Busca

Categoria: Medicina reprodutiva


11:17 · 19.09.2017 / atualizado às 11:17 · 19.09.2017 por

Aos 45 anos, a cantora Ivete Sangalo anunciou, na terça-feira (12), estar grávida de duas meninas. Casada há quase dez anos com o nutricionista Daniel Cady, Ivete é mãe do menino Marcelo, de sete anos. A cantora já havia declarado publicamente o desejo de ter mais um filho e revelou ter congelado seus óvulos para conservar a fertilidade, tendo em vista que a idade é o fator de maior importância para gerar um filho de maneira natural.

Cantora Ivete Sangalo declarou ter realizado congelamento de óvulos. Saiba como funciona o procedimento Foto: divulgação/instagram

Em geral, a recomendação médica para mulheres que desejam ter filhos de maneira natural é de que tenham toda a prole formada até os 35 anos, já que após essa idade, elas encontrarão mais dificuldades em gerar um filho pelo método convencional, pois a reserva ovariana terá sofrido uma queda brusca e a qualidade dos óvulos também, vindo a cair ainda mais a cada ano.

 Gravidez tardia

No Brasil, já em 2013, 31% das mulheres gestantes tinham acima de 30 anos, segundo o Ministério da Saúde. No início da década, esse percentual era de apenas 22,5%. No Canadá, estatísticas do Governo divulgadas em 2016 apontavam que, pela primeira vez nas últimas décadas, ocorreram mais partos com mulheres acima de 40 anos (3,5% do total de nascimentos no país) do que partos de mulheres abaixo dos 20 anos de idade (3,1% dos partos). Já na Alemanha, dados divulgados em 2012, revelaram que uma em cada cinco mulheres alemãs, entre 40 e 44 anos, não tem filhos.

Os avanços da medicina reprodutiva permitem que, mesmo ultrapassando a idade considerada ideal, as mulheres que optam ou precisam adiar a gravidez, possam ter chances de engravidar, por meio das técnicas de congelamento de óvulos e fertilização in vitro. Porém, há uma idade limite para realizar os métodos de reprodução assistida. Segundo determinação do Conselho Federal de Medicina (CFM), divulgada em 2013, a idade máxima para uma mulher se submeter às técnicas de reprodução assistida passou a ser 50 anos. Após isso, os riscos, mesmo utilizando os métodos de reprodução assistida, são considerados muitos grandes para a mãe e para o bebê.

 Congelamento de Óvulos

Segundo Daniel Diógenes, médico especialista em medicina reprodutiva e diretor técnico da Clínica Fertibaby Ceará, o congelamento de óvulos é a melhor alternativa da atualidade para combater a queda da fertilidade em mulheres, em decorrência da idade, por ser um técnica simples e eficiente, mas é necessário que a coleta dos óvulos seja feita quando a mulher  estiver em idade reprodutiva. “Ter até 35 anos ajuda muito por conta do número maior de óvulos e a melhor qualidade deles”, explica Daniel.

Caso a mulher congele os óvulos aos 35 anos, mesmo que ela venha a descongelá-los e engravidar aos 40 anos, a chance de gravidez permanece a mesma que a de uma gravidez aos 35

Com a técnica da vitrificação, a taxa de sobrevivência deles aumentou para 90% a 95%, quando comparada com o congelamento lento (a temperatura é reduzida de forma lenta e gradual), isso se deve à não formação de cristais de gelo no interior do óvulo e a um risco reduzido de ruptura da membrana e desarranjo na estrutura cromossômica. “O procedimento segue exatamente o mesmo preparo utilizado no congelamento de embriões até a captação de óvulos, mas, ao invés de serem fertilizados, eles são criopreservados”, esclarece o Dr. Daniel Diógenes. 

Conforme o médico Daniel Diógenes (foto), os óvulos podem ser coletados tanto pela estimulação hormonal como pela maturação in vitro (onde eles  são retirados dos ovários imaturos)