nosso país.
 
12789_g
O Réu e o Rei – minha história com Roberto Carlos, em detalhes
Paulo César de Araújo
Companhia das Letras
R$ 34
Lugar Comum – Nara Vidal
Outro livro de crônicas que traz muito da simplicidade de cada dia, assim como os mestres Rubem Braga e Rubem Alves. Para ser lido a conta-gotas, para trazer mais luminosidade ao dia ou ideias. A resenha vocês conferem aqui e abaixo está o resumo.
Ler este livro, no mínimo, vai deixar o leitor sem saber em que dia está; aqui, nestas páginas, todo dia é sábado e domingo, como na casa dos avós de Nara. E quando o leitor se vir no quintal da casa, na pequena Guarani, no interior de Minas Gerais, sentado no táxi feito com uma escada de madeira deitada sobre tijolos, não vai mais querer descer desse passeio pelas histórias dessa mineira que não via a hora de sair pelo mundo, desde criança. E um dia saiu. E com ela estão surgindo os seus livros. Logo vamos descobrir que era inevitável tal destino.
lugar
Lugar Comum
Nara Vidal
Editora Pesavento
R$ 35
Mulheres – Marilyn French
Escondido entre caixas, esse livro foi um achado ainda da época que minha mãe era sócia do Círculo do Livro, nos anos 1970. Permaneceu como uma obra tabu, que eu não poderia pegar tão cedo por ser criança. Mas, aos 11, uma inscrição com letra redonda minha diz que eu tinha lido. Como se trata da história de várias mulheres entre os anos 1950 e 1970, nos Estados Unidos, tão decisivos pela revolução sexual e pelo ingresso mais intenso delas no mercado de trabalho, realmente não é um livro para fracos. A obra mostra a hipocrisia dos anos dourados, o machismo nos piores aspectos, os casamentos de fachada e também os desafios para a mulher moderna, para equilibrar a vida entre profissão, família e sexualidade. Sem dúvida, esse foi um dos melhores do ano que passou.
Sinopse:
Insatisfeita e amargurada, Mira consegue levar adiante seu casamento, num mundo cercado de hipocrisias, adultérios e espancamentos. Apesar de infeliz, comporta-se como uma esposa perfeita. Mas sua vida desaba no dia em que o marido subitamente pede o divórcio. Aos quarenta anos, ela enfrenta a dura realidade de reconstruir sozinha sua existência. Através da história de Mira e de suas amigas, Marilyn French traça com vigor apaixonante um painel dos êxitos, fracassos, dúvidas e crises das mulheres americanas nas últimas décadas.

mulheres-marilyn-french-frete-gratis-circulo-do-livro-14228-MLB20084980388_042014-F

Mulheres

Marilyn French

Editora Círculo do Livro

Preço médio: R$ 20

 
 
 

15:15 · 07.12.2015 / atualizado às 15:15 · 07.12.2015 por

No Brasil, é difícil encontrar quem nunca tenha ouvido uma canção do Roberto Carlos. Eu, pelo menos, nunca conheci ninguém nesse perfil. Dada a popularidade do artista, que segue grande há mais de 50 anos, é até natural que os fãs e aqueles que também não são tão fãs de Roberto, mas querem saber mais sobre a história da Música no Brasil, se interessem por conhecer a sua biografia.

Para preencher essa lacuna e também por ser fã desde criança do cantor, o jornalista e historiador Paulo César  de Araújo passou 16 anos pesquisando para escrever  a biografia – “Roberto Carlos em Detalhes”, lançada em novembro de 2006 pela editora Planeta.

Paulo Cesar de Araújo é fã do cantor desde criança e pesquisou por 16 anos para fazer a biografia de Roberto Carlos

Após dois meses do lançamento da obra, que figurou por várias semanas na lista dos mais vendidos, o “Rei” foi aos tribunais para tentar tirá-la de circulação, acusando-a de ser mentirosa e conseguiu. Hoje,  o livro é artigo raro.

 

1060_Livro_roberto_carlos_em_detalhes
O livro foi tirado de circulação em 2006, mas é possível adquiri-lo fora do País, em sebos ou o seu PDF em alguns sites

“O Réu e o Rei – Minha história com Roberto Carlos, em detalhes”, publicado em 2014 pela Companhia das Letras, que analisamos nessa resenha, revela não só como a biografia proibida foi escrita, como também explica os meandros de como o processo se deu nos tribunais.

Uma das passagens mais emblemáticas relata o julgamento em que foi decidido que a obra realmente sairia de circulação e todos os 10 mil exemplares ainda à venda nas livrarias do País seriam recolhidos pelo cantor. Até hoje não se sabe o que foi feito com esses livros, que foram levados a um depósito em São Paulo. Roberto Carlos foi procurado muitas vezes pelo autor para conceder uma entrevista, a única que faltava à extensa lista de 175 entrevistados, que era formada por personalidades desde Tom Jobim até o fotógrafo oficial do cantor. Entretanto, nos tribunais o cantor disse que foi pego de surpresa.

Nesse livro, Paulo Cesar conta também sobre as entrevistas que fez na época em que era estudante de comunicação da PUC do Rio, para  um trabalho sobre a Música Popular Brasileira que deu origem à ideia de escrever a biografia. Vários cantores foram ouvidos, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, Wilson Simonal e até mesmo o dificílimo João Gilberto, conhecido por não dar entrevistas, com quem o autor faz amizade por telefone e que é responsável pela reconciliação de Paulo Cesar com seu pai.

maxresdefault
João Gilberto foi um dos artistas que mais influenciaram Roberto Carlos, em especial, no início de sua carreira.

A entrevista com Tim Maia também é um dos relatos mais interessantes e hilários do livro. Depois de marcar com os estudantes e não aparecer por três vezes, o cantor decidiu encontrá-los em seu apartamento e, antes, enviou maconha por um de seus funcionários, para que eles se “divertissem” antes das perguntas.

Paulo Cesar ainda traz a tiragem de cada álbum de RC, fenômeno de vendas desde a década de 1970, sempre contextualizando cada ano e que só teve seu recorde de discos batido pela Xuxa, a partir de 1986. Para quem, como eu, teve sua infância e adolescência permeada pelas músicas do Rei, é certeza  gostar dessa parte do livro.

download (2)
O primeiro volume do disco Show da Xuxa foi o primeiro álbum a bater os recordes de vendas dos discos de Roberto Carlos, com 2 milhões e 689 mil cópias comercializadas

Impressiona, também, a perseverança e a história de superação do autor, contadas no início do livro, com relatos desde a infância humilde em Vitória da Conquista, na Bahia, passando por São Paulo e depois, no Rio, onde Paulo Cesar cursou História da UFRJ  e Comunicação na PUC e depois se tornou professor da rede pública de ensino estadual e municipal.

Outro diferencial, é o amplo índice com cerca de 50 páginas, entre notas e indicação de fontes impressas e de audiovisual, bem interessante para quem quiser usar a obra para pesquisa. O livro também recebeu indicação para o Prêmio Jabuti na categoria Reportagem e Documentário.

Essa é a sinopse oficial  do “O Réu e o Rei”, disponível no site da Companhia das Letras:

Em novembro de 2006, Paulo Cesar de Araújo lançou Roberto Carlos em detalhes, primeira biografia de fôlego do maior ídolo da música brasileira. A recepção imediata do livro foi proporcional ao tamanho da empreitada. Em poucos dias, ele ganhava resenhas entusiasmadas e atingia a lista de best-sellers. Não foi para menos: o trabalho consumiu dezesseis anos de pesquisa, contou com centenas de entrevistas com as maiores personalidades da MPB e figuras-chave na vida do cantor, e condensava em uma narrativa ágil e equilibrada todo o percurso do ícone da Jovem Guarda. Mas a boa onda duraria pouco. Em sua coletiva de Natal daquele ano, Roberto Carlos reagiu com virulência quando indagado sobre o livro. Acusando o autor de invadir sua privacidade, disse que o caso já estava com seus advogados, que em breve entrariam na Justiça para impedir a circulação da biografia. Em 10 de janeiro de 2007, o rei de fato bateu às portas dos tribunais contra o autor e sua então editora. Foi o início de uma rumorosa batalha judicial, dolorosíssima para todas as partes, e também de uma das mais graves agressões à liberdade de expressão na história brasileira recente. A reação que se seguiu à notícia de que Roberto Carlos propusera ações nas esferas cívil e criminal contra Paulo Cesar – que resultaram na apreensão do livro – ocupou os principais veículos de comunicação do país e alguns no exterior. A polêmica envolveu não só personalidades da política, da cultura e das artes no Brasil, como pessoas comuns, que comentavam avidamente o caso, em redes sociais, blogs, praças, praias, bares. Nunca antes o debate sobre a proibição de uma obra alcançou tamanha repercussão no país. O livro conta a história interna dessa história. Os detalhes, os bastidores. Trata de música e censura. De artistas e advogados. De entusiasmo juvenil e audiências judiciais. Da busca por fontes e negativas. Da luta entre liberdade de expressão e controle da informação. É, antes de tudo, a história de um biógrafo que tenta encontrar sentido nos anos dedicados a estudar a trajetória de seu ídolo na música brasileira. É uma história ainda sem ponto final, mas sobretudo por isso necessária, que deve ser lida por todos os que se interessam pela discussão em torno da liberdade de expressão em nosso país.

E aqui tem um trecho em PDF.

Depois de terminar esse livro, que foi até rápido de ler, considerando as 521 páginas, fiquei ainda mais curiosa para ler a biografia, que estará pronta em edição atualizada e ampliada no ano que vem, graças à decisão do Supremo Tribunal Federal, que acabou com a exigência de autorização prévia do biografado para a publicação de biografias. O livro será publicado pela Editora Record em 2016, como uma edição revista e ampliada da biografia anteriormente veiculada pela Planeta.

A TV Estadão publicou um vídeo falando de alguns assuntos que deverão estar no novo livro. Veja:

YouTube Preview Image

E nesse vídeo da TV Futura, Paulo Cesar fala da biografia:

YouTube Preview Image

Outra obra do autor bastante elogiada é “Eu não sou cachorro, não”, dissertação de mestrado de Paulo Cesar de Araújo. Essa é a sinopse:

Artistas considerados bregas – como Odair José e Waldik Soriano – sempre apareceram no topo da lista de mais vendidos. Veiculados nas rádios, frequentavam os programas de auditório, mas não receberam o devido respeito e espaço em livros e teses, pois freqüentemente eram associados à ditadura militar. Em neste livro, o historiador Paulo César de Araújo preenche essa lacuna na historiografia da música popular brasileira e mostra como as figuras mais demonizadas por aderirem à cultura oficial durante os anos de chumbo, na verdade, foram tão ou mais perseguidas pelo regime quanto os artistas de esquerda. Atire a primeira pedra quem nunca cantarolou uma letra de música popular cafona. Apesar de gosto duvidoso, as melodias fazem parte do patrimônio afetivo de milhares de brasileiros. Músicas como ´Eu não sou cachorro, não´, ´Pare de tomar a pílula´ e ´Cadeira de rodas´ fazem parte do repertório de um Brasil dos excluídos, um país mergulhado na ditadura militar e sacudido tanto por marchas moralistas de apoio à família, à propriedade e à Igreja quanto pela guerrilha urbana.

E esses são os livros citados nessa resenha:

 

12789_g

O Réu e o Rei

Companhia das Letras

R$ 34, 50

521 páginas

Eu não sou cachorro não Livro_capa

Eu não sou cachorro, não

Record

R$ 55

448 páginas

 

 

 

20:33 · 12.11.2015 / atualizado às 20:33 · 12.11.2015 por

Essa semana, recebemos a lista dos lançamentos do grupo Companhia das Letras. Entre os novos livros, estão desde o primeiro livro de uma trilogia de romances do moçambicano Mia Couto até um sobre o Star Wars, aproveitando a estreia do novo filme da série, este mês. Já queremos!

