Busca

12:57 · 15.01.2018 / atualizado às 12:57 · 15.01.2018 por
Vítor Belfort ainda tem uma luta para encerrar seu contrato com o UFC (foto: José Leomar)

Vítor Belfort não está nada satisfeito com o que aconteceu no último fim de semana, quando teve sua luta cancelada no evento que marcaria sua aposentadoria do octógono. O brasileiro lutaria contra o americano Uriah Hall, que passou mal antes da pesagem e foi parar no hospital.

Belfort cobra do UFC o pagamento da bolsa, mesmo sem o combate ter sido realizado nesse domingo, em St. Louis (EUA). Estou à espera do meu pagamento, afinal de contas, fiz o que tinha que ser feito (treinei, estive presente na semana da luta, bati meu peso…). Onde está o respeito!?”, escreveu o “Fenômeno” em suas redes sociais.

Através do presidente Dana White, o Ultimate já encaminhou encaminhou um novo duelo para o brasileiro, que deve enfrentar Michael Bisping, ex-campeão dos médios, no dia 17 de março, em Londres. “Quando voltarmos para Vegas, vou conversar com Vitor, com Bisping e ver o que acontece”, disse o chefão do UFC.

15:33 · 26.12.2017 / atualizado às 15:33 · 26.12.2017 por
Priscila vem de oito vitórias consecutivas no MMA (foto: arquivo pessoal)

Quando pisar no octógono do UFC no dia 3 de fevereiro, em Belém, Priscila Cachoeira marcará o ponto alto de sua volta por cima na carreira e, principalmente, na vida. Vindo de oito vitórias consecutivas, a brasileira enfrentará a veterana Valentina Shevchenko e isso não é o mais importante. Para realizar o sonho, ela superou vício em drogas e até mesmo problemas de abuso sexual.

“Eu fui maltratada pelo meu pai, que disse que eu não era filha dele. Ele fez coisas para me machucar e ainda assim eu tinha ele como ídolo. Eu joguei vôlei pelo Fluminense e fui traída. Fui retirada do time. No meio disso, eu ainda fui abusada pelo meu cunhado e flagrei meu namorado me traindo”, contou ela ao MMA Fighting.

“Depois disso, eu comecei a ir para festas todos os dias e encontrei pessoas que usavam drogas. Minha vida mudou. Deixei os estudos e o esporte de lado e comecei a dormir de dia e festejar à noite. Comecei a usar loló, maconha, cocaína e crack”, relembrou.

“Eu passei mais de três anos usando crack. Meus bíceps eram do tamanho do meu pulso. O crack quase me matou. Eu queria parar, sabia que estava me matando, mas eu não conseguia parar. Meu corpo pedia”, explicou.

Cachoeira relembra o momento em que Rosimeri, sua mãe, foi até o local em que ela costumava usar as drogas para salvá-la. “Estava usando crack por três dias seguidos, meu dinheiro tinha acabado e as pessoas já estavam me financiando. No terceiro dia, eu não queria mais usar, meu corpo não aguentava mais, mas não tinha forças para ficar de pé e sair. Estava vendo tudo embaçado, estava desorientada e queria sair. Quando olhei para porta, vi uma luz e vi minha mãe vindo em minha direção. Os outros usuários saíram com medo do que aconteceria. Mas ela veio e disse: ‘vamos para casa’. Todo mundo começou me aplaudir e dizer que queria ter uma mãe daquelas”, completou.

Daí em diante, ela se apegou ao esporte e nunca mais largou. Agora, anos depois, ela realiza o sonho e poderá levar sua mãe para a plateia do evento que acontece em menos de dois meses. “As drogas estavam saindo de mim pelo meu suor. Tive recaídas e até usei drogas de novo, admito, mas minha vontade era maior. Quando percebi que tinha talento para lutar, decidi fazer algo para mim. Há dois anos, decidi que eu seria lutadora em três anos. Meu irmão riu de mim, disse que eu não sabia nem socar. E agora, dois anos depois, estou aqui”.

14:19 · 21.12.2017 / atualizado às 14:25 · 21.12.2017 por
Pepey tem um cartel de 13 vitórias e apenas cinco derrotas no MMA (foto: arquivo)

O cearense Godofredo Pepey voltará ao octógono no dia 27 de janeiro de 2018. Ele enfrentará Mirsad Bektic em Charlotte (EUA). A luta será válida pela categoria peso-pena do UFC.

Os dois lutadores buscam a recuperação no Ultimate. Pepey lutou pela última vez em julho deste ano, quando foi derrotado por Shane Burgos em decisão unânime. Já Bektic, foi nocauteado em março por Darren Elkins.

