Busca

Tag: David Bowie


07:58 · 16.02.2016 / atualizado às 12:12 · 16.02.2016 por
Taylor Swift levou o prêmio de Álbum do Ano no Grammy 2016 Foto: Robyn Beck/AFP
Taylor Swift levou o prêmio de Álbum do Ano no Grammy 2016 Foto: Robyn Beck/AFP

Os melhores da música de 2015 foram conhecidos no Grammy Awards, que aconteceu na noite desta segunda (15), em Los Angeles. A cerimônia acabou consagrando nomes da indústria como Taylor Swift em Álbum do Ano por “1989”, Bruno Mars e Mark Ronson em Gravação do Ano pela ótima “Uptown Funk” e Ed Sheeran pela Música do Ano em “Thinking Out Loud”- os principais prêmios da festa.

Uma brasileira também ganhou reconhecimento na principal premiação da música mundial. Eliane Elias levou a estatueta de Melhor Álbum de Jazz Latino por “Made in Brazil”. Gilberto Gil estava indicado a melhor álbum estrangeiro, mas perdeu para Angelique Kidjo, do Benin.

“1989”, de Taylor Swift, também foi escolhido como o melhor disco de vocal pop. O clipe de “Bad blood” foi o terceiro prêmio da noite para a cantora como o melhor do ano.  Ao todo, levou três gramofones dourados da Academia fonográfica. A loura foi um dos nomes mais rentáveis de 2015, tendo vendido mais de 6 milhões de cópias com o trabalho.

Kendrick Lamar, que liderava a disputa com 11 indicações, ainda levou o maior número de troféus ao ganhar cinco deles, mas nenhum entre os principais. O rapper americano, no entanto, fez uma das performances mais poderosas do evento, vestido de presidiário e dançando ao redor de uma fogueira em “The Blacker the Berry” e “Alright”, aplaudidas de pé.

A banda Alabama Shakes foi a segunda grande ganhadora em números ao levar quatro (o álbum “Sound & color” também foi escolhido como a melhor engenharia de som de disco não-clássico). Meghan Trainor, que fez sucesso com “All about that bass”, foi a revelação do ano.

Homenagens

Outro destaque da noite foi o tributo de Lady Gaga a David Bowie, que morreu no último dia 10 de janeiro, aos 69 anos. Com visual remetendo ao Camaleão do Rock, a cantora emocionou o público ao entoar alguns dos principais sucessos do artista como “Space Oddity”, “Changes”, “Ziggy Stardust”, “Suffragette City”, “Rebel, Rebel”, “Fashion”, “Fame”, “Let’s Dance” e “Heroes”. Ela foi acompanhada pelo guitarrista e produtor Nile Rodgers, que produziu o álbum “Let’s Dance”.

Veja abaixo:

YouTube Preview Image

Lemmy Kilmister, vocalista do Motörhead morto em dezembro, foi lembrado pelo Hollywood Vampires de Alice Cooper e Johnny Depp, que cantou “Ace of Spades”. Bonnie Raitt, Chris Stapleton e Gary Clark Jr. cantaram “The Thrill is Gone”, clássico de B.B. King, morto em maio de 2015.

Maurice White, do Earth, Wind & Fire, foi celebrado por Stevie Wonder, acompanhado pelo grupo Pentatonix, com o qual apresentou “That’s the Way of the World”. Glenn Frey, do Eagles, foi homenageado pelos membros restantes da banda. Dos homenageados, Lionel Richie foi o único artista vivo que ganhou tributo, que ficou a cargo de Demi Lovato, Meghan Trainor, Luke Bryan e John Legend.