Companhia das Letras:

Mulheres de cinzas, de Mia Couto

Romance histórico do fim do século XIX, Mulheres de cinzas é um romance histórico sobre a época em que o sul de Moçambique era governado por Ngungunyane, o último grande líder do Estado de Gaza. Em fins do século XIX, o sargento português Germano de Melo foi enviado ao vilarejo de Nkokolani para participar da batalha contra o imperador que ameaçava o domínio colonial. Lá, ele encontra Imani, uma garota local de quinze anos que lhe servirá de intérprete. Enquanto um dos irmãos da menina lutava pela coroa de Portugal, o outro se uniu aos guerreiros tribais. Aos poucos, Germano e Imani se envolvem, apesar de todas as diferenças entre seus mundos. Porém, num país assombrado pela guerra dos homens, a única saída para uma mulher é passar desapercebida, como se fosse feita de sombras ou de cinzas. Esse é o primeiro livro da trilogia As areias do Imperador.

mia

Mulheres de Cinzas – As areias do Imperador

Mia Couto

R$ 27

– A noite do meu bem — A história e as histórias do samba-canção, de Ruy Castro

Nessa obra, Ruy Castro mergulha no universo do samba-canção e das boates cariocas dos anos 1940, 50 e 60. O livro se inicia em 1946, quando o presidente Eurico Gaspar Dutra proíbe os jogos de azar no Brasil. A decisão gerou uma legião de desempregados — e um grande contingente de boêmios carentes. Os cassinos fecharam, mas os profissionais da noite logo encontraram um novo ambiente: as boates de Copacabana. Em vez das apresentações grandiosas, as boates favoreciam a penumbra, a intimidade, o romance. A música também baixou de tom. Os músicos voltaram aos palcos, mas em formações menores, tocando quase como um sussurro ao ouvido. Essa nova música, assim como as boates e o contexto que fez tudo isso possível são o tema do novo livro de Ruy Castro.

ruy

A noite do meu bem

Ruy Castro

R$ 59,90

 

 

Uma menina está perdida no seu século à procura do seu pai, de Gonçalo M. Tavares

Na fragilizada Europa do pós-guerra, Marius encontra Hanna, adolescente de cabelos castanhos e olhos pretos. A menina fala com dificuldades e entende precariamente o que acontece em seu entorno. Tem síndrome de Down e está a procura de seu pai. Marius tem pressa, mas muda o seu percurso para acompanhá-la em sua jornada. A busca leva-os até Berlim, onde os dois circulam entre as obsessões mais sombrias e os escombros do século XX.

552220_menina-esta-perdida-no-seu-seculo-a-procura-do-pai-uma-705919_m1_635804195027404000

 

Uma menina está perdida no seu século a procura do seu pai

Gonçalo M. Tavares

R$ 39,90

Percatempos — Tudo que faço quando não sei o que fazer, de Gregorio Duvivier

Composto de dezenas de desenhos inéditos de nanquim e aquarela, Gregorio Duvivier concilia o lirismo, a irreverência e o engenho já familiares a seus fãs.

percatempos-tudo-que-faco-quando-nao-sei-o-que-fazer

 

Percatempos – Tudo o que eu faço quando não sei o que fazer

Gregório Duvivier

Companhia das Letras

R$ 34

Objetiva

– Meu livro do Rio, de Luiz André Alzer e Bruno Drummond

É um guia? Um almanaque? Um diário? Meu livro do Rio é um pouco disso tudo.  De shows a partidas de futebol marcantes, Meu livro do Rio vai do Leme ao Pontal permeado por uma farta lista de curiosidades.

552260_meu-livro-do-rio-705943_z1_635804195530504000

Meu livro do Rio

de Luiz André Alzer e Bruno Drummond

R$ 29,90

Paralela

– Hunter killer, de T. Mark McCurley:

Hunter Killer é a história de um extraordinário grupo de jovens homens e mulheres e do drone Predator: o trunfo na guerra contra o terrorismo. Em uma narrativa eletrizante, um dos primeiros pilotos a transformar os drones em máquinas de guerra oferece uma visão fundamental sobre a vida na comunidade de aeronaves remotamente pilotadas. Antes de se juntar à equipe do Predator, o tenente-coronel Mark McCurley associava a ideia de drones a aviões de controle remoto. Não poderia estar mais enganado: com seus novecentos quilos, são máquinas complexas, que representam um desafio para os novatos – o próprio McCurley teve de reaprender a voar sem asas.
Narrando sua trajetória de aspirante a piloto da Força Aérea a autor do primeiro manual do Predator, o tentente-coronel também revela alguns dos momentos mais marcantes – e secretos – da história da aeronave, como a morte do terrorista Anwar al-Awlaki e a participação no resgate de Marcus Luttrell, cuja história inspirou o filme O grande herói. Mesmo distante dos campos de guerra, os combates eram impactantes para McCurley, porque, diferentemente dos pilotos de caça, ele era capaz de enxergar de perto cada uma de suas vítimas: “Eu estava quase chegando em casa quando senti o baque. Parado num sinal de trânsito, me dei conta de que tinha tirado uma vida. Não havia como o Facilitador me ferir. Eu tinha todo o poder. Além do mais, ele não estava atirando contra tropas americanas naquele momento. Falava ao telefone com a mulher. Que pecado maior eu poderia cometer?”. Neste relato inédito, McCurley mostra ainda a evolução da frota de Predators: com mais de novecentas missões ao redor do mundo e superando as 17 mil horas de combate, os drones mudaram para sempre a história da guerra.

88104_g

 

Hunter Killer

T. Mark McCurley

R$39,90

 

Seguinte

– Star Wars: Estrelas perdidas, de Claudia Gray

Relatando eventos inéditos que se passam entre o episódio VI – O retorno de Jedi e o episódio VII – O despertar da Força, acompanhe todos os acontecimentos da Rebelião até a queda do Império. Na sinopse, Ciena Ree e Thane Kyrell se conheceram na infância e cresceram com o mesmo sonho: pilotar as naves do Império, cujo poder sobre a galáxia aumentava a cada dia. Durante a adolescência, sua amizade aos poucos se transforma em algo mais, porém suas diferenças políticas afastam seus caminhos: Thane se junta à Aliança Rebelde e Ciena permanece leal ao imperador. Agora em lados opostos da guerra, será que eles vão conseguir ficar juntos? Através dos pontos de vista de Ciena e Thane, é possível acompanhar os principais acontecimentos desde o surgimento da Rebelião até a queda do Império – como as Batalhas de Yavin, Hoth e Endor – de um jeito absolutamente original e envolvente. O livro relata, ainda, eventos inéditos que se passam depois do episódio VI, O retorno de Jedi, e traz pistas sobre o episódio VII, O despertar da Força!

55085_g

Star Wars – Estrelas Perdidas

Claudia Gray

R$39,90

Companhia das Letrinhas

– O coelhinho que queria dormir, de Carl-Johan Forssén Ehrlin

Através de uma história simples, o terapeuta sueco Carl-Johan Forssén Ehrlin’s auxilia os adultos a conduzirem as crianças a um estado de relaxamento que vai ajudá-las a adormecer com tranquilidade. Assim como acontece com muitas crianças, o coelho Roger está cansado mas não consegue dormir. A mamãe coelho então resolve levar o pequeno até o Senhor Pestana, que sabe exatamente o que fazer para resolver o problema. Através de uma história simples, mas contada com as palavras e a entonação certa, o terapeuta sueco Carl-Johan Forssén Ehrlin’s ajuda os adultos a conduzirem as crianças a um estado de relaxamento que vai ajudá-las a adormecer com tranquilidade — tanto de noite quanto na soneca diurna, transformando a hora de dormir em um momento prazeroso para toda a família. Publicado inicialmente de forma independente, este livro virou febre nos Estados Unidos e Inglaterra, alcançando o primeiro lugar na lista da Amazon. Testado por milhares de pais e aprovado por seus filhos, o método revolucionário de Ehrlin vai trazer um final feliz agora também para o dia de muitos brasileiros.

download (1)

O coelhinho que queria dormir

de Carl-Johan Forssén Ehrlin

R$ 25,90

 

Portfólio Penguin

– Felicidade dá lucro, de Márcio Fernandes

A melhor maneira de aumentar a rentabilidade de uma empresa não é fazer cortes, e sim investir na qualidade do dia a dia de seus funcionários. Essa tese costuma ser defendida por especialistas em recursos humanos, mas raramente são relatadas provas de que ela funciona na vida real. Márcio Fernandes, presidente da distribuidora de eletricidade Elektro, é a exceção à regra. Atuando como CEO desde 2011, ele criou o que chama de nova Filosofia da Gestão, cujas diretrizes fizeram a empresa assumir a dianteira em relação a diversas pesquisas sobre satisfação de funcionários. Em 2012, a Elektro alcançou pela primeira vez a posição mais cobiçada do Guia Você S/A, sendo considerada a Melhor Empresa do Ano, com Índice de Felicidade no Trabalho de 92,5%. No ano seguinte, foi a Melhor Empresa para Trabalhar do Brasil pela Great Place to Work/ Época. Em 2014, alcançou um patamar inédito: a número 1 nos rankings da GPTW/ Época e do Guia Você S/A, com a maior nota já alcançada em dezoito anos da pesquisa – um índice de satisfação dos colaboradores de 98,3%. Em 2015, na 19a edição do GPTW, o índice de satisfação dos colaboradores subiu para 99%, e, destacando-se entre 20 países, foi eleita a Melhor Empresa para Trabalhar da América Latina. Em Felicidade dá lucro, o líder mais admirado do país alia lições extraídas de passagens autobiográficas – que ressaltam sempre a importância de seus pais e esposa na sua formação – a ensinamentos que vão na contramão do bom senso. Ele crê, por exemplo, que injetar capital na formação de seus colaboradores – como prefere chamar o time que lidera – é perda de tempo. Márcio acredita que eles precisam investir sozinhos no seu aprimoramento. Dessa forma, esses colaboradores certamente serão notados, ganhando lugar de destaque na estrutura da empresa.

75028_g

 

 Felicidade dá lucro
Márcio Fernandes
R$  35,90

 

19:10 · 11.10.2015 / atualizado às 19:10 · 11.10.2015 por

Psicólogos e psicopedagogos afirmam que a leitura pode ser feita para bebês da mais tenra idade e que podem trazer benefícios até mesmo quando ainda estão no útero. Para quem ama ler e pretende presentear uma criança neste dia 12 com livros, o Sopa de Livros traz sete dicas, tanto para os mais novinhos, como para os que já sabem ler, que devem agradar. Vamos aos livros:

Para os menores, indicamos aqui o “Não derrame o leite!”.  Com ilustrações de Christopher Corr, que mais parecem quadros de Arte Naïf, o livro mostra lições de solidariedade com a história da menininha Penda, que mora em um vilarejo na África e vai levar leite para o seu pai, que está trabalhando. Mesmo passando por um caminho longo, com dunas e várias coisas lindas pelo caminho que poderiam distraí-la pelo caminho. A menina segue com todo o cuidado para deixar o leite para o pai, sem derramar. No desfecho, uma lição que vai comover pais e filhos. O livro foi publicado originalmente em inglês e foi lançado na Inglaterra em 2013. Quer ver? Aqui está o link.

 

leite

Não derrame o leite!

