Busca

Tag: judô


16:23 · 22.06.2017 / atualizado às 17:02 · 22.06.2017 por

O Shopping Parangaba sedia neste domingo (25) o Festival de Judô infantil e as seletivas para os brasileiros Sub 13 e Sub 15. O evento é realizado pela Confederação Cearense de Judô, em parceria com o empreendimento, e tem início às 11h.

Os vencedores das classificações sub 13 e sub 15 estarão com vaga garantida no Campeonato Brasileiro, que acontece em Salvador (BA), no centro de treinamento da Confederação Brasileira de Judô.

Para o presidente da Confederação Cearense de Judô (FECJU), Cardoso Neto, a prática do esporte molda o caráter, trabalha muito além da atividade física, e contribui com a formação de crianças e adolescentes. “Nas aulas trabalharmos o caráter, respeito, disciplina e hierarquia. É filosofia de vida. Temos muitos exemplos de pessoas que tiveram melhorias no comportamento, e inclusive no rendimento escolar”, diz.

Ainda segundo o presidente, desde cedo os atletas trabalham a superação, e noção de vitórias e derrotas, e respeito ao seu adversário.

 

SERVIÇO:

Festival de Judô infantil e as seletivas para os brasileiros Sub 13 e Sub 15

Data: Domingo, 25 de junho.

Onde: Shopping Parangaba (Rua Germano Franck, 300, Parangaba)

Horário: 11 horas.

17:16 · 24.11.2015 / atualizado às 17:16 · 24.11.2015 por
Miesha diz que está pronta para retomar cinturão (Reprodução)

A derrota de Ronda Rousey para Holly Holm, no último dia 14, esquentou a rivalidade no mundo do UFC. Isso porque a maior rival da ex-campeã, Miesha Tate estava cotada para enfrentar a “loira” pela terceira vez na carreira, mas teve seus planos frustrados pelo Ultimate, que colocou Holm na disputa de título.

Agora, Miesha acredita que chegou sua vez de lutar pelo cinturão peso-galo feminino novamente, já que a ex-judoca foi derrotada pela primeira vez e ficará de fora do octógono por um bom tempo, devido a uma cirurgia na face.

Tate, que vem de quatro vitórias consecutivas pelo UFC e afirmou, em entrevista ao site da Fox Sports dos Estados Unidos, que um duelo contra Holly Holm faria sentido, devido à sua posição no ranking das melhores atletas da divisão – está atrás apenas de Holly e da ex-campeã Ronda.

“Por que eu acho que uma luta entre mim e a Holly faz total sentido? Por alguns motivos: 1- nunca lutei com a Holly antes; 2- eu era a maior desafiante da Ronda até que Holly apareceu e, obviamente, já provei que sou um destaque na divisão, assim como Holly. Se a Holm me vencer, a grande revanche contra Ronda Rousey fará ainda mais sentido, mas se eu a vencer, estarei com cinco vitórias seguidas e terei derrotado quem venceu a Ronda. Não haveria outro duelo que não o meu contra Ronda depois. Acredito que essa luta se vende sozinha”, declarou a ex-campeã.

“O fato é que ela (Ronda Rousey) vai ficar fora por muito tempo e estou pronta, e eu acho que Holly também está. Então, vamos realizar essa luta nesse tempo. Quando Ronda voltar, ela vai ter uma campeã de qualidade para enfrentar, seja eu ou a Holly”, encerrou Miesha.

Carreira

Miesha Tate disputou o cinturão da categoria em 30 de julho de 2011. Ela enfrentou Marloes Coenen e acabou vencendo após encaixar um triângulo no quarto round, sagrando-se a campeão Peso Galo Feminino.

Logo em sua primeira defesa de cinturão, Tate enfrentou a medalhista olímpica de judô, Ronda Rousey. A luta terminou no final do primeiro round com Ronda finalizando Miesha com uma chave de braço.

Tate também enfrentou Sara McMann em 31 de Janeiro de 2015 no UFC 183 e a venceu por decisão unânime. Ela também derrotou Jessica Eye em 25 de Julho deste ano no UFC on Fox: Dillashaw vs. Barão II por decisão unânime. A americana era esperada para enfrentar a brasileira Amanda Nunes no próximo dia 12 de Dezembro, no UFC 194, mas rejeitou a luta por descontentamento com o UFC.

09:15 · 09.09.2015 / atualizado às 09:16 · 09.09.2015 por
O Projeto Arte Suave é realizado pelos soldados Cavalcante e Holanda, ambos lotados na 1ªCia/1ºBPCom (Foto: SSPDS)
O Projeto Arte Suave é realizado pelos soldados Cavalcante e Holanda, ambos lotados na 1ªCia/1ºBPCom (Foto: SSPDS)

Alunos do Projeto Arte Suave, Projeto social da Polícia Militar, participaram da Copa Búfalo Branco Dojô Águia de Judô, no Ginásio do Serviço Social do comércio (SESC), no Centro de Fortaleza. Na competição, que contou com a participação de todas as Associações de Judô do Estado do Ceará, oito alunos do projeto da PM conquistaram medalhas.

O Soldado Cavalcante, faixa preta de jiu-jítsu, e um dos coordenadores do projeto, parabenizou os lutadores pelos resultados. “Todos os participantes estão de parabéns, não só pelo desempenho na competição, mas por superarem os seus medos, acreditarem nas palavras do seu professor, e principalmente por aprenderem que no esporte não existe classe social, cor, religião, mas sim raça e superação’’, disse o policial.

O Projeto Arte Suave é realizado pelos soldados Cavalcante (faixa-preta de jiu-jítsu) e Holanda (faixa-verde de judô), ambos lotados na 1ªCia/1ºBPCom, onde os policiais militares ministram aulas de Judô e Jiu Jitsu em uma sala equipada na sede da própria Companhia. Cerca de 80 crianças e adolescentes da Comunidade do Campo do América, no bairro Meireles, em Fortaleza, participam do projeto.

Segundo a Polícia Militar, além de formar futuros atletas, o principal objetivo do Arte Suave é ser uma ferramenta de inclusão social para essas crianças e adolescentes, bem como, a partir da doutrina das Artes Marciais para afastar esses jovens das drogas e da violência. Para fazer parte do projeto o aluno devem estar devidamente matriculados e frequentando a escola, bem como estar com boas notas e com bom comportamento.

12:38 · 29.08.2014 / atualizado às 12:38 · 29.08.2014 por
Esta é a quarta medalha de Mayra em Mundiais, mas a primeira de ouro (Foto: Divulgação/CBJ)
Esta é a quarta medalha de Mayra em Mundiais, mas a primeira de ouro (Foto: Divulgação/CBJ)

A gaúcha Mayra Aguiar, de 23 anos, conquistou nesta sexta-feira (29), na categoria meio-pesado feminina (até 78 kg), a primeira medalha de ouro do Brasil no Mundial de judô de Cheliabinsk, na Rússia. Bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, Mayra ganhou o ouro ao derrotar a francesa Audrey Tcheumeo na final graças a um wazari com um minuto e 40 segundos de luta.

Na semi, a brasileira havia derrotado a sua maior rival, a americana Kayla Harrison, campeã olímpica em 2012. Ela havia conquistado a prata em Tóquio, no Japão, em 2010, e o bronze em Paris-2011 e Rio-2013. Com isso, ela se torna a brasileira com mais medalhas na competição.

Mayra é a segunda judoca do país a subir no pódio no Mundial de Cheliabinsk. Na terça-feira (26), Érika Miranda levou o bronze na categoria meio-leve (até 52kg).

Tiago Camilo decepciona

O paulista Tiago Camilo, de 32 anos, grande esperança de medalha para o Brasil no Mundial, decepcionou ao ser eliminado logo na estreia do torneio. Ouro no Mundial do Rio-2007, prata nos Jogos Olímpicos de Sydney-2000 e bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008, Tiago perdeu para o sérvio Dmitri Gerasimenko ao ser projetado por yuko com cerca de dois minutos de combate. Depois, o brasileiro não conseguiu reagir.

“Ele conseguiu pontuar no primeiro minuto de luta e depois bloqueou minha pegada. Não tive como reverter a situação. Fico muito triste por ter perdido na primeira luta e mais ainda por não ter feito o que tinha traçado: buscar uma medalha”, disse Tiago.

Com informações da Folhapress

10:47 · 21.08.2014 / atualizado às 10:47 · 21.08.2014 por
Rodrigo Minotauro esteve presente na última graduação da academia (Foto: Holanda Júnior)
Rodrigo Minotauro esteve presente na última graduação da academia (Foto: Holanda Júnior)

A Team Nogueira realiza, no próximo sábado (23), exame de graduação para todas as artes marciais ministradas na academia. Ao todo, mais de 100 alunos farão teste de nível, entre as modalidades Karatê, jiu-jitsu, Krav Magá, Taekwondo, judô, Ladies Camp, boxe e muay thai.

Na oportunidade, a Team Nogueira fará, também, uma homenagem à Cruz Vermelha do Ceará pelo trabalho que vem sendo realizado no Estado. O Fortaleza Esporte Clube, representado pelo diretor de marketing, Fábio Mota, estará representando o clube, devido à parceria que de patrocínio a atletas que foi fechada entre as instituições.

O atleta Danilo Mota, um dos detentores do cinturão do Limo Fight, também estará presente na graduação.

14:25 · 10.04.2014 / atualizado às 14:29 · 10.04.2014 por

O Ceará aproveitou o fato de competir em casa e ficou com o troféu de campeão do Campeonato Brasileiro da Região I de 2014 ao faturar 66 medalhas, sendo 20 de ouro. A vitória dos judocas cearenses no Ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza, quebra uma hegemonia do Pará, tetracampeão do torneio. As súmulas das classes disputadas neste domingo, bem como o quadro de medalhas e o resultado individual de cada categoria podem ser conferidas nos arquivos em anexo.

A disputa pelo título foi muito acirrada. Ceará e Piauí conquistaram 20 ouros mas os piauienses ficaram em segundo lugar por ter menos medalhas de prata. Foram 24 pratas para os cearenses e 11 para os piauienses. O Pará, mesmo tendo faturado mais medalhas no somatório geral – 69 –, ficou na terceira colocação por ter conquistado 19 medalhas de ouro, apenas uma a menos do que o Ceará e o Piauí. O Maranhão conquistou 17 medalhas de ouro e ficou em quarto. Fechando a classificação, ficaram os judocas do Amapá com quatro medalhas de ouro e quarenta no total.

Átila Cardoso, presidente da Federação Cearense de Judo, ergue a taça do Brasileiro Região I (Fonte: reprodução facebook)
Átila Cardoso, presidente da Federação Cearense de Judo, ergue a taça do Brasileiro Região I (Fonte: reprodução facebook)

Ao todo, 511 atletas disputaram medalhas em 16 categorias (superligeiro, ligeiro, meio leve, leve, meio médio, médio, meio pesado e pesado) nas classes Sub 13, Sub 15, Sub 18, Sub 21 e Sênior. Criados na atual gestão da Confederação Brasileira de Judô, os Regionais são classificatórios para os Campeonatos Brasileiros Finais, os “Brasileirões”, nas cinco classes.

Fonte: Assessoria de imprensa da Confederação Brasileira de Judô (CBJ)

15:02 · 18.12.2013 / atualizado às 15:03 · 18.12.2013 por

A cearense Érika Moraes mostrou que está no trilho certo rumo ao sonho de disputar os jogos olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. Com apenas 18 anos de idade, ela conseguiu ficar entre as quatro melhores judocas da categoria até 63kg na primeira vez que uma cearense participou de uma seletiva olímpica, no último fim de semana, na cidade maravilhosa.

Cearense de 18 anos renova esperanças de estar nos Jogos do Rio 2016 (Foto: Divulgação Fecju)
Cearense de 18 anos renova esperanças de estar nos Jogos do Rio 2016 (Foto: Divulgação Fecju)

O desempenho de Érika chamou a atenção dos treinadores da Confederação Brasileira de Judô e lhe rendeu a convocação para treinar com a elite do judô brasileiro na Rússia entre os dias 19 de janeiro e 5 de fevereiro do ano que vem.

Para o presidente da Federação Cearense de Judô, Átila Cardoso, a convocação e o desempenho de Erika Moraes ampliaram as chances dela de concretizar o sonho de ter uma cearense defendendo o País nos jogos olímpicos em breve. “Os treinamentos com a seleção são mais importantes do que a própria seletiva no momento. Irão analisar se ela consegue acompanhar a equipe. Se isso acontecer só vai depender dela!”, fala Átila, entusiasmado com o progresso da judoca.

 

16:52 · 16.09.2013 / atualizado às 16:52 · 16.09.2013 por
Érika Ferreira ao lado do cartaz foi a única representante nordestina na competição (Foto: Divulgação)
Érika Ferreira ao lado do cartaz foi a única representante nordestina na competição (Foto: Divulgação)

A cearense Érika Ferreira é uma das promessas do judô brasileiro. Com apenas 17 anos, ela já figura na seleção nacional sub-21 e vem acumulando conquistas e experiência para quem sabe chegar a uma olimpíada. No último fim de semana, ela seguiu sua trajetória de vitórias ao conquistar o título por equipes dos Jogos Estudantis de Judô do Reino Unido.

A competição foi realizada na cidade de Sheffield, na Inglaterra. Érika lutou na categoria até 63kg e subiu no lugar mais alto do pódio ao lado da equipe formada por  Larissa Farias (48kg),  Isadora Pereira (70kg), Ariel Alencar (60kg), Luís Nogueira Filho (73kg) e Guilherme Melo (90kg).

A única representante do Nordeste no torneio agora se prepara para treinar em Santa Catarina, quando retornar da Grã-Bretanha. Ela vai se reunir com os demais integrantes da seleção brasileira sub 21 de olho em competições ainda mais importantes.

 

18:09 · 30.08.2013 / atualizado às 18:28 · 30.08.2013 por
Mayra Aguiar vibra após conquista da medalha de bronze (Foto: Reuters)
Mayra Aguiar vibra após conquista da medalha de bronze (Foto: Reuters)

As mulheres do Brasil estão fazendo bonito no Mundial de Judô no Rio de Janeiro.  Desta vez, foi Mayra Aguiar. Ela conquistou o bronze, nesta sexta-feira, 30, em um combate emocionante contra a canadense Roberge .

Depois de ter perdido a chance de disputar a medalha de ouro, após a derrota para a holandesa Marhinde Verkerk,  na categoria meio-pesado (até 78kg), ela se recuperou na repescagem. Embalada pelo público brasileiro, Mayra conseguiu um ippon sobre a adversária quando restava pouco mais de um minuto para o fim da luta.

A brasileira conquistou mais uma medalha em mundiais. Mayra,  que é  primeira no ranking da categoria, não se mostrou decepcionada pelo bronze. Chorando muito, ela sequer conseguiu dar entrevista ao fim do combate.

 

 

17:16 · 28.08.2013 / atualizado às 17:35 · 28.08.2013 por
Brasileira Rafaela Silva fez história no judô (Foto: Reuters)
Brasileira Rafaela Silva fez história no judô (Foto: Reuters)

Demorou, mas chegou. Após três dias de competições e duas medalhas de prata das judocas brasileiras, Rafaela Silva finalmente conquistou o topo do mundo ao vencer a americana Marti Malloy por ippon, na categoria até 57kg.

A final durou menos de um minuto. Até ela imobilizar a norte-americana.  Logo no primeiro movimento Rafaela forçou a adversária a sofrer uma punição (shido).

Emocionada com a vitória,  ela agradeceu o apoio do público, que vibrou após a vitória histórica. “O último Mundial bateu na trave, entrei dessa vez para levar a medalha na minha casa, na minha cidade. Eu não podia deixar meu braço esticado e nem para o chão. No Pan-Americano por equipes, perdi para ela no chão. Pensei: “vou entrar, vou ficar bem justa”. Eu vi que ela caiu, mas, no momento, do jeito que ela caiu, tentei pegar o braço. Olhei para a mesa, e o árbitro resolveu dar o ippon” – disse Rafaela em entrevista ao SporTV, ainda sem acreditar no que tinha feito dentro do tatame.