Sopa de Livros

Categoria: Relançamento


11:44 · 15.03.2016 / atualizado às 12:01 · 15.03.2016 por

Os livros-reportagem “Auri, a anfitriã”  e “Na Marca do pênalti: o sonho de ser jogador de futebol” serão lançados durante a Aula Magna do semestre 2016.1 do Curso de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará, nesta quarta-feira, dia 16, na área II do Centro de Humanidades da Universidade. As obras, de autoria das jornalistas Aline Moura e Bárbara Almeida e de Allan Barros e Jéssica Welma, trazem o selo Imprensa Universitária.

Sobre as obras

“Auri, a anfitriã” traz um apanhado de narrativas sobre trajetórias que se cruzam nos corredores do único presídio feminino do Estado do Ceará, localizado no município de Itaitinga. Orientado pela Profª Naiana Rodrigues, o livro é escrito em primeira pessoa, tendo como narradora a própria “entidade-presídio”. É Auri quem nos conduz pelo seu interior, apresentando várias histórias de erros, dores e também sonhos com a liberdade.

 

Auri
Essa foi a capa da edição lançada pelo Catarse, em 2015

 

Em 2014, a obra foi agraciada com cinco prêmios: melhor Livro-reportagem no Expocom Nordeste, melhor Edição de Livro no Expocom Nordeste, melhor Livro-reportagem no Expocom Nacional, melhor Edição de Livro no Expocom Nacional e melhor Trabalho de Conclusão de Curso no prêmio de Gandhi de Comunicação. Em 2015, a obra foi publicada com a ajuda do projeto Catarse, que financia o lançamento de livros.

“Na Marca do Pênalti” é assinado pelos também jornalistas Alan Barros e Jéssica Welma e versa sobre outro tipo de sonho: o de ser atleta profissional. Os repórteres acompanharam a “peneira” de jovens talentos que almejam uma vaga nas divisões de base do futebol cearense e investigaram a fundo a realidade de jogadores e técnicos de sucesso. A orientação ficou a cargo do Prof. José Ronaldo Salgado.

Debate
Além do lançamento, está prevista uma mesa-redonda sobre o gênero com os autores e presenças docentes. Uma delas será do Prof. José Ronaldo Salgado, mestre em Letras, pesquisador da área de Jornalismo Literário e professor orientador do Laboratório de Jornalismo Impresso do Curso de Jornalismo da UFC. A segunda convidada é Mayara de Araújo, especialista em Docência no Ensino Superior, professora substituta do Curso de Jornalismo da UFC e autora do livro-reportagem “Histórias de Beco: quando a poeira assenta, entrevemos rostos, punhos e corações” (2011).

O projeto Livros-Reportagem foi concebido em 2011 pela Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional para dar a oportunidade de trabalhos desse gênero produzidos pelos concludentes do Curso de Jornalismo da UFC ultrapassarem as bibliotecas acadêmicas e chegarem às mãos da comunidade leitora externa. Embora consista em uma atividade letiva para os novos ingressantes, a programação é gratuita e aberta ao público.

capa auricapa penalti

Essas são as edições a serem lançadas pela UFC amanhã.

Serviço:

Aula Magna do Curso de Jornalismo e lançamento dos livros “Auri, a anfitriã” e “Na Marca do Pênalti”
Quando: 16 de março de 2016, às 18h
Onde: Auditório da Pós-Graduação em História da UFC
(Av. da Universidade, 2762 – Benfica – 1º andar)
Horário: 18h

15:10 · 26.02.2016 / atualizado às 15:10 · 26.02.2016 por

Já está em pré-venda a edição especial da obra Shirley, da inglesa Charlotte Brontë, também autora dos clássicos Jane Eyre e Villete, comemorativa aos 200 anos do primeiro lançamento, da Editora Pedra Azul.

