Busca

Tag: Vai Encarar


07:26 · 07.05.2015 / atualizado às 07:42 · 07.05.2015 por

 

Caio Monstro luta  no dia 12 de julho, na Flórida (EUA), contra o americano Josh Samman (Foto: Reprodução)
Caio Monstro luta no dia 12 de julho, na Flórida (EUA), contra o americano Josh Samman (Foto: Reprodução)

A edição impressa do Vai Encarar desta quinta-feira (7), na editoria Jogada do Diário do Nordeste, traz como principal destaque a ‘força cearense no UFC. Após as empolgantes vitórias de Thiago Alves “Pitbull”, Godofredo Pepey e Diego Brandão, mais três combates envolvendo lutadores alencarinos foram programados no evento para os próximos meses.

As oportunidade foram dadas ao peso-pena Rony ‘Jason’, ao peso-médio Caio “Monstro” e novamente a Thiago Pitbull, que lutará pela segunda vez do ano na divisão dos médios.

Confira a matéria completa: http://svmar.es/1c9FIy4

> Fortaleza recebe Simpósio Volta ao Mundo de Capoeira: http://svmar.es/1Ij2nWC

> Lutadores problema do UFC: http://svmar.es/1IQVxGX

08:36 · 29.01.2015 / atualizado às 08:46 · 29.01.2015 por

A edição impressa do Vai Encarar, no Diário do Nordeste, desta quinta-feira (29), traz como principal destaque o retorno de Anderson Silva ao octógono. O brasileiro, ex-campeão dos médios do UFC, encara o americano Nick Diaz, no próximo sábado (29), em Las Vegas. Outro destaque desta edição é o cearense Diego Brandão que também vai lutar em Vegas, no mesmo card do “Spider”. Confira os destaques desta edição:

Como se fosse a 1ª

"Para mim, será como se fosse minha primeira luta", disse o lutador (Foto: Arquivo)
“Para mim, será como se fosse minha primeira luta”, disse o lutador (Foto: Arquivo)

Quando um atleta brasileiro torna-se campeão e vira o melhor do mundo no esporte, logo ganha status de ídolo nacional, e até de herói. Foi assim com Anderson Silva, considerado por especialistas como o maior lutador de MMA peso-por-peso de todos os tempos. Mas a já consolidada carreira do “Spider” acabou sofrendo uma reviravolta e, agora, o ex-campeão peso-médio (até 84 kg) do UFC retorna às competições para tentar reassumir o posto que um dia foi seu.

O brasileiro volta ao octógono no próximo sábado, 31, em Las Vegas, Nevada (EUA), pelo UFC 183, após 13 meses de afastamento devido a uma grave lesão. O adversário será o americano Nick Diaz, em uma luta que, para o brasileiro, significa um recomeço na carreira.

“Tem alguns momentos na sua vida que você tem que se refazer. Entendi muita coisa que antes não entendia. A vida é assim mesmo, cheia de mudanças e temos que nos adaptar o tempo todo. Estou tendo a chance de voltar e, desta vez, será um Anderson bem mais maduro, cauteloso e bem mais sábio. Para mim, essa é minha primeira luta no UFC”, declarou o lutador, em entrevista ao Ultimate. Veja a matéria completa em: http://bit.ly/1K9XjjK

Exército brasileiro em Vegas

O cearense Diego Brandão será um dos lutadores brasileiros em Vegas (Foto: UFC)
O cearense Diego Brandão será um dos lutadores brasileiros em Vegas (Foto: UFC)

Anderson Silva vai comandar um “exército” de lutadores brasileiros no UFC 183. Incluindo o Spider, o evento vai contar com nove ‘brazucas’, divididos em lutas dos cards preliminar e principal. O destaque fica por conta do cearense Diego Brandão, que vai fazer a sétima luta na organização desde que foi campeão do The Ultimate Fighter 14. Veja a matéria completa em: http://bit.ly/1K9XjjK

Coluna OSS!

Típico de um brasileiro

Anderson Silva voltará a lutar após uma grave lesão na perna esquerda, que o deixou afastado do octógono por quase 13 meses. Uma determinação semelhante à que o Spider vem demonstrando pode ser notada em outros grandes atletas brasileiros, que também conseguiram dar a volta por cima no esporte e na vida. Como exemplo pode ser citada a jogadora de vôlei Natália, que venceu um tumor na canela e voltou às quadras após um ano e três meses. No MMA, Rodrigo Minotauro quebrou o braço durante uma luta, mas conseguiu retornar após quase uma ano de recuperação. E o que falar de Ronaldo Fenômeno? Quando todos diziam que a carreira do jogador estava acabada, após uma série de graves lesões no joelho, o craque novamente deu a volta por cima e foi campeão mundial com o Brasil em 2002. Quem, portanto, pode duvidar ainda de um grande retorno de Anderson Silva? Leia os demais destaques da coluna OSS!: http://bit.ly/1y91y9k

 

 

 

11:46 · 15.01.2015 / atualizado às 11:50 · 15.01.2015 por
Goiabinha, que está escalado para a luta principal do evento (Foto: Kléber A. Gonçalves)
Goiabinha, que está escalado para a luta principal do evento (Foto: Kléber A. Gonçalves)

O Vai Encarar retornou hoje ao caderno impresso do Jogada,  no jornal Diário do Nordeste. Esta é a primeira publicação da página em 2015, após um movimentado ano de 2014 e um breve período de recesso. Confira os destaques:

‘De olho neles’

Um dos maiores campeonatos de Muay Thai do Ceará, o Coronel Combate, já tem dia e local definidos para acontecer. Lutadores amadores e profissionais irão medir forças no próximo dia 24 de janeiro, no Ginásio Aécio de Borba, no bairro do Benfica, em Fortaleza.

O evento, que tem a chancela da Federação Cearense de Muay Thai, chega este ano a sua terceira edição com o dobro de lutas da anterior. Ao todo, serão 66 combates, sendo 54 amadores e 12 profissionais.  Veja a matéria na íntegra: http://bit.ly/1Cb9KbU

‘Coluna Oss!’

jogadaTeia da esperança
Quando subir no octógono próximo dia 31, em Las Vegas, Anderson Silva não estará apenas tentando voltar a contar a sua história dentro do MMA. O próprio UFC depende disso para retomar seu rumo e soerguer-se da notícia do envolvimento de sua maior estrela, Jon Jones, com as drogas.

A direção do Ultimate aposta tudo no retorno do Spider. Somente ele, com seu carisma, história e reconhecida capacidade técnica, pode reparar os estragos desse golpe.

Conor
No domingo, 18, o novo falastrão do UFC, o irlandês Conor McGregor poderá dar um passo importante no caminho do cinturão dos penas. Ele vai encarar Dennis Siver. A vitória deve ser do irlandês, contudo ainda é muito cedo para McGregor merecer enfrentar José Aldo.
Confira a Coluna Oss! completa: http://bit.ly/1E3sXxT

09:44 · 07.11.2013 / atualizado às 09:48 · 07.11.2013 por

Foi difícil escolher, mas os três melhores comentários avaliados pela equipe BVE já foram eleitos. Os autores receberam email solicitando telefone de contato para resgatar seu par de cortesias e assistir de perto ao BKF 3, na noite desta quinta-feira, 7, no Ginásio Paulo Sarasate. Veja as frases vencedoras:

1. De rafaelle123@hotmail.com

“EU ENTRARIA NO TATAME LEVANTANDO A PLACA ANUNCIANDO AMOR CASA COMIGO, AI TERIA ALEGRIA EM DOBRO DO SIM DO CASAMENTO E DO CINTURÃO DO BRAZILIAN KING FIGHTER.”

 

2. De luiztelesjr@gmail.com

“Chamaria a reca todinha pra disputar comigo na chulipa, voadora, rasteira e mãozada no pedovido! Mói de sola muito no meio da rua, mas com os peito de aço que eu tenho, esses caboco num ia dá nem pra sair!”

3. De lucascastro_@hotmail.com :

“O início de uma preparação campeã seria assistir “in loco”, com as cortesias do DN, os meus futuros adversários”.

17:17 · 01.11.2013 / atualizado às 17:25 · 01.11.2013 por

O dia 1º de novembro é  especial para nós do Blog Vai Encarar.  Marca o espírito vanguardista do jornal Diário do Nordeste de ter lançado a primeira página fixa com coluna dedicada exclusivamente aos assuntos ligados às artes marciais da região nordestina e uma das pioneiras do Brasil.

Continuamos com o mesmo pensamento, que é de trazer notícias ligadas aos esportes de luta  sempre com a credibilidade construída em mais de três décadas de jornal. Agradecimento carinhoso a todos que tornaram esse feito possível e, especialmente, aos leitores cearenses que são a razão de nosso trabalho.

Veja a primeira página Vai Encarar publicada no caderno Jogada no dia 01/11/2012.  De lá pra cá, toda quinta-feira é dia de falar do mundo das lutas na página 3.  OSS!

primeirovaiencarar

11:31 · 19.09.2013 / atualizado às 12:12 · 19.09.2013 por

Por Juliano de Medeiros

NO CANADÁ

No xote da dupla Barão e Lampião

Nordestinos Renan Barão e Renée Forte querem repetir vitórias em nova dobradinha de mais um evento do UFC

Renan “Barão” e Renée “Lampião”. A dupla com os nomes parecidos estará mais uma vez junta em um evento internacional do Ultimate Fighting Championship (UFC). No UFC 165, marcado para próximo sábado, em Toronto, no Canadá, os dois nordestinos irão representar o Brasil no octógono. Em fevereiro deste ano, no UFC Londres, ambos conseguiram boas vitórias na Wembley Arena.A música “Tô Topando Tudo”, da banda Forró da Pegação, foi a escolhida por Renan Barão para sua primeira defesa de título interino, contra Michael McDonald, em Londres. O atleta comemorou a vitória simulando passos de forró Fotos: Divulgação UFCNo sábado, o potiguar Renan “Barão” Pegado terá uma função de protagonista. O peso galo defenderá o cinturão interino da sua categoria contra Eddie Wineland, na segunda luta mais importante da noite – a principal será o combate entre o campeão dos meios pesados Jon Jones e o sueco Alexander Gustafsson.Essa será a segunda defesa de cinturão do potiguar, que lutou pela última vez contra Michael McDonald. Na ocasião, Pegado finalizou o americano no quarto round com um katagatame.Com o cinturão interino desde 2012, após uma vitória sobre Urijah Faber, Barão possui uma sequência de 31 lutas sem derrota. Mais um triunfo pode significar até o cinturão definitivo, já que Dominick Cruz, afastado há quase dois anos do octógono por contusão, não parece ter previsão de retorno.Renée Forte entrou no mesmo octógono britânico do potiguar Barão, em fevereiro, embalado pela regravação de “O Rappa” da música Súplica CearenseA paciência da franquia com campeão também pode estar acabando. O presidente do UFC, Dana White, disse que esperaria o americano até o fim do ano. “Espero que a luta de sábado seja a última disputa de título com um campeão interino”, disse. “Esperamos que o Dominick Cruz retorne no começo de 2014. Se ele não estiver recuperado até o fim do ano, teremos de tomar uma decisão”, completou o dirigente. A última defesa de cinturão de Cruz foi em outubro de 2011.

Enquanto isso, Renan já admite que luta pelo cinturão oficial. “Eu me considero o campeão. Sou eu quem está treinando, lutando e defendendo o cinturão, não ele”, desabafou o lutador, que está invicto desde 2005.

O seu adversário de sábado também já teve um cinturão. Ex-campeão do extinto WEC, Wineland possui um cartel de 20 vitórias, uma derrota e um empate.

Cearense

Mais humilde, o cearense Renée “Lampião” Forte não luta por cinturão no Canadá. No entanto, o combate contra John Makdessi é de extrema importância para a carreira do peso leve no Ultimate. Vindo de uma boa vitória contra o inglês Terry Etim.

Pela segunda vez seguida enfrentando um atleta da casa -Makdessi é canadense-, Forte quer entrar para definir. “Ele procura pontuar para vencer, e estou confiante, pois vou para definir. Não quero lutar três rounds”, disse ao site oficial do UFC.

Forte entrou na associação através do primeiro TUF Brasil. Em sua estreia no evento, acabou perdendo para Serginho.

As lutas começam a partir das 19h20:
CARD PRINCIPAL (em Pay-Per-View):
– Jon Jones (18-1) vs Alexander Gustafsson (15-1)
– Renan Barão (30-1) vs Eddie Wineland (20-8-1)

– Brendan Schaub (9-3) vs Matt Mitrione (6-2)
– Costa Philippou (12-2-1) vs Francis Carmont (21-7)
– Pat Healy (29-16) vs Khabib Nurmagomedov (20-0)

CARD PRELIMINAR: 
 Mike Ricci (8-3) vs Myles Jury (12-0)
– Ivan Menjivar (25-10) vs Wilson Reis (16-4)
– Chris Clements (11-4 ) vs Stephen Thompson (7-1)
– Mitch Gagnon (9-2) vs Dustin Kimura (10-0)
-John Makdessi (11-2) vs Renee Forte (8-2)
– Michel Prazeres (16-1) vs Jesse Ronson (13-2)
– Roland Delorme (9-1) vs . Alex Caceres (8-5)
– Nandor Guelmino (11-4-1) vs Daniel Omielanczuk (15-3-1)
21:34 · 21.05.2013 / atualizado às 21:40 · 21.05.2013 por
Equipe do Blog Vai Encarar marcou presença em evento com foco no MMA. Foto: Luís Barbosa
Equipe do Blog Vai Encarar marcou presença em evento com foco no MMA. Foto: Luís Barbosa

Foi ao lado de algumas feras das artes marciais do Ceará, como o lutador de jiu-jitsu, Tiago Marques, e o mestre Evilázio Feitoza, que a equipe do Blog Vai Encarar participou hoje de um bate-papo com os alunos da Universidade de Fortaleza (Unifor) sobre o crescimento do MMA no Brasil e no mundo.

Organizado por estudantes da discplina de RTVC e Eventos, o bate-papo contou com três membros do BVE Team: Áquila Leite, Ilo Santiago Júnior e Juliano de Medeiros. O evento, chamado “It’s Time” e realizado no Teatro Celina Queiroz, reuniu estudantes de diversos cursos que também ouviram dos convidados seus palpites sobres os próximos embates do MMA mundial, com destaque para o duelo entre Rodrigo Minotauro e Fabrício Werdum, que acontece em Fortaleza no dia 8 de junho.

18:31 · 28.03.2013 / atualizado às 21:31 · 28.03.2013 por

Confrontando a limitação física

A dor está no dia a dia de atletas de alto nível, mas alguns lutadores da Academia Mundo da Luta / Gracie Barra vão bem mais além

Um lutador de jiu-jítsu limitado por uma prótese não é uma figura comum num tatame. Mas na Academia Mundo da Luta encontramos, na 3ª feira passada (26), um atleta nem um pouco preocupado com sua deficiência, mas supereficiente na luta no solo.O americano Scott Jonhson, mesmo utilizando uma prótese, encara qualquer lutador no solo com sua técnica apurada de jiu-jítsu FOTO: WALESKA SANTIAGO

“Mais do que superar limites, meu foco quando era mais jovem era a prática de esportes radicais, hoje estou mais preocupado por ficar de fora de competições pela falta de adversários na minha categoria”, explicou num razoável português o norte-americano Scott Johnson, 44 anos, que há seis luta jiu-jítsu.

Natural da cidade de São Francisco, na Califórnia, Scott está em Fortaleza desde 2007, mas reside no Cumbuco, onde também pratica o kitesurf. Ele conta que aos 3 anos de idade sofreu um acidente numa escada rolante. “Eu caí com a escada em movimento e a minha perna direita ficou presa na engrenagem”.

Como resultado dessa tragédia, Scott, teve o pé direito esmagado, “mas o médico decidiu amputar parte da perna, para facilitar a utilização da prótese”.

Nível de competitividade

No entanto, a limitação da prótese não atrapalha muito a performance de Scott Johnson. O seu treinador de jiu-jítsu, professor Pirillo Roriz, ressaltou que “o jiu-jítsu é uma arte marcial onde se usa a técnica para dominar o adversário. E no caso de Scott, apesar da limitação na luta em pé, no solo, ele é capaz de encarar qualquer rival, pois domina golpes como triângulo (tipo de estrangulamento comum no jiu-jítsu, feito com as pernas e o auxílio do braço do próprio adversário); arm lock (chave de braço), e kimura (chave de ombro)”.

E o professor Pirillo reforçou que o problema com Scott é que ele não tem com quem lutar nos campeonatos. “Na última competição, na qual ele se inscreveu, não lutou porque não havia adversários na sua categoria: 40 a 45 anos (sênior II)”. Mas nem por isso Scott relaxa nos treinos, segundo o professor da Academia Mundo da Luta, que é uma Escola Oficial Gracie Barra (Av. Mozart Lucena, 1565, no Mega Barra Shopping – Vila Velha”.

“Aqui na academia treinamos todo dia e o Scott participa dos trabalhos físicos (alongamento), cerca de 30min; depois 30min trabalhando técnicas de jiu-jítsu; e mais meia hora de luta. Nós temos cinco turmas e cerca de 100 alunos distribuídos nos turnos da manhã, tarde e noite”, completou o professor faixa preta – 2º Grau Pirillo Roriz, 32 anos, 1,85m e 82kg.

Aliás, o próprio Pirillo é um treinador e atleta que encara no dia a dia as limitações físicas oriundas de três hérnias de disco. “Pois é. O próprio jiu-jítsu me deixou esses problemas. O desgaste pelos movimentos repetitivos de competir como atleta e ministrar aulas, acrescido de um acidente de moto, no ano passado, que me deixou de herança uma dor lombar na coluna, que se agravou e me obrigou a ficar parado por sete meses. E para voltar fui obrigado a assinar um termo de responsabilidade com o médico que me atendeu à época para ser liberado e poder retornar às aulas na academia”, disse Pirillo.

Roriz admitiu que sempre praticou esporte – vôlei, futebol, basquete, surfe e skate -, “mas nunca me adaptei a uma modalidade tão bem como no jiu-jítsu”, reconheceu o técnico, um dos pioneiros a ministrar aulas de jiu-jítsu na Barra do Ceará e dono de títulos como campeão cearense; campeão N/NE; interestadual; campeão brasileiro em 2011; campeão da Copa Carlson Gracie (2011); participou dos mundiais no Rio (2005) e São Paulo (2010), dá aulas no Cuca Barra, já formou 10 faixas preta e tem 12 instrutores dando aulas em Fortaleza.

30 títulos

Também portador de hérnia de disco (duas), Régis de Souza Correia, passou pelo long board, skate, futebol e bicicross até chegar ao jiu-jítsu, esporte que pratica há seis anos e três meses e no qual contabiliza 30 títulos.

Hoje, faixa marrom – 2º Grau, Régis é bicampeão cearense, vice brasileiro, mas se orgulha do bronze obtido no Pan de 2001, em Brasília.

“O jiu-jítsu me deu disciplina, autoconfiança e paz”, confessou Régis, que convive com hérnia de disco desde 2006.

MOACIR FÉLIX
REPÓRTER

Paixão
“Para suportar as duas hérnias, faço Pilates e fisioterapia para o fortalecimento muscular e encarar as competições”
Régis Correia
Lutador de jiu-jítsu

09:23 · 28.02.2013 / atualizado às 17:27 · 28.02.2013 por

Especialistas dão dicas

Primeiros passos no mundo da luta

Lutar entrou na moda. No entanto, antes de começar, é imperativo que se observe a qualidade da academia

A localização, a mensalidade e o horário das aulas são os principais fatores considerados pelos alunos. No entanto, é importante adicionar outros quesitos nessa lista, entre eles a escolha do professor. “Verificar o seu currículo e histórico se faz fundamental, pois existem as deformidades e o oportunismo causado pelo momento midiático envolvendo diversas modalidades de lutas”, ressalta o presidente da Federação de Jiu-jítsu Olímpico do Ceará (FJJO/CE), Francisco Carlos Pinto Sá, mais conhecido como Sazinho Sá.

Independente mente do esporte, é importante checar a estrutura do local, além das referências e didática do professor fotos: Kid Júnior/Patrícia Araújo/Fabiane de Paula

Dentre os itens observados, é preciso confirmar se ele é filiado à federação do esporte. Apesar de não ser obrigatório, também é interessante que se tenha formação acadêmica em Educação Física. Além disso, é indicado assistir a algumas aulas antes de, enfim, contratar os serviços. Desse jeito, é possível saber se a didática aplicada irá agradar quando for aluno.

Outro detalhe importante é a estrutura da academia. Desde o atendimento e estado físico das instalações do local até a qualidade dos equipamentos utilizados nas aulas. Não adianta ser barato e perto de casa se o lugar não dispõe de condições seguras e adequadas de uso.

Por onde começar?

A vontade é o primeiro passo para quem deseja praticar alguma arte marcial. No entanto, quando não se tem uma afinidade por uma específica modalidade, então como escolher? O melhor conselho é experimentar, seja por meio de aulas ou assistindo a competições para ver qual combina melhor com os seus interesses. “A questão da empatia é fundamental, pois ninguém deve ser obrigado a fazer aquilo que não gosta ou não admira”, destaca Sazinho.

Se a intenção é meramente para praticar uma atividade física. O professor da Universidade Estadual do Ceará e especialista em esporte de luta, Heraldo Simões, orienta quais as melhores modalidades para cada prioridade do aluno. Por exemplo, quando se trata de defesa pessoal, todas seguem esse perfil, porém o Krav Magá e o Jiu-jítsu são os mais indicados.

Para Simões, no caso de perda de peso, Boxe e Muay Thai são fortes aliados. Se a filosofia e a disciplina oriental são o mais importante, então busque o Judô, Karatê, Kung Fu, Taekowndo ou Aikido. Se o propósito é competir, então evite o último, Krav Magá e Tai Chi Chuan.

Quanto ao estilo, se a pretensão é lutar no solo, então aposte no Jiu-jítsu, Submission, Judô ou Luta Olímpica. Se o ideal é trocação, as lutas em pé, o ideal é Boxe, Muay Thai, Karatê, Taekwondo e Kung Fu. Para lutas com arma, mais indicados são Kendo, Esgrima ou Kung Fu.

CAMILA MARCELO
REPÓRTER

19:34 · 31.01.2013 / atualizado às 23:40 · 31.01.2013 por

Entrevista com Antônio Pezão publicada nesta quinta-feira (31) na página do Vai Encarar, no caderno Jogada, do Diário do Nordeste.

Uma vitória sobre Alistair Overeem te credencia a lutar, em breve, pelo cinturão. Porém, você vem de derrota justamente contra Cain Velasquez. Você acredita que, caso vença o holandês, terá chance de reencontrar Cain mais uma vez? Você está preocupado em disputar logo o cinturão?

Meu foco é unicamente no Overeem nesse momento. Quero vencer essa luta, depois penso no futuro. Se o UFC entender que eu mereça essa chance, estarei preparado.

Confronto entre os lutadores está marcado para o próximo sábado, 2, no card principal do UFC 156, que tem como luta principal a disputa de cinturão entre outro brasileiro José Aldo e o norte-americano Frankie Edgar Foto: DIVULGAÇÃO / UFC

Quem é o favorito desse combate entre você e Overeem?

Com certeza para a mídia e para o show o Overeem é o favorito, mas não me preocupo com isso, estou treinando muito forte e vou fazer meu dever de casa bem feito.

Desde quando deixou o Nordeste, você passou por muitas dificuldades até se tornar um lutador do UFC. Tem no currículo uma vitória sobre a lenda do MMA, Fedor Emelianenko. Qual foi o divisor de águas na sua carreira? Esse triunfo, o apoio dos irmãos Nogueira ou a saída da Blackzilians?

Os Irmãos Nogueira, a ATT e a luta do Fedor foram coisas bastante positivas para minha carreira. Nunca fiz parte da Blackzilians, apenas treinava com ótimos amigos que lá tenho.

Você afirmou ter saído da Blackzilians após a chegada de Overeem. Por que tomou essa atitude? Como foi a conversa com os líderes da Blackzilian?

Eu treinei por alguns meses na Blackzilians, mas nunca fiz parte do time deles e quando o Overeem fechou contrato com a equipe então resolvi não treinar mais com os Blackzilians já que gostaria de um dia poder enfrentar o Overeem. Apenas agradeci pelos treinos e segui minha vida.

Para chegar ao cinturão é preciso passar por muitos obstáculos. Como você se sentiria se tivesse que lutar contra Júnior dos Santos, o Cigano? Você preferiria não fazer esse combate nem se isso te custasse a oportunidade do title shot?

Enfrentar amigo é uma situação desagradável, mas quem decidi alguma coisa é o UFC.

Você tem família e ainda tem muitas lutas a fazer, mas já pensou em que área pretende atuar quando parar de lutar? A ideia é permanecer no ramo dos combates?

Pretendo continuar trabalhando com lutas, estou nesse meio desde os quatro anos de idade, amo artes marciais. Talvez trabalhe como treinador.

Por favor, mande um recado para os leitores do Vai Encarar, no Diário do Nordeste, que estão acompanhando sua carreira e torcendo por você.

Quero agradecer a todos o carinho e energia positiva que vocês me passam e podem ter certeza que darei o meu melhor para que dia 2 de fevereiro eu consiga sair vitorioso.