Abaixo, veja lista com os principais premiados:

Gravação do Ano
“Really Love” – D’Angelo
“Uptown Funk” – Mark Ronson
“Thinking out loud” – Ed Sheeran
“Blank Space” – Taylor Swift
“Can’t Feel My Face” – The Weeknd

Melhor álbum do ano
“To Pimp a Butterfly” – Kendrick Lamar
“1989” – Taylor Swift
“Sound & Color” – Alabama Shakes
“Traveller” – Chris Stapleton
“Beauty Behind the Madness” – Weeknd

Artista revelação
Courtney Barnett
James Bay
Sam Hunt
Tori Kelly
Meghan Trainor

Melhor performance de rock
“Don’t Wanna Fight” – Alabama Shakes
“What Kind Of Man” – Florence & The Machine
“Something From Nothing” – Foo Fighters
“Ex’s & Oh’s” – Elle King
“Moaning Lisa Smile” – Wolf Alice

Melhor canção
“Blank Space” – Taylor Swift
“Thinking out loud” – Ed Sheeran
“Alright” – Kendrick Lamar
“See you again” – Wiz Khalifa
“Girl crush” – Litte Big Town

Melhor álbum country
“Montevallo” – Sam Hunt
“Pain Killer” – Little Big Town
“The Blade” – Ashley Monroe
“Pageant Material” – Kacey Musgraves
“Traveller” – Chris Stapleton

Álbum de rap
“2014 Forest Hills Drive” – J. Cole
“Compton” – Dr. Dre
“If Youre Reading This Its Too Late” – Drake
“To Pimp A Butterfly” – Kendrick Lamar
“The Pinkprint” – Nicki Minaj

Melhor performance solo de pop
“Heartbeat Song” – Kelly Clarkson
“Love Me Like You Do” – Ellie Goulding
“Thinking Out Loud” – Ed Sheeran
“Blank Space” – Taylor Swift
“Can’t Feel My Face” – The Weeknd

Melhor performance de grupo pop
“Ship To Wreck” – Florence + The Machine
“Sugar” – Maroon 5
“Uptown Funk” – Mark Ronson e Bruno Mars
“Bad Blood” – Taylor Swift e Kendrick Lamar
“See You Again” – Wiz Khalifa e Charlie Puth

Álbum vocal pop tradicional
“The Silver Lining: The Songs Of Jerome Kern” – Tony Bennett e Bill Charlap
“Shadows In The Night” – Bob Dylan
“Stages” – Groban
“No One Ever Tells You” – Seth MacFarlane
“My Dream Duets” – Barry Manilow

Álbum vocal pop
“Piece By Piece” – Kelly Clarkson
“How Big, How Blue, How Beautiful” – Florence & The Machine
“Uptown Special” – Mark Ronson
“1989” – Taylor Swift
“Before This World” – James Taylor

Melhor canção de rock
“Don’t Wanna Fight”, de Alabama Shakes
“Ex’s & Oh’s”, de Elle King
“Hold Back The River”, de James Bay
“Lydia”, de Highly Suspect
“What Kind Of Man”, de Florence + The Machine

Melhor álbum de rock
“Chaos And The Calm”, de James Bay
“Kintsugi”, de Death Cab For Cutie
“Mister Asylum”, de Highly Suspect
“Drones”, de Muse
“The Gray Chapter”, de Slipknot

Melhor performance de metal
“Identity” – August Burns Red
“Cirice” – Ghost
“512” – Lamb Of God
“Thank You” – Sevendust
“Custer” – Slipknot

Melhor álbum de música alternativa
“Sound & Color”, de Alabama Shakes
“Vulnicura”, de Björk
“The Waterfall”, de My Morning Jacket
“Currents”, de Tame Impala
“Star Wars”, de Wilco

Canção de rap
“All Day” – Kanye West, Theophilus London, Allan Kingdom e Paul McCartney
“Alright” – Kendrick Lamar
“Energy” – Drake
“Glory” – Common e John Legend
“Trap Queen” – Fetty Wap

Melhor colaboração de rap
“One Man Can Change The World” – Big Sean e Kanye West & John Legend
“Glory” – Common e John Legend
“Classic Man” – Jidenna e Roman GianArthur
“These Walls” – Kendrick Lamar, Bilal, Anna Wise e Thundercat
“Only” – Nicki Minaj, Drake, Lil Wayne e Chris Brown