A sinopse diz:

Shirley é a história da órfã Caroline Helstone e da herdeira Miss Keeldar.
Caroline Helstone é uma tímida e doce órfã que vive com seu tio, o reverendo Mr. Helstone, em Briarfield, Yorkshire, interior da Inglaterra. Sua mãe há muito havia desaparecido e seu pai morrido. Os dias na lúgubre casa sacerdotal passam lentamente, mas Miss Helstone é feliz, pois certa encantadora casa de campo, próxima ao Moinho de Hollow, é seu paraíso terrestre. Num morador dessa cottage ela deposita toda sua expectativa de vida. Apaixonada platonicamente por seu primo, Miss Helstone sonha em se casar com ele, mas uma desilusão acontece e ela vê seu mundo ruir. Por outro lado, a vivaz Shirley Keeldar, herdeira de uma grande quantidade de terra e fortuna, mal entra em cena e se torna a mais atraente das mulheres de toda a região. Proprietária de muita terra, todos os homens elegíveis do município, assim que souberam de sua chegada e de sua fortuna, lhe propuseram casamento, mas a herdeira guarda um segredo. Charlotte Brontë, cujo talento reside em explorar o drama psicológico do amor proibido, da perda e da busca pela identidade, nos presenteia com este comovente romance de duas órfãs e a trajetória da família Gerard Moore que, justamente quando o leitor pensa que já descobriu toda a trama, a autora se torna imprevisível. Em Shirley, Charlotte desafia as convenções, explorando os limites da justiça social, ao mesmo tempo contando não uma, mas duas histórias de amor.

 

Veja a edição aqui. Também está nesse link as primeiras quatro páginas do livro.

 

Essa é a capa da edição anterior:

shirley

 

Shirley

Charlotte Brontë

Editora Pedra Azul

400 páginas

R$ 44,90

15:02 · 10.02.2016 / atualizado às 15:03 · 10.02.2016 por

 

Assim como a nossa colaboradora Rosiane Melo o fez, eu também vim expor as minhas metas de leitura para esse ano que está em curso. Infelizmente, já se passou um mês e cá estou, ainda “presa” em uma leitura iniciada em 2015, de um livro que nem é extenso. (vergonha!)

Não vou ter grandes ambições em 2016. A meta é ler pelo menos 30 livros, o que nem é um número tão grande.  Mas vamos aos desejos de leitura para esse ano, até mesmo para que eu me organize e venha a cumprir esses objetivos. O bom é que quase todos já estão lá à minha espera, na estante.

 

1. Casa Grande e Senzala – Gilberto Freyre

casa

2. Chatô – Fernando Morais

3. Trilogia Getúlio – Lira Neto

4. A noite do meu bem – Ruy Castro

5. Os Maias – Eça de Queirós

maias

6. Mulheres de Cinzas – Mia Couto

7. 1889 – Laurentino Gomes

8. Diário de Anne Frank

9. A carne e o sangue – Mary del Priore

carne

10. A alma encantada das ruas – João do Rio

11. O visconde partido ao meio – Italo Calvino

12. Malala – a menina que queria ir a escolaAdriana Carranca

13. O jardim secreto – Frances Hodgson Burnett

jardim

14. As sete irmãs – Lucinda Hiley

15. Na berma de alguma estrada – Mia Couto

16. Aprender a viver –  Luc Ferry

17. Doze contos peregrinos – Gabriel García Marquez

doze

18. Zelota – Reza Aslan

19,. Dizem que os cães veem coisas – Moreira Campos

20. As mulheres do nazismo – Wendy Lower

21. O diamante –  J. Courtney Sullivan

diamante1jpg

 

22. As cartas lacradas – Dora Oppenheim

23. O símbolo perdido – Dan Brown

24. O tempo e o vento – Erico Veríssimo

25.  A amiga genial – Elena Ferrante

amiga

26. Quarenta Dias – Maria Valéria Resende

27. Os homens sem mulheres – Haruki Murakami

28. Irmãs Romanov – Hellen Rappaport

29. Ao farol – Virgínia Woolf

 

farol

30. Objetos cortantesGillian Flynn

 

 

12:09 · 30.10.2015 / atualizado às 12:09 · 30.10.2015 por

De acordo com o portal Publishnews, o premiado escritor cearense Lira Neto irá relançar, pela Companhia das Letras, três obras de sucesso que foram esgotadas há alguns anos.

lira neto

Trata-se de biografias de Castello Branco (Castello Branco – a marcha para a ditadura), José de Alencar (O inimigo do rei) e Maysa (Maysa – numa só multidão de amores). Os livros, respectivamente, foram publicados em primeira edição em 2004, 2006 e 2007.

A data de relançamento ainda não foi divulgada pela editora.

 

*Por Rosiane Melo – Estagiária do Núcleo de Entretenimento

10:46 · 07.10.2015 / atualizado às 10:46 · 07.10.2015 por

No último dia 6 de outubro, a autora Stephenie Meyer lançou nos Estados Unidos uma edição comemorativa dos 10 anos de lançamento do primeiro volume da saga Crepúsculo. E a novidade é que a nova versão, intitulada “Life and Death – Twilight Reimagined”, apresentará os personagens principais, Bella Swan e Edward Cullen em gêneros invertidos.

adaptaça

Isso mesmo! Os personagens foram nomeados de Beau (abreviação de Beaufort) e Edythe. A intenção, segundo Meyer, é mostrar que Bella não é apenas uma “mulher em perigo”, mas sim “um ser humano em perigo”, já que sua personalidade será incorporada a um menino. “Um ser humano normal cercado por pessoas que são super heróis e super visões”, enfatizou.

Além da mudança de gênero, o livro foi reeditado e possui correções de gramática.

Intrínseca anunciou, para a alegria dos fãs, que irá lançar a obra em novembro.

Confira a capa nacional:

cre

 

 

*Por Rosiane Melo – Estagiária do Núcleo de Entretenimento

14:29 · 13.04.2015 / atualizado às 14:56 · 13.04.2015 por

A capital cearense completa 289 anos nesta segunda-feira. A data foi instituída para lembrar quando ela foi elevada a  vila, mas antes, muito antes, já existia o agrupamento de pessoas nessa área do Ceará. Depois dos índios, os primeiros forasteiros que aqui chegaram foram espanhóis, liderados por Vicente Pinzón, três meses antes de Pedro Álvares Cabral aportar em Porto Seguro. Para compreender o processo formativo da cidade e relembrar outros tempos da cidade, o Sopa de Livros elenca algumas obras, de vários estilos, para quem é apaixonado pela “loura desposada do Sol”, conforme a caracterizava o poeta Paula Nei. Vamos às dicas:

1. História urbana e imobiliária de Fortaleza – biografia sintética de uma cidade

Esse livro, lançado em 2014, faz um apanhado da história do Ceará desde antes de os estrangeiros aportarem por aqui até o Ceará mais voltado para o turismo e eventos de hoje. É realmente uma biografia muito bem escrita pelo autor do premiado “Getúlio”, Lira Neto, em parceria com a também jornalista Cláudia Albuquerque. Um dos diferenciais da obra é o rico acervo fotográfico, além de contar com capa dura e páginas em papel couchê. Também traz informações pouco divulgadas a respeito da ocupação de áreas hoje ditas nobres, como as Dunas, Cocó, através do olhar dos primeiros que investiram em terrenos nesses locais e bastante das pitadas sarcásticas de alguns momentos em que Fortaleza quis ser Paris, esquecendo-se dos muitos problemas  que assolavam os moradores.

 

lira2

O livro conta com várias linhas do tempo ilustradas, para facilitar a compreensão do leitor

lira3

As fotografias e reproduções de gravuras chegam a ocupar duas páginas e são um dos diferenciais dessa obra

lira

História urbana e imobiliária de Fortaleza – biografia sintética de uma cidade

Lira Neto e Cláudia Albuquerque

Editora Braba

197 páginas

Preço médio: R$ 100

2. Outros tempos

Para criar esse romance policial ambientado nos anos 1940, em plena guerra, o autor, já entrevistado pelo blog,  fez ampla pesquisa nos jornais de época, além dos livros que descreviam  o que acontecia e como era a rotina dos moradores de Fortaleza nesse período. Mas não se trata de uma obra para somente para saudosistas, porque o suspense, muito bem construído, prende o leitor em uma história instigante, além de fazer uma viagem por lugares que outrora foram bastante valorizados e hoje, não passam de ruínas. Para ler com um olhar mais atento aos prédios desprezados pela cidade, em especial, nos bairros Centro, Benfica e Jacarecanga, outrora nobres e hoje, nem tanto.

outros

Outros tempos

Leonardo Nóbrega

Editora Premius

311 páginas

Preço médio: R$ 35

3. Relembranças

Nessa obra, composta só por crônicas, escritas a partir de 1958 e publicadas nos jornais, Milton Dias desfia suas impressões da cidade que o acolheu ainda criança e relembra sua juventude. Essa obra fala de locais importantes da cidade, como a Praça do Ferreira e ainda traz crônicas em que o autor declara seu amor à cidade. O livro foi lançado, originalmente, em 1983 pela Universidade Federal do Ceará e, por ser antigo, é possível encontrá-lo em sebos.