UFC Charlotte (EUA)
27 de janeiro de 2018

Card até o momento:

Peso-médio: Ronaldo Jacaré x Derek Brunson
Peso-meio-pesado: Ovince Saint Preux x Ilir Latifi
Peso-mosca: Mara Romero Borella x Katlyn Chookagian
Peso-palha: Randa Markos x Juliana Lima
Peso-palha: Justine Kish x Ji Yeon Kim
Peso-leve: Netto BJJ x Vinc Pichel
Peso-pena: Mirsad Bektic x Godofredo Pepey
Peso-pena: Dennis Bermudez x Andre Fili
Peso-leve: Bobby Green x Eric Koch
Peso-leve: Gregor Gillespie x Jordan Rinaldi

10:12 · 07.12.2017 / atualizado às 10:14 · 07.12.2017 por
Francis Ngannou venceu todas as seis lutas que disputou no UFC (foto: AFP)

Considerado o maior fenômeno da categoria peso-pesado do UFC, o camaronês Francis Ngannou terá sua chance de se tornar campeão no dia 20 de janeiro de 2018, quando irá enfrentar o atual campeão Stipe Miocic no UFC 220, em Boston (EUA). A informação foi apurada pelo Canal Combate.

Ngannou venceu Alistair Overeem no último sábado, no UFC 218, com um nocaute impressionante logo no 1º round. Sem saber o que é derrota na organização, esta foi a 6ª vitória seguida do camaronês no UFC, sendo a 5ª por nocaute. Já Stipe Miocic defendeu o cinturão da divisão por duas vezes, ao vencer Junior Cigano e Alistair Overeem.

No mesmo evento (UFC 220), o americano Daniel Cormier irá defender o cinturão dos meio-pesados contra o suíço Vulkan Oezdemir.

15:00 · 30.11.2017 / atualizado às 15:00 · 30.11.2017 por
José Aldo e Max Holloway fazem encarada para promover o evento (foto: UFC/Divulgação)

José Aldo e Max Holloway fazem a luta principal do UFC 218, neste sábado, 2, em Detroit (EUA) e o clima para a revanche não podeira ser diferente. O brasileiro, que recebeu a chance de retomar o cinturão dos penas após lesão de Frankie Edgar, espera por um desfecho rápido e bem diferente do que foi em junho, no Rio de Janeiro.

“Eu estou com saudade de vencer. Na última luta, não fui muito bem, mas eu estou com uma visão nova, estou querendo lutar, quero muito ir para frente o tempo todo e pode ter certeza, essa luta acaba o quanto antes”, disse o manauara.

Aldo considera, ainda, a oportunidade da revanche deste sábado como excelente, pois trabalhou para esse momento. “É uma motivação a mais. Eu já queria ter feito uma revanche da luta contra o Conor [McGregor] que eu perdi, mas não veio. Eu fico feliz não pela revanche, mas pela chance de estar disputando o cinturão novamente. É isso para mim que me motiva, que faz eu acordar cedo, vir treinar cada vez mais, e voltar a ser campeão”.

Confira o card do evento deste sábado, 2:

UFC 218, em Detroit (EUA)

Principal (a partir de 1h, horário de Brasília):
Peso-pena: Max Holloway x José Aldo
Peso-pesado: Alistair Overeem x Francis Ngannou
Peso-mosca: Henry Cejudo x Sergio Pettis
Peso-leve: Eddie Alvarez x Justin Gaethje
Peso-palha: Tecia Torres x Michelle Waterson

Preliminar (a partir de 21h15, horário de Brasília):
Peso-leve: Charles do Bronx x Paul Felder
Peso-meio-médio: Alex Cowboy x Yancy Medeiros
Peso-leve: David Teymur x Drakkar Klose
Peso-palha: Felice Herrig x Cortney Casey
Peso-meio-médio: Sabah Homasi x Abdul Razak Alhassan
Peso-meio-pesado: Jeremy Kimball x Dominick Reyes
Peso-pesado: Justin Willis x Allen Crowder
Peso-palha: Amanda Cooper x Angela Magaña

14:29 · 16.11.2017 / atualizado às 15:52 · 17.11.2017 por
Fabrício Werdum joga objeto em direção a Coby Covington (foto: reprodução)

O clima fechou entre o brasileiro Fabrício Werdum e o americano Colby Covington na Austrália, onde irá acontecer mais um evento do UFC neste sábado, 19.

Após mais uma provocação do meio-médio, que ficou conhecido pela polêmica em São Paulo, onde chamou o povo brasileiro de “animais sujos, o ex-campeão dos pesados do Ultimate não deixou por menos e foi tomar satisfações.

Em vídeo divulgado pelo lutador neozelandês do Ultimate Dan Hooker é possível observar Werdum jogando um lanche em direção ao algoz de Demian Maia. Por muito pouco os dois não brigaram, já que brasileiro precisou ser contido.

Confira o vídeo da confusão:

18:45 · 10.11.2017 / atualizado às 18:45 · 10.11.2017 por
Spider iria enfrentar Kelvin Gastelum na luta principal do evento (foto: AFP)

O UFC informou nesta sexta-feira (10) que o brasileiro Anderson Silva foi flagrado em exame antidoping fora de competição, realizado em 26 de outubro pela Usada (Agência Antidoping dos EUA), e com isso foi suspenso provisoriamente.

O comunicado emitido pelo Ultimate, no entanto, não informa qual foi a substância proibida encontrada.
Ex-campeão dos pesos-médios, Silva faria um dos combates do UFC Fight Night de Xangai, na China, no dia 25 deste mês, contra Kelvin Gastelum, mas já foi retirado do card principal. O UFC agora procurará um substituto.

Em 2015, Anderson Silva também teve dois exames controversos, antes e depois do combate contra Nick Diaz, em Las Vegas, pelo UFC 183. Na ocasião, foi julgado, multado e suspenso por um ano, além de ter o resultado da luta anulado.

Após cumprir a punição, o lutador brasileiro realizou mais três combates. Foram duas derrotas, para Michael Bisping e Daniel Cormier, e uma vitória, em fevereiro deste ano, diante de Derek Brunson.

16:05 · 10.11.2017 / atualizado às 16:05 · 10.11.2017 por
Aldo perdeu o cinturão para Holloway em junho deste ano, no UFC Rio (foto: UFC/Divulgação)

Ao que tudo indica, o pedido de José Aldo por uma revanche imediata com o atual campeão dos penas do UFC, Max Holloway, deve ser confirmado a qualquer momento. Os dois lutadores e a organização já teriam um acordo verbal e a assinatura do contrato para que o duelo aconteça no dia 2 de dezembro em Detroit (EUA), é questão de tempo.

Aldo pediu a revanche assim que sou da lesão de Frankie Edgar, que seria o adversário de Holloway no evento. O brasileiro lutaria no dia 16 de dezembro com Ricardo Lamas, porém uma nova oportunidade de recuperar o cinturão o motivou a fazer campanha nas redes sociais para enfrentar seu último algoz.

09:31 · 09.11.2017 / atualizado às 09:31 · 09.11.2017 por
José Aldo tem luta marcada para 16 de dezembro com Ricardo Lamas (foto: AFP)

José Aldo não perdeu tempo ao saber do corte de Frankie Edgar (lesionado) do UFC 218 e já pediu uma revanche imediata com seu algoz, Max Holloway, atual dono do cinturão dos penas do UFC. O manauara se manifestou pelo Twitter. “Ei Max Holloway, eu quero meu título de volta. Eu mereço a revanche. Vamos fazer isso acontecer, @UFC”.

Aldo perdeu o cinturão para Holloway em junho deste ano, no UFC 212, realizado no Rio de Janeiro. No entanto, o brasileiro teria que antecipar seus planos e seu camp, já que o UFC 218 acontece no dia 2 e dezembro, em Detroit (EUA), e ele tem luta marcada com Ricardo Lamas para o dia 16 de dezembro, no Canadá.

17:22 · 02.11.2017 / atualizado às 17:22 · 02.11.2017 por
Lyoto Machida recebeu suspensão médica de 60 dias (foto: reprodução/Twitter)

Lyoto Machida sofreu uma dura derrota por nocaute no seu retorno às lutas no último final de semana, no UFC São Paulo, após ficar longo tempo suspenso por doping. O experiente lutador não havia se pronunciado desde então, até que pôs fim ao seu silêncio e publicou um agradecimento aos fãs nas redes sociais.

O retorno de Lyoto Machida era bastante esperado: aos 39 anos, ele ficou sem lutar nos últimos 18 meses e esperava vencer o norte-americano Derek Brunson. No entanto, foi derrotado com um nocaute sofrido aos 2 minutos e 30 segundos do primeiro round, o que configurou a sua terceira derrota seguida no UFC.

Apesar do resultado inesperado, ele revelou em sua conta no Intstagram que está feliz por poder voltar ao octógono e sentindo uma sensação de “dever cumprido” mesmo com o nocaute sofrido na última edição do UFC no Brasil em 2017.

“Quero agradecer todo apoio e suporte que tenho recebido dos meus fãs! Estou em casa, com minha família, recuperando do resultado que não veio, mas com a sensação de dever cumprido, pois qualquer um poderia ter desistido da ideia de ficar quase dois anos afastado do esporte e em seguida voltar para o campo de batalha”, afirmou o veterano lutador.

Apesar da derrota, Lyoto Machida foi elogiado pelo seu algoz do último final de semana, que o chamou de “lenda”. O respeito demonstrado por Brunson teve resposta: a torcida aplaudiu o norte-americano, ao contrário do que fez com Colby Covington, que derrotou Demian Maia momentos antes e provocou os fãs presentes no ginásio do Ibirapuera.