Busca

Tag: UFC Fortaleza


21:37 · 17.06.2013 / atualizado às 21:37 · 17.06.2013 por
Fotos: Lucas de Menezes
Fotos: Lucas de Menezes

A curiosidade acompanha os meus passos durante todo o meu trabalho e é ressaltado principalmente quando sou estreante em algo específico da minha profissão, como presenciar pela primeira vez um evento de MMA. É completamente diferente de assistir pela televisão. Quando estamos no conforto de casa, o sofá acalenta o corpo e os intervalos entre as lutas por vezes faz o sono chegar quando não queremos. O contrário acontece ao vivo, o calor do momento faz o público esquecer que existe um tempo entre cada embate e entre o card preliminar e principal. Tudo é tão intenso que o tempo voa e o sono mal aparece, no máximo um cansaço por ter trabalhado o dia inteiro e estar desperto na boca da madrugada.

Não sei qual o visual dos outros eventos pelo Brasil, mas diferente dos campeonatos cearenses que estou acostumada a presenciar, as camisas não separavam as arquibancadas no Ginásio Paulo Sarasate. Nada de alvinegros e tricolores, o público torcia pelo verde e amarelo. Quando ambos os lutadores eram brasileiros, o público apenas apreciava a técnica dos golpes no octógono que, pela primeira vez, era mostrada ao vivo fora da televisão no Nordeste.

Depois de levar alguns de seus lutadores para o Ultimate Fighting Championship (UFC), finalmente a capital cearense fez-se palco para receber de volta os seus talentos. Três subiram para conseguir vencer em casa, mas apenas dois conseguiram. O momento mais marcante foi de Rony Jason. Não foi a luta em si e, sim, a emoção que se fez presente antes, durante e depois da sua vitória.

Ao aparecer para o seu duelo, todos da arquibancada e das cadeiras marcadas colocaram-se em pé e gritaram o nome do cearense. Mesmo patrocinado pelo clube de futebol Fortaleza, todos aplaudiram por ele ser um de nós, um de nossa terra. Esqueceram qualquer rivalidade do outro esporte e fizeram barulho. Foi tão bonito quanto às homenagens costumeiras de torcidas organizadas, como naquele ápice o qual o bandeirão desce e rojões luzes são acesos por toda a arquibancada. A emoção foi a mesma.

Sem bola na rede

Durante todo o evento, comparei o comportamento das pessoas a um jogo de futebol. Posso dizer que preferi o público presente no UFC. Não houve brigas, confusões, nem ao menos uma sensação de que isso iria ou poderia acontecer em algum momento do dia. Na arquibancada, ao contrário do estádio no qual temos que implorar, discutir ou – alguns fazem – partir para a ignorância de pedir para se sentarem para os sentados atrás poderem ver, todos ficavam comportados em seus acentos. Quando alguém insistia em ficar em pé, um apenas pedia com delicadeza e logo era atendido.

Quanto a entrada e saída, bem antecedência é bom em qualquer circunstância para garantir uma boa vaga de estacionamento e um acento melhor posicionado. No entanto, no caso da saída, UFC é diferente de futebol. Não tem problema nos últimos minutos de acréscimo, pode haver um gol inesperado, mas pouco muda nos minutos finais de jogo. Porém, é impossível sair antes da luta terminar.

Primeiro: cada luta que acontece no evento é única e sair antes do fim é garantia de perder o prato principal da noite que, lógico, é deixado para o final. Segundo: não existe tempo cronometrado para terminar. Então, não vale a pena sair se a luta pode terminar no milésimo seguinte e pôr a perder a técnica de sair antes de terminar para garantir táxi ou nada de trânsito. Por isso, relaxe e aproveite todo o evento sem pensar no pós-luta. Senão, não terá compensado o alto investimento do ingresso se você sair antes de, por exemplo, tiver visto Werdum enfrentando o Minotauro.

image(7)Ofegantes e ainda simpáticos

Mesmo suado e com as pernas bambas, os vencedores da noite não podiam sentar e descansar. Todos eles tinham um caminho único: a sala de imprensa. Assim como eu, outros jornalistas deixavam o prazer de assistir da plateia do Ginásio para acompanhar as lutas pelo canal Combate e estar disponível quando os atletas adentrassem a área para as entrevistas.

Como uma presa indefesa, todos eles sofriam o bote dos jornalistas, que atacavam com perguntas e mais perguntas sobre a luta recém enfrentada de cada um deles. Ainda que esbaforidos e com o corpo latejando, todos respondiam de maneira simpática cada uma das questões apresentadas a eles. O primeiro ganhador da noite e estreante do UFC, Antônio Braga Neto, por exemplo, veio com um algodão no nariz e apenas com flashs da luta em sua memória. Quando questionado sobre por que lambeu suas luvas após vencer, ele riu e disse “Eu fiz isso”, com um humor que nem parecia ter lutados minutos atrás.

Estar presente nesse momento posterior a luta é participar da felicidade de cada um dos lutadores que, na sua maioria, oferecem a sua vitória às mães e namoradas, sempre de maneira muita emocionada e agradecidos. É poder ver de perto que os treinos, as dietas, tudo, valeu a pena por mais essa vitória. É conseguir ter a chance de dizer parabéns ou outras palavras que muitos torcedores gritaram de seus lugares no Ginásio.

11:18 · 17.06.2013 / atualizado às 19:30 · 17.06.2013 por
Júnior Cigano é brasileiro em melhor colocação no ranking dos pesados do Ultimate (Foto: Natinho Rodrigues)
Júnior Cigano é brasileiro melhor colocado no ranking dos pesados do Ultimate (Foto: Natinho Rodrigues)

A derrota no UFC Fortaleza da lenda Antônio Rodrigo Minotauro Nogueira para Fabrício Werdum colocou o “baiano bom de briga” em situação delicada no ranking oficial do Ultimate. Big Nog agora ocupa a décima colocação entre os top ten. Ele perdeu duas posições. Uma para Travis Browne que vem de vitória por nocaute contra o brasileiro Gabriel Napão Gonzaga.

Em nono, aparece Mark Hunt, que recentemente foi derrotado por nocaute pelo também brasileiro Júnior Ciganos dos Santos.  Este último é o melhor lutador  da nação verde-amarela qualificado no ranking, na atualidade. Ele está em primeiro lugar, abaixo apenas do detentor do cinturão  Cain Velasquez.

Com a vitória, Fabrício Werdum se aproximou dos melhores da categoria. Ele ocupa a terceira posição, uma acima de Antônio Pezão Silva.  Veja abaixo como ficou o ranking dos pesados:

Ranking Oficial UFC (Peso Pesado)

Campeão : Cain Velasquez

1    Junior dos Santos

2    Daniel Cormier

3    Fabricio Werdum

4    Antonio Silva

5    Roy Nelson

6    Alistair Overeem

7    Frank Mir

8    Travis Browne

9    Mark Hunt

10    Minotauro Nogueira

09:02 · 17.06.2013 / atualizado às 12:15 · 17.06.2013 por

“Espero muitas vibrações positivas dos meus fãs e das pessoas que gostam de mim”. É dessa forma que Rodrigo Minotauro Nogueira está encarando o atual momento de recuperação tanto física quanto mental. O lutador foi submetido na manhã da última sexta-feira,  14,  a uma cirurgia para reinserção ligamentar  e tendinosa, além da remoção de corpos livres, do cotovelo esquerdo.

O procedimento foi realizado pelo Dr. Benno Ejnisman, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP). A lesão foi ocasionada na derrota para  Fabrício Werdum na luta  principal do UFC Fortaleza (TUF Brasil 2 Finale), no dia 8 de junho. Segundo o médico,  ainda não há previsão para seu retorno às atividades normais.

“Quero voltar a treinar e a lutar o mais rápido possível, o MMA é a minha vida, e é o que amo fazer. O esporte é feito de vitórias e derrotas, e logo mais estarei de volta”, disse, Ele procurou tranquilizar fãs sobre a gravidade da lesão. “Ocorreu tudo bem na operação, o procedimento foi muito tranquilo. Ainda não sei quanto tempo vou levar para me recuperar. A princípio vou usar uma tala, que não permite que eu faça movimentos laterais com o braço. Pelo meu tipo de lesão só poderei esticá-lo. Ficarei com essa tala de quatro a seis semanas”, explicou.

Rodrigo Minotauro espera voltar a lutar depois do período de recuperação da cirurgia realizada na última sexta-feira, 14 (Foto: UFC Divulgação)
Rodrigo Minotauro espera voltar a lutar depois do período de recuperação da cirurgia realizada na última sexta-feira, 14 (Foto: UFC Divulgação)
21:12 · 13.06.2013 / atualizado às 21:12 · 13.06.2013 por
Minotauro machuca o cotovelo |Foto: UFC

O ex-campeão do UFC e do Pride, Rodrigo Minotauro, não saiu ileso da derrota para Fabrício Werdum, no UFC Fortaleza. O baiano não bateu após ser pegue na chave de braço e acabou rompendo o ligamento do cotovelo esquerdo.

A luta só foi interrompida depois que o juiz Mário Yamasaki interveio após desistência verbal.   Rodrigo terá que passar por uma cirurgia no local. A informação foi confirmada pelo site especializado Tatame.

Com a recuperação prevista para até oito semanas, Minotauro deve ficar afastado dos ringues pelo menos até o fim do ano, já que ainda passará por fisioterapia e readaptação aos movimentos de luta.  A lesão foi detectada graças a uma ressonância magnética em São Paulo. A operação deve acontecer na sexta-feira (14).

 

 

07:25 · 13.06.2013 / atualizado às 10:11 · 13.06.2013 por
Poster do UFC 163 (Reprodução)
Poster do UFC 163 (Reprodução)

Para quem achou caro o valor das entradas para ver o UFC Fortaleza, no Ginásio Paulo Sarasate, vai se assustar ainda mais com o preço que está sendo cobrado para ver de perto o próximo evento no Rio, em agosto. O ingresso do UFC 163 Aldo vs Pettis pode chegar até a R$ 1,6 mil. Preço R$ 400 ou 33% mais salgado do que similar cobrado na Capital cearense.

A diferença de valor não diz respeito apenas às poltronas mais nobres do HSBC Arena. Na comparação de entradas mais acessíveis, o UFC Rio também ultrapassa o patamar cobrado em Fortaleza. O ingresso mais barato está custando R$ 290, 16% mais caro do que os R$ 250 comercializados na Capital cearense. São R$ 40 de diferença.

Os ingressos foram postos à venda a partir da última quarta-feira no site www.ticketsforfun.com.br e o card traz outros grandes nomes brasileiros no MMA.

18:06 · 10.06.2013 / atualizado às 21:22 · 10.06.2013 por

Bem ao estilo bad boy que adora fazer, Thiago Silva soltou o verbo contra Antonio Pezão, ex-companheiro de treino na Blackzilians, o lutador  desafiou o gigante paraibano logo após a vitória conquistada no UFC Fortaleza sobre Rafael Feijão Cavalcante.  “Na hora que quiser. Eu treinei com Pezão três anos. Você pergunta o dia que fez alguma pra mim. Apanhava que nem uma cachorrinha. Manda aquele queixão vir aqui que ele vai ver só. Ele fala demais aquele otário. Eu não gosto dele não”. Acompanhe o vídeo.

14:11 · 10.06.2013 / atualizado às 18:47 · 10.06.2013 por

Se você perdeu alguma coisa da cobertura jornalística  do UFC Fortaleza, não se preocupe. Você pode acessar o caderno Jogada do Diário do Nordeste pelo site do jornal e acompanhar passo a passo o que rolou na semana em que uma cidade do Nordeste se tornou a Capital do MMA Mundial.

Veja aqui:

13:44 · 09.06.2013 / atualizado às 13:44 · 09.06.2013 por

O UFC Fortaleza pode ser bem resumido em… várias finalizações e brasileiros invictos. Primeiro, o jiu-jítsu foi o que deu o tom das vitórias do evento cearense, que aconteceu neste sábado, no Ginásio Paulo Sarasate. Foram oito finalizações. Em segundo lugar, nenhum brasileiro perdeu para um estrangeiro.

Minotauro não aguentou Werdum no chão |Foto: Natinho Rodrigues

Em uma  noite dominada pela arte suave, a luta principal não podia acabar de outra forma. Minotauro não bateu, e Fabrício Werdum venceu com uma chave de braço, interrompida pelo juiz Mário Yamasaki.

Mas, não foi só o gaúcho que impressionou no chão. Erick Silva, vencedor da finalização da noite, em apenas 1 minuto e 11 segundos atropelou o americano Jason High. Com um triângulo, Silva fez o seu adversário dar os três tapinhas e desistir da luta.

Mas, não foram nenhuma das duas finalizações anteriores que mais levantaram o público. Quem conseguiu mesmo fazer o Paulo Sarasate tremer foi Caio Monstro e Rony Jason. Enquanto Monstro, na segunda luta da noite, conseguiu uma virada incrível, perdendo o primeiro round e finalizando no segundo, Jason não passou por nenhum problema, apagando seu adversário de maneira incrível.

Se Monstro e Jason deram orgulho para a torcida local, o cearense Godofredo Pepey acabou decepcionando. Único cearense derrotado, o jovem de 25 anos não concordou com o nocaute que sofreu para Felipe Sertanejo. 

Outros dois grandes momentos da noite foram as lutas de Thiago Silva e Rafael Feijão e final do TUF entre Leo Santos e William Patolino. No primeiro combate, Thiago Silva conseguiu um nocaute incrível sobre seu adversário, garantindo o bônus de nocaute da noite e luta da noite.

Thiago foi o grande vencedor da noite |Foto: Natinho Rodrigues

Já na final do TUF, a zebra aconteceu. O discreto Leo Santos foi superior ao jovem William Patolino, que chorou muito com a derrota. Santos conseguiu finalizar Patolino, se tornando o campeão do TUF Brasil 2.

Veja também a cobertura do UFC Fortaleza em vídeos e em fotos

03:16 · 09.06.2013 / atualizado às 16:51 · 09.06.2013 por
Werdum levou a melhor na disputa de jiu-jítsu com Minotauro (Foto: Natinho Rodrigues)
Werdum levou a melhor na disputa de jiu-jítsu com Minotauro (Foto: Natinho Rodrigues)

Na batalha épica de jiu-jítsu levou a melhor Fabrício Werdum. O Vai Cavalo finalizou a Rodrigo Minotauro no segundo assalto da decisão dos treinadores do TUF Brasil 2.

Os Pesos Pesados e treinadores do The Ultimate Fighter Brasil 2 reeditaram um confronto de 2006 que deixou todos os amantes do MMA arrepiados. Com o reforço de Anderson Silva, visivelmente nervoso, no corner do amigo, a lenda Rodrigo Minotauro Nogueira sentiu que a maioria da torcida estava do seu lado. O gaúcho Fabrício Werdum, também um dos maiores nomes do esporte, levou o combate para o chão derrubando o nordestino logo no início do assalto.

Em pé, Minotauro dominou o centro do octagon e acertou bons golpes, apesar de ter bambeado após um jab de Werdum. O segundo round começou com o gaúcho melhor em pé. Após um jogo de grappling na grade, Fabrício Werdum levou a luta para o chão onde finalizou a lenda do jiu-jítsu perante os olhares incrédulos dos fortalezenses.

“É uma honra ter lutado com Minotauro. Obrigado, Fortaleza. Vocês me receberam muito bem. Quero uma oportunidade pra mostrar que posso ser o melhor do mundo”, falou.

Veja também a cobertura em vídeos do UFC Fortaleza

02:42 · 09.06.2013 / atualizado às 16:56 · 09.06.2013 por
Na flua final do programa prevaleceu a técnica de chão de Leo Santos (Foto: Natinho Rodigues)
Na flua final do programa prevaleceu a técnica de chão de Leo Santos (Foto: Natinho Rodigues)

Leo Santos é o campeão do reality show da Rede Globo. Ele finalizou o companheiro de casa e de Nogueira Team, já que ambos foram pupilos de Rodrigo Minotauro, no segundo round, no UFC Fortaleza.

A luta começou com Leo Santos se arriscando na trocação com Patolino. Até que os dois foram para o chão. Com golpes mais eficientes, Patolino machucou o adversário com socos e cotoveladas.

No segundo round, Leo Santos voltou melhor e acertou bons golpes em pé. Patolino chegou a ficar acoado na grade até o momento que decidiu levar o combate mais uma vez para  chão. Os dois levantaram rapidamente.  Em uma queda, Patolino chegou a se apoiar na grade e foi advertido pelo árbitro .

O episódio deixou Leo Santos mais forte. Tanto que ele passou a dominar ainda mais o combate. Após quedar  o oponente, montou em Patolino, e o finalizou com um katagatame se tornando o campeão da segunda edição do The Ultimate Fighter Brasil. “Eu sei que muita gente me viu, garoto franzino e tímido. Já o Patolino com cara de mal, mas consegui vencer, com humildade”, contou.

Ainda no octógono, o então favorito William Patolino chorou muito e foi consolado pelos companheiros de equipe. Do outro lado, só festa. Até o campeão dos Penas José Aldo entrou no octógono para comemorar  resultado do amigo e companheiro de Nova União. O campeão chorou quando foi citado por Leo Santos como um grande exemplo.

Aos gritos de “Leo, eu te amo” da torcida de Fortaleza, o campeão do TUF Brasil 2 deixou o octógono num misto de choro e riso, como parecesse que não queria sair dali nem que aquele momento acabasse, Leo Santos cumprimentou jornalistas e foi celebrar a  conquista no vestiário com os técnicos.

Veja também a cobertura em vídeos do UFC Fortaleza