RELEMBRANCAS

Relembranças

Milton Dias

Edições UFC

345 páginas

Preço médio: R$ 20

4. Fortaleza Velha

Neste livro, que ganhou nova edição em 2013, o olhar do cronista João Nogueira, engenheiro, inventor e que, nas horas vagas, escrevia para vários jornais daqui, aponta muitas das transformações de Fortaleza no fim da chamada Belle Époque e durante a Segunda Guerra Mundial. Nos seus textos, além do saudosismo, está presente uma fina ironia que nos leva ao riso em vários momentos. Desses 28 textos, escritos entre 1921 e 1943, ele descreve como foi a demolição de ícones arquitetônicos como o sobrado do Comendador Machado, que deu lugar ao Hotel Excelsior, ainda de pé na Praça do Ferreira e a antiga Igreja de São José, demolida para a construção da Catedral Metropolitana de Fortaleza. Outras passagens que nos fazem viajar no tempo é a descrição de todas as edificações da antiga Rua Formosa, hoje Barão do Rio Branco, assim como a história do Passeio Público desde a sua construção até o seu primeiro período de decadência, nos anos 1930.  As crônicas que tratam dos circos e teatros, da festa dos Caboclos da Parangaba e das eleições (sangrentas e desonestas) dentro das Igrejas são igualmente deliciosas. A organização da obra, assim como as notas de rodapé couberam ao escritor Raymundo Netto. Não pode faltar na estante de quem gosta de rememorar a cidade.

fortaleza-velha-colecao-nordestes-joao-nogueira-8563171623_600x600-PU6ea526ea_1

Fortaleza Velha

João Nogueira

Coleção Nordestes

205 páginas

Editora Armazém da Cultura

Preço médio: R$ 28

5. As três Marias

No romance publicado por Rachel de Queiroz em 1939, além da amizade profunda entre Maria Augusta (Guta), Maria José e Maria da Glória, várias paisagens urbanas de Fortaleza são descritas, como o Colégio da Imaculada Conceição, onde as três se conhecem. Narrado por Guta, percorre os caminhos diversos em que cada uma das três constrói a sua história.  Glória se transforma em uma dedicada mãe de família, Maria José se entrega à religião, enquanto Guta corre em busca de sua independência. Seu ideal é viver sozinha, seguir seu próprio caminho, livrar-se da família, romper todas as raízes, ser completamente livre. Mas o destino e o amor acabam revelando-se para Guta bem menos doces do que os livros de poesia que elas costumavam ler na escola.  Esse é outro livro fácil de achar em sebos, por preços bem acessíveis.

marias

 

As Três Marias

Rachel de Queiroz

Editora José Olympio

204 páginas

Preço médio: R$ 23

6. Fortaleza Belle Époque – reforma urbana e controle social (1860-1930)

Fruto da pesquisa de dissertação de mestrado defendida em 1992 na PUC de São Paulo, pelo professor do curso de História da Universidade Federal do Ceará, Sebastião Rogério Ponte e esgotado há vários anos, ganhou nova edição das Edições Demócrito Rocha no ano passado. A obra analisa o processo de remodelação urbana e disciplinarização social por que passou a capital cearense entre o final do século XIX e nas primeiras décadas do século XX. Entre os fatos analisados, estão as campanhas de higienização física e moral da população, imposição de novos padrões europeizados de condutas públicas e privadas, asilamento de mendigos e doentes mentais, e práticas policiais de controle das camadas pobres. Ainda contempla a sátira, o deboche e a irreverência como formas de resistência popular contra as cotidianas tentativas dos poderes e saberes locais em disciplinar a sociedade.

