Busca

Tag: Gleison Tibau


09:21 · 01.03.2015 / atualizado às 09:25 · 01.03.2015 por
Foi a finalização mais rápida das disputas de cinturão do UFC (Foto: Reprodução UFC)
Foi a finalização mais rápida das disputas de cinturão do UFC (Foto: Reprodução UFC)

A norte-americana Ronda Rousey precisou de apenas 14 segundo para definir a luta e derrotar Cat Zingano com uma chave de braço, na luta principal do UFC 184, mantendo pela quinta vez consecutiva o cinturão peso-galo feminino. Agora, a campeã passa a ter 11 vitórias na carreira, dez delas no primeiro round e nove por finalização.

De quebra, Ronda ainda tirou a invencibilidade de Zingano, que acumula nove triunfos e uma derrota na carreira, e conseguiu a marca de finalização mais rápida da história das disputas de cinturão do Ultimate.

O duelo começou com Zingano partindo com tudo para cima de Ronda e caindo por cima da campeã, que rapidamente inverteu a posição e chegou às costas da desafiante. Em pouco tempo, a chave de braço já estava encaixada, e só restou a Zingano dar os três tapinhas em sinal de desistência.

“Sei que tenho transições mais rápidas que todos. Eu estava esperando que ela viria com algo assim no início, achei que ia acertar um gancho de resposta, mas deu certo assim mesmo”, comentou a campeã peso-galo ainda no octógono.

Zingano, por sua vez, mostrou-se bastante chateada com seu erro, não conseguindo explicar direito o que aconteceu. “Eu quero lutar de novo. Ela me pegou, mas meu braço não estava ali. Eu quero outra chance”, justificou.

Tibau cai diante de Ferguson

 

Único brasileiro no card principal do evento, Gleison Tibau saiu derrotado no duelo contra Tony Ferguson, pelos leves. O potiguar sentiu um direto no rosto e acabou cedendo as costas ao norte-americano, que finalizou o combate com um mata-leão no primeiro round.

Essa foi a 25ª luta de Tibau no Ultimate, se igualando ao ex-campeão e Hall da Fama Matt Hughes como segundo maior atleta em número de combates pela organização, ficando atrás apenas de Tito Ortiz, com 27.

Pelo card preliminar, os brasileiros Roan Jucão e Valmir Bidu conseguiram vencer suas lutas. Já Dhiego Lima, foi nocauteado por Tim Means.

Confira todos os resultados:

Card Principal

Ronda Rousey venceu Cat Zingano por finalização no R1
Holly Holm venceu Raquel Pennington por decisão dividida (29-28, 28-29 e 30-27)
Jake Ellenberger venceu Josh Koscheck por finalização no R2
Alan Jouban venceu Richard Walsh por nocaute no R1
Tony Ferguson venceu Gleison Tibau por finalização no R1

Card Preliminar

Roan Jucão venceu Mark Muñoz por finalização no R1
Roman Salazar x Kid Yamamoto terminou sem resultado após cuturão acidental de Yamamoto nos olhos de Salazar no R2
Tim Means venceu Dhiego Lima por nocaute técnico no R1
Derrick Lewis venceu Ruan Potts por nocaute técnico no R2
Valmir Bidu venceu James Krause por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)
Masio Fullen venceu Alex Torres por decisão dividida (29-28;28-29;29-28)

Fonte: UFC Brasil

09:50 · 19.01.2015 / atualizado às 09:57 · 19.01.2015 por
Após a vitória em Boston, o 'falastrão' pulou a grade e foi provocar o brasileiro que estava assistindo o combate (Foto: UFC)
Após a vitória em Boston, o ‘falastrão’ pulou a grade e foi provocar o brasileiro que estava assistindo o combate (Foto: UFC)

O irlandês Conor McGregor deixou mais uma vez sua marca. A vítima da vez foi o russo-germano Dennis Siver, na madrugada desta segunda-feira (19), no UFC Boston.

Silver não resistiu às provocações do adversário dentro e fora do octógono e acabou sendo nocauteado na metade do 2º round. Depois de uma bela sequência de socos, o ‘falastrão’ McGregor derrubou Siver, passou a guarda e desferiu uma saraivada de socos e cotoveladas, finalizando o combate.

McGregor x Aldo

Com a vitória, McGregor não se conteve, pulou a grade do octógono e partiu para cima de José Aldo, que assistia a luta. Sorrindo, o brasileiro só observou a atitude do lutador, que precisou ser contido pelos seguranças.

O presidente do UFC, Dana White, afirmou, em entrevista coletiva após a luta, que José Aldo e McGregor irão se enfrentar em maio deste ano, em Las Vegas. O combate vale o cinturão peso-pena da organização.

Gleison Tibau é o brasileiro com mais lutas no UFC (Foto: Reprodução Facebook)
Gleison Tibau é o brasileiro com mais lutas no UFC (Foto: Reprodução Facebook)

Tibau se torna o 3º maior vencedor do UFC

Em sua 24ª participação no UFC, o brasileiro Gleison Tibau levou a 3ª luta seguida na categoria. Ele venceu o norte-irlandês Norman Parke por decisão dos juízes.

Com a vitória, Tibau se tornou o 3º maior vencedor da história do Ultimate, com 16 conquistas, atrás apenas de Matt Hughes (18) e Georges St-Pierre (19).

Cerrone vence Henderson

Em outro grande duelo da noite, Donald Cerrone venceu Benson Henderson por decisão unânime dos juízes. Henderson não gostou do resultado.

Já o “Cowboy” se fez de bom moço, agradeceu a oportunidade de lutar em dois eventos seguidos (ele lutou no UFC 182, quinze dias) e pediu mais lutas. “Meu trabalho é apenas lutar, não julgo as lutas”, afirmou.

*Com  informações do UFC

08:50 · 15.01.2015 / atualizado às 08:52 · 15.01.2015 por
O nordestino espera fazer pelo menos quatro lutas neste ano (Foto: Reprodução Facebook)
O nordestino espera fazer pelo menos quatro lutas neste ano (Foto: Reprodução Facebook)

O brasileiro Gleison Tibau volta ao octógono do UFC no próximo domingo (18), em Boston (EUA), contra o inglês Norman Parke. A luta não servirá apenas para Tibau manter a sequencia de duas vitórias, mas também para o peso-leve ficar mais próximo de um outro objetivo pessoal: ser o recordistas em lutas no Ultimate, maior evento do MMA do planeta.

Brasileiro que mais vezes atuou pela organização, Tibau precisa lutar pelo menos quatro vezes para igualar a marca do americano Tito Ortiz, que entrou no octógono 27 vezes e é o atual recordista. Aos 31 anos e em plena forma física, ele garante que o recorde será batido ainda em 2015.

“É o ano do recorde com certeza. Esse ano de 2015 vou trabalhar minha cabeça, meu psicológico e meu fisico para fazer quatro ou cinco lutas. Se não acontecer nenhum acidente de lesão, estarei pronto para cinco lutas esse ano. Isso eu garanto”, disse o lutador em entrevista ao Combate.com.

Gleison Tibau tem um cartel de 32 vitórias e 10 derrotas. O ano de 2014, como já é de costume, foi bastante movimentado e, ao mesmo tempo, vitorioso.

Nos dois combates que fez, o lutador nordestino venceu Pat Healy, por decisão unânime, em julho, e Piotr Hallmann, por decisão dividida, em setembro do ano passado. O marca de Tibau poderia ter sido até maior, se não fosse a lesão que sofreu em março, antes de lutar em casa, no UFC Natal.

13:34 · 04.12.2014 / atualizado às 13:36 · 04.12.2014 por
Este será o 24º combate do brasileiro no UFC (Foto: Divulgação Facebook)
Este será o 24º combate do brasileiro no UFC (Foto: Divulgação Facebook)

O peso leve Gleison Tibau já tem data definida para retornar ao octógono do UFC. Brasileiro com mais lutas pela organização, Tibau enfrentará o inglês Norman Parke, no dia 18 de janeiro, em Boston. A informação foi divulgada pelo Combate.com.

O lutador de 31 anos vai para o seu 24º combate no UFC. Tibau tem um cartel de 31 vitórias e 10 derrotas, no mundo da luta.

Seu adversário, Norman Parke, tem 27 anos e possui 20 triunfos, dois reveses e um empate na carreira. Ele tem cinco confrontos pelo Ultimate, tendo vencido quatro deles e empatado com o brasileiro Léo Santos.

Card de peso

Além de Tibau x Norman Parke, o evento vai contar com o duelo entre o polêmico irlândes Conor MacGregor e o russo Dennis Siver. Já no co-evento da noite, o ex-campeão peso leve Ben Henderson encara o americano Eddie Alvarez.

17:41 · 12.09.2014 / atualizado às 17:47 · 12.09.2014 por
Pezão e Andrei Arlovski farão a luta principal da  noite (Reprodução facebook)
Pezão e Andrei Arlovski farão a luta principal da noite (Reprodução facebook)

Após 9 meses longe, Antonio “Pezão” Silva está pronto para subir novamente ao octógono do UFC. Escalado para enfrentar o bielorrusso Andrei Arlovski na luta principal do UFC Brasília, o brasileiro passou com louvor pela balança e bateu o peso da categoria dos pesados (até 119,7kg). Seu adversário pesou 112,5kg e também confirmou seu nome no combate.

Os pesos pesados fizeram uma encarada séria e, em seguida, Pezão falou sobre a luta. “Estou me sentindo muito bem, e amanhã vocês vão ver uma vitória! Treinei para todas as ocasiões, treinei de tudo para fazer um grande show e não importa como for, o que importa é sair com a vitória!”, disse otimista o lutador.

Os demais lutadores que participarão do UFC Brasília também conseguiram bater o peso, com destaque para os pesos leves Gleison Tibau e Piotr Hallmann que farão o coevento da noite. O brasileiro que mais lutou na organização (22 vezes) ficou no limite da categoria (70,8kg), enquanto seu rival somou 70,3kg.

Cearense bate peso e confirma luta

O único cearense escalado para o evento, Godofredo Pepey, bateu o peso da categoria peso-pena, com 66,2kg. Seu rival, o americano Dashon Johnson, pesou 66,2kg. Os lutadores farão a 5ª luta do card preliminar.

Confira os pesos registrados por cada competidor:

CARD PRINCIPAL

Peso-pesado (até 120,7kg): Antônio Pezão (119,7kg) x Andrei Arlovski (112,5kg)
Peso-leve (até 70,8kg): Gleison Tibau (70,8kg) x Piotr Hallmann (70,3kg)
Peso-leve (até 70,8kg): Léo Santos (70,3kg) x Efrain Escudero (70,8kg)
Peso-meio-médio (77,6kg): Santiago Ponzinibbio (77,6kg) x Wendell Negão (77,1kg)
Peso-galo (até 61,7kg): Iuri Marajó (61,7kg) x Russell Doane (61,7kg)
Peso-galo (até 61,7kg): Jessica Andrade (60,8kg) x Larissa Pacheco (61,7kg)

CARD PRELIMINAR

Peso-pena (até 66,2): Godofredo Pepey (66,2kg) x Dashon Johnson (66,2kg)
Peso-meio-médio (até 77,6kg): Igor Araújo (77,6kg) x George Sullivan (77,6kg)
Peso-leve (até 70,8kg): Francisco Massaranduba (70,3kg) x Leandro Buscapé (70,8kg)
Peso-meio-médio (até 77,6kg): Paulo Thiago (77,6kg) x Sean Spencer (77,1kg)
Peso-galo (até 61,7kg): Rani Yahya (61,7kg) x Johnny Bedford (61,7kg)

09:16 · 17.07.2014 / atualizado às 09:25 · 17.07.2014 por
Gleison Tibau voltou a vencer no UFC em decisão unânime dos jurados (Foto divulgação UFC)
Gleison Tibau voltou a vencer no UFC em decisão unânime dos jurados (Foto divulgação UFC)

A noite de Atlanta fez bem aos brasileiros, na quarta-feira (16), no UFC Fight Night Cerrone x Miller. Dos sete que subiram no octógono mais famoso do mundo, cinco deixaram o cage com o braço erguido. No combate principal, o leve  norte-americano Donald Cerrone nocauteou o compatriota Jim Miller, no segundo assalto, com um chute certeiro na cabeça.

Entre os brasileiros, destaque para a vitória da estreante Cláudia Gadelha. Pelo peso palha  feminino, ela derrotou Tina Lahdemaki, por decisão unânime.  Outro que voltou a sorrir foi Gleison Tibau. Ele venceu Pat Healy também por pontos, de forma unânime. Já Lucas Mineiro nocauteou o pena norte-americano Alex White, no terceiro assalto. Mesmo resultado de John Lineker. O mosca brasileiro mais conhecido como “Mão de Pedra” pôs à lona o valente turco Alpetkin Ozklilic.  Edson Barboza também fez bonito. Ele derrotou Evan Dunham após um chute violentíssimo, que até pegou de raspão, no estômago do norte-americano, que não conseguiu prosseguir no combate.

Os dois revezes brasileiros ficaram por conta de Hugo Wolverine. Ele enfrentou Aljamain Sterling e  sofreu nocaute técnico no terceiro assalto; e Leonardo Macarrão, que encarou o experiente Rick Story. O norte-americano finalizou o brasileiro com um katagatame ainda  no primeiro assalto.

 

O cowboy Donal Cerrone nocauteou Jim Miller na luta principal (Foto: Divulgação UFC)
O cowboy Donal Cerrone nocauteou Jim Miller na luta principal (Foto: Divulgação UFC)
15:18 · 16.07.2014 / atualizado às 15:25 · 16.07.2014 por
Tibau tentará sentir novamente o gostinho da vitória no UFC (Foto: Divulgação)
Tibau tentará sentir novamente o gostinho da vitória no UFC (Foto: Divulgação)

Gleison Tibau ainda não engoliu o primeiro nocaute na carreira sofrido na última luta contra Michael Johnson. Para apagar esse passado recente e pedir uma revanche contra o seu algoz, o brasileiro com maior número de combates na história do UFC pretende vencer Pat Healy, nesta quarta-feira, (16), no UFC Fight Night Cerrone x Miller, em Atlanta, a partir da 19h30 (horário de Brasília).

“Ganhando essa luta, tenho muita vontade de uma revanche contra o Michael Johnson porque sei que sou melhor que ele. O golpe entrou e ele deu sorte. Fiquei muito tempo martelando essa derrota e um dia quero enfrentá-lo de novo”, disse Tibau ao Blog Vai Encarar. O combate principal da noite será enre Donald Cerrone e Jim Miller, sexto e sétimo do ranking dos Leves, respectivamente.

O experiente lutador potiguar disse que buscou melhorar a parte de trocação nos últimos meses. “Falei para a minha equipe que quero melhorar meu boxe e muay thai para me sentir melhor em pé. Não vou procurar derrubar, vou buscar a luta em pé porque sei da minha evolução nessa parte. Tenho que encaixar meu jogo na luta e procurar o nocaute”, revelou.

Apesar de respeitar muito o adversário, Tibau acredita que vai por o oponente em dificuldades. “Sei que o Healy é um adversário difícil, mas estou muito bem treinado e vou com tudo para cima dele. Assim como eu, ele tem o grappling como ponto forte. Estou evoluindo de pé, trocando melhor, e confio muito no meu wrestling e jiu-jitsu. Nunca me esqueço deles, treino muito essas partes também, então estou pronto para lutar de qualquer jeito que o combate se desenrolar”, completou.

 

 

23:26 · 28.12.2013 / atualizado às 23:31 · 28.12.2013 por

Era uma noite especial para o nordestino Gleison Tibau. Aos 30 anos de idade, ele entrou no octógono do MGM Grand Garden Arena para fazer sua 21ª luta no UFC. Ele só não contava, todavia, com o boxa afiado do norte-americano Michael Johnson.

Após um primeiro assalto de domínio do adversário, que frustrou as tentativas de queda do potiguar, Gleison foi pego na trocação franca no segundo assalto por um cruzado que o levou ao chão já desacordado.

“Estava confortável no primeiro round. Mas no segundo round, na verdade eu nem vi o golpe. Trocação franca, entrou um golpe dele. Fatalidade. Eu lamento. Desculpe aí os brasileiros”, falou Tibau, após o combate em entrevista ao Combate.

Tibau sofreu nocaute no segundo round (Foto: Divulgação UFC)
Tibau sofreu nocaute no segundo round (Foto: Divulgação UFC)

10:08 · 01.09.2013 / atualizado às 10:27 · 01.09.2013 por
Anthony Pettis é o novo detentor do cinturão dos Leves (Foto: UFC Divulgação)
Anthony Pettis é o novo detentor do cinturão dos Leves (Foto: UFC Divulgação)

Quem disse que o raio não cai no mesmo lugar duas vezes terá que mudar seus conceitos em relação ao duelo entre Anthony Pettis e Benson Henderson. O “Showtime”, como é conhecido Pettis, mais uma vez mostrou ser a mosca na sopa do compatriota e ex-campeão dos Leves.

Diferente do combate anterior valendo pelo cinturão do extinto WEC, quando Pettis vencera por pontos, ele precisou, desta vez,  apenas do primeiro round para ganhar o cinturão da categoria, em combate válido pelo UFC 164, em sua terra natal, Milwaukee, nos Estados Unidos.

Henderson sofreu uma sequência de chutes antes de ser finalizado no armlock (UFC Divulgação)
Henderson sofreu uma sequência de chutes antes de ser finalizado no armlock (UFC Divulgação)

Embalado pela torcida, o Showtime partiu para cima do “Menino Lobo”, que procurou o jogo de agarrado para evitar a ótima trocação do desafiante. Com dificuldades, Pettis foi, aos poucos, conseguindo se desvincilhar das pegadas de Bendo, que levou uma sequência de chutes na linha de cintura. “Minha estratégia era andar sempre pra frente. Quando recuei, ele me pegou”, analisou o ex-campeão.

Bendo acusou os golpes no corpo e realmente passou a andar para trás até que Pettis conseguiu finalizá-lo com uma chave de braço quando restavam poucos segundos para terminar o assalto. “Estou muito feliz em lutar em casa. Joe Silva, atenção: José Aldo, acho que nós temos um negócio a resolver”, desafiou o, agora, campeão dos Leves, o matchmaker do Ultimate a marcar a luta contra o brasileiro, campeão dos Penas.

Octagon girls, Arianny Celeste e Brittney Palmer chamaram a atenção com novo modelito em Milwaukee (UFC Divulgação)
Octagon girls, Arianny Celeste e Brittney Palmer chamaram a atenção com novo modelito em Milwaukee (UFC Divulgação)

De quebra, o novo campeão ainda levou o bônus de melhor finalização da noite. As demais premiações de nocaute e melhor luta ficaram, respectivamente, com Chad Mendes sobre Clay Guida, que nunca havia sido nocauteado; e Hyun Gyu Lim e Pascal Krauss.

Várias celebridades das lutas estiveram presentes para ver de perto a revanche entre os Leves. Cain Velasquez, Daniel Cormier, Matt Hughes e Urijah Faber estavam entre os mais animados. As ring girls Arianny Celeste e Brittney Palmer também inovaram com nova roupa patrocinada pela Harley Davidson.

Gleison Tibau

Apenas um brasileiro entrou em ação no sábado de bons combates em Milwaukee. Mas não foi qualquer um. O potiguar Gleison Tibau se tornou o representante do Brasil a mais fazer lutas no UFC. Foram 20 combates completados contra Jamie Varner pela categoria dos Leves.

O combate, porém, foi bastante equilibrado, com margem para decisão divida dos juízes. Ttibau ganhou claramente o segundo round quando impôs seu jogo de chão, mas  terceiro assalto foi ganho por Varner. O primeiro round, o mais equilibrado de todos, foi decisivo na avaliação dos juízes. Pesou uma queda do brasileiro sobre o adversário.

Queda imposta por Gleison Tibau ainda no primeiro round foi decisiva para vitória do brasileiro em duelo equilibrado contra Jamie Varner (Foto: UFC Divulgação)
Queda imposta por Gleison Tibau ainda no primeiro round foi decisiva para vitória do brasileiro em duelo equilibrado contra Jamie Varner (Foto: UFC Divulgação)

Veja todos os resultados:

Card principal
Anthony Pettis finalizou Ben Henderson;
Josh Barnett venceu Frank Mir por nocaute técnico;
Chad Mendes derrotou Clay Guida por nocaute técnico;
Ben Rothwell ganhou de Brandon Vera por nocaute técnico;
Dustin Poirier derrotou Erik Koch por decisão unânime

Card preliminar
Gleison Tibau bateu Jamie Varner na decisão dividida dos juízes;
Tim Elliot derrotou Louis Gadinot por decisão unânime dos juízes;
Huyn Gyu Lim ganhou de Pascal Krauss por nocaute técnico;
Chico Camus venceu Kyun Ho Kang por decisão unânime dos juízes;
Soa Palelei bateu Nikita Krylov por nocaute técnico;
Al Iaquinta derrotou Ryan Couture por decisão unânime dos juízes;
Magnus Cedenbland finalizou Jared Hamman com uma guilhotina

07:05 · 29.08.2013 / atualizado às 07:05 · 29.08.2013 por

UFC

Recordista deseja viver em Fortaleza

Nordestino vai bater o recorde entre os brasileiros em número de lutas no UFC, no próximo sábado

Quando entrar no octógono, próximo sábado, nos Estados Unidos, pelo UFC 164, o potiguar Gleison Tibau será o brasileiro com mais combates no Ultimate. Serão 20 lutas, ao todo.

Gleison venceu 12 e perdeu sete vezes desde a sua estreia no Ultimate, em 2006 FOTO: INOVAFOTO

O nordestino de 29 anos de idade revela ser muito mais do que ele esperava nos sonhos antes de iniciar na carreira, porém, também antecipa que pretende ir além: “pela primeira vez, estou com vontade de conquistar o cinturão, não só fazer boas lutas. Quero me aposentar só depois de oito ou nove anos e, então, vir morar em Fortaleza, para por em prática meu projeto de revelar novos talentos”, conta.

A proximidade com a cidade de Tibau (RN), que lhe rendeu o apelido, é o principal motivo da escolha pela capital cearense. “Prefiro morar em Fortaleza porque é próximo da minha terra, que fica na divisa com o Ceará, e tem uma estrutura excelente para por em prática meu projeto”.

American Top Team

O lutador já começou um projeto com o cearense Mardone Sampio, na Parangaba, na construção de uma unidade da American Top Team, em Fortaleza; mas resolveu suspender a ideia por tempo indeterminado. “Estou 100% focado como nunca estive na carreira. Esse recorde me motivou a querer algo que eu nunca quis: o cinto. Por isso, dei uma freada nos projetos paralelos”, confirma.

Gleison não esconde a estratégia que tentará impor contra o também experiente Jamie Varner, adversário no próximo sábado. “Ele tem um bom boxe e derruba bem. É nocauteador. Mas encontrei brechas no jiu-jítsu. Vou buscar a finalização”.

Conselho

Sobre a surpreendente marca que está prestes a alcançar, Tibau assegura que é porque sempre fez boas lutas, independentemente de ter vencido ou perdido. “Entrar no UFC é fácil. Se manter lá dentro é que é difícil. Sempre lutei empolgado e com vontade de evoluir. Sempre tentando inovar a cada combate”, diz, como uma espécie de conselho para os recém-contratados.

ILO SANTIAGO JR.