Busca

12:36 · 26.07.2018 / atualizado às 12:36 · 26.07.2018 por
McGregor (d) e o comparsa Cian Cowley em julgamento nos EUA (foto: AFP)

O irlandês Conor McGregor pode, enfim, respirar aliviado, depois do episódio de fúria que o levou à prisão em Nova York, nos Estados Unidos. Nesta quinta, o lutador compareceu à corte americana, onde foi julgado pelas acusações de agressão e vandalismo, na véspera do UFC 223, onde alguns lutadores que iriam participar do evento acabaram feridos.

Ele e o comparsa Cian Cowley admitiram serem culpados por conduta desordeira, considerado crime menor na legislação local. As outras acusações foram retiradas, e ambos foram condenados a cumprir serviço comunitário, aulas de autocontrole e gerenciamento de raiva. Além disso, eles devem restituir oa empresa de ônibus, a qual teve os vidros quebrados.

Desta forma, o ex-campeão das categorias peso-pena e peso-leve do UFC, está livre para lutar na referida cidade americana, e o que tudo indica, deve fazer a luta principal do UFC 230, dia 3 de novembro, contra o russo Khabib Nurmagomedov, atual campeão dos leves.

O evento já tem a participação confirmada de dois brasileiros: Ronaldo Jacaré e Paulo Borrachinha, que encaram o americano David Branch e o cubano Yoel Romero, respectivamente.

09:51 · 25.07.2018 / atualizado às 09:51 · 25.07.2018 por
Paulo Borrachinha enfrentará o cubano Yoel Romero no dia 3 de novembro, em Nova York (fotos: UFC)

Para quem pensava que Paulo Borrachinha iria assistir o UFC 230, em novembro, de camarote, depois da franquia iniciar as negociações para a revanche de Luck Rockhold contra Cris Wedman no referido evento, se enganou.

O Ultimate surpreendeu a todos e anunciou, nessa terça-feira (24), que o peso-médio brasileiro irá enfrentar ninguém menos que Yoel Romero, ex-desafiante do cinturão e atual nº 1 da categoria.

Uma chance de ouro para Borrachinha, que atualmente é o 8º colocado da categoria, e pode em pouco, tempo ter a chance de disputar o tão sonhado título da divisão, caso vença o cubano no dia 3 de novembro, em Nova York, nos Estados Unidos.

A maior organização de MMA do mundo ainda estuda a possibilidade de casar o duelo entre o irlandês Conor McGregor e o russo Khabib Nurmagomedov para ser a luta principal do UFC 230, que pode ser o card mais recheado de 2018.

10:33 · 24.07.2018 / atualizado às 10:33 · 24.07.2018 por
Rockhold venceu Wedman no UFC 194, em dezembro de 2015 (foto: divulgação)

Ao que parece, não será desta vez que o peso-médio Paulo “Borrachinha” Costa terá um adversário à altura para tentar um title shot em sua categoria no UFC, mesmo com o apelo feito após a vitória sobre Uriah Hall na edição nº 226 do evento, e pediu para enfrentar o americano Cris Weidman.

O Ultimate preferiu abrir as negociações para ter a revanche entre Weidman e Luck Rockhold, ambos ex-campeões da divisão, no UFC 230, que será realizado em 3 de novembro, em Nova York. Ambos se enfrentaram em dezembro de 2015, quando Rockhold levou a melhor e tomou o cinturão do algoz de Anderson Silva.

No ranking dos médios do UFC, Rockhold aparece em 2º lugar, enquanto Cris Weidman vem logo em seguida, na 3ª posição. Já o brasileiro Paulo Borrachinha, é o 8º colocado da divisão, que ainda tem outro brasileiro, Ronaldo Jacaré, na 5ª colocação.

12:35 · 18.07.2018 / atualizado às 12:49 · 18.07.2018 por
Evilázio Feitoza esteve em Fortaleza, Maracanaú e Juazeiro do Norte em maio deste ano, quando ministrou palestras e participou de graduações e capacitações (Foto: JL Rosa)

Um capítulo dedicado ao precursor das artes marciais mistas no Ceará. Foi esta a homenagem do ex-campeão de kickboxing Fernando Fernandes em seu livro, “Ser Campeão – No ringue como na vida“, ao grão-mestre cearense Evilázio Feitoza, que mora atualmente em Nova York, nos Estados Unidos.

Em contato com o blog, o grão-mestre disse que está muito feliz pela homenagem e ressaltou que o reconhecimento é fruto de um trabalho desenvolvido há mais de 40 anos. “Me sinto muito orgulhoso em ter este reconhecimento por parte de um cara que foi sete vezes campeão europeu e diversas vezes campeão intercontinental! Uma lenda do mundo das artes! O Fernando Fernandes conheci na década de 90 e desde então estamos próximos sendo parceiros nos eventos, levando o conhecimento sobre o mundo da luta para os 4 cantos do mundo”, disse.

Evilázio Feitoza já descobriu e lançou vários lutadores de renome em competições de alto nível. Entre eles estão Thiago “Pitbull” Alves (atleta do UFC), Paulo Guerreiro e Andrezinho Nogueira, além de já ter trabalhado com Gabriel Napão, Ricardo Freire e Assuério Silva, entre outros.

O Livro “Ser Campeão – No ringue como na vida” ainda tem um capítulo dedicado ao 1º Torneio Intercontinental I.S.K.A no Brasil, também promovido pelo grão-mestre Evilázio Feitoza, em outubro de 1994, em São Paulo. Na ocasião, Fernando Fernandes conquistou o título com uma vitória sobre José Ricardo Freire.

Sempre requisitado em vários países da América do Sul, Europa, Oriente Médio e Ásia para realização de seminários, Evilázio Feitoza comentou com o blog sobre a evolução e modernização do Muay Thai no cenário mundial. “Com os estudos na área das artes marciais, a preparação física, boa alimentação e o interesse nas noções de autodefesa, o Muay Thai tem tido um avanço significativo nestes últimos anos. O estilo Europeu é o estilo Moderno na minha concepção e tem tido esta evolução pelo mundo. Minha preocupação enquanto Grão Mestre alia repassar a um aluno o domínio das suas emoções, da sua agressividade e a filosofia da arte. Em nossos eventos é algo que faço questão de reforçar sempre”, enfatizou.

09:24 · 18.07.2018 / atualizado às 09:42 · 18.07.2018 por
Cara de Sapato vem de vitória sobre Tim Boetsch, em abril deste ano (foto: reprodução)

Antônio Carlos “Cara de Sapato” não poupou críticas ao ranking do Ultimate em entrevista ao Combate.com. Vindo de cinco vitórias seguidas e cotado para ser o futuro desafiante do cinturão dos médios, o brasileiro (11º do ranking) discorda dos critérios para colocações dos lutadores na sua divisão.

“O ranking, como está sendo feito, realmente é uma coisa muito várzea. Até que ponto estes cara que julgam o ranking entendem (de MMA)? Fui campeão mundial de jiu-jítsu antes de entrar no cage para lutar. No jiu-jítsu, você é primeiro, segundo ou terceiro, não tem esse negócio de que é melhor na mídia. Tem que ganhar. E você vê o Adesanya e o Borrachinha, com três, quatro lutas no UFC, sendo que eu tenho mais finalizações que eles têm de luta no UFC. Como estão na minha frente?”, questionou o lutador.

Cara de Sapato iria enfrentar Derek Brunson em agosto deste ano, no UFC 227, mas o confronto foi cancelado por conta de uma lesão no olho do americano. Agora, ele mira outra promessa brasileira, Paulo Borrachinha (8º do ranking), para uma luta principal no UFC São Paulo, evento que está agendado para 22 de setembro.

“Não tenho nada contra o Borrachinha, fomos da mesma casa, saímos do TUF, ele perdeu para o Marcio Lyoto na categoria até 84kg e deu declarações depois de que ele deveria ter lutado nos pesados, mas acho que seria pior para ele. Ele está aproveitando a onda, faz bem, o UFC está dando boas lutas para ele, pelo estilo dele sabemos qual estilo que casam para ele. Sinceramente, a única coisa que questiono é o seguinte: como ele vencendo os caras que venceu, e eu os que venci, pela trajetória que tenho, como está mais bem ranqueado que eu? Então propus fazermos a luta principal de São Paulo”, explicou “Cara de Sapato”.

16:35 · 08.07.2018 / atualizado às 16:35 · 08.07.2018 por
Cormier recebe o cinturão dos pesados das mãos de Dana White (foto: AFP)

Na luta principal do UFC 226, realizado em Las Vegas, nos Estados Unidos, na madrugada deste domingo (horário de Brasília) Daniel Cormier venceu Stipe Miocic por nocaute, no primeiro round. Vencedor do combate, o norte-americano, que já era o dono do título da divisão dos meio-pesados (até 92,9 kg), conquistou o cinturão dos pesos pesados (até 120,2 kg).

Cormier é só o segundo lutador na história do UFC que passou a acumular títulos em duas categorias diferentes. O primeiro havia sido Conor McGregor, mas o cinturão peso pena (até 70,3 kg) do irlandês foi retirado dele apenas 14 dias depois de ele se tornar campeão dos leves (até 70,3 kg). BJ Penn, Randy Couture e Georges Saint-Pierre também foram campeões em duas divisões diferentes, mas não de forma simultânea.

A LUTA – Confiante pela sequência de seis vitórias seguidas e três defesas de título dos pesados consecutivas, recorde no UFC nessa categoria, Miocic aproveitou a vantagem de altura e de envergadura para acuar o desafiante contra a grade e tentar conectar combinações de socos. Cormier buscou encaixar o clinch para conter o adversário, mas chegou a ter as costas pressionadas na parede do octógono e derrubado no chão após sofrer uma rasteira.

De pé, Cormier de novo foi empurrado contra a grade e sofreu com o controle de Miocic, que aproveitava a posição para golpear o oponente. O desafiante conseguiu quebrar o domínio, não sem antes sofrer uma joelhada no corpo, e seguiu em desvantagem no combate, agora nas trocas de socos, apesar de bons jabs conectados.

A partir da metade final do round, porém, Cormier passou a equilibrar a luta, graças a uma boa variedade de golpes. Ele conseguiu controlar as mãos de rival antes de desferir jabs e acertou um forte chute na perna. Miocic tentou responder com sequências de jab e direto, mas se colocou em risco por causa dos socos do desafiante na saídas dos clinches, causados pela aproximação dos lutadores.

A confiança de Cormier cresceu e ele acertou potente combinação de jab e direto. Depois, o combate foi paralisado por causa de uma dedada no olho do campeão dos pesados. A luta recomeçou franca e ambos os lutadores conectaram golpes potentes, mas Miocic foi quem caiu. O desafiante segurou a nuca do rival, que conseguiu quebrar o domínio, e acertou um soco com a mão direita na saída do clinch – atordoado, Miocic sofreu breve castigo até a arbitragem decretar o nocaute.

Depois do anuncio oficial da vitória e da entrevista de Cormier, o ex-campeão peso pesado do UFC Brock Lesnar entrou no octógono e empurrou o novo dono do título da categoria. Ambos trocaram provocações e é provável que essa luta seja marcada no futuro – Lesnar tem contrato com a organização de telecatch WWE, mas recebe autorizações para fazer combates pontuais no UFC.

Três brasileiros competiram no evento. Pela categoria dos leves, Gilbert Burns, o Durinho, foi nocauteado pelo neozelandês Dan Hooker, no primeiro round. Já Raphael Assunção, terceiro colocado no ranking dos galos do UFC (até 61,2 Kg), derrotou o norte-americano Rob Font, por decisão unânime dos juízes após três assaltos. Décimo colocado no ranking dos médios (até 83,9 Kg) Paulo Costa, o Borrachinha, também triunfou, com nocaute aplicado no jamaicano Uriah Hall, no segundo round.

Confira os resultados:
UFC 226
7 de julho de 2018, em Las Vegas (EUA)
CARD PRINCIPAL
Daniel Cormier venceu Stipe Miocic por nocaute
Derrick Lewis venceu Francis Ngannou na decisão unânime
Mike Perry venceu Paul Felder na decisão dividida
Anthony Pettis venceu Michael Chiesa por finalização
Khalil Rountree venceu Gokhan Saki por nocaute
CARD PRELIMINAR
Paulo Borrachinha venceu Uriah Hall por nocaute técnico
Raphael Assunção venceu Rob Font na decisão unânime
Drakkar Klose vence Lando Vannata na decisão unânime
Curtis Millender venceu Max Griffin na decisão unânime
Dan Hooker venceu Gilbert Durinho por nocaute
Emily Whitmire venceu Jamie Moyle na decisão unânime

11:11 · 11.06.2018 / atualizado às 12:08 · 11.06.2018 por
Covington foi superior a Dos Anjos e faturou o título interino dos meio-médios (fotos: AFP)

O UFC 225, realizado no último sábado (9) em Chicago, nos Estados Unidos, teve de tudo e mais um pouco. A começar pela grande luta entre o campeão dos médios, Robert Whittaker, e Yoel Romero. O confronto principal do evento, apesar de não valer o título da categoria (por Riomero não ter batido o peso), provou que o australiano é o melhor da divisão, ao segurar pela segunda vez um dos lutadores mais temidos da organização. Tanto que Whittaker deixou o cage com lesões que devem afastá-lo do octógono por um bom tempo. Parabéns ao campeão!

A VEZ DELE

E por falar em campeão, Colby Covington, inimigo nº 1 dos fãs do MMA no Brasil, bateu o então favorito Rafael Dos Anjos e faturou o título interino dos meio-médios. De forma convincente, Covington dominou as ações, teve mais gás, e mereceu a conquista. A fama de falastrão e a cinta o levarão a encarar o campeão linear da divisão, Tyron Woodley. Até onde vai a réplica de Conor McGregor, ninguém sabe, mas o talento e a evolução dele no cage são indiscutíveis.

PALHAÇADA

A luta que abriu o card principal do UFC 225, entre CM Punk e Mike Jackson foi digna de um verdadeiro show de humor, com o astro do WWE totalmente perdido dentro do cage. O combate foi ridículo, que o próprio Dana White, em entrevista coletiva, decidiu ‘aposentar’ Punk, ao afirmar que ele dificilmente terá outra chance no evento. Sobrou até para Jackson, que poderia nocautear o adversário facilmente, mas preferiu ‘cozinhar o galo’ e esperar a decisão dos juízes, levando o público a um verdadeiro teste de paciência.

FEZ BONITO

Charles do Bronx é o tipo de lutador que não tem medo de cara feia e faz bonito no octógono. Aceitou a luta contra Clay Guida com apenas 12 dias de antecedência e fez história na organização, ao igualar o recorde de vitórias por finalizações no evento (10), que pertencia à lenda Royce Gracie. Talentoso e eficiente, o brasileiro já pediu nova luta no UFC São Paulo, em setembro. Boa opção para o card!

Confira os resultados do UFC 225:

CARD PRINCIPAL
Robert Whittaker venceu Yoel Romero por decisão dividida
Colby Covington venceu Rafael dos Anjos por decisão unânime
Holly Holm venceu Megan Anderson por decisão unânime
Tai Tuivasa venceu Andrei Arlovski por decisão unânime
Mike Jackson venceu CM Punk por decisão unânime

CARD PRELIMINAR
Curtis Blaydes venceu Alistair Overeem por nocaute técnico
Cláudia Gadelha venceu Carla Esparza por decisão dividida
Mirsad Bektic venceu Ricardo Lamas por decisão dividida
Chris de la Rocha venceu Rashad Coulter por nocaute técnico
Anthony Smith venceu Rashad Evans por nocaute
Sergio Pettis venceu Joseph Benavidez por decisão dividida
Charles do Bronx venceu Clay Guida por finalização
Dan Ige venceu Mike Santiago por nocaute técnico

11:14 · 05.06.2018 / atualizado às 12:22 · 05.06.2018 por
Marlon Moraes comemora vitória sobre Jimmie Rivera no UFC Utica (foto: divulgação)

Se tudo correr bem, Marlon Moraes terá a grande chance de disputar o cinturão do galos do UFC até o fim deste ano. Com a vitória incontestável sobre o americano Jimmie Rivera, o brasileiro se credenciou, de vez, para encarar o vencedor da revanche entre TJ Dillashaw (atual campeão da categoria) e Cody Garbrandt, que acontece no dia 4 de agosto, em Los Angeles (EUA).

Apesar de estrear com derrota (por decisão dividida) para o também brasileiro Raphael Assunção, em junho de 2017, Marlon conseguiu dar a volta por cima no evento e venceu lutadores renomados como Jhon Dodson (decisão dividida) e Aljamain Sterling (nocaute) em apenas um minuto de luta.

O apelo maior ao title shot veio na última sexta-feira (1º), quando bateu Jimmie Rivera com somente 33 segundos de combate, na luta principal do UFC Utica. E seja quem for o seu próximo adversário (detentor do título), este terá muito trabalho para segurar o ímpeto do brasileiro.

12:14 · 23.05.2018 / atualizado às 12:14 · 23.05.2018 por

Reagir ou não a uma agressão e as diferenças entre Israel e o Brasil em termos da relação das pessoas com a defesa pessoal. São esses alguns dos temas a serem abordados nesta quarta-feira (23) de maio, em Fortaleza (CE), pelo israelense Grão Mestre Kobi Lichtenstein (faixa-preta – 8º Dan). Ele é o introdutor do Krav Maga, a arte de defesa pessoal israelense no Brasil.

Lichtenstein está comemorando 50 anos de treinamentos de Krav Maga e irá realizar o exame de graduação dos alunos, além de ministrar a palestra para aqueles que queiram saber mais sobre a defesa pessoal israelense.

Como parte da comemoração dos 50 anos de treinamentos, o Grão Mestre tem realizado uma série de palestras para contar sua experiência com o criador do Krav Maga Imi Lichtenfeld, de quem foi aluno desde seus 3 anos de idade, assim como sobre a prática e a eficácia da defesa pessoal israelense.

SERVIÇO: Palestra do introdutor do Krav Maga no Brasil, o israelense Grão Mestre Kobi Lichtenstein (faixa-preta – 8º Dan)
Data: 23 de maio
Horário: 20h
Local: Centro de Krav Maga – Aldeota (Rua Joaquim Nabuco, 1308, Aldeota, Fortaleza)
Gratuito, aberto a alunos e a não praticantes
Para participar, inscreva-se: fredcarneiro@kravmaga.com.br

Para conhecer mais sobre o Krav Maga acesse: www.kravmaga.com.br

Informações à imprensa:
Roberta Provatti
(11) 9 9652-4661
robertaprovatti@kravmaga.com.br

11:06 · 23.05.2018 / atualizado às 11:06 · 23.05.2018 por
Cris Cyborg tem cinco vitórias em cinco lutas no UFC (foto: AFP)

Cris Cyborg, campeã peso-pena do UFC, já deixou claro que pretende migrar para o boxe, depois que cumprir o seu contrato com o Ultimate. Dos dois combates que ainda lhe faltam na principal organização de MMA do mundo, a brasileira tem um desejo especial: fazer uma superluta com a compatriota Amanda Nunes.

“Meu plano era enfrentar Amanda em julho, mas agora ela está contundida, e a Comissão deu seis meses de suspensão. Eu já conheço esta novela” disse Cris Cyborg, se referindo ao tempo que a futura adversária irá precisar para se recuperar de uma lesão no pé, sofrida na vitória sobre Raquel Pennington, no UFC Rio 9.

Cyborg já está convencida de que seu próximo duelo no Ultimate será contra a vencedora de Holly Holm e Megan Anderson, que lutam no próximo dia 9 de junho, no UFC 225, em Chicago (EUA). No entanto, a brasileira aguarda pela recuperação de Amanda para, então, fazer a superluta.

“Quero lutar contra a melhor Amanda. Seria uma luta incrível, para deixar os fãs felizes. Ela pode ganhar o peso, pode ficar mais forte, pode ganhar confiança para que a gente faça uma grande luta para o UFC”, finalizou.