A grande fase de Di Maria é uma excelente resposta para o desesperado Van Gaal

29/01/2016 - 15:07 por

Vendo todo o bom futebol de Dí Maria, será que bateu o arrependimento no holandês ? Foto: Divulgação/Manchester United

Vendo o bom futebol de Di Maria, será que bateu o arrependimento no holandês ?
Foto: Divulgação/Manchester United

Após contratar o argentino Ángel Di Maria pelo valor recorde de compra do Manchester United, 59 milhões de libras, o treinador Louis van Gaal esperou apenas uma temporada para vender o meia por 15 milhões a menos. Agora em seu novo clube, o Paris Saint-Germain, o jogador vive grande fase e talvez venha despertando um pouco de arrependimento no treinador holandês, que possui vida cada vez mais complicada nos Red Devils

Em 2015/2016, Di Maria já anotou 12 gols pelo PSG, superando assim sua própria marca pessoal, que era de 11 tentos em uma só temporada. O argentino conseguiu o feito em um dos melhores momentos de sua carreira, com a camisa do Real Madrid, no período de 2013/2014. Naquele ano, inclusive, o meia foi uma das peças fundamentais para a conquista da décima Champions League pelos Merengues.

Além de aflorar o seu lado artilheiro, Di Maria continuou servindo muito bem seus companheiros. Ao lado de jogadores como Cavani, Ibrahimovic, Lavezzi e Lucas, o meia já conta com nove assistências, ficando atrás apenas de Özil – que está voando com a camisa do Arsenal – na lista dos principais ‘garçons’ do futebol europeu.

Com a corda no pescoço e contando com um elenco reduzido, por sua própria escolha, sem dúvida nenhuma Van Gaal fez um mau negócio ao vender Dí Maria tão rapidamente. Não só pelo lado financeiro, onde o holandês jogou 15 milhões de libras pelo ralo, quanto para dentro de campo. Memphis, que fez uma boa Copa do Mundo em 2014 e possui características parecidas com a do meia argentino, também não está conseguindo render com a camisa dos Reds Devils. Com vários ‘flops’ e muito dinheiro gasto, fica a pergunta no ar: o problema são os jogadores ou a passagem de Van Gaal por Manchester que precisa ser abreviada ?

Sob o comando de Jürgen Klopp, Roberto Firmino tem tudo para voltar à Seleção

26/01/2016 - 10:27 por

Futebol do atacante brasileiro Roberto Firmino evoluiu com a chegada do treinador Jürgen Klopp. (Foto: Divulgação)

Futebol do atacante brasileiro Roberto Firmino evoluiu com a chegada do treinador Jürgen Klopp. (Foto: Divulgação)

Desde que chegou ao Liverpool, o técnico Jürgen Klopp, com todo seu jeitão carismático, contagiou e deu um novo fôlego para todo o elenco dos Reds. Essa animação do time é visível dentro de campo, mesmo com a persistência de alguns problemas técnicos (também muito claros, como a bola aérea) no gramado. E sob o comando do alemão, Roberto Firmino, em especial, cresceu bastante de rendimento.

Klopp já implantou seu jeitão no Liverpool

Ainda com Brendan Rodgers, treinador que contratou o brasileiro por 29 milhões de libras, terceira maior compra da história do clube, o versátil jogador não vinha rendendo como esperado e era alvo de muitas dúvidas por parte da imprensa e da torcida. Em sete jogos sob o comando do norte-irlandês, Firmino não marcou nenhuma vez, além de conseguir apenas nove finalizações. Muito pouco para um atleta que atua tão perto da meta adversária.

Firmino com Klopp x Firmino com Rodgers  

Já com Klopp, o cenário é bem diferente. A disparidade é perceptível no quesito finalização, por exemplo. Ao lado do alemão, foram 50 chutes em 20 jogos, além de cinco gols e mais quatro assistências. Suas melhores atuações foram contra Manchester City, Arsenal e no último sábado (23) ante o Norwich. Em todas essas três partidas, o jogador atuou como ‘falso 9’, comandando o ataque dos Reds. O mau desempenho de Benteke, que teoricamente seria o dono da posição, também ajudou na crescente de Firmino.

Nos últimos três jogos do Liverpool pelo Campeonato Inglês, Roberto Firmino marcou quatro vezes. A grande performance do jogador no ataque pode fazer com que ele retorne à Seleção Brasileira. Ainda mais que, tanto quanto no Brasil como no Liverpool, a ‘camisa 9’ ainda não possui um dono.

Categoria: Campeonato Inglês, Seleção Brasileira

Comentários

Enviar para o Kindle

Cria do Napoli ignorou Maradona e usou primeiro salário para comprar chuteira de Ronaldo

22/01/2016 - 14:45 por

Lorenzo Insigne marcou dois gols na goleada do Napoli sobre o Milan, na atual temporada (Reuters)

Lorenzo Insigne marcou dois gols na goleada do Napoli sobre o Milan, na atual temporada (Reuters)

O Napoli, atual líder e campeão simbólico do primeiro turno do Campeonato Italiano, tem um jogador que virou xodó da torcida: Lorenzo Insigne.

Engana-se quem pensa que o atacante (24) tem Maradona (ícone do Napoli) como seu grande ídolo. Insigne vem de origem humilde. Aos 14 anos, vendia roupas como ambulante durante a manhã e treinava futebol à tarde.

O seu primeiro salário como ambulante o fez comprar logo dois pares do modelo “R9”, o mesmo que Ronaldo Fenômeno usava. Aos 15 anos, finalmente entrou para os juniores do Napoli. E apesar da admiração por Ronaldo e a idolatria por Maradona, seu maior ídolo era um jogador da rival Juventus: Alessandro Del Piero. “Alex é um campeão correto, como Lorenzo sempre quis ser. Os exemplos são importantes”, explica seu empresário Antonio Ottaiano.

Após ser admitido nas categorias de base do Napoli, precisou de seis anos para finalmente brilhar na equipe principal. A partir de 2012, se juntou a Hamsik, Cavani e companhia para formar o time que seria campeão da Copa da Itália na temporada seguinte. No mesmo ano, recebeu sua primeira convocação para a seleção italiana.

Na temporada atual, chamou a atenção ao comandar a goleada de 4 a 0 sobre o Milan em pleno San Siro, com dois gols e uma assistência. Teve até que controlar a empolgação depois do jogo: “Por favor, não me comparem com Maradona. Ele é um Deus”.

Categoria: Campeonato Italiano

Comentários

Enviar para o Kindle

PSG entra na justiça para tirar clipe de cantora britânica da internet

12/01/2016 - 13:12 por

M.I.A. usou uma camisa do PSG com a fase "Fly Pirates" no local da marca do patrocinador. (Reprodução/Twitter)

M.I.A. usou uma camisa do PSG com a fase “Fly Pirates” no local da marca do patrocinador. (Reprodução/Twitter)

Após a divulgação do clipe de “Borders” – a música fala sobre a crise migratória europeia –, a cantora britânica M.I.A. foi surpreendida por uma carta do Paris Saint-Germain (PSG) pedindo para a gravadora responsável pela carreira da artista retirar o vídeo da internet. A razão da polêmica é que durante uma parte do vídeo, M.I.A aparece com a camisa do PSG, mas onde haveria o patrocínio da Fly Emirates está escrito “Fly Pirates“.

A intenção da cantora com frase seria passar uma mensagem política. “Voem Piratas“, diz a tradução. MAs o clube francês não gostou muito da ideia e entrou com uma ação na justiça para derrubar o clipe.

“Mais do que surpresos, simplesmente não entendemos por que somos associados, através de nosso logo e da camisa oficial de nosso time, a tal denúncia. Essa associação é ainda mais difícil de se entender por nenhuma de nossas atividades ou iniciativas diárias sugerirem que temos algo a ver com os problemas destacados por MIA”, dizia um trecho da carta enviada pelo PSG.

Durante a carta, o time de Zlatan Ibrahimovic também cita o apoio dado para os refugiados durante um período crítico de imigração no velho continente após a guerra da Síria. A França é um dos países que mais recebe estrangeiros da Europa.

Nas redes sociais, a cantora explicou a escolha pela camisa do PSG: “Borders saiu no dia da cerimônia do Paris Memorial Day, em homenagem às vítimas do ataque em Paris. Ter a Torre Eiffel em minha camisa era apoio, eu achei”. Os fãs de M.I.A a defenderam, mencionando o trabalho realizado pela organização do PSG como um “péssimo exemplo de relações públicas”.

Outros fãs até mencionaram que após a imbróglio gostariam de adquirir uma camisa do PSG. “A primeira vi essa camisa eu pensei: ‘eu quero uma’. Agora eu realmente quero uma”, disse um deles.

Confira o clipe da música “Borderes”:

Categoria: Campeonato Francês, Futebol Europeu

Comentários

Enviar para o Kindle

Jornal britânico elege Neymar como terceiro melhor do mundo de 2015

04/01/2016 - 10:50 por

Foto: Agência REUTERS/Albert Gea

Foto: Agência REUTERS/Albert Gea

Não resta dúvidas de que Neymar é um dos melhores jogadores do mundo na atualidade, mas a discussão sobre em que colocação o brasileiro estará no prêmio da Bola de Ouro da Fifa parece não ter chegado ao fim. O “The Guardian”, jornal britânico, parece já ter resolvido a polêmica, colando o ex-santista no terceiro lugar, atrás de Messi e Cristano Ronaldo.

Em 2014, Neymar ficou com a 7ª posição do ranking.

O jornal nomeou os 100 melhores jogadores de 2015, dando uma indicação do que poderemos ver no prêmio de melhor do mundo da Fifa, no próximo dia 11 de janeiro. Dentre os 10 melhores estão 3 jogadores do Barcelona (Messi, Suaréz e Neymar), 3 do Bayern de Munique (Thomas Müller, Robert Lewandowski e Manuel Neuer), 2 da Premier League (Sergio Agüero e Alexis Sánchez), 1 do Real Madrid (Cristiano Ronaldo) e 1 do PSG (Zlatan Ibrahimovic).

Além de Neymar, outros brasileiros integram a lista dos 100 melhores. O destaque fica para Douglas Costa (Bayern de Munique), Thiago Silva (PSG) e Philippe Coutinho (Liverpool) os únicos dentro dos 50 melhores. Willian (Chelsea), Daniel Alves (Barcelona), Hulk (Zenit), Marcelo (Real Madrid) e Alex Teixeira (Shakhtar Donetsk) completam os “brazucas” da “premiação”.

Confira o top 10 e a posição dos Brasileiros:

1. Lionel Messi
2. Cristiano Ronaldo
3. Neymar
4. Luis Suaréz
5. Robert Lewandowski
6. Thomas Müller
7. Zlatan Ibrahimovic
8. Manuel Neuer
9. Sergio Agüero
10. Alexis Sánchez

32. Douglas Costa
41. Thiago Silva
46. Philippe Coutinho
52. Willian
58. Daniel Alves
59. Hulk
88. Marcelo
89. Alex Teixeira

Time de fora?

Blog sobre futebol da editoria Jogada, do Diário do Nordeste.

Autores