Busca

20:48 · 29.08.2012 / atualizado às 00:00 · 30.08.2012 por
Sete lutadores de uma delegação formada por 15 judocas conseguiram trazer medalhas (foto: Rodrigo Carvalho)

O judô cearense está em festa. Um esporte que leva uma delegação de 15 atletas a um campeonato mundial juvenil até 19 anos, e traz sete medalhas conquistadas por metade desses judocas, merece ou não o respeito de todos? Pois é, não só merece, que os cearenses viraram notícia nos jornais de Brasília (DF), local onde foi realizada a competição, no último fim de semana, e de veículos de comunicação de outros países pelo feito. O balanço para o Ceará foi: três ouros, duas pratas e dois bronzes na categoria individual. Além de um ouro por equipe.

“Foi engraçado que por onde nós passávamos os atletas dos outros países e até do demais estados do Brasil ficavam olhando pra gente: ‘olha aí o pessoal do Ceará’. Foi muito bom ter ganho. Pra mim, foi um sonho realizado, afirmou Ambrósio Gomes Neto, campeão mundial na categoria até 90Kg e também por equipe.

Assim como ele, outro atleta que se destacou foi Marcos Costa Jr..Ambos dividem os treinos na academia do professor Zairo Morais, no Lagamar, com aulas na faculdade de Direito. “Nós estamos mostrando que no bairro há valores positivos, não só violência. Isso mostra que vale a pena investir no esporte”, diz o atleta, que levou dois ouros para casa, um em equipe e outro na categoria até 81Kg.

Poderia ser melhor

Segundo Marcos, o desempenho dos cearenses no esporte poderia ser até melhor caso houvesse mais incentivo. “Eu e mais três atletas ganhamos as passagens do governo do Estado. Se não fosse isso, dificilmente teríamos conseguido viajar e surpreender nosso adversários com esses resultados”. afirma.

De acordo com o professor Zairo, o esporte preserva a índole de muitos jovens do Lagamar. “Eles poderiam estar fazendo coisas erradas, mas o judô ocupa o tempo deles e os disciplina a tirar notas boas na escola e na faculdade”, avalia.

Verdadeiro valor do esporte

Para o presidente da Super Liga Cearense de Judô (Suliceju), Eduardo Costa, filiada à União Pan Americana de Judô e à Federação Mundial de Judô, esse também é um dos objetivos das artes marciais. “Além de repassar a parte técnica, a filosofia, e procurar atletas de alto rendimento, o judô também pode ser um instrumento de inclusão social, de crescimento humano e de valorização à vida”, emenda ele.

Herlon Viana é mais um desses atletas, que divide seu tempo em trabalho, estudo e treino…muito treino. “A rotina é dura, de segunda à sexta-feira. Mas vale a pena. A parte mais difícil mesmo é encontrar quem invista no nosso talento. Por isso que nessas horas a gente tem que agradecer em quem aposta na gente. Ganhei dois títulos mundiais (até 73 Kg e por equipe) graças ao apoio do Biggas Restaurante”, agradece.

Além deles, também conquistaram medalhas os judocas Mikaelly Sousa Batista, única medalhista cearense no feminino (prata na categoria até 48Kg), além de Natanael Alves (bronze/ até 55Kg); Bruno Magalhães (prata/ até 81Kg); José Jefferson Alencar (bronze/ até 68Kg). Todos esses três foram campeões mundiais por equipe.

“O Brasil formou três equipes. Nós éramos a única formação exclusiva de cearenses. Mesmo com um lutador a menos (a disputa é feita em sete categorias), vencemos as outras equipes”, confirma Jefferson.

Confira abaixo todos os medalhistas:

– Mikaelly Sousa Batista:  prata no mundial juvenil até 48Kg;
– Natanael Alves:  bronze até 55Kg Júnior e campeão equipe
– Bruno Magalhães: prata até 81Kg juvenil e campeão equipe
– José Jefferson Alencar: bronze até 68Kg- campeão equipe
– Paulo Erlon Viana: ouro até 73Kg e campeão equipe
– Marcos Costa Jr.: ouro até 81Kg e campeão equipe
– Ambrósio Gomes Neto: ouro até 90Kg e campeão equipe

14:23 · 29.08.2012 / atualizado às 00:01 · 30.08.2012 por
Tiaguinho fechou contrato com o Fortaleza para representar o clube cearense nas competições nacionais e internacionais. Foto: Divulgação

A mais nova aposta do Fortaleza Esporte Clube, Tiago Marques,  conquistou a primeira medalha de ouro após ter assinado contrato de patrocínio com o tricolor.

Tiaguinho, como é mais conhecido no meio das artes marciais, sagrou-se campeão do SP Open Internacional de Jiu-Jitsu, realizado no último fim de semana, no Ginásio Poliesportivo José Correa, em Barueri, São Paulo.

Ele agradeceu por todo o apoio fornecido pelos patrocinadores e ao Leão do Pici. “Valeu a todos vocês que acreditaram e continuam acreditando no meu trabalho. Conto com vocês para o próximo desafio que já está por vir: Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu na Califórnia, em outubro”, afirmou.

 “Ainda vamos comemorar muitos títulos, podem apostar”, disse ainda comemorando o resultado.

 

15:25 · 28.08.2012 / atualizado às 19:19 · 28.08.2012 por

Não adiantou o desespero da direção do Ultimate – o  UFC 151 foi cancelado. Milhões de dólares foram perdidos, lutadores deixaram de honrar seus compromissos financeiros, pagar seus técnicos, preparadores físicos e todos os demais profissionais que trabalham na preparação dos atletas.

Jornalistas do Vai Encarar reuniram-se mais uma vez com o próposito de tratar do UFC 151. Afinal, de quem é a maior responsabilidade sobre a crise que se instalou no Ultimate?

Acompanhe o debate:

Veja também a enquete:

A quem você atribui a responsabilidade do cancelamento do UFC 151?
Dan Henderson, que se machucou nos treinos e desistiu da luta
Jon Jones, que não aceitou o confronto contra Chael Sonnen
Lyoto Machida, que desistiu de enfrentar Jon Jones
Dana White, que não previu a possível contusão dos lutadores do principal evento
A nenhum deles



21:01 · 27.08.2012 / atualizado às 22:08 · 27.08.2012 por

Convidada pelo próprio apresentador Tom Barros, a equipe do blog Vai Encarar marcou presença no último domingo, 26, no programa Debate Bola, da TV Diário. Os blogueiros falaram sobre como surgiu a ideia de formar uma equipe para tratar exclusivamente das artes marciais e até anunciaram que em breve os internautas contarão com mais novidades no blog.

Ficou curioso? Então dá uma conferida no vídeo com a participação completa de toda a equipe.

12:00 · 26.08.2012 / atualizado às 17:36 · 25.10.2012 por
Em entrevista exclusiva para o BVE, o mestre Ricardo De La Riva afirmou que há pelo menos dez cearenses que prometem se destacar no MMA, em breve.
Foto: Divulgação

Em janeiro de 1980, Ricardo de La Riva, na época com 15 anos, começou a treinar jiu-jítsu. Ele não tinha ideia de que ali começaria a trajetória de um dos maiores nomes do esporte. Durante os 32 anos dedicados à arte suave o faixa preta já enfrentou e venceu Royce, Royler e Rolker Gracie. Ele também participou da formação de grandes nomes do MMA como Rodrigo Minotauro, Rogério Minotouro e Lyoto Machida. Hoje, de La Riva, divide o seu tempo entre o tatame e os seu seminários.  “Já recusei varias propostas para lutar MMA. Minha vocação é ensinar Jiu-Jítsu da melhor maneira possível. Com as minhas aulas consigo formar pessoas que vão levar os meus ensinamentos para outros atletas”, revelou em entrevista ao Blog Vai Encarar, quando veio para Fortaleza ministrar seminário na academia do professor, Bernardo Moura.

De La Riva destacou a necessidade de normatizar o Jiu-Jítsu para que este possa vir a ser um esporte olímpico. Hoje, ressaltou, existem dois tipos de arte suave, um é o Brazilian Jiu-Jítsu e o outro é o Jiu-Jítsu tradicional, já no Judô, por exemplo, não existe essa diferenciação.  A mudança nos nomes dos golpes, de um local para outro, é mais um problema encontrado pelo faixa de preta.  “É importante termos apenas uma confederação, pois, hoje, cada um quer uma parte do bolo para si. A partir do momento em que isso ocorrer e as pessoas pensarem de uma mesma forma poderemos avançar muito”, afirmou.

Você veio ministrar um seminário para as pessoas que levam sua bandeira aqui, além de participar de um processo de graduação. O que você procurou passar aos alunos cearenses durante sua visita?

Na verdade, o Bernardo Moura, que dirige a De La Riva em Fortaleza, já treina a rapaziada há muito tempo e faz um trabalho muito bom, pois é um professor que sempre está preocupado em viajar ao Rio de Janeiro para ver as novidades. Dessa forma, eu não mostro nada de muito novo, apenas alguns detalhes importantes nas técnicas, que mudam rapidamente e se aperfeiçoam a todo momento. É uma espécie de intercâmbio.

Como você avalia o nível dos lutadores cearenses?

Excelente. A gente vê, não só no Jiu-Jitsu, como no MMA, o pessoal aqui do Ceará vindo com uma força muito grande. No próprio UFC temos lutadores importantes que saíram do Estado. Acredito que já está no sangue, pois sinto que o povo cearense gosta de lutas e vive intensamente esse momento de crescimento das artes marciais no País.

Falando em MMA, você participou da formação de grandes lutadores, como os irmãos Rodrigo Minotauro e Rogério Minotouro, além de Lyoto Machida. Acredita que muito talentos ainda não descobertos podem emergir a qualquer momento?

Somente aqui no Ceará tenho conhecimento de umas dez pessoas, que estão vindo do Jiu-Jitsu e outras artes marciais, e que não devem demorar para ganhar a notoriedade que merecem. Vão vir muitos talentos como o Caio Magalhães, por exemplo, que teve uma luta duríssima na sua estréia no UFC, mas que com certeza vai virar o jogo conquistar boas vitórias no futuro.

No Jiu-Jitsu, existem grandes equipes tradicionais, assim como a De La Riva, que possuem filosofias e focos um pouco diferentes. Qual o diferencial da sua equipe?

Tenho certeza que todas as equipes trabalham duro nos treinamentos para aperfeiçoar a parte física de seus atletas, o que é muito importante, mas a nossa maior preocupação é mesmo a técnica. Procuramos visar aquele pequeno detalhe na posição, que pode fazer toda a diferença em uma luta. Obviamente, que é preciso ter uma parte física boa, um psicológico melhor ainda, uma boa alimentação, mas jamais esquecer da técnica. Portanto, a gente tem essa preocupação de refinar a técnica. Eu mesmo continuo treinando até hoje, apesar das contusões dificultarem um pouco.

Você costuma passar instruções até para o pessoal dos Rangers, que é a força de elite da marinha americana. Os caras já são feras, mas o que ainda dá para transmitir para eles?

Isso é interessante porque eu já dei dois cursos nos Estados Unidos para os Rangers, inclusive agora eu estive com a Special Force, que é uma equipe de 20 soldados de várias especialidades, e lá eles usam um roupa especial, parecida com um kimono, mas o Jiu-Jitsu para eles é mais uma distração. Podem usar em batalha? Podem, mas eles não querem pois o objetivo é acertar o camarada lá de longe e concluir a missão. Se um eventual confronto acontecer é que eles colocam em prática. O Jiu-Jitsu para eles é mais uma forma de ter calma, tranquilidade, para que eles tomem as decisões corretas na hora correta.

Muito obrigado e agora estamos na torcida para que os lutadores cearenses tenham aprendido muito com você e decolem o mais rápido possível.

Posso te falar que eu aprendi muito com eles aqui. A maioria não percebe, mas quando vejo eles fazendo, também absorvo bastante. Não tenha dúvida que teremos muitos lutadores cearenses de grande valor defendendo a bandeira do Brasil lá fora.

21:22 · 24.08.2012 / atualizado às 22:25 · 24.08.2012 por

Anderson Silva, campeão dos médios do UFC, tomou uma atitude inesperada na quinta-feira (23). O Spider enviou uma mensagem ao UFC, através de Ed Soares, seu empresário, se oferencendo para lutar no UFC 151 contra qualquer meio-pesado, exceto Jones, para salvar a edição do evento, de acordo com o site “MMA Fighting”.

Anderson Silva se ofereceu para enfrentar algum peso meio pesado |foto: Divulgação

Anderson, inclusive, deixou claro que estava fora de forma. Infelizmente, a edição do UFC 151 já estava cancelada quando o brasileiro fez a proposta. No entanto, Dana White ficou satisfeito com a atitude do campeão e disse que não esperava a oferta.

O UFC 151 acabou cancelado, devido a uma lesão de Dan Henderson. Jon Jones rejeitou a proposta de enfrentar Chael Sonnen e ficou acertado de lutar com Lyoto Machida em setembro. O brasileiro, por sua vez, desistiu do combate e Vitor Belfort foi escalado como novo adversário do campeão dos meio-pesados.

Opine sobre quem é o culpado pela confusão no UFC

12:41 · 24.08.2012 / atualizado às 13:58 · 24.08.2012 por
Dana White teve que arrumar um adversário às pressas para Jon Jones (foto: textual)

A maior crise da nova era do UFC. Assim está sendo considerado esse momento por Dana White, um dos chefôes do Ultimate. Após um mês repleto de lutas reagendadas en virtude das sucessivas contusões dos atletas, pela primeira vez, um evento foi cancelado (UFC 151).

O certo é que os últimos acontecimentos atingem em cheio a credibilidade de um evento que ressurgiu com base no profissionalismo como trata o MMA, e, agora, passa por uma crise justamente nesse pilar.

Dê a sua opinião. Será que já é hora de rever a formação dos Cards e o “casamento” das lutas? Faltou organização, planejamento ou, no mínimo, ações de prevenção de situações como essa?

De quem é a culpa? Participe também da enquete abaixo do Blog Vai Encarar:

A quem você atribui a responsabilidade do cancelamento do UFC 151?
Dan Henderson, que se machucou nos treinos e desistiu da luta
Jon Jones, que não aceitou o confronto contra Chael Sonnen
Lyoto Machida, que desistiu de enfrentar Jon Jones
Dana White, que não previu a possível contusão dos lutadores do principal evento
A nenhum deles






06:05 · 24.08.2012 / atualizado às 12:44 · 24.08.2012 por

No começo da madrugada desta sexta-feira (24), mais uma reviravolta aconteceu na próxima defesa de cinturão de Jon Jones. O brasileiro Lyoto Machida, que havia sido escalado para enfrentar o campeão daqui a pouco menos de um mês, desistiu da luta e Vitor Belfort, que lutaria contra Alan Belcher no UFC RIO III, foi escolhido como novo desafiante do cinturão dos pesos meio pesados do UFC. Lyoto teria achando um mês pouco tempo para sua preparação. A luta será em Toronto, no dia 22 de setembro.

Belfot é o novo desafiante de Jon Jones | Foto: Divulgação

Após o início dos rumores, Vitor confirmou a informação pelo Twitter:
“Galera do Brasil acabei de receber uma ligação do Lorenzo Fertitta me oferecendo a luta com a lenda Jon “Bones” Jones.”, disse Belfort.

De acordo com ele, nenhum lutador da categoria aceitou a luta. Vitor, que está atualmente entre os pesos médios, já foi o detentor do cinturão dos meio pesados do Ultimate.

“Como um bom brasileiro, eu não fujo da luta e não vou deixar os fãs sem um belo espetáculo. Estou confiante e feliz conto com vocês na torcida.”, comemorou Vitor.

“Eu imaginei o Carlson aqui ao meu lado. Escolher luta jamais! Obrigado mestre, pois você mora dentro de mim. Carlson Forever”, completou, em referência ao seu antigo mestre, Carlson Gracie.

De quem é a culpa pela crise do UFC? Responda à nossa enquete.

16:20 · 23.08.2012 / atualizado às 19:56 · 23.08.2012 por

Os rumores de que Dan Henderson, desafiante no combate pelo cinturão dos meio pesados no UFC 151, estava machucado foram confirmados na tarde desta quinta-feira (23). Com Hendo fora e restando nove dias para a luta, apenas um adversário topou enfrentar Jon Jones: Chael Sonnen. O campeão, por sua vez, não aceitou a luta. Pela primeira vez na história do UFC um evento foi cancelado. O UFC 152, que acontecerá em Toronto, no Canadá, no dia 22 de setembro, terá, agora, como luta principal  o duelo entre Jon Jones e o brasileiro Lyoto Machida, que já estava na fila pelo cinturão da categoria até 93 kg.

Lyoto e Jon Jones se enfrentam em setembro|Foto: Divulgação

“Este é o pior momento dos meus 11 anos à frente do UFC. Nunca imaginei que teria que cancelar uma luta principal de um evento por causa da recusa do campeão em aceitar um desafio. Jon Jones recusou-se a enfrentar Chael Sonnen após ter aceito o desafio, e nos forçou a cancelar a luta. A disputa do cinturão acontecerá dia 22 de setembro, em Toronto, contra Lyoto Machida”, disse Dana White, presidente do UFC, em coletiva de imprensa.

Jon Jones e Chael Sonnen vinham se estranhando há dias. Chael Sonnen, conhecido por suas provocações, passou a focar seus insultos em Jon Jones. Minutos antes do anúncio oficial, Sonnen colocou em sua conta do twitter uma espécie de desafio ao campeão dos meio pesados: “30 minutos para consolidar o seu legado. Campeão ou Covarde? Ganho muito mais que você. Apareça em 8 dias. Eu te darei a minha bolsa”, afirmando que até daria seu dinheiro gerado com a luta para Jones.

“Sobre Chael Sonnen, ele é um louco. Ele me disse que lutaria com Jon Jones hoje. E me pediu para dizer a ele que dessa vez não haveria escorregões. Sonnen é o tipo de cara que, em um momento de crise, pega o telefone, me liga e diz que luta contra Jon Jones agora. Nunca vi ninguém dizer tantas loucuras quanto ele na minha vida, mas esse tipo de atitude me faz respeitá-lo cada vez mais”, afirmou Dana.

Desistência

A luta entre Jon Jones e Chael Sonnen chegou a estar confirmada nos bastidores até cerca de uma hora antes do anúncio oficial. Jones, no entanto, teria mudado de ideia e recusado o combate. “Até uma hora atrás, eu vinha aqui para anunciar Jon Jones x Chael Sonnen, e de repente tudo mudou. Infelizmente essa é a realidade, e não há nada que possamos fazer para mudar o cenário agora. A relação entre mim e Lorenzo com Jon Jones, nesse momento, é terrível”, lamentou Dana.

15:01 · 23.08.2012 / atualizado às 16:01 · 23.08.2012 por

O ex-campeão dos pesos leves do UFC, Frankie Edgar, decidiu descer de categoria. Edgar, que perdeu para Ben Henderson no UFC 150, sucumbiu a pressão e vai disputar sua próxima luta entre os pesos penas. A informação foi divulgada na edição desta terça-feira do programa semanal UFC Tonight, do canal americano FUEL TV.

;
Ex-campeão entre os leves, Edgar agora lutará nos penas |foto: Divulgação

O norte-americano, no entanto, não deve ganhar uma chance ao cinturão em sua primeira luta, que deve acontecer em dezembro. Frankie vai fazer pelo menos uma luta antes de enfrentar José Aldo, detentor do cinturão, ou Erik Koch, próximo desafiante.

Recentemente José Aldo se pronunciou sobre a situação à revista TATAME: “Ele já falou que quer descer para os penas, então tomara que isso aconteça logo para acabar com esse bafafá. Ele é bem vindo na categoria, para que a gente expulse ele para a categoria de cima ou de baixo”, disse.

Edgar, por sua vez, não recebeu bem as declarações. “As palavras de José Aldo me ajudaram a tomar a decisão de ir para os penas. Sou uma pessoa competitiva, e quando alguém diz coisas como aquelas, isso me faz querer chegar lá e ver como são as coisas”, disse , em entrevista ao site do oficial do UFC.