EPOQUE

Fortaleza Belle Époque – Reforma  urbana e controle (1860-1930)

Sebastião Rogério Ponte

Edições Demócrito Rocha

220 páginas

Preço médio: R$ 60

7. A Normalista

Nesse romance realista e naturalista, além de conhecer a triste sina da protagonista Maria do Carmo, é possível passear pela Fortaleza do fim do século XIX, com sua velha Estação de Trem, os sítios afastados do Benfica, a Escola Normal, responsável pela má fama de suas alunas e que se situava na Praça José de Alencar, ao lado do Theatro e o  descampado rural do Cocó, com pouquíssimas choupanas, bem diferente do emaranhado de arranha céus de hoje. Vale a leitura para conhecer mais sobre a história da cidade nessa ousada história de Adolfo Caminha. Também fácil de encontrar em sebos e, por já contar mais de cem anos de seu lançamento, é de domínio público, podendo ser baixado por aqui.

norma

A Normalista

Adolfo Caminha

Editora Ática

156 Páginas

Preço médio: R$ 15

 8. Royal Briar – A Fortaleza dos anos 1940

Como memorialista, Marciano Lopes descreve a Fortaleza do seu bem-querer, que o recebeu ainda criança, dos braços de Aracati, após uma tragédia pessoal. Marciano  nos convida nessa obra a conhecer não só as ruas, casarões e edificações da cidade nessa época, mas também suas galhofas, seu comércio, o Carnaval, seus produtos  e até mesmo as pensões alegres mantidas em antigos casarões do Centro. Como Marciano detinha um grande acervo fotográfico, nesse livro são expostas várias dessas fotos raras, conseguidas com famílias da sociedade, além de registros do grande pesquisador Nirez.

tumblr_m661d08xEx1qe3rhho1_1280

Uma das propagandas do tal Royal Briar

E o livro:

royal-213x300

Royal Briar

Marciano Lopes

Editora Armazém da Cultura

218 páginas

Preço médio: R$ 30

17:11 · 02.03.2015 / atualizado às 11:29 · 03.03.2015 por

Após lançar obras  como Os Maias, de Eça de Queirós e Vinte mil léguas submarinas, de Júlio Verne, em edições luxuosas, com belas ilustrações e muitas notas de rodapé, a editora Zahar inicia a publicação de obras da Literatura Brasileira nessa coleção.

maias

Obra Os Maias faz parte da coleção de clássicos da Zahar. O e-book custa  R$ 29,90  e o impresso, R$ 69,90

A primeira é O Ateneu, de Raul Pompeia, já nas livrarias de todo o País, que traz o texto integral e as 44 ilustrações originais do autor, além de notas explicativas e uma apresentação que recupera as principais linhas interpretativas do romance, desde a época de sua publicação até nossos dias.

A obra, publicada em 1888, discorre sobre  Sérgio, o narrador que revive a traumática experiência do internato e o sofrido rito de passagem da infância para a adolescência. Nesse livro, Raul Pompeia rompe barreiras temáticas – como a homossexualidade e a formação viciosa da elite brasileira – e estilísticas, transitando livremente entre a ficção, a poesia e o ensaio.

ateneu

O Ateneu está nas livrarias por R$ 39,90. Já o e-book sai por R$ 19,90.

O Sopa de Livros entrevistou o conselheiro editorial da Zahar e coordenador da Coleção Clássicos, Rodrigo Lacerda, para saber mais sobre a série e quais as novidades após esse primeiro lançamento da Literatura Brasileira na coleção. Confira:

1. Como se deu a seleção das obras que fariam parte das edições de luxo comentadas e ilustradas e das edições de luxo de bolso da Zahar?

Para entender a coleção Clássicos Zahar, o importante é ter em mente um conceito nada rígido da palavra “clássico”. Temos clássicos no sentido mais rigoroso do termo, como o volume com quatro tragédias gregas; temos clássicos populares, como Tarzan, Os três mosqueteiros e 20 mil léguas submarinas, e temos clássicos da literatura no sentido mais usual, como por exemplo o Persuasão, da escritora inglesa Jane Austen. Há também os livros menos conhecidos de autores clássicos, como o histórias de terror do Alexandre Dumas, que não é conhecido por escrever nesse gênero. A ideia é que há várias formas de um livro se tornar clássico, e todas elas são válidas.

2. Desde quando vocês publicam esse tipo de obra e quantos livros já foram publicados nessa coleção?

O primeiro livro nessa linha a publicarmos foi Alice no país das maravilhas. Depois, vieram o Conde de monte Cristo e Os três mosqueteiros. Até então, eram publicações fora de coleção, mas com o sucesso que tiveram, percebemos que havia espaço para mais uma coleção de clássicos, menos rígida, mais inventiva, com apresentações originais e notas para cada volume.

3. Como você vê o interesse dos leitores para obras clássicas?

Acho natural. Quando o livro é bom, ele não envelhece. O clássico é aquele livro que você lê sem se preocupar com modismos literários, pois já foram testados e retestados, e isso é muito saudável na formação do público leitor.

4. Investir no formato seria uma forma de atrair o público para esse tipo de leitura?

Claro que sim. Acho que o jovem leitor, sobretudo. Ele precisa de
incentivos, e precisa perder o medo que a palavra “clássico” pode inspirar, como se fosse necessariamente algo distante da sua realidade e até tedioso. Pelo contrário, a esmagadora maioria dos clássicos são extremamente preocupados com o leitor e em manter seu interesse, tornando-se portanto muito divertidos.

5. Por que a demora em publicar um livro da Literatura Brasileira nessa coleção?

Primeiro por que, nessa área, a lacuna era menos gritante do que na área dos clássicos infanto-juvenis. Há muitas edições da maioria dos clássicos brasileiros. Além disso, para fugir do óbvio, que seria publicar mais uma edição do Memórias Póstumas de Brás Cubas, do Machado de Assis, precisávamos escolher bem por qual título começar.

6. E por que a escolha da obra O Ateneu para ser a primeira?

O Ateneu, por tudo que representou para a literatura brasileira, e pelo retrato que faz da sociedade brasileira, da sua época e, infelizmente, até hoje em certos aspectos, continua tendo uma atualidade imensa. A apresentação do prof. Ivan Marques, ao recapitular o que já se escreveu sobre o livro, deixa bem claro o papel central desse livro na nossa cultura.

7. Quais serão as próximas obras de Literatura Brasileira a serem incluídas entre os lançamentos da editora?

Ainda não temos nada programado. Mas creio que, da próxima vez, com nova apresentação e as notas que caracterizam a coleção, já poderemos fazer um Machado de Assis sem medo de estarmos chovendo no molhado.

 

 

14:11 · 27.02.2015 / atualizado às 14:11 · 27.02.2015 por

Depois de “Outros Tempos“, livro ambientado nos anos 1940 em Fortaleza, Leonardo Nóbrega lança mais um livro neste sábado, dia 28, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, às 16h30. “Crimes do Tarô” é um romance policial que se passa em uma cidade imaginária, em que uma misteriosa ladra deixa cartas de tarô nos locais dos crimes.

O estopim para a criação desse novo enredo se deu a partir de uma notícia de 1928, em que uma ladra cometera uma série de crimes em uma cidade espanhola. A partir daí, o autor começou uma investigação da cultura cigana e de algumas seitas para a história.

Outro diferencial desta obra é a interação com os leitores. Em entrevista ao Diário do Nordeste, Leonardo Nóbrega disse que estava trabalhando em dois livros ao mesmo tempo e através da sua pagina oficial fez uma enquete com os leitores para saber qual dos dois enredos deveria ser lançado primeiro, se Crimes do Tarô ou O Mensageiro da Morte e os leitores optaram pelo primeiro. Por conta do sucesso desse canal de comunicação com os leitores, mais capítulos também devem ser disponibilizados pela internet para os leitores.

Serviço

CRIMES DOTARO

Crimes do Tarô

Leonardo Nóbrega

Premius Editora

Lançamento às 16h30, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura

Reveja aqui a entrevista do Sopa de Livros com Leonardo Nóbrega, à época da Bienal, em que ele fala sobre seus dois livros:

13:49 · 21.02.2015 / atualizado às 13:49 · 21.02.2015 por

Para quem aprecia a obra do modernista Mário de Andrade, várias boas notícias neste ano. Às vésperas de sua obra ser disponibilizada no domínio público, dez livros relacionados ao escritor estão com previsão de lançamento neste 2015, entre eles o inédito “Café”, a ser publicado pela editora Nova Fronteira até julho.

mario de Andrade

O escritor Mário de Andrade será o homenageado dessa edição da Festa Literária de Paraty, em julho.

