Busca

Categoria: Metrô de Sobral


08:54 · 26.11.2016 / atualizado às 08:54 · 26.11.2016 por

Sobral- A partir da próxima segunda-feira, 28, o VLT de Sobral circulará de 13h às 22h, de forma excepcional, para treinamento de novos funcionários da área operacional. Por isso, a Cia. Cearense de Transportes Metropolitanos – Metrofor comunica que os motoristas em Sobral devem manter a atenção redobrada nos trechos que cruzam com a via férrea.

Atenção redobrada

Esses cruzamentos são sinalizados com alertas luminosos, sonoros e cancelas, que são acionados com a proximidade do trem. Esses sistemas de sinalização já funcionam no horário de atendimento do VLT (de 8h às 12h), e agora terão seu funcionamento ampliado até às 22h, para atender à necessidade de treinamento operacional dos novos funcionários.

Como medida de segurança para os passageiros, nesse período de treinamento, estará mantido o horário de funcionamento para o público, de 8h às 12h. Portanto, no horário de 13h às 22h, não haverá transporte de passageiros. Neste horário, o VLT será usado exclusivamente para o treinamento.

Colabore com o Blog Zona Norte pelo WhatsApp 88 9 9659-4083.

16:50 · 29.02.2012 / atualizado às 16:52 · 29.02.2012 por

As obras do Metrô de Sobral continuam causando polêmica na cidade. Desta vez a derrubada de 74 árvores do canteiro da Avenida Pericentral provocou indignação nos moradores da área. A empreiteira responsável pela obra, a Engexata Engenharia Ltda, tinha a autorização da Secretaria do Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Splan) para a retirada de 50 árvores, mas acabou extrapolando e por isso terá que replantar as 24 árvores excedentes na própria Avenida Pericentral.

A secretária de Planejamento, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente de Sobral, Juraci Neves, afirma que ainda estuda uma multa para a empreiteira. O certo é que na próxima semana a secretária mais a superintendente da Autarquia Municipal do Meio Ambiente (AMMA), Mara Silva, terão que prestar esclarecimentos sobre a derrubada das árvores, na Câmara Municipal. O presidente da Câmara, vereador João Alberto Adeodato Júnior (PSB) considera a derrubada um absurdo e diz que a chamada para esclarecimentos dos responsáveis é uma convocação e não um convite.

Para o presidente da Câmara, a obra do Metrô de Sobral nunca foi bem discutida com a população que “agora cada vez mais se revolta como ela está sendo aplicada”. João Alberto Adeodato considera o Metrô necessário, mas destaca que suas obras não estão tendo o devido cuidado para não prejudicar a população.

O radialista Bené Fernandes se mostrou indignado com a atual situação das obras com a derrubada das árvores. “Qