Busca

Categoria: Cinema


10:32 · 12.07.2015 / atualizado às 10:41 · 12.07.2015 por
Filme sobre a turnê do "The Wall"estreia em setembro
Filme sobre a turnê do “The Wall”estreia em setembro

Enquanto não está mandando cartas para o Gilberto Gil e Caetano Veloso não fazerem show em Israel…zzzzzzzz, Roger Waters tem trabalhado também no lançamento de seu filme. “Roger Waters The Wall“, que teve seu primeiro trailer liberado, acompanha os bastidores de sua última turnê mundial, baseada no disco mais icônico do Pink Floyd, lançado em 1979. O longa estreia em setembro nos cinemas.

“The Wall” é o álbum mais autobiográfico do artista, o qual ficção e realidade se misturam na obra que se tornou na mais importante ópera rock de todos os tempos. A tour homônima, que passou pelo Brasil em 2012 (Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo),  não fica atrás da grandiosidade do trabalho. O perfeccionismo (beirando quase a psicopatia) do vocalista e baixista fez com que o giro na estrada se tornasse a terceira maior arrecadação da história, com US$ 464 milhões (mais de R$ 1,04 bilhão).

YouTube Preview Image

Além da eficiente banda que atualmente lhe acompanha, toda a parafernália envolvida no evento, para propiciar efeitos audiovisuais e sonoros dignos de uma megaprodução de Hollywood, são de tirar o fôlego. Quem viu a apresentação, certamente sabe que foi uma das experiências mais completas já vistas em termos de música. Emocionante mesmo. Chorei litros!!! Curioso? Dá uma olhada no nosso depoimento durante a performance em Porto Alegre (clica aqui).  

Além desse projeto, Waters  planeja relançar, ainda em julho, uma versão remasterizada de “Amused to Death”, seu álbum solo de 1992.

11:37 · 23.01.2013 / atualizado às 11:43 · 23.01.2013 por
A vida do líder do Beach Boys será retratada em filme com direção de Bill Pohlad (produtor de “A Árvore da Vida”)

A vida conturbada de Brian Wilson, do Beach Boys, será tema de filme, com previsão de estreia  para o  verão americano.  “Love & Mercy” retratará a história do gênio e problemático líder do grupo, um dos precursores da surf music, que estourou a partir dos nos 60 com inúmeros hits como “Good Vibrations”, “Pet Sounds”, “California Girls”, “Surfin USA” e “Don’t worry, baby”. 

A cinebiografia, dirigida por Bill Pohlad (produtor de “A Árvore da Vida” e “Na Natureza Selvagem”), irá focar na luta do músico contra problemas mentais e no relacionamento com sua esposa Melinda.

 

Paul Dano dará vida a Wilson na fase jovem

A complexa tarefa de incorporar o cantor, compositor e pianista ficará a cargo de Paul Dano, aquele esquisitinho de “Pequena Miss Sunshine” e, mais recentemente, protagonista da comédia romântica/indie “Ruby Sparks – A namorada perfeita (2012)”.

Para a fase mais velha do músico, ainda não foi selecionado o ator.   O compositor Atticus Ross, que trabalhou com Trent Reznor (do Nine Inch Nails) na trilha de “A Rede Social”, ficará no cargo da criação das músicas e a direção sonora do novo longa.

YouTube Preview Image

19:31 · 17.07.2012 / atualizado às 19:58 · 17.07.2012 por
Os inseparáveis e loucos Sal Paradise e Dean Moriarty, vividos pelos atores Sam Riley e Garrett Hedlund

Em meio a tantos blockbusters dominando os cinemas – vide “O Espetacular Homem Aranha”, “Valente” e “A Era de Gelo 4” (isso só para citar algumas das mais recentes estreias) -, o blog indica o “Na Estrada”, road movie que saiu da produtora do lendário Ford Coppola com direção do brasileiro Walter Salles.

Inspirado na odisseia homônima do tresloucado Jack Kerouac – clássico da geração beat dos anos 50 -, o longa ganhou um elenco razoável e uma trilha sonora à sua altura! Regadas a sexo, drogas, blues, jazz n’ roll (vale lembrar que na época o rock ainda estava começando!), as aventuras do hesitante escritor Sal Paradise (vivido aqui pelo  charmoso Sam Riley, que já foi Ian Curtis na ficção), do seu amigo alucinado Dean Moriarty (Garrett Hedlund) e de sua inebriante namorada Marylou (Kristen Stewart) são embaladas por canções, que não poderiam deixar de ser pra lá de alternativas.

A proposta é bem legal, mas abra a sua mente! Pra combinar com o espírito transgressor da história, prepare-se para uma coisa bem contemplativa meio cigarro de palha na beira da estrada e no meio do nada, sacou?

Kristen Stewart interpreta a musa Marylou

A coletânea é assinada por Gustavo Santaolalla, músico argentino que já trabalhou anteriormente com Waltinho em “Diários de Motocicleta” e tem ainda no currículo os longas “Brokeback Mountain”, “Babel” e “21 Gramas”.

No set list do CD, Santaolalla optou por composições próprias e incluiu também músicas de Ella Fitzgerald,  Son House e Slim Gaillard, este último chega até ser citado no livro de Kerouac. Ok, fora a Fitzgerald, podem não ser tão conhecidos do grande público, mas esses artistas marcaram a “negada” que curtia música de verdade nos loucos 50’s .

Tentei postar aqui algumas músicas do disco, mas essas faixas são bem difíceis de achar.

Segue aí uma mostrinha dessa “viagem” musical!

YouTube Preview Image YouTube Preview Image YouTube Preview Image YouTube Preview Image

 

*Trilha “Na Estrada”

1. Sweet Sixteen – Greg Kramer
2. Roman Candles
3. Yep Roc Heresy – Coati Mundi
4. Reminiscence
5. Lovin’ It
6. The Open Road
7. Memories / Up to Speed
8. I’ve Got the World on a String – Ella Fitzgerald
9. That’s It
10. Keep it Rollin’
11. Hit That Jive Jack – Slim Gaillard
12. God Is Pooh Bear
13. Death Letter Blues – Son House
14. I Think of Dean
15. Jack Kerouac Reads ‘On the Road’ – Jack KerouacGarrett Hedlund

YouTube Preview Image
08:09 · 17.07.2012 / atualizado às 08:11 · 17.07.2012 por
Katy Perry: de volta ao Brasil em 29 de julho

Após passagem em 2011 para shows no Rock In Rio (Rio de Janeiro) e em São Paulo, Katy Perry retorna ao Brasil, no dia 29 de julho (domingo), para divulgar o seu filme. Através de entrevista coletiva e première, a cantora lançará “Katy Perry: Part of Me – 3D“, documentário musical sobre a sua meteórica carreira. Além dos bastidores de sua turnê mundial, que totalizou 124 apresentações em todo o mundo, incluindo show no festival carioca, a diva pop também vai expor sua intimidade ao mostrar o processo de separação do ex-marido, o ator Russel Brand.  Abaixo, veja trailer do longa, que terá formato também 3D! A estreia nos cinemas está prevista para 10 de agosto. 

YouTube Preview Image
12:25 · 11.07.2012 / atualizado às 12:47 · 11.07.2012 por
Nina Arianda interpretará a lendária roqueira

Caberá à desconhecida Nina Arianda a tarefa de interpretar Janis Joplin,  apesar de não ter sido a primeira opção para o papel. Antes dela, chegaram a ser cotadas  Zooey Deschanel, Amy Adams, Renée Zellweger e a cantora Pink.

Estreando como protagonista nas telonas, a moça mostrou que tem potencial após ser premiada com o Tony (o Oscar do Teatro) em “Venus in Furs”, na Broadway. Os produtores do longa teriam se impressionado com a sua performance no musical.  Recentemente, a atriz pôde ser vista em participação nos filmes “Meia-Noite em Paris” e “Roubo Nas Alturas”.

A cinebiografia tem permissão para utilizar 21 músicas da estrela, que deverão ser cantadas por Arianda.

Impossível não reparar é que o critério na seleção não foi mesmo o da semelhança física. Nina nem de longe lembra a problemática cantora, que imortalizou clássicos como “Piece of My Heart”, “Cry Baby” e “Mercedes Benz”. Depois da caracterização, quem sabe, minha opinião mude.

“LIVING LA VIDA LOCA”

“Joplin” acompanhará os últimos seis meses de vida da diva roqueira, morta aos 27 anos por overdose. Tô curiosa mesmo é pra saber se o filme retratará sua breve passagem  no Brasil. Para quem não sabe, ela esteve no Rio de Janeiro em 1970, ano em que faleceu, na tentativa de se livrar do vício da heroína.

Durante a estadia, em vez de se tratar, botou foi muito boneco, tomou todas, fez topless na praia, chegou até ser expulsa do Hotel Copacabana Palace por nadar nua na piscina e ainda teve um affair com o icônico Serguei! Que figuraças! Ai, tem que ter essa parte no longa!

A direção ficará a cargo do também novato Sean Durkin, que assumiu o projeto após a desistência do brasileiro Fernando Meirelles. A produção terá orçamento inferior a US$ 20 milhões e deve começar a ser rodado em 2013.

YouTube Preview Image
16:07 · 13.06.2012 / atualizado às 16:10 · 13.06.2012 por

Com o passe super valorizado na indústria da música, Adele é cotada para cantar o tema do 23º longa da franquia estrelada por James Bond.  O rumor é antigo, começou em setembro do ano passado, quando a própria diva revelou, em entrevista a uma rádio inglesa, que iria gravar o tema de um novo filme sem revelar qual seria. “Voltarei ao estúdio em novembro [de 2011]. Na verdade é uma música-tema que tenho que gravar (…) Uau, acho que falei demais”, declarou a cantora na ocasião.

No entanto, a especulação voltou a ganhar força recentemente, após Chris Cornell dar aquela força para a colega.  Em entrevista à MTV norte-americana, o vocalista do Soundgarden, que gravou “You Know My Name” para “007: Casino Royale” (2006), rasgou a maior seda e disse que a loura é a artista ideal para interpretar a nova canção do agente 007. “Adele é a escolha perfeita, não consigo pensar em ninguém melhor”, elogiou. “Ela é fenomenal e é legal, em um tempo em que tantos vocais são consertados por computadores, que o maior álbum do ano passado tenha sido de alguém que canta de verdade”, acrescentou.

“007: Skyfall” tem estreia prevista para novembro. Produtores do longa ainda não se pronunciaram oficialmente  a respeito do possível convite. Caso o boato se concretize, o que seria bastante vantajoso para a série ter um nome de peso em sua trilha sonora, a cantora se juntará ao glorioso rol de artistas que já gravaram canções para o mais famoso agente secreto do mundo.

Além de Cornell, fazem parte da discografia de James Bond: Jack White e Alicia Keys (“Another way to die”, de “007 – Quantum of Solace”-2009) , Madonna (“Die Another Day”, de “007 – Um novo dia para morrer”-2002), Garbage (“007 – O mundo não é o bastante”-1999)… E quem não lembra  de Paul McCartney imortalizando “Live and Let Die” (de “007 – Viva e Deixe Morrer”-1973) – ainda hoje um dos pontos altos de sua carreira solo- e da Carly Simon toda diva no hit “Nobody Does It Better” (de 007 – O espião que me amava” – 1977)? Viram como não é pouca coisa? Se a Adele não quiser, me chama que eu vou!!!!!!!!!!!!

YouTube Preview Image YouTube Preview Image YouTube Preview Image YouTube Preview Image YouTube Preview Image
13:57 · 30.05.2012 / atualizado às 14:02 · 30.05.2012 por
O site Digital Spy divulgou a primeira imagem do músico Andre 3000 como Jimi Hendrix

Famoso pelo duo Outkast (aquele do “Hey, Ya!”), Andre 3000 estava sumido há um tempão por um bom motivo. Coube ao rapper o papel de Jimi Hendrix na cinebiografia “All Is by My Side”.  Com roteiro e direção de John Ridley, o longa mostrará as andanças de um dos maiores guitarristas de todos os tempos pela Inglaterra, entre 1966 e 1967, período em que produziu o clássico álbum de estreia “Are You Experienced”.

Independente, o filme  não contou com o aval da família do músico americano, que faleceu aos 27 anos de idade. “A Experience Hendrix, LLC, companhia da família de Hendrix responsável por proteger o legado de Jimi Hendrix e administradora da música e do catálogo dele, já deixou claro diversas vezes anteriormente que nenhum filme que inclua a música original de Hendrix pode acontecer sem a participação total da companhia”, informou comunicado, divulgado logo após o anúncio de 3000 como protagonista.

POLÊMICA?

Só pelo comunicado, dá pra sentir que, provavelmente, os produtores de “All Is by My Side” poderão vir a ter problemas com a família de Hendrix se utilizarem a sua música original. Para se livrar desse problemão, uma boa alternativa será convidar outros músicos a fazerem versões de sucessos do guitar hero… Tipo o “Across The Universe”, sobre a obra do Beatles, né? Será? É esperar pra ver!  

Abaixo, veja a diferença gritante entre Hendrix e Outkast! 

YouTube Preview Image YouTube Preview Image

 

07:28 · 27.04.2012 / atualizado às 07:32 · 27.04.2012 por
Soundgarden emplaca música na superprodução do diretor Joss Whedon

Um dos filmes mais esperados do ano entra em cartaz hoje com uma trilha sonora de grandes estrelas da música. “Os Vingadores”, superprodução que reunirá em uma mesma história super-heróis como “Homem de Ferro”, “Hulk”, “Thor” e “Capitão América”, fará muito barulho com músicas inéditas do Soundgarden, Evanescence e Scott Weiland (ex-vocalista do Stone Temple Pilots e Velvet Revolver).