O primeiro lançamento já ocorre nessa quarta-feira, dia 25, no aniversário de morte do escritor. No Rio, a Edições de Janeiro e a Fundação Biblioteca Nacional apresentam “Eus ou Trezentos: Mário de Andrade, Vida e Obra”, de autoria do pesquisador Eduardo Jardim.

eduardojardimmario

Eduardo Jardim lança no dia 25 a nova biografia de Mário de Andrade

Ainda nesse semestre, serão lançados três e-books de Mário de Andrade: “Música de Feitiçaria”, “As Melodias do Boi” e “Pequena História da Música”.

E para aproveitar os últimos momentos de uma obra protegida pela lei de direitos autorais, já que as obras de Mário de Andrade passam a ser de domínio público em 2016, a editora Nova Fronteira, responsável, com o Instituto de Estudos Brasileiros, pelos volumes de Mário de Andrade disponíveis hoje, irá lançar um romance inédito do autor “Café”, além de uma coletânea de contos e crônicas e a graphic novel “Macunaíma em São Paulo: O nascimento de um Brasil”, com roteiro de Izabel Aleixo e ilustrações de Kris Zullo.

Os três devem estar prontos até julho, para as homenagens que o autor irá receber durante a Festa Internacional de Paraty, entre os dias 1º e 5.

Outra biografia que deve ser lançada em breve é “As vidas de Mário de Andrade”, de Jason Tércio, que trabalha nessa obra há 10 anos.

Ainda em 2015, a Edusp e o IEB também lançam, pela coleção Correspondências de Mário de Andrade, as cartas trocadas com Lasar Segall, organizadas por Vera Dorta e as que foram trocadas com Alceu Amoroso Lima, que trazem a organização de Leandro Garcia Rodrigues, com coedição da PUC-Rio.

Com informações do O Estado de S. Paulo.

12:35 · 12.02.2015 / atualizado às 14:12 · 12.02.2015 por

O Carnaval está aí e você, maluco para fugir da folia? O Sopa de Livros sugere algumas leituras, para todos os gostos e bolsos,  que vão te fazer esquecer do mundo lá fora. Confira!

1.Emma

Jane Austen sabe bem como construir uma história. Neste romance, publicado originalmente em 1815, Austen relata as dificuldades das mulheres inglesas no início do século XIX. Citado em várias listas de livros imprescindíveis para quem quer conhecer bons livros, foi adaptado várias vezes para a televisão e para os cinemas. Uma das reedições mais recentes (e lindas!) foi lançada ano passado pela L&PM. Assim como as outras obras publicadas de Austen publicadas pela editora, foram desenhadas pela artista alemã Birgit Amadori, famosa por suas criações em estilo vintage que decoram desde capas de livro até paredes de hotéis pelo mundo.

emma

Emma 

Jane Austen

Saraiva/ Martin Claret

Preço médio: R$13,50

496 páginas

2. Cem sonetos de amor

Este livro traz, pela primeira vez em edição bilíngue, não apenas cem dos mais emocionantes poemas de amor do poeta chileno e Prêmio Nobel de Literatura Pablo Neruda (1904-1973), como alguns dos mais belos sonetos já escritos. Aqui, é cantada a mulher amada e também a natureza universal do amor romântico. A tradução é do também poeta e imortal Carlos Nejar, com edição bilingue (português e espanhol) e preço bem atraente.

Um dos poemas presentes na edição:

Saberás que não te amo e que te amo 
posto que de dois modos é a vida, 
a palavra é uma asa do silêncio, 
o fogo tem uma metade de frio. 

Eu te amo para começar a amar-te, 
para recomeçar o infinito 
e para não deixar de amar-te nunca: 
por isso não te amo todavia. 

Te amo e não te amo como se tivesse 
em minhas mãos as chaves da fortuna 
e um incerto destino desditoso. 

Meu amor tem duas vias para amar-te. 
Por isso te amo quando não te amo 
e por isso te amo quando te amo. 
(Soneto XLIV)

cem_sonetos_de_amor_conv_9788525431820_m

Cem Sonetos de Amor

Pablo Neruda

Edição Bilingue

L&PM

Preço médio: R$ 25,90

224 páginas

3. Uma história da terra e do mar

Esse livro é para quem gosta de romances históricos. Considerado uma das melhores estreias literárias de 2014 pela BBC Culture, a obra vai de além de uma narrativa sobre conflitos de geração e a dor da perda, apresentando aos leitores como era a vida na América do fim do século XVIII. A escritora usou sua experiência como historiadora e pesquisadora para escolher em qual momento situar o romance, incorporando a formação dos EUA como nação, as navegações e a escravidão à trama.