Stephen Davies/ Christopher Corr

Tradução: Helena Carone 

Editora Zahar

Preço: R$ 39,90

Outra boa dica que deve agradar tanto os adultos, como crianças pequenas é a versão clássica de bolso para os Contos de Fadas. Com as histórias originais de A Bela Adormecida, Branca de Neve, Cinderela, A Pequena Sereia, a História dos Três Porquinhos e mais 15 contos, a obra traz apresentação de Ana Maria Machado em uma edição supercharmosa, com capa dura e ilustrações, além de um precinho bem camarada.

download

Contos de Fadas de Perrault, Grimm, Andersen &  outros

Coleção Clássicos Zahar

Preço: R$ 26,90

Já para os maiores, que já tem certa fluência na leitura, lá para os oito ou nove anos, temos quatro novos livros. O primeiro deles é “Malala, a menina que queria ir para a escola”, da jornalista Adriana Carranca, que viajou até o vale do Swat, no Paquistão, hospedou-se com uma família local e conta nesse livro, também ilustrado e com fotos, o que aprendeu sobre a mais jovem ganhadora do Prêmio Nobel da Paz.

 
4b848e67-b345-4196-bdd2-32ba5f830e85

Malala, a menina que queria ir para a escola

Adriana Carranca/Bruna Assis Brasil

Companhia das Letrinhas

Preço: R$ 25

Outra opção é “O Yark”, que pode assustar um pouco as crianças à primeira vista, porque o protagonista é um ogro comedor de criancinhas comportadas. Mas, como todo mundo, ele tem suas fraquezas. E a dele é o estômago sensível para crianças sapecas demais  e isso o aproxima um pouco de monstros como os do Monstros S.A. Como no mundo de hoje é cada vez mais difícil achar crianças assim, ele vai atrás da lista do Papai Noel e assim encontra as crianças mais comportadas do mundo  que vão aproveitar para fazer bastante travessuras para escapar da morte certa. Lançado em 2011 na França, os direitos de publicação do livro foram vendidos para cerca de 10 países e a obra ainda foi adaptada para o teatro.

DE

O Yark

Bertrand Santini/Laurent Gapaillard

Tradução: Joana Angélica D’Avila Melo

Preço: R$ 29,90 (livro impresso)/R$ 19,90 (E-book)

Um dos mais divertidos lançamentos desse ano é O Livro sem Figuras. Sem lançar mão de nenhuma ilustração, o livro se propõe a, de forma lúdica, brincar com as palavras e seus sons, como borongotongo e uengarengas. Mas, diferente das outras dicas que damos aqui, esse é bem mais divertido se tiver um adulto lendo para a criança.

untitled

O Livro sem Figuras

B.J Novak

Editora Intrínseca

Preço: R$ 29,90/e-book: R$ 19,90

Outro lançamento é o clássico O Pequeno Príncipe, que ganhou edição em capa dura, para compor a coleção de clássicos de bolso, mas da Zahar voltada para os adultos. O charme da edição fica por conta das folhas de rosto e das ilustrações originais do autor. No final também tem uma cronologia, com a vida e a obra de Saint-Exupéry, que completou 70 anos de morte nesse ano.

OPequenoPrincipe

O Pequeno Príncipe

Antoine de Saint-Exupéry

Tradução: André Telles e Rodrigo Lacerda

Preços: R$26,90 (impresso)/R$9,90 (digital)

Para finalizar, tem aventura nova de Pilar, que dessa vez vai para a África, junto com seus companheiros de sempre, Breno e o gato Simba. Lá, eles conhecem Fummi, uma princesa iorubá e tentarão salvar sua família e seu povo, capturado por comerciantes escravos. Dessa vez, a história se passa, entre outros locais, na Nigéria e Angola, de onde muitos escravos foram capturados para vir ao Brasil, na época da escravidão e conta com várias informações sobre o continente africano, assim como a cultura e a religiosidade e a culinária, que guarda muitas semelhanças com pratos brasileiros. Quem quiser saber mais sobre Pilar, ainda pode acompanhar através do blog diariodepilar.wordpress.com

a

Diário de Pilar na África

Flavia Lins e Silva/ Joanna Penna

Preço: R$ 44,90

12:08 · 19.09.2015 / atualizado às 12:15 · 19.09.2015 por

rafael

Neste sábado (19),  o apresentador e humorista Rafael Cortez visita Fortaleza, onde participa de bate-papo, mediado pelo comediante cearense Victor Alen, e lançamento de seu livro “Meu azar com as mulheres”, no auditório da Livraria Cultura, a partir das 14h.

