12ª maior média de público do Inglês, Leicester tem números quase iguais aos do Corinthians

22/04/2016 - 13:07 por

(Foto: AFP)

(Foto: AFP)

É inegável que o Corinthians tem uma das maiores torcidas do Brasil e isso se reflete, óbvio, na média de público, sendo capaz até mesmo de superar o primeiro colocado do Campeonato Inglês. O fato seria impressionante se o líder da Premier League não fosse o Leicester, que fica com o posto de 21º lugar dos maiores clubes da Inglaterra.

O título foi dado, em 2015, pelo jornal Daily Mail, que levou em consideração critérios como a média de público durante a temporada 2014/2015 somada aos recordes de venda de ingressos. Além disso, foi considerado o número potencial de torcedores atuais e do passado.

O Leicester nunca conquistou um título da primeira divisão do futebol inglês.

Em 2016, o Timão mantém uma média de público de 32.616, de acordo com a plataforma “Público nos estádios do Brasil”, do globoesporte.com, enquanto o Leicester mantém um número, considerando a temporada 2015/2016, menor apenas em 600 torcedores. Os Foxes tem uma média de 32.017, de acordo com site Transfermarkt.

Curioso é que em portagem de ocupação, que contabiliza os números de ingressos disponíveis, o Corinthians não chega nem perto, mesmo que mantenha bons números.

Com um estádio com capacidade para 32.312, o Leicester não teria nem como, caso permanecesse jogando no “King Power Stadium”, de ultrapassar o Timão, mas os Foxes estão com uma média de ocupação de 99,08%. O Corinthians acumula 72% para este quesito.

No entanto, para a temporada 2015/2016, o Leicester tem apenas a 12ª maior média da Premier League.

Para se ter uma ideia, a segunda maior média de público do futebol brasileiro fica com o Palmeiras, que leva 23.237 torcedores por jogo.

Confira as médias de público do Campeonato Inglês:

Médias de público (via Transfermarkt)

Médias de público (via Transfermarkt)

Categoria: Campeonato Inglês, Futebol Europeu

Comentários

Enviar para o Kindle

Time de Fora seleciona alguns momentos marcantes do Mundial de Clubes da Fifa

09/12/2015 - 12:25 por

Em 2011, Messi e Neymar protagonizaram a final do Mundial de clubes. Na ocasião, o Barcelona goleou o Santos por 4 a 0. (Foto: Divulgação/Fifa)

Em 2011, Messi e Neymar protagonizaram a final do Mundial de clubes. Na ocasião, o Barcelona goleou o Santos por 4 a 0. (Foto: Divulgação/Fifa)

Pode até ser que os times europeus cheguem no Mundial de Clubes sem muitas pretensões, encarando-o, muitas vezes, como uma obrigação de calendário, mesmo que algumas das equipes do velho continente tenho afirmado que ganhar o título seria obrigação. Por outro lado, sempre que um time brasileiro chega ao torneio é aberta a discussão sobre o nível do futebol praticado pelos “brasucas”, e esta edição é especial para Neymar, que pode conquistar o título pela primeira vez, com o Barcelona.

Em solo brasileiro (2000)

Na edição inaugural do Mundial de Clubes, em 2000, realizada no Brasil, Corinthians e Vasco fizeram uma final emocionante, marcada por muito equilíbrio, tanto que foi decidida apenas no pênaltis, com Edmundo chutando para fora a última cobrança. Nomes de peso como Marcelinho Carioca, Dida, Edílson, e Luizão, pelo Corinthians, e Romário, Edmundo e Viola, pelo Vasco, foram os protagonistas daquela edição do torneio, que ainda contou com Manchester United e Real Madrid.

Fato curioso é o recorde de público da “Copa do Mundo” dos clubes foi registrada naquele torneio, com um empate dos jogos entre Vasco x Manchester United e Corinthians x Vasco. 73.000 pessoas compareceram ao Maracanã, que sediou ambos os jogos. Na ocasião, o cruzmaltino ainda conseguiu uma vitória por 3 a 1 sobre os Red Devils. Edílson foi eleito o melhor jogador do torneio.

Parede “TRIcolor” (2005)

Vai ser difícil para os torcedores do São Paulo se esquecerem da atuação de Rogério Ceni contra o Liverpool, na final de 2005. Hoje aposentado, o goleiro do tricolor paulista, além de ter marcado um gol durante aquela edição do torneio, foi uma peça fundamental para conquista brasileira em cima do time da cidade dos Beatles. O Liverpool, na época comandado por Steven Gerrard, havia chegado no Mundial tendo perdido apenas um jogo durante a campanha do título da Liga dos Campeões da Europa da temporada 2004/2005.

Ceni, por todas as defesas que fez, ainda foi eleito o melhor jogador da competição, ficando à frente de Gerrard. Vai ser difícil esquecer do salto para impedir que cobrança de falta de Gerrard virasse gol para o time inglês. O título do São Paulo quebrava um tabu de 12 anos que um brasileiro não levava a taça em cima de uma equipe fora do continente sul-americano. O último havia sido o próprio São Paulo, em 1993, contra o Milan.

Surpresa colorada (2006)

O embalado time do Barcelona, liderado por Ronaldinho Gaúcho, Deco, Xavi e Carles Puyol, chegava a final daquele ano parecendo imbatível, mas foi surpreendido pelo esquema tático de forte marcação do Internacional do técnico Abel Braga, que consistia em forçar a saída de bola dos catalães ainda na defesa. Particularidade daquela edição foi que, mesmo com um elenco recheado de estrelas, como Fernandão, Alex, Iarley e Alexandre Pato, o único gol da partida foi marcado por Adriano “Gabiru”, um dos mais contestados do elenco do colorado gaúcho.

Messi x Neymar (2011)

Atualmente jogando lado a lado, no Barcelona, Messi e Neymar já se encontraram na final do Mundial de Clubes. Na ocasião, quando o brasileiro ainda jogava pelo Santos, o Barcelona aplicou uma goleada de 4 a 0 sobre o alvinegro praiano. O time do Santos ainda contava com a presença de Paulo Henrique Ganso e Alan Kardec. Muricy ramalho ainda sacou o meia Elano do banco de reservas, mas nem mesmo a experiência deste jogador foi suficiente para equilibrar a marcação santista.

Neymar, no entanto, ainda é dúvida para a edição deste ano, pois, machucado, o jogador talvez seja poupado da competição.

Curiosidades

Apenas 5 jogadores conseguiram ganhar o título do Mundial de Clubes com dois times diferentes. Entre eles, 3 brasileiros: Dida (com o Corinthians, em 2000 e AC Milan em 2007), Danilo (com o São Paulo, em 2005, e o Corinthians em 2012), e o brasileiro naturalizado espanhol Thiago (com o Barcelona, em 2011, e o Bayern de Munique em 2013). Completam a lista Cristiano Ronaldo (com o Manchester United, em 2008, e Real Madrid em 2014) e Tony Kroos (com Bayern de Munique, em 2013, e Real Madrid em 2014).

Ronaldinho Gaúcho é dos 3 jogadores que marcaram gols por mais de uma equipe na “Copa do Mundo” dos clubes. Completam a lista Dwight Yorke (Manchester United e Sydney FC) e Neri Cardozo (Boca Juniors e Monterrey).

Categoria: Mundial de Clubes

Comentários

Enviar para o Kindle

Time de fora?

Blog sobre futebol da editoria Jogada, do Diário do Nordeste.

Autores