Premier League forma base da “Seleção da Rodada”, eleita pelo Time de Fora

30/11/2015 - 18:45 por

Alan Pardew ficou bastante orgulhoso com o desempenho do seu Crystal Palace na rodada

Alan Pardew ficou bastante orgulhoso com o desempenho do seu Crystal Palace na rodada

O Time de Fora elegeu a seleção formada pelos jogadores que se destacaram nesse fim de semana, em seus respectivos campeonatos pela Europa. Desta vez, os destaques da rodada ficaram com o Crystal Palace, Manchester City e, novamente, com o Barcelona. O clube de Londres goleou o Newcastle, por 5 a 1, e emplacou dois jogadores.  Os Citizens venceram os Saints, retomaram a ponta da Premier League, e ficaram com duas vagas na equipe. Já o time catalão, cedeu a dupla Neymar e Messi para o comando de ataque.

Confira a seleção da rodada eleita pelo Time de Fora:

Goleiro: Hugo Lloris (Tottenham) O arqueiro francês foi um dos responsáveis diretos pela permanência do zero no marcador em White Harte Lane. Com, no mínimo, três grandes defesas, Lloris contribuiu para que o Tottenham garantisse um pontinho, contra o Chelsea, no último domingo (29).

Touré foi um dos destaques do Mônaco

Lateral-direito: Almamy  Touré (Mônaco) O jovem jogador, nascido no Mali, teve participação direta no empate do Mônaco, fora de casa, ante o Marseille. Após marcar duas vezes na partida, Touré, que também atua como zagueiro, chegou ao seu quarto gol na temporada. Recentemente, o atleta, de apenas 19 anos, assinou um contrato de quatro anos com o time francês.

Zagueiro pela direita: Diego Godín (Atlético de Madrid) O Atlético de Madrid assumiu a vice-liderança do Espanholzão após bater o Espanyol, por 1 a 0, no Calderón, com gol de Griezmann. Um dos destaques da vitória magra do Atleti foi o sempre constante Godín. A defesa da equipe de Diego Simeone, comandada pelo zagueiro uruguaio, é a menos vazada do campeonato, com apenas seis gols sofridos.

Zagueiro pela esquerda: Javi Martínez (Bayern de Munique) Efetivo na frente e lá atrás. Assim foi a atuação do polivalente Javi Martínez, na vitória do Bayern de Munique, por 2 a 0, contra o Hertha Berlim. O jogador, contratação mais cara da história do clube alemão, foi decisivo em diversos lances defensivos, além de servir Coman no segundo tento bávaro.

Lateral esquerdo: Aleksandar Kolarov (Manchester City) Não foi das escolhas mais fáceis, mas ficamos com Kolarov para a ala esquerda. O Jogador sérvio marcou o terceiro gol dos Citizens e selou a vitória no Etihad Stadium contra o Southampton. Os três pontos serviram para que o City retomasse a ponta da Premier League.

Meio-campista 1:  James McArthur (Crystal Palace) O volante, recém contratado junto ao Wigan, fez talvez sua melhor partida com a camisa do Palace. Com dois gols, o jogador ajudou o time de Londres a golear e afundar ainda mais o Newcastle.  

Bolasie marcou duas vezes e ajudou o Palace e golear o Newcastle 

Meio-campista 2: Yannick Bolasie (Crystal Palace) 

Também do Palace veio Bolasie. O jogador também deixou por duas vezes sua marca na goleada londrina, chegando ao seu terceiro gol nos últimos três jogos.

Meio-campista 3: Kevin De Bruyne (Manchester City)

Com um gol e uma assistência, o belga De Bruyne fecha o meio campo da Seleção da Rodada do último fim de semana. O meia abriu a contagem no Etihad, ao marcar com apenas nove minutos. Perto do fim, ele serviu Kolarov, que fez o terceiro dos Citizens.

 Após marcar duas vezes, Aubameyang fez sua comemoração, mais que conhecida, pela Muralha Amarela

Atacante 1: Pierre-Emerick Aubameyang (Borussia Dortmund)

Aubameayng abre o ataque da Seleção. O jogador marcou duas vezes na goleada do Dortmund ante o Stuttgart, por 4 a 1. Um dos gols, inclusive, foi uma verdadeira pintura.

Atacante 2: Neymar (Barcelona) 

O atacante brasileiro brilhou mais uma vez. Atuando no Camp Nou, Neymar marcou duas vezes, além de contar com uma assistência, na goleada do Barça contra a Real Sociedad, por 4 a 0. Com seus dois tentos, o camisa 10 da Seleção Brasileira chegou ao seu gol de número 40 somente em 2015. 14 deles apenas na La Liga, se tornando o artilheiro do torneio.

Atacante 3: Lionel Messi (Barcelona)

O argentino se credenciou para nossa seleção por conta de um gol, uma bola na trave, além de exigir bastante do goleiro adversário Rulli. Messi mostrou, de vez, para Luis Enrique e para os torcedores que se recuperou completamente de sua lesão no joelho. Bom para o futebol.

Categoria: Futebol Europeu, Seleção da rodada

Comentários

Enviar para o Kindle

Certeiro: Willian pode ser o próximo homem da bola parada do Brasil

26/11/2015 - 18:29 por

Willian, na atual temporada, vem se mostrando fatal nas cobranças de falta Foto: Reuters

Willian, na atual temporada, vem se mostrando fatal nas cobranças de faltas Foto: Reuters

Hoje em dia, em meio a toda confusão que ronda o Stamford Bridge, existe uma certeza sobre bom futebol no Chelsea: é Willian. O meia brasileiro, que também está se destacando pela Seleção – até ofuscando Neymar em algumas partidas – possui um trunfo que está chamando ainda mais atenção para sua ótima fase: a bola parada.

O jogador já conta com seis gols na temporada pelos Blues. Todos por cobrança de falta, dois pela Premier League e quatro na UEFA Champions League. As vítimas foram: Dínamo de Kiev, Newcastle, Southampton, Porto e Maccabi Tel Aviv duas vezes. O clube israelense, inclusive, foi quem sofreu o último gol de Willian, em partida válida na última terça-feira (24), pela quinta rodada do torneio europeu.

A eficiência de Willian na temporada

A eficiência de Willian na temporada

Com seus quatro tentos na fase de grupos da Champions, Willian igualou a marca de outro excelente cobrador de faltas: Juninho Pernambucano. Os dois brasileiros são os únicos a marcarem quatro vezes, através de faltas, em uma temporada de UCL na história. Juninho, que na época atuava pelo Lyon, atingiu a marca na temporada 2004/2005.

Soberano no Chelsea e na Europa

De 2011 para cá, nenhum jogador do Chelsea fez mais gols de falta que Willian. Quem chega mais próximo dos seis que Willian possui em 19 tentativas é David Luiz, que marcou três vezes em 49 cobranças, e atualmente defende o Paris Saint Germain. No terceiro posto aparece Frank Lampard, ídolo dos Blues, que marcou somente duas vezes após tentar 46 vezes. Dos jogadores que ainda estão no clube inglês, Oscar é o único que aparece no top5. O brasileiro conta com os mesmos dois gols de Lampard, porém em menos chances, apenas 17 cobranças.

Na temporada de 2015/2016, o meia brasuca também domina a Europa no quesito cobranças de faltas. Willian supera nomes como Pjanic (Roma), Dani Parejo (Valencia), Eriksen (Tottenham) e Beñat (Athletic Bilbao). O bósnio, jogador giallorossi, possui quatro gols na temporada e persegue de perto o atleta do Chelsea.

Seis gols na temporada, todos através de cobranças de falta. São os números de Willian com a camisa do Chelsea

Seis gols na temporada, todos através de cobranças de falta. São os números de Willian com a camisa do Chelsea em 2015/2016

Após dispor de uma excelente variação de cobradores, que ia de Roberto Carlos até Ronaldinho Gaúcho, passando por Rivaldo, Juninho Pernambucano, Alex e outros, atualmente a Seleção Brasileira não é mais bem servida como antes. Recentemente, Daniel Alves, Neymar,  deixaram seus golzinhos em algumas oportunidades, mas nada que demonstrasse uma constância.

Com essa fase impressionante, em vários aspectos, talvez Willian comece a esbanjar seu talento nas faltas também pelo Brasil. Seria uma mão na roda e tanto para Dunga, além de mais uma alternativa ofensiva que não se destaca com a amarelinha há algum tempo.

Categoria: Campeonato Inglês, Futebol Europeu

Comentários

Enviar para o Kindle

Chegou a hora de Leicester, Vardy e Mahrez mostrarem a que vieram no Inglês

25/11/2015 - 18:36 por

Jamie Vardy é o artilheiro do campeonato inglês com 13 gols. (Foto: Divulgação)

Jamie Vardy é o artilheiro do campeonato inglês com 13 gols. (Foto: Divulgação)

O líder da Premier League 2015/2016 após um terço da competição (13 rodadas) tem 131 anos, nunca foi campeão da primeira divisão (foi no máximo vice em 1929), passou 10 anos longe da elite nacional, voltando há 2 anos, e lutou contra o rebaixamento na primeira temporada de volta – 2014/2015.

Independente da configuração da classificação na última rodada, o Leicester já surpreendeu e virou assunto em rodas de conversa sobre futebol em todo o mundo. O dono do King Power Stadium faz campanha de dar inveja a qualquer clube grande: 8 vitórias, 4 empates e apenas uma derrota (exatamente para a única equipe do G-4 que enfrentou, o Arsenal, por 5 a 2, em casa).

Leicester lidera campeonato inglês, superando gigantes.

Leicester lidera campeonato inglês, superando gigantes.

Além do mérito evidente do técnico italiano Claudio Ranieri em organizar a equipe, descobrir talentos dentro do elenco e fazer o time como um todo funcionar, os principais destaques individuais dos Foxes na competição são jogadores que atuam do meio-campo para frente e esbanjam habilidade e poder de decisão até agora.

Desde 2012 no Leicester, Jamie Vardy, que já tem 28 anos, nunca foi um atacante de grande destaque até desencantar nesta temporada.O inglês lidera isolado a artilharia do campeonato nacional, com 13 gols (o segundo, Romelu Lukaku, tem 9), média de um por jogo. E ainda alcançou, na última partida (vitória sobre o Newcastle por 3 a 0), o incrível feito de anotar um tento em cada uma de 10 partidas seguidas, o que apenas o holandês Ruud Van Nistelrooy, pelo Manchester United, havia conseguido na Premier League. Observação: jogando pelo Leicester. O forte dele é a puxada rápida seguida de finalização forte.

Riyad Mahrez é mais discreto, mas não menos importante. O argelino, que já tinha mostrado as unhas no futebol francês, estourou no inglês e, assim como Vardy, logo deve pintar em um gigante europeu. Meia versátil, Mahrez já fez 7 gols (estando em 4º na artilharia) e deu 6 assistências (2º melhor) na Premier League.

Ofuscado pelos gols de Vardy, o argelino Mahrez também tem se destacado na Premier League. (Foto: Divulgação)

Ofuscado pelos gols de Vardy, o argelino Mahrez também tem se destacado na Premier League. (Foto: Divulgação)

Leicester, Vardy e Mahrez serão colocados em prova nas próximas rodadas até o fim de 2015, com uma sequência que, teoricamente, tem tudo para tirar a equipe das primeiras posições e devolvê-la ao “mundo real”. Mas o futebol prova, todo fim de semana, que não é teoria e pode ser fantasia. Você acreditaria na manutenção da boa fase do trio?

Confira a sequência de jogos do Leicester:

Leicester x Manchester United (28/11)
Swansea x Leicester (05/12)
Leicester x Chelsea (14/12)
Everton x Leicester (19/12)
Liverpool x Leicester (26/12)
Leicester x Manchester City (29/12)

Categoria: Campeonato Inglês, Futebol Europeu

Comentários

Enviar para o Kindle

Benzema volta a ser motivo de polêmica e agora corre o risco de ser excluído da seleção francesa

24/11/2015 - 14:00 por

Atacante do Real Madrid vive má fase dentro e fora de campo Reuters

Atacante do Real Madrid vive má fase dentro e fora de campo
Reuters

O atacante francês Karim Benzema vive um verdadeiro inferno astral na carreira. Desta vez, o jogador gerou revolta ao ser flagrado cuspindo no chão ao término da execução da Marselhesa em clássico com o Barcelona, no último sábado (21).

A imagem causou revolta e o ato foi apontado como desrespeito ao seu país, gerando até mesmo campanha para que o jogador seja banido da seleção francesa.

A principal incentivadora da punição a Benzema é a deputada Nadine Morano, uma das representantes da França no parlamento europeu. Em seu perfil em rede social, a política não poupou críticas ao atacante e tratou o ato como “indesculpável”.

O jogador do Real Madrid também é investigado pela Justiça francesa por participação em caso de chantagem ao companheiro de seleção Valbuena.

Ainda não há confirmação se o ato de Benzema foi realmente proposital. Por outro lado, o atacante tem um histórico de protestos contra a Marselhesa e não canta sua letra por considerá-la xenofóbica. O jogador do Real Madrid é filho de imigrantes argelinos.

Veja o momento em que o atacante do Real Madrid cospe antes da partida contra o Barcelona no link a seguir:

Categoria: Arquivo

Comentários

Enviar para o Kindle

Contra o Barça, Real de Benítez perdeu a batalha no meio campo

24/11/2015 - 12:44 por

Foto: Víctor Carretero (Real Madrid)

Foto: Víctor Carretero (Real Madrid)

Poucos dias antes do maior clássico do futebol espanhol os jogadores do Real Madrid teriam se reunido com a ideia de mandar uma mensagem para a imprensa e para os torcedores: “Benítez tem todo o nosso apoio”. O que se viu no último sábado (21) já é história, e ajudou a levantar ainda mais a poeira sob a prateleira de boatos acerca a saída do técnico espanhol do cargo de comando dos Blancos.

Mas a resposta para o fraco desempenho dos madridistas não está no apoio (ou a falta dele) a Benítez, está no meio campo e no frágil sistema defensivo organizado pelo ex-técnico do Napoli, que cedeu às pressões nos bastidores para escalar James Rodríguez ao lado de Luka Modric e Tony Kroos, o que, sem a presença de um volante de contenção, como Casemiro, acabou enfraquecendo a segunda linha de marcação do Real.

O erro, além de revelar um certo despreparo do espanhol, demonstra até uma falta de pulso, pois é esse tipo de fraqueza que o forte esquema do Barcelona de Luís Henrique adora explorar. Os gols de Suárez, Neymar e Iniesta começaram em jogadas pela lado do campo que, a partir das tabelas clássicas do 4-3-3 catalão com dois meias centrais e dois homens abertos, forçava uma movimentação para faixa central.

No primeiro gol do Barcelona, Sergio Ramos teve sair em busca de Sergi Roberto, que cortava da esquerda para dentro. A movimentação gerou espaço para Suaréz invadir a área.

No primeiro gol do Barcelona, Sergio Ramos teve que sair em busca de Sergi Roberto, que cortava da esquerda para dentro. A movimentação gerou espaço para Suárez invadir a área e chutar colocado

Com pouca combatividade e sobrecarregado, o meio campo do Madrid forçava a saída de um dos zagueiros para tentar cortar o lance, e o que se viu foi uma bola de neve no sistema defensivo de Benítez. Uma fila de dominós caindo, um após o outro.

Mas onde Benítez errou, outros técnicos acertaram. O último deles, Carlo Ancelotti, que para muitos torcedores do Real não deveria ter sido demitido. A diferença entre as duas versões do Madrid parece pequena, mas demonstra a distância entre os dois técnicos, com o italiano à frente do espanhol.

A movimentação de Neymar, Suaréz e S. Roberto, no segundo tempo, serviu para confundir ainda mais a defesa do Real. O trio trocava de posição com frequência, dando mais espaço para Iniesta aparecer entre os zagueiros e marcar o terceiro gol.

A movimentação de Neymar, Suárez e S. Roberto, no segundo tempo, serviu para confundir ainda mais a defesa do Real. O trio trocava de posição com frequência, dando mais espaço para Iniesta aparecer entre os zagueiros e marcar o terceiro gol

Jogando sob o comando de Ancelotti, os Blancos acumularam 3 derrotas e 1 vitória pelo Campeonato Espanhol, mas conquistaram o título da Copa do Rei em cima do maior rival, além de mostrarem mais força e equilíbrio dentro de campo.

O esquema do italiano contava com 4 homens de meio campo, contando com o galês Gareth Bale para fechar o lado direito. James, Modric e Kroos, geralmente completavam o setor. No comando de ataque, Cristiano Ronaldo e Benzema eram os responsáveis por finalizar as jogadas nesse 4-4-2.

 

Real Madrid de Ancelotti contava com uma linha de 4 no meio campo. Esquema mais adequado para contrapor o ataque do Barcelona do trio MSN.

Real Madrid de Ancelotti contava com uma linha de 4 no meio campo. Esquema mais adequado para contrapor o ataque do Barcelona do trio MSN.

A grande diferença não está nos números do esquema, sim na postura. CR7 e Benzema forçavam a saída de bola do Barça, enquanto James e Bale fechariam a porta para Neymar e Messi, que caiam pelo lado, com o galês pronto para sair em contra-ataque.

Foi jogando assim que o Real Madrid, mesmo sem Bale, machucado na época, venceu o Barcelona por 3 a 1 no mesmo Santiago Bernabéu, em outubro de 2014. Resta agora saber se Benítez aprendeu a lição, e se terá tempo de corrigir os erros para o próximo “El Clássico”, pois a rotatividade na parte branca de Madrid é notável. São 9 técnicos nos últimos 12 anos.

PSG substitui patrocínio por mensagem de apoio

23/11/2015 - 19:51 por

12305608_804190933024582_1540434556_n

Jogadores do PSG apresentam uniforme com frase em apoio às vítimas do terror, no último dia 13, em Paris (Divulgação)

A equipe do Paris Saint-Germain (PSG) jogará sem patrocínio em sua camisa nos próximos dois jogos. O clube francês resolveu homenagear as vítimas dos atentados em Paris no último dia 13 com uma mensagem no espaço antes ocupado pela Emirates.

“Je Suis Paris” (Nós somos Paris) estampará o uniforme dos jogadores contra o Malmö, quarta-feira (25), pela Liga dos Campeões, e sábado (28), diante do Troyes, pelo Campeonato Francês. Em comunicado no site oficial, o presidente Nasser Al Khelaifi agradeceu aos parceiros por cederem a área para o tributo.

Categoria: Futebol Europeu

Comentários

Enviar para o Kindle

Com quatro jogadores, Barcelona forma base da “Seleção da Rodada”, eleita pelo Time de Fora

23/11/2015 - 13:41 por

"Luisito" Suárez e Neymar infernizaram a vida do Real Madrid nesse fim de semana

“Luisito” Suárez e Neymar infernizaram a vida do Real Madrid nesse fim de semana

O Time de Fora elegeu a seleção formada pelos jogadores que se destacaram nesse fim de semana, em seus respectivos campeonatos pela Europa. Como não poderia deixar de ser, o Barcelona foi o time com o maior número de craques escolhidos (quatro no total), visto que goleou o maior rival (Real Madrid) em pleno Estádio Santiago Bernabéu por 4 a 0. Liverpool e Inter de Milão, que golearam Manchester City e Frosinone respectivamente, contam com dois jogadores cada.

Confira a seleção da rodada eleita pelo Time de Fora:

Goleiro: Claudio Bravo/Barcelona (Uma verdadeira muralha humana. O arqueiro chileno fez defesas milagrosas no clássico contra o Real Madrid, no último sábado (21), inclusive evitando um gol do astro Cristiano Ronaldo)

Laterais: Nagatomo/Inter de Milão e Alaba/Bayern de Munique (O lateral japonês é titular indiscutível na equipe italiana e se houve muito bem na goleada sobre o modesto Frosinone, por 4 a 0, nesse domingo (22). Já o austríaco Alaba marcou um dos gols na vitória do bayern, fora de casa, diante do Schalke 04)

Zagueiros: Skrtel/Liverpool e Murillo/Inter de Milão (o primeiro, eslovaco, vem sendo considerado o melhor zagueiro do Liverpool e marcou um dos gols na vitória sobre o Manchester City, fora de casa. O segundo, colombiano, também jogou muita bola e anotou um dos tentos da Inter de Milão sobre o Frosinone)

Meias: Hernanes/Juventus, Philippe Coutinho/Liverpool e Iniesta/Barcelona (O brasileiro, volante da Juve, foi um dos destaques na vitória sobre o Milan, nesse fim de semana, por 1 a 0. Já o brasileiro Coutinho e o espanhol Iniesta deram um show a parte e também deixaram suas marcas nas vitórias sobre o City e o real Madrid, respectivamente)

Atacantes: Neymar e Luis Suárez/Barcelona e Jamie Vardy/Leicester (A dupla infernal formada pelo craque da Seleção Brasileira (um gol e uma assistência) e o matador uruguaio (dois gols) detonou o Real Madrid no Santiago Bernabéu. O terceiro vem sendo uma das sensações do Campeonato Inglês e marcou um golaço na vitória do líder, Leicester, sobre o Newcastle, fora de casa).

Confira o gol anotado pelo atacante inglês Jamie Vardy, do Leicester, na vitória sobre o Newcastle:

Categoria: Futebol Europeu, Seleção da rodada

Comentários

Enviar para o Kindle

Em meio a desconfiança e seu jogo “feio”, Rafa Benítez possui um trunfo que pode ser essencial para El Clásico: a consistência defensiva

19/11/2015 - 12:30 por

Equipe do treinador sofreu apenas sete gols em 15 partidas  Foto: Reprodução/Twitter

Equipe do treinador sofreu apenas sete gols em 15 partidas
Foto: Reprodução/Twitter

É bem verdade que o atual futebol jogado pelo Real Madrid não é dos mais vistosos. Sob o comando de Rafa Benítez, a equipe blanca tem vencido grande parte de seus jogos porém não convencido seus exigentes torcedores. Entretanto, um dos pontos fortes que o Madrid desta temporada apresenta, possui a mão de Benítez. Esse ponto é a consistência defensiva.

Em 15 partidas, somados Campeonato Espanhol e Liga dos Campeões, o clube da capital sofreu apenas sete gols, todos pelo torneio nacional. Keylor Navas, que assumiu a titularidade após a saída de Casillas, já soma 540 minutos sem ser vazado na UCL, um recorde para um estreante na competição continental. O goleiro também foi o primeiro, em 113 anos de Real Madrid, a somar nove jogos oficiais em casa sem ter suas redes balançadas. Grandes feitos para um grande sistema defensivo armado por Benítez.

Se tratando de El Clásico, o técnico do Madrid ainda pode bater no peito e afirmar algo importante: já conseguiu parar Lionel Messi de forma contundente. O craque argentino, que está voltando de lesão no joelho, deve atuar ir para o jogo. Só não se sabe se Messi sairá como titular ou entrará no decorrer da partida.

Benítez enfrentou o Barcelona de Messi em 2007, ainda pelo Liverpool, no mata-mata a Liga dos Campeões. Na ocasião, os Reds conseguiram avançar de fase por conta de uma vitória fora de casa por 2 a 1. Em 180 minutos, o sistema defensivo montado por afa foi vital na classificação ao parar, na maior parte do tempo, Ronaldinho, Deco, Eto’o e companhia.

A partida, que será disputada neste sábado (21), às 14:15 (horário de Fortaleza), no Santiago Bernabéu, pode mudar novamente de mãos a liderança do Campeonato Espanhol. Com 24 pontos, o Real Madrid retoma o primeiro lugar se bater o Barça, que possui 27, por conta do primeiro critério de desempate, o confronto direto. Entretanto, se for derrotado dentro de casa, o time blanco vê a diferença aumentar para preocupantes seis pontos.

Categoria: Futebol Espanhol, Futebol Europeu

Comentários

Enviar para o Kindle

Campanha surpreendente do Equador se explica pela fome de vencer e pelo ritmo intenso

18/11/2015 - 17:56 por

Dupla de ataque é responsável diretamente por 66,6% dos gols equatorianos. (Foto: Divulgação/ FEF)

Dupla de ataque é responsável diretamente por 66,6% dos gols equatorianos. (Foto: Divulgação/ FEF)

Líder das Eliminatórias Sul-Americanas, com 100% de aproveitamento, melhor ataque e melhor defesa. Surpreendentemente, esta equipe é o Equador, ao término das 4 primeiras rodadas e do ano de 2015. Apesar da pouca tradição e do elenco humilde, se comparada aos adversários, a seleção “tricolor” está fazendo por merecer vencer cada jogo.

A carta de intenções da seleção equatoriana foi dada logo na estreia, diante de nada mais nada menos que a Argentina, fora de casa. Os comandados de Gustavo Quinteros não se assustaram com o “bicho papão”, jogaram de igual para igual e, com muita fome, foram mais agudos e eficientes.

Os dois gols da “zebra” aconteceram apenas depois dos 35 minutos do segundo tempo, quando a alviceleste cansou e deixou mais espaços para o visitante acreditar, chegar ao ataque com mais frequência e alcançar o objetivo.

Entretanto, a rede argentina poderia ter balançado mais vezes durante toda a partida. Na velocidade, o Equador chegou ao gol até com facilidade, principalmente pela direita com o “papaléguas” Valencia, mas perdeu as oportunidades por falta de competência no último passe ou na finalização.

Apesar das deficiências, a surpresa sul-americana não tem medo de arriscar: pressiona a saída de bola da outra equipe, tenta passes nas costas da defesa adversária e finaliza sempre que possível.

O roteiro se repetiu na segunda rodada, com nova vitória por 2 a 0, desta vez sobre a Bolívia em casa. Os tentos aconteceram novamente faltando 10 minutos para o fim do jogo, o que mostra o preparo físico e a gana de vencer da equipe tricolor.

Jogo solto

Com um início inesperado, o Equador se soltou nas rodadas seguintes e conseguiu emplacar um jogo ofensivo ainda mais intenso e rápido – que, em contrapartida, expõe a defesa. Com a ajuda da altitude de Quito, a dona da casa bateu o Uruguai pelo placar de 2 a 1, que poderia ser ainda mais gordo. E mais um “gigante” do continente se rendeu ao “azarão” e à sua dupla de ataque inspirada e mortífera: “Felipao” Caicedo e Fidel Martínez.

Contra a lanterna Venezuela, o time de Quinteros não tomou conhecimento, abriu 3 a 0, mas acabou sofrendo um gol por causa das suas constantes e inocentes falhas defensivas (principalmente pelo meio, que deixa muitos buracos), que se repetiram em todos os jogos e pode ser o “calcanhar de Aquiles” da equipe para conquistar ou não uma vaga na Copa do Mundo da Rússia 2018.

Equipe tem brigado muito, por todas as bolas, durante os 90 minutos. (Foto: Divulgação/ FEF)

Equipe tem brigado muito, por todas as bolas, durante os 90 minutos. (Foto: Divulgação/ FEF)

Fazendo diferente

A ótima campanha do Equador também é fruto das atuações individuais. Domínguez tem fechado o gol com segurança; Paredes e Walter Ayoví estão fechando bem as laterais na defesa e apoiando o ataque com qualidade; Noboa tem dominado o meio-campo; Valencia é uma flecha pela direita quando joga; e Martínez e Caicedo já fizeram, juntos, 6 dos 9 gols da seleção (sendo 4 apenas do “Felipao”).

O sucesso é dividido com o treinador Quinteros, que assumiu a seleção após a Copa do Mundo do Brasil em 2014 (quando a equipe foi eliminada ainda na fase de grupos) e deixou a formação mais equilibrada. Ele levou o capitão e dono das bolas paradas Ayoví para a lateral-esquerda (que ganhou força), inseriu meias mais rápidos e vigorosos e apostou em uma nova dupla de ataque (ainda sem Enner Valencia, considerado o principal jogador avançado da seleção).

O cenário é de deixar os equatorianos esperançosos. Nas Eliminatórias para 2014, a seleção começou com duas vitórias e duas derrotas nos quatro primeiros jogos que disputou e ainda chegou ao 4º lugar, com 25 pontos. As quatro primeiras colocadas vão direto para o Mundial e a 5ª irá disputar a repescagem.

Categoria: Futebol Sulamericano

Comentários

Enviar para o Kindle

Hungria vence na repescagem e volta à Eurocopa depois de 44 anos

15/11/2015 - 19:51 por

Jogadores húngaros comemoram vitória em cima da Noruega e vaga para a Eurocopa após 44 anos.

Jogadores húngaros comemoram vitória em cima da Noruega por 2 a 1 e a vaga para a Eurocopa de 2016 após 44 anos. Foto: Agência Reuters

Dona de três medalhas olímpicas e dois vice-campeonatos mundiais, a seleção da Hungria, de fato, possui um currículo invejável. O destino ainda reservou o privilégio dela poder contar com Ferenc Puskás, um dos maiores goleadores do futebol mundial, no comando do Golden Team, na década de 50.

Mas a história recente não vinha dando alegrias aos húngaros, pelo menos até a noite deste domingo (15). Depois de 44 anos, a seleção da Hungria conseguiu se classificar para a Eurocopa ao bater a Noruega por 2 a 1. A vaga para a competição continental, que será realizada em Paris, em 2016, veio com gols de Priskin, no primeiro tempo e o norueguês Hernriksen, contra.

No primeiro jogo do duelo de 180 minutos, pela repescagem das eliminatórias, a Hungria havia vencido por 1 a 0, e na última vez que disputou uma Eurocopa, em 1972, na Bélgica, os húngaros ficaram com a 4ª colocação.

A Noruega não disputa uma Eurocopa desde 2000.

Categoria: Futebol Europeu

Comentários

Enviar para o Kindle

Time de fora?

Blog sobre futebol da editoria Jogada, do Diário do Nordeste.

Autores