 

umahist

 

Uma história  da terra e do mar

Katy Simpson Smith

Globo Livros

Preço médio: R$24,90

229 páginas

4.O fio da vida

Vencedor do Costa Book Prize, é outro romance histórico instigante. “O fio da vida” transformou-se em fenômeno de crítica e de público. Além de ter ficado por mais de um ano na lista dos mais vendidos na Inglaterra e nos EUA, foi eleito também o melhor livro do ano pela revista Time, um dos cinco melhores romances de 2013 pelo jornal The New York Times, o melhor do ano pelo jornal The Independent e um dos 10 melhores livros do ano pelos jornais Guardian e USA Today e pelos sites Salon, Amazon e The Daily Beast.  Na sinopse, Ursula, que nasce em 1910, parece viver em um eterno déjà-vu,por conta de uma pequena imperfeição do cérebro, o que a leva a pensar que esteja repetindo experiências, morrendo e renascendo, apesar de isso não ser verdade. A autora, Kate Atkinson, narra os destinos de Ursula entre 1910 e 1945, abarcando os dramas das duas guerras mundiais e desenha novas perspectivas a partir de um mesmo fato. 

ofio

Globo Livros

Preço médio: R$ 31,40

536 páginas

5. Entrevista com o vampiro: A história de Cláudia

Lançada neste mês pela Rocco, a adaptação para os quadrinhos de Entrevista com o vampiro, bestseller de Anne Rice que virou filme em 1994, é ilustrada por Ashley Marie Witter e reconta a história sob um ponto de vista inédito: o da vampira criança Cláudia, a imortal de 6 anos de idade, órfã e assassina, vítima e monstro, representada por Kirsten Dunst na versão cinematográfica. O desenho detalhista, algo vintage, reforça o clima ao mesmo tempo sensual e sombrio da obra original, renovando e enriquecendo a narrativa. Boa oportunidade para quem conhece a obra da rainha dos vampiros e também para quem deseja conhecê-la.

claudia

Entrevista com o vampiro: A história de Cláudia

Anne Rice & Ashley Marie Witter

Rocco

Preço médio: R$ 44,50

224 páginas

6. Olga

Nascida em uma família judia alemã, em 12 de fevereiro de 1908, Olga era filha de uma dama da alta sociedade de Munique e de um advogado social democrata. Foi vendo o exemplo do pai, que se dedicava às causas trabalhistas dos operários atingidos pela crise que se instalou no país, que Olga tomou contato com idéias liberais avançadas. A alemã se lembraria, mais tarde, de que foi no escritório do pai o primeiro contato com os problemas sociais, ao folhear os processos trabalhistas de Leo Benario. Nesse livro-reportagem de Fernando Morais, o mais intrigante é saber que uma história assim tenha acontecido de verdade. Outro diferencial da obra é o acervo fotográfico, que ajuda o leitor a se situar nos períodos descritos. Mas o livro passa longe do melodrama exibido na televisão e nos cinemas. 

olga

Olga

Fernando Morais

Companhia das Letras

Preço médio: R$ 25

312 páginas

7. A vida do Livreiro A.j. Fikry

Quem ama ler, certamente vai gostar dessa obra, que envolve suspense, amor e ainda um pouco dos bastidores do universo não só dos livreiros, como dos representantes de editoras e dos escritores. O rabugento A. J. Fikry é dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho e tudo em sua vida parece um completo fracasso. Entretanto, tudo muda quando ele acha um pacote misterioso na livraria, que faz com que ele reveja seus objetivos e se pergunte se é possível começar de novo.

livreiro

A vida do Livreiro A.J. Fikry

Gabriele Zevin

Paralela

Preço médio: R$ 20

192 páginas

 

Pesquisar

Sopa de Livros

Blog da jornalista Kelly Garcia, da área Entretenimento, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

02h03mPara marcar na agenda

02h03mEm entrevista, Jorgeana Jorge revela seu processo de criação

03h03mAutor cearense Jairo Sarfati fala sobre seu livro e novos projetos

02h03mPara marcar na agenda

11h03mUFC lança livros-reportagem nesta quarta-feira

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs