Busca

Categoria: Implante mamário


18:03 · 19.10.2013 / atualizado às 18:03 · 19.10.2013 por
A hora certa de realizar a cirurgia de revisão Foto: divulgação
A hora certa de realizar a cirurgia de revisão
Foto: divulgação

Que a cirurgia de aumento das mamas com o uso de implantes de silicone não é definitiva, grande parte das mulheres já sabe. Porém, ainda existem diversas dúvidas sobre o quê exatamente é a cirurgia de revisão, as causas e o momento certo para fazê-la. Por este motivo, o Dr. Alexandre Piassi Passos, cirurgião plástico do Hospital Sírio Libanês e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, explica cada detalhe desse procedimento que ainda é um mistério para algumas pacientes:

“Em primeiro lugar, é interessante explicar que a cirurgia de revisão mamária significa que a paciente, na maioria das vezes, terá de trocar o implante de silicone que ela já possui e se trata de um procedimento muito comum, alertado previamente por todos os cirurgiões plásticos antes da primeira cirurgia”, explica o Dr. Piassi. “É um procedimento cirúrgico muito seguro. O médico tem como foco sempre zelar pelo bem-estar e a saúde da sua paciente, tanto no pré quanto no pós-operatório” completa o especialista. 

Com o desenvolvimento de implantes mamários mais modernos, como os da  Natrelle, da Allergan, procura-se aumentar o tempo até ser necessária a cirurgia de revisão. Os implantes mamários de silicone podem durar mais de 10 anos, mas cada paciente é única e as reações de seu organismo são essenciais para definir a hora certa de realizar a cirurgia de revisão do implante de silicone na mama.

Os motivos que tornam necessária a revisão são diversos, pois com o passar dos anos o implante mamário de silicone apresenta alterações bem como o corpo da paciente. A mais comum delas é a contratura capsular, uma camada que envolve o silicone e que se forma como uma reação natural de proteção do organismo em relação a um corpo estranho. A contratura capsular pode ser assintomática, mas há casos em que a cápsula formada ao redor do silicone endurece e pode causar dor.

A cirurgia de revisão também se torna necessária quando ocorre uma ruptura do implante pelo desgaste natural. O médico explica que “mesmo com a modernização, o tempo e as reações do organismo podem levar ao desgaste do material, naturalmente, e em alguns casos a ruptura do mesmo.” Porém, atualmente, as pacientes já podem escolher os implantes que oferecem tecnologias como a camada protetora Intrashiel, que diminui o risco de pequenas quantidades de gel de silicone saírem do implante, e a textura Biocell, que aumenta a adesão do implante no tecido mamário, diminuindo a incidência de complicações. 

“Hoje, sugiro que as pacientes façam controle por meio de ressonância magnética após três, cinco e dez anos da cirurgia para verificar o estado dos seus implantes”, alerta Dr. Piassi. “Manter os exames periódicos em dia é parte fundamental de um tratamento sem complicações e do bem-estar da paciente”.