Entre o maior destaque está mesmo o Soundgarden, terceira maior banda do movimento grunge nos anos 90 (perdendo apenas para o Nirvana e o Pearl Jam), que gravou uma música exclusivamente para o longa. O hit “Live To Rise”, do quarteto de Seattle que retomou as atividades em 2011 (após 15 anos), não deve entrar no novo disco de estúdio da banda, previsto para sair no fim deste ano.

YouTube Preview Image

Além do Soundgarden e Evanescence, Kasabian, Bush e Papa Roach também reforçam os nomes conhecidos da tracklist de 15 faixas. 

YouTube Preview Image

Abaixo, confira a lista completa dos artistas que fazem parte do CD.

TRILHA “OS VINGADORES”  

1) Soundgarden – “Live To Rise”
2) Shinedown – “I’m Alive”
3) Rise Against – “Dirt And Roses”
4) Papa Roach – “Even If I Could’
5) Black Veil Brides – “Unbroken”
6) Scott Weiland – “Breath”
7) Redlight King – “Comeback”
8) Bush – “Into The Blue”
9) Evanescence – “A New Way to Bleed (Photek Remix)”
10) Pusherjones – “Count Me Out”
11) Theory Of A Deadman – “Shoot To Thrill”
12) Buckcherry – “Wherever I Go”
13) Five Finger Death Punch – “From Out Of Nowhere”
14) Cherri Bomb – “Shake The Ground”
15) Kasabian – “Pistols At Dawn”

17:09 · 02.04.2012 / atualizado às 17:15 · 02.04.2012 por
Katy Perry: de "férias", a diva pop dá um jeito de aparecer!

Após Justin Bieber, astro de “Never say never”, chegou a vez de outra artista a lançar filme em 3D com o único intuito de se autopromover. “Part Of Me”, single lançado no último Grammy, mostra a colorida e meteórica ascensão de Katy Perry ao estrelato, desde quando cantava música gospel a vídeos inéditos de bastidores.

Além de entreter os dedicados fãs, o longa água-com-açúcar segue aquela batida linha da superação. Bem que o documentário poderia mostrar mesmo detalhes da crise ao divórcio do ex, Russel Brand. Será que a diva pop, de 27 anos, vai ter coragem de se expor desse jeito? O jeito é aguardar!

Com estreia prevista para 4 de julho nos cinemas americanos, a história já ganhou trailer oficial. Veja abaixo!

YouTube Preview Image
10:26 · 20.03.2012 / atualizado às 10:27 · 20.03.2012 por
"Yellow Submarine" chega às lojas em 28 de maio

A clássica animação dos Beatles, “Yellow Submarine” (1968), foi restaurada digitalmente para o lançamento em DVD e Blu-Ray no dia 28 de maio. A trilha sonora também será relançada em CD na mesma data. Fica a dica para os fãs!

Atualmente fora do mercado, o vídeo foi restaurado pela primeira vez em resolução digital de 4K, por Paul Rutan Jr. e seu time de especialistas na Triage Motion Picture Services and Eque Inc. Em função da natureza delicada da arte gráfica original, desenhada à mão, nenhum software foi utilizado no processo; foi tudo feito manualmente, frame a frame.

Os bônus do DVD e do Blu-Ray incluem um minidocumentário making of chamado “Mod Odyssey” (7’30”), o trailer original do filme, comentários do produtor John Coates e do diretor de arte Heinz Edelmann, entrevistas com outros envolvidos na produção do filme, sequências do storyboard, 29 desenhos à lápis e 30 fotos dos bastidores.

Nas embalagens digipak, haverá imagens do filme reproduzidas e um livreto de 16 páginas, com um ensaio escrito por John Lasseter (diretor de criação dos estúdios de animação da Disney e Pixar).

Dirigido por George Dunning e escrito por Lee Minoff, Al Brodax, Jack Mendelsohn e Erich Segal, “Yellow Submarine” começou sua viagem às telas quando Brodax (que já havia produzido previamente cerca de 40 episódios de uma série animada dos Beatles para o canal de televisão ABC) propôs ao empresário Brian Epstein que eles rodassem um longa de animação da banda.

Baseado em uma canção de John Lennon e Paul McCartney, “Yellow Submarine” é um conto fantástico que transborda a paz, o amor e a esperança impulsionados pelas músicas dos Beatles, como “Eleanor Rigby”, “When I’m Sixty-Four”, “Lucy in the Sky With Diamonds”, “All You Need Is Love” e “It’s All Too Much”.