Serão distribuídas 100 senhas para quem deseje participar do evento.

 

SOBRE O LIVRO

(R$ 29,60)
(R$ 29,60)

 

Este livro é para toda e qualquer mulher que possa vislumbrar o quanto sofre um homem quando uma das constantes em sua vida é fracassar com uma de vocês, minas. Reiterando, aqui estou falando por mim e por amigos que eu sei que se espelham na minha dor (tamos juntos de novo!). Sim, mulheres, algumas de vocês vão ler e vão rir da minha cara. Outras, por já terem tido algo comigo, vão constatar que ainda estou na mesma (podemos voltar? Por favor!). Outras, por mera curiosidade, talvez perceberão em mim um pobre sofredor.
[Esta] é uma coletânea dos contos de humor que tenho escrito nos últimos dois anos. O curioso foi descobrir que, se fossem publicados um ano atrás do outro, eles formariam uma história da minha vida amorosa.

 

 

 

 

 

*Por Rosiane Melo – Estagiária do Núcleo de Entretenimento

09:56 · 23.06.2015 / atualizado às 09:56 · 23.06.2015 por

Para quem ficou na expectativa do lançamento do novo livro sobre o líder do Legião Urbana, Renato Russo, a obra “Só por hoje e para sempre – Diário do Recomeço” já está em pré-venda.

O livro descreve a fase em que Renato Russo se recuperava das drogas e do álcool e é o relato, até agora inédito, escrito pelo cantor ao longo dos 29 dias que passou em uma clínica de reabilitação no Rio de Janeiro, entre abril e maio de 1993.

Um pouco desta reflexão está na letra de “Vinte e Nove”, canção que faz parte do disco “O Descobrimento do Brasil”, da Legião Urbana.

Aqui, o áudio da versão ao vivo da canção, gravada no Programa Livre (é o novo!):

YouTube Preview Image

Mais do que as muitas histórias dos bastidores da Legião Urbana e do que a reafirmação da mitologia já conhecida em torno do astro do rock, o diário promete revelar os pormenores da personalidade ambígua de Renato Russo. O Sopa de Livros elaborou antes um post do que já foi publicado sobre o líder da Legião Urbana.

Abaixo, os links para os sites que estão com o livro em pré-venda:

Saraiva

Livraria Cultura

Amazon

Livraria da Folha

 

1306351-250x250

 

Só por hoje e para sempre – Diário do Recomeço

Renato Russo

Companhia das Letras

Preço médio: R$ 27

11:19 · 15.06.2015 / atualizado às 11:37 · 15.06.2015 por

O rabino israelense Joseph Saltoun lança o livro “Kabbalah e as chaves secretas do universo” hoje à noite, a partir das 19h, na Livraria Cultura. Além do lançamento, o autor ministra uma palestra e participa de uma sessão de autógrafos.

Joseph Saltoun
Joseph Saltoun

O significado da palavra cabala em hebraico é receber/recebimento. Costuma-se definir cabala como a manifestação do misticismo judaico, e defende a crença do contato direto com as esferas superiores da realidade.

Glória Maria e Madonna são algumas das celebridades que seguem os ensinamento da cabala.

 

SERVIÇO

Palestra e lançamento do livro “Kabbalah e as chaves secretas do universo”, de Joseph Saltoun

Quando: Hoje, às 19h

Onde: Livraria Cultura

 

*Texto de Rosiane Mel0 – estagiária do Núcleo de Entretenimento do Diário do Nordeste

Pesquisar

Sopa de Livros

Blog da jornalista Kelly Garcia, da área Entretenimento, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

02h03mPara marcar na agenda

02h03mEm entrevista, Jorgeana Jorge revela seu processo de criação

03h03mAutor cearense Jairo Sarfati fala sobre seu livro e novos projetos

02h03mPara marcar na agenda

11h03mUFC lança livros-reportagem nesta quarta-feira

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs