Busca

14:29 · 16.11.2017 / atualizado às 15:52 · 17.11.2017 por
Fabrício Werdum joga objeto em direção a Coby Covington (foto: reprodução)

O clima fechou entre o brasileiro Fabrício Werdum e o americano Colby Covington na Austrália, onde irá acontecer mais um evento do UFC neste sábado, 19.

Após mais uma provocação do meio-médio, que ficou conhecido pela polêmica em São Paulo, onde chamou o povo brasileiro de “animais sujos, o ex-campeão dos pesados do Ultimate não deixou por menos e foi tomar satisfações.

Em vídeo divulgado pelo lutador neozelandês do Ultimate Dan Hooker é possível observar Werdum jogando um lanche em direção ao algoz de Demian Maia. Por muito pouco os dois não brigaram, já que brasileiro precisou ser contido.

Confira o vídeo da confusão:

18:45 · 10.11.2017 / atualizado às 18:45 · 10.11.2017 por
Spider iria enfrentar Kelvin Gastelum na luta principal do evento (foto: AFP)

O UFC informou nesta sexta-feira (10) que o brasileiro Anderson Silva foi flagrado em exame antidoping fora de competição, realizado em 26 de outubro pela Usada (Agência Antidoping dos EUA), e com isso foi suspenso provisoriamente.

O comunicado emitido pelo Ultimate, no entanto, não informa qual foi a substância proibida encontrada.
Ex-campeão dos pesos-médios, Silva faria um dos combates do UFC Fight Night de Xangai, na China, no dia 25 deste mês, contra Kelvin Gastelum, mas já foi retirado do card principal. O UFC agora procurará um substituto.

Em 2015, Anderson Silva também teve dois exames controversos, antes e depois do combate contra Nick Diaz, em Las Vegas, pelo UFC 183. Na ocasião, foi julgado, multado e suspenso por um ano, além de ter o resultado da luta anulado.

Após cumprir a punição, o lutador brasileiro realizou mais três combates. Foram duas derrotas, para Michael Bisping e Daniel Cormier, e uma vitória, em fevereiro deste ano, diante de Derek Brunson.

16:05 · 10.11.2017 / atualizado às 16:05 · 10.11.2017 por
Aldo perdeu o cinturão para Holloway em junho deste ano, no UFC Rio (foto: UFC/Divulgação)

Ao que tudo indica, o pedido de José Aldo por uma revanche imediata com o atual campeão dos penas do UFC, Max Holloway, deve ser confirmado a qualquer momento. Os dois lutadores e a organização já teriam um acordo verbal e a assinatura do contrato para que o duelo aconteça no dia 2 de dezembro em Detroit (EUA), é questão de tempo.

Aldo pediu a revanche assim que sou da lesão de Frankie Edgar, que seria o adversário de Holloway no evento. O brasileiro lutaria no dia 16 de dezembro com Ricardo Lamas, porém uma nova oportunidade de recuperar o cinturão o motivou a fazer campanha nas redes sociais para enfrentar seu último algoz.

09:31 · 09.11.2017 / atualizado às 09:31 · 09.11.2017 por
José Aldo tem luta marcada para 16 de dezembro com Ricardo Lamas (foto: AFP)

José Aldo não perdeu tempo ao saber do corte de Frankie Edgar (lesionado) do UFC 218 e já pediu uma revanche imediata com seu algoz, Max Holloway, atual dono do cinturão dos penas do UFC. O manauara se manifestou pelo Twitter. “Ei Max Holloway, eu quero meu título de volta. Eu mereço a revanche. Vamos fazer isso acontecer, @UFC”.

Aldo perdeu o cinturão para Holloway em junho deste ano, no UFC 212, realizado no Rio de Janeiro. No entanto, o brasileiro teria que antecipar seus planos e seu camp, já que o UFC 218 acontece no dia 2 e dezembro, em Detroit (EUA), e ele tem luta marcada com Ricardo Lamas para o dia 16 de dezembro, no Canadá.

17:22 · 02.11.2017 / atualizado às 17:22 · 02.11.2017 por
Lyoto Machida recebeu suspensão médica de 60 dias (foto: reprodução/Twitter)

Lyoto Machida sofreu uma dura derrota por nocaute no seu retorno às lutas no último final de semana, no UFC São Paulo, após ficar longo tempo suspenso por doping. O experiente lutador não havia se pronunciado desde então, até que pôs fim ao seu silêncio e publicou um agradecimento aos fãs nas redes sociais.

O retorno de Lyoto Machida era bastante esperado: aos 39 anos, ele ficou sem lutar nos últimos 18 meses e esperava vencer o norte-americano Derek Brunson. No entanto, foi derrotado com um nocaute sofrido aos 2 minutos e 30 segundos do primeiro round, o que configurou a sua terceira derrota seguida no UFC.

Apesar do resultado inesperado, ele revelou em sua conta no Intstagram que está feliz por poder voltar ao octógono e sentindo uma sensação de “dever cumprido” mesmo com o nocaute sofrido na última edição do UFC no Brasil em 2017.

“Quero agradecer todo apoio e suporte que tenho recebido dos meus fãs! Estou em casa, com minha família, recuperando do resultado que não veio, mas com a sensação de dever cumprido, pois qualquer um poderia ter desistido da ideia de ficar quase dois anos afastado do esporte e em seguida voltar para o campo de batalha”, afirmou o veterano lutador.

Apesar da derrota, Lyoto Machida foi elogiado pelo seu algoz do último final de semana, que o chamou de “lenda”. O respeito demonstrado por Brunson teve resposta: a torcida aplaudiu o norte-americano, ao contrário do que fez com Colby Covington, que derrotou Demian Maia momentos antes e provocou os fãs presentes no ginásio do Ibirapuera.

10:48 · 01.11.2017 / atualizado às 10:48 · 01.11.2017 por
Colby Covington venceu Demian Maia por nocaute técnico (foto: Reprodução)

O polêmico lutador americano Colby Covington, algoz de Demian Maia no UFC São Paulo, tem motivos para comemorar. Em atualização recente, ele aparece na 3ª colocação do ranking da categoria dos meio-médios, desbancando Rafael Dos Anjos, 6º colocado, e o próprio Demian, que aparece na 5ª posição.

Outra surpresa foi a inclusão de Lyoto Machida no Top 15 da divisão dos médios, mesmo tendo sido nocauteado por Derek Brunson na luta principal no Ginásio do Ibirapuera. O Dragão figura na 13ª colocação. Já Brunson subiu para o 6º lugar da categoria.

Os brasileiros Francisco Massaraduba, Pedro Munhoz e Deiveson Alcântara, vencedores de seus duelos em São Paulo, também tiveram seus feitos reconhecidos. Massaraduba voltou ao ranking dos leves na 15ª posição, enquanto Munhoz subiu uma posição nos galos e está em 11º. Deiveson também aparece na 15ª colocação na categoria dos moscas.

Clique e confira aqui o ranking atualizado das categorias do UFC.

 

09:52 · 31.10.2017 / atualizado às 09:52 · 31.10.2017 por
Lyoto Machida sofreu ‘apagão’ depois de ser nocauteado em São Paulo (foto: AFP)

Após sofrer um nocaute brutal do americano Derek Brunson no último sábado, ainda no 1º round da luta principal do UFC São Paulo, o brasileiro Lyoto Machida terá de ficar mais um tempo longe do octógono.

Isto porque o Dragão recebeu uma suspensão médica de 60 dias (45 sem contato), decorrente dos golpes que o levaram ao chão e o fizeram ficar desacordado no cage.

Neste caso, Lyoto teria pouco menos de dois meses de trabalho caso seja escalado para participar da primeira edição do Ultimate no Brasil em 2018, que será em Belém-PA, no dai 3 de fevereiro.

Confira as suspensões médicas de todos os atletas que atuaram no UFC São Paulo:

Lyoto Machida: suspenso por 60 dias, 45 sem contato
Derek Brunson: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Demian Maia: suspenso por 45 dias, 30 sem contato
Colby Covington: suspenso por 30 dias, 21 sem contato
Marcelo Golm: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Deiveson Figueiredo: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Elizeu Zaleski: suspenso por 45 dias, 30 sem contato
Hacran Dias: suspenso por 45 dias, 30 sem contato
Antonio Cara de Sapato: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Vicente Luque: suspenso por 14 dias, sete sem contato
John Lineker: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Thiago Santos: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Francisco Massaranduba: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Pedro Munhoz: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Christian Colombo: suspenso por 30 dias, 21 sem contato
Jarred Brooks: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Max Griffin: suspenso por 45 dias, 30 sem contato
Jared Gordon: suspenso por 45 dias, 30 sem contato
Jack Marshman: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Niko Price: suspenso por 45 dias, 30 sem contato
Marlon Vera: suspenso por 180 dias, necessita raio-x no pé esquerdo
Jack Hermansson: suspenso por 45 dias, 30 sem contato
Jim Miller: suspenso por 14 dias, sete sem contato
Rob Font: suspenso por 14 dias, sete sem contato

Fonte: Combate

10:43 · 30.10.2017 / atualizado às 10:43 · 30.10.2017 por
Colby Covington teve que deixar o Ginásio do Ibirapuera escoltado (foto: AFP)

O americano Colby Covington parece ter incorporado mesmo o ‘estilo Conor McGregor‘ em suas declarações, mesmo com a reprovação de seus companheiros de treino na American Top Team e com a possibilidade de uma punição por parte do UFC em razão de suas declarações direcionadas ao povo brasileiro.

Após vencer Demian Maia na co-luta principal do UFC São Paulo, o meio-médio voltou a ironizar o Brasil em sua conta no Twitter. “Fui trabalhar semana passada. As pessoas gritaram, cuspiram, uma gangue jogou garrafas d’água e outros objetos em minha direção, e mais de 10 mil pessoas cantaram “Uh, vai morrer”. A empresa pra qual trabalho teve que colocar seguranças na porta do meu quarto de hotel para me proteger. Eu quero pedir desculpas formais a qualquer animal sujo que eu ofendi ao compará-los com os meus anfitriões em São Paulo”, escreveu.

o novo vice-presidente sênior de assuntos internacionais do UFC, David Shaw, disse que vai avaliar a conduta do americano. “Levaremos a situação com Colby a sério. Já está sendo revisado junto com o nosso código de conduta. Não é algo que nos deixa felizes. Não ficamos felizes com isso essa noite”, disse o dirigente.

10:22 · 30.10.2017 / atualizado às 10:22 · 30.10.2017 por
Maia admitiu que usou a estratégia errada contra Colby no UFC São Paulo (foto: Primeiro Round)

Demian Maia não conseguiu impor seu jogo e foi duramente castigado pelo americano Colby Covington na co-luta principal do UFC São Paulo, no último sábado, onde foi derrotado por decisão unânime dos juízes. O duelo foi válido pela categoria dos meio-médios do Ultimate.

Após o evento, durante entrevista coletiva, o brasileiro admitiu que já estuda uma nova fase na carreira, que passa, inclusive, pela sua aposentadoria. “Pretendo lutar por mais um ano ou dois, mas já começo a dar uma importância maior para umas ramificações na minha carreira: minha academia, seminários e um projeto em segredo que vai rolar com o UFC”, disse o lutador de 39 anos.

O brasileiro também reconheceu que usou a estratégia errada na luta. “Minha mão começou a entrar no primeiro round. Vi que ele sentiu e começou a rodar. Fui para cima e me empolguei para nocautear e não consegui. Essa adrenalina de querer nocautear deu uma drenada. No segundo round, quis entrar muito em queda e acho que foi pior. Se tivesse continuado com a estratégia, talvez tivesse sido melhor”, finalizou.

01:57 · 29.10.2017 / atualizado às 01:57 · 29.10.2017 por

Não durou muito tempo a volta de Lyoto Machida ao octógono mais famoso do mundo. Ainda no início do 1º round da luta principal do UFC São Paulo, o brasileiro não resistiu à força do americano Derek Brunson e foi duramente nocauteado, em luta válida pela divisão dos médios.