Melhor performance de rap
“Apparently” – J. Cole
“Back To Back” – Drake
“Trap Queen” – Fetty Wap
“Alright” – Kendrick Lamar
“Truffle Butter” – Nicki Minaj, Drake & Lil Wayne
“All Day” – Kanye West, Theophilus London, Allan Kingdom e Paul McCartney

Melhor performance de R&B
“If I Don’t Have You” – Tamar Braxton
“Breathing Underwater” – Hiatus Kaiyote
“Planes” – Jeremih e J. Cole
“Earned It (Cinquenta tons de cinza)” – The Weeknd

Melhor performance de R&B tradicional
“He Is” – Faith Evans
“Little Ghetto Boy” – Lalah Hathaway
“Let It Burn” – Jazmine Sullivan
“Shame” – Tyrese
“My Favorite Part Of You” – Charlie Wilson

Melhor canção de R&B
“Coffee” – Brook Davis & Miguel Pimentel
“Earned It (Cinquenta tons de cinza)” – The Weeknd
“Let It Burn” – Jazmine Sullivan
“Really Love” – D’Angelo e The Vanguard
“Shame” – Tyrese

Melhor álbum urbano contemporâneo
“Ego Death” – The Internet
“You Should Be Here” – Kehlani
“Blood” – Lianne La Havas
“Wildheart” – Miguel
“Beauty Behind The Madness” – The Weeknd

Melhor álbum de R&B
“Coming Home” – Leon Bridges
“Black Messiah” – D’Angelo e The Vanguard
“Cheers To The Fall” – Andra Day
“Reality Show” – Jazmine Sullivan
“Forever Charlie” – Charlie Wilson

Melhor gravação de Dance Music
“We’re All We Need” – Above & Beyond Featuring Zoë Johnston
“Go” – The Chemical Brothers Featuring Q-Tip
“Never Catch Me” – Flying Lotus e Kendrick Lamar
“Runaway (U & I)” – Galantis
“Where Are Ü Now” – Skrillex, Diplo e Justin Bieber

Melhor álbum de eletrônica
“Our Love”, de Caribou
“Born In The Echoes”, de The Chemical Brothers
“Caracal”, de Disclosure
“In Colour”, de Jamie XX
“Skrillex And Diplo Present Jack Ü”, de Skrillex And Diplo

Melhor canção country
“Chances Are” – Lee Ann Womack
“Diamond Rings And Old Barstools” – Tim McGraw
“Girl Crush” – Little Big Town
“Hold My Hand” – Brandy Clark
“Traveller” – Chris Stapleton

Melhor performance de grupo de country
“Stay A Little Longer” – Brothers Osborne
“If I Needed You” – Joey+Rory
“The Driver” – Charles Kelley, Dierks Bentley & Eric Paslay
“Girl Crush” – Hillary Lindsey, Lori McKenna, Liz Rose
“Lonely Tonight” – Blake Shelton Featuring Ashley Monroe

Melhor performance solo de country
“Burning House” – Cam
“Traveller” – Chris Stapleton
“Little Toy Guns” – Carrie Underwood
“John Cougar, John Deere, John 3:16” – Keith Urban
“Chances Are” – Lee Ann Womack

Melhor álbum de jazz latino
“Made In Brazil” – Eliane Elias
“Impromptu” – The Rodriguez Brothers
“Suite Caminos” – Gonzalo Rubalcaba
“Intercambio” – Wayne Wallace Latin Jazz Quintet
“Identities Are Changeable” – Miguel Zenón

Melhor álbum gospel
“Destined To Win [Live]” – Karen Clark Sheard
“Living It” – Dorinda Clark-Cole
“One Place Live” – Tasha Cobbs
“Covered: Alive In Asia [Live]” – Israel & NewBreed
“Life Music: Stage Two” – Jonathan McReynolds

Melhor álbum de reggae
“Branches Of The Same Tree” – Rocky Dawuni
“The Cure” – Jah Cure
“Acousticalevy” – Barrington Levy
“Zion Awake” – Luciano
“Strictly Roots” – Morgan Heritage

Produtor do ano
Jeff Bhasker
Dave Cobb
Diplo
Larry Klein
Blake Mills

Melhor disco de trilha sonora
“Empire: 1ª Temporada”
“Cinquenta tons de cinza”
“Glen Campbell: I’ll Be Me”
“A Escolha Perfeita 2”
“Selma”

Melhor videoclipe
“LSD” – ASAP Rocky
“I Feel Love (Every Million Miles)” – The Dead Weather
“Alright” – Kendrick Lamar
“Bad Blood” – Taylor Swift e Kendrick Lamar
“Freedom” – Pharrell Williams

Melhor filme musical
“James Brown: Mr. Dynamite”
“Sonic Highways”
“What Happened, Miss Simone?”
“The Wall”
“Amy”

Melhor álbum de world music
“Gilbertos Samba Ao Vivo”, de Gilberto Gil
“Sings”, de Angelique Kidjo
“Music From Inala”, de Ladysmith Black Mambazo With Ella Spira & The Inala Ensemble
“Home”, de Anoushka Shankar
“I Have No Everything Here”, de Zomba Prison Project

08:00 · 14.01.2016 / atualizado às 08:04 · 14.01.2016 por

bowie_stationA súbita morte do cantor David Bowie, nesta segunda (11), vítima de um câncer que todo mundo desconhecia, pegou fãs desprevenidos.  O Camaleão tinha acabado de lançar “Blackstar”, o 28º registro de estúdio, dois dias antes de seu falecimento, na data de seu aniversário de 69 anos. A tristeza é grande e a música até perdeu um pouco da graça, mas a sua profílica e diversificada obra segue viva e até mais relevante no atual cenário.

Para celebrar a vida e a arte do britânico, o fim de semana em Fortaleza contará com festas temáticas com repertório resgatando os maiores sucessos do artista. Nesta quinta-feira (14), a partir das 20h30, o DJ Fran Viana traz set com hits de várias fases da lenda, no Muda Restaurante Bar (Oswaldo Cruz, 919 – Aldeota).

12466079_10204993779475051_157814328865143653_o

No sábado (16), acontece o tributo “Daniel Peixoto and The Shrimps From Mars” (Daniel Peixoto e Os Camarões de Marte) em alusão ao clássico álbum “Ziggy Stardust and The Spiders From Mars” (1972). No repertório, músicas autorais do cantor cearense e sucessos de Bowie.  A apresentação gratuita ocorre na rua, em frente ao Café BemBem (Rua dos Tabajaras 554 – Praia de Iracema). É só chegar!

Daniel Peixoto faz show gratuito em homenagem a Bowie
O cantor cearense Daniel Peixoto faz show gratuito em homenagem a Bowie, uma de suas maiores influências na música

No sábado (16), está marcada homenagem da Vancouver, no Órbita Bar (Praia de Iracema). A banda prepara repertório especial, com 11 clássicos, do “gênio imortal”. “Pode ter certeza, tem vida em Marte sim!”, diz post da festa no Facebook.

vancouver_orbita

06:04 · 08.01.2016 / atualizado às 06:04 · 08.01.2016 por
O inglês é o aniversariante do dia! Parabéns, queridão!
O inglês é o aniversariante do dia! Parabéns, queridão!

Nesta sexta-feira (8), o Camaleão completa 69 anos e quem ganha presente são os fãs. Em seu aniversário, David Bowie resolveu celebrar a vida e sua obra lançando “Blackstar“, o 28º registro de estúdio, que já pode ser adquirido hoje pelos fãs em formatos físico e digital.  O que torna o trabalho mais especial é o repertório integralmente inédito.

>Aniversariante nesta sexta (8), saiba o que Bowie fazia na sua idade; faça o teste!

São 7 canções com cerca de 40 minutos em que o astro britânico explora elementos do jazz e batidas eletrônicas com influências ainda do hip hop. Novamente a produção fica a cargo de Tony Visconti, parceiro das antigas do cantor e responsável inclusive pelo “The Next Day” (2013). Participam ainda do trabalho o rapper Kendrick Lamar e James Murphy do LCD Soundsystem, além de um grande time de músicos experientes oriundos do jazz.

Bowie super ativo!

Apesar de não querer conversa com negociações envolvendo shows, o veterano nunca esteve tão ativo. Além do novo álbum, Bowie trabalhou intensamente no musical “Lazarus”co-assinando roteiro e produzindo a trilha sonora do espetáculo, que conta  com o ator Michael C. Hall (do seriado “Dexter”) no papel principal. Por sinal, a canção-título da peça, a dramática “Lazarus”, faz parte do “Blackstar” e teve clipe divulgado ontem (dia 7).

No vídeo sombrio, Bowie sofre alucinações e reencarna novamente o “Button Eyes“, uma “persona” estranha que usa uma máscara com botões que já havia aparecido no primeiro clipe, “Blackstar”.  De acordo com o diretor sueco Johan Renck, “um tipo de introvertido, um cego atormentado”. Veja:

YouTube Preview Image

Também pediram ao Bowie que produzisse a música-tema de “The Last Panthers”, série britânica sci-fi dirigida pelo mesmo Renck (parece ser o seu novo BFF hehehe). O nome da faixa é “Blackstar”, que também inspira o novo lançamento, aspirante já a um dos melhores discos de 2016 😉

YouTube Preview Image

 

19:28 · 07.01.2016 / atualizado às 20:23 · 07.01.2016 por

Não é novidade que David Bowie já fez um pouco de tudo nessa vida. Cantor, compositor, instrumentista, produtor, escritor, ator, bailarino e até mímico… A bagagem de feitos é grande, tanto que o site Supbowie mostra o que o Camaleão fez em cada ano de sua vida em um divertido teste… Logo abaixo da pergunta “O que David Bowie fez na sua idade“, é possível colocar um número e você vai poder descobrir um montão de coisas sobre o ídolo… De trabalhos importantes a curiosidades. Mas o melhor são as besteiras como… Vamos a uma listinha séria e engraçada!

25 anos – “Ele deu o último toque no visual de seu personagem, ‘Ziggy Stardust’, e lançou o seu 5º álbum, ‘The Rise and fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars’ ”

bowie

27 anos – “Ele fez o passo do ‘Moonwalk’ antes de Michael Jackson, na Diamond Dogs Tour”. Assista!

YouTube Preview Image

32 anos – “Levou um soco na cara do Lou Reed depois de um jantar em Hammersmith. Levou como campeão” – Um ano superprodutivo, né? 😉

Nessa foto, Reed e Bowie já devem ter feito as pazes HAHAHA
Nessa foto, Reed e Bowie já devem ter feito as pazes HAHAHA

34 anos – “Ele criou o hit ‘Under Pressure‘ em parceria com o Queen, o qual foi incluído no álbum do grupo ‘Hot Space’, de 1982″

YouTube Preview Image

37 anos – “Ele fez um cover de ‘God Only Knows’, hit do Beach Boys”. Gente, muito lindo, vale ouvir!

YouTube Preview Image

40 anos –  “Ele co-estrelou um comercial da Pepsi com a Tina Turner”. Assista:

YouTube Preview Image

54 anos – “Ele estrelou um comercial da XM Radio. Aparentemente, ele ‘ama’ a XM Radio”. Veja:

YouTube Preview Image

62 anos – “Ele descobriu a existência de uma espécie de aranha na Malásia que ganhou nome de Heteropoda davidbowie, depois dele. De verdade”.

aranha

65 anos – “Quando ele chamou um táxi em Nova York”

bowie taxi

67 anos – “Ele fez o vocal de um camafeu [ou efígie], no hit Reflektor, do Arcade Fire” – Para quem não sabe, Bowie é superfã do grupo canadense!

YouTube Preview Image
21:41 · 09.12.2015 / atualizado às 22:00 · 09.12.2015 por
Bowie apareceu todo orgulhoso e sorridente na estreia de "Lazarus", espetáculo em que co-escreve e assina a trilha sonora
Bowie apareceu todo orgulhoso e sorridente na estreia de “Lazarus”, espetáculo em que co-escreve e assina a trilha sonora

Em rara aparição pública, David Bowie desfilou orgulhosamente cabeleira grisalha, simpatia e elegância no lançamento do musical “Lazarus”, nesta segunda (7), no New York’s Theatre Workshop. Claro que sua presença chamou mais atenção que o espetáculo, inspirado no romance “The Man Who Fell to Earth“, de 1963, o qual o cantor interpretou o personagem-título Thomas Newton no filme homônimo de 1976, dirigido por Nic Roeg.

Aos 68 anos, o Camaleão surgiu na première radiante e cumprimentou fãs, sem se importar com possíveis críticas em relação aos sinais da maturidade – alguns sites utilizaram o termo “raposa prateada”. Com um corte de cabelo moderno, o britânico optou por um look estiloso: um terno smart preto, uma camisa de seda, calça jeans preta e sapato de couro. Um charme, especialmente, com um sorrisão desses! 🙂

O cantor tem motivos para sorrir: além do espetáculo, está prestes a lançar o 25º álbum de estúdio, composto, exclusivamente, por inéditas
O cantor tem motivos para sorrir: além do espetáculo, está prestes a lançar o 25º álbum de estúdio, composto, exclusivamente, por inéditas

Reservado, o cantor, que co-escreveu a montagem, não subiu ao palco. Preferiu que os holofotes estivessem apontados para Michael C Hall, ator escolhido por ele para o papel de protagonista e conhecido como astro da série “Dexter”.  Bowie também assina a trilha sonoracompôs novos clássicos sobre amor e violência e resgatou antigas canções com novos arranjos.

Sinopse de “Lazarus”

“Lazarus” volta a girar em torno do extra-terrestre Thomas Newton, que vem à Terra em busca de água, a salvação de seu planeta. Ele se disfarça de empresário e faz uso de tecnologias avançadas para conseguir o dinheiro necessário para a construção da nave que o levará de volta para casa.

Entusiasmado

Bowie realmente tem motivos de sobra para estar empolgado: o artista vive fase super produtiva. Além de ter trabalhado intensamente na produção teatral, o veterano está prestes a lançar Black Star”, seu 25º álbum de estúdio, composto exclusivamente de inéditas. O disco sai em 8 de janeiro de 2016, data de seu aniversário O single “Black Star” é ainda é o tema da série Last Panthers. Esse é o seu recado para os que falavam em aposentadoria…

 

 

 

02:17 · 20.11.2015 / atualizado às 02:52 · 20.11.2015 por
Bowie segura um livro profético, que tem na capa uma estrela preta
Bowie segura um livro profético, que tem na capa uma estrela preta

Os mistérios do universo voltam a rondar David Bowie. Na madrugada desta sexta-feira (19), foi lançado o primeiro vídeo, “Blackstar“, que dá nome ainda ao novo registro de estúdio do camaleão, previsto para 8 de janeiro de 2016, data em que completa 69 anos. O clipe, que é um curta-metragem de 10 minutos, também é a música-tema da minissérie britânica “The Last Panthers”.

Em clima sci-fi, a produção tem um ar perturbador e sombrio. Um astronauta (esse tipo de personagem é recorrente na obra do cantor, vide  “Space Oddity” e “Starman”) parece perdido em um planeta (“Is there life on Mars????…”), quando uma alien, uma mulher com características humanas e trajando até vestido (mas que tem uma cauda), surge para sondar quem é o estranho solitário, aparentemente, em estado de decomposição. No início, também aparecem umas pessoas tremendo, incluindo o Bowie, que usa uma venda bizarra.

Bowie e a venda bezerra
Bowie e a venda bezerra

Essa galera se comporta como se estivesse possessa por algum espírito ou algo superior. Dá um  medo, viu (eu que não ia querer estar lá!)! A tal sujeita chega à sua vila, abandonada, levando um crânio com pedrarias, objeto de culto de um grupo de mulheres. Um esqueleto (deve ser o coitado do cosmonauta) paira no espaço. No meio do nada, Bowie segura para o alto um livro profético, com uma estrela preta estampada na capa.  Deve ser importante. heheheheh E, não, gente, não parece um pastor evangélico!

blackstar

O vídeo é dirigido por John Renck, responsável pelos clipes de “Hung Up” e “Nothing Really Matters”, da Madonna, e outros trabalhos com o New Order, Robyn e Robbie Williams. O sueco também assina a direção da série “The Last Panthers”, que estreou na Europa, em outubro.

Da parte musical, Bowie volta a apostar no experimentalismo e conceito. Repleta de desconstruções e com elementos jazzísticos e eletrônicos, a canção tem uma pegada particular, correndo anos-luz do pop. Lá pela metade da faixa, nos 4min30s, o compasso muda, torna-se menos estranha e mais melódica. Dá até para cantarolar. É desafiadora e bem executada, instrumentalmente. “Blackstar” não é mesmo uma canção fácil, só os fortes a entenderão e poderão ver sua beleza. Veja!

YouTube Preview Image

 

09:17 · 26.10.2015 / atualizado às 09:48 · 26.10.2015 por
O 25º disco de estúdio de David Bowie se chamará "Blackstar"
O 25º disco de estúdio de David Bowie se chamará “Blackstar”

Os fãs já podem comemorar. Após três anos, David Bowie lançará novo álbum de inéditas em janeiro. O camaleão planeja lançar o seu 25° registro de estúdio em 8 de janeiro de 2016, data em que comemora 69 anos de vida. O sucessor do elogiado “The Next Day” (2013) se chamará “Blackstar“. A informação foi confirmada no site oficial do astro britânico.

E tão verdade que o primeiro single, que leva o nome do disco, já sai no próximo dia 20. O trecho da música , que inclusive será tema de abertura da minissérie “The Last Panthers”, foi divulgado há algumas semanas.

Também foi divulgado que “Blackstar” deverá ter 7 faixas em 45 minutos. O trabalho deverá seguir uma linha ainda mais experimental que seu antecessor com influências ainda do rock alemão dos anos 70 e jazz. A canção “Blackstar”, por exemplo, terá duração de 10 minutos. Ou seja, bote experimental nisso. Sinta o clima abaixo:

Ouça um trecho de “Blackstar”:

YouTube Preview Image
16:52 · 25.06.2015 / atualizado às 18:12 · 25.06.2015 por
Os fãs devem brindar à nova caixa de relançamentos, que inclui os discos da primeira fase de Bowie
Os fãs devem brindar à nova caixa de relançamentos, que inclui os discos da primeira fase de Bowie

Quem é fã do David Bowie sabe a dificuldade que é para conseguir adquirir seus discos mais antigos. A boa notícia é que o Camaleão anunciou uma série de caixas de relançamentos, que passeiam por seus 50 anos de carreira. A primeira da fila a sair é “Five Years 1969-1973“, editado pela Parlophone, prevista para 25 de setembro, disponível em CD, vinil e formato digital.

Vale lembrar que, apesar de generoso, o pacotão, não inclui todos os álbuns dessa fase. “David Bowie” (1967), que tem pegada psicodélica, folk e pop,  por exemplo, ficou de fora.  E olha que tem boas canções como “Rubber Band”, “Love You Till Tuesday”,”There Is a Happy Land”,”We Are Hungry Men” e “When I Live My Dream”, mas, é verdade, são de estilos bem diferentes os quais viria a se tornar conhecido.

YouTube Preview Image

Isso porque uma galera e até o próprio artista têm mania de só considerar sua obra a partir de “Space Oddity” (1969), seu primeiro grande single a estourar no mundo – juro que não entendo! No entanto, o cara começou a produzir desde meados de 1962, aos 15 anos. Muita gente nem sabe que em suas várias tentativas malogradas ao sucesso fez parte de bandas como The Konrads e David Jones e os King Bees. Reunir esse material “empoeirado”, de pérolas perdidas (ou escondidas), aí sim, seria um presentão para os fanáticos! 😉

Vale a pena!

Mas, apesar do projeto não contemplar essa fase renegada até pelo próprio Bowie, o box é uma ótima oportunidade de revisar sua obra. Mostra o surgimento do astro inglês como cantor folk à transição para lenda do glam rock. O pacotão inclui versões remasterizadas de 6 registros de estúdio: “Space Oddity” (1969), “The Man Who Sold the World” (1970), “Hunky Dory” (1971), “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars” (1972), “Aladdin Sane” (1973) “Pin Ups” (1973). Dois álbuns ao vivo – “Live Santa Monica” ‘72 (2008) e “Ziggy Stardust: The Motion Picture Soundtrack” (1983) – também serão incluídos.  Veja o vídeo do lançamento!

YouTube Preview Image

Dentre os achados, outro destaque é “Re:Call 1”, uma compilação exclusiva de dois discos de singles e lados B, que não entraram em trabalhos anteriores.

13:20 · 08.01.2015 / atualizado às 13:21 · 08.01.2015 por
David Bowie é capricorniano!!!!!
David Bowie é capricorniano!!!!!

Nesta quinta (8), o Camaleão apaga velinhas! David Bowie completa 68 anos e, contrariando nossas expectativas 🙁 , não anunciou novidade em seu aniversário. Para quem não lembra, quando fez 66, o britânico saiu da clausura, motivada por um infarto durante um show, para divulgar seu primeiro material de inéditas em 10 anos, o “The Next Day”.

Seu último lançamento foi em novembro, quando o cantor saiu com o “Nothing Has Changed“, box especial em que ele próprio elege alguns de seus maiores sucessos em 50 anos de carreira. O pacotão incluía ainda três canções inéditas: a faixa jazzística “Sue (Or In A Season Of Crime)”, “Let Me Sleep Beside You”, registrada nas sessões de “Toy”, trabalho nunca lançado, e a regravação de “Shadow Man”, de 1971.

Ontem, quarta-feira (7), o hit “Changes”, do álbum “Hunky Dory”, também “comemorou” 43 anos. Na ocasião, o artista estava prestes a fazer 25 anos. O tempo passa, né? A gente faz nossa pequena homenagem aqui a um dos astros da música mais inventivos de todos os tempos. Nessa apresentação, realizada durante seu B-Day de 50 anos, o saudoso Lou Reed canta com ele “Queen Bitch” e  “I’m waiting for my man”! Dois queridos <3!

YouTube Preview Image!

07:26 · 14.03.2013 / atualizado às 07:28 · 14.03.2013 por
"Não o acompanharemos Bowie) em turnê porque ela (Alexandria, filha) está estudando"
“Não o acompanharemos Bowie) em turnê porque ela (Alexandria, filha) está estudando”

Com o retorno de David Bowie à música, com o lançamento do aguardadíssimo “The Next Day”, no último dia 12, boatos voltam a circular com força de uma turnê. Dessa vez, foi a própria esposa, a modelo e empresária Iman, que acenou a possibilidade do Camaleão cair na estrada.

Em entrevista à revista “Grazia”, Iman revelou que não poderá acompanhar o astro britânico nos shows por causa da filha do casal, Alexandria. “Nós temos uma filha de 12 anos que vai à escola, então estamos presos, não podemos viajar. Nosso calendário gira em torno dela (…) Não o acompanharemos em turnê porque ela está estudando”, disse.

Até então, o que se sabia até então é que o cantor não teria planos de engatar uma tour mundial, mas cogitaria fazer poucos shows… Recentemente,  seu guitarrista, Gerry Leonard, soltou que o compositor tinha “50% de chances” de sair em turnê. Já Tony Visconti, seu produtor e parceiro de longa data, descartou que a possibilidade de apresentações… Imprevisível como Bowie é, não duvido que ele mude de ideia repentinamente… Vamo torcer, né, gente?

Para quem não tem viu a coluna Sound da última terça (dia 12), tem  uma resenha super íntima e pessoal do 30 º disco do Bowie! kkkk E mais: Vanguart no Ponto.CE, livro “Nos Acordes do Jazz & Blues”, do competentísssimo Dawlton Moura é lançado nesta quinta (dia 14), no Dragão, e a programação do Fortaleza Instrumental deste fim de semana, no Theatro José de Alencar!!!! Confira o material na íntegra aqui!

coluna_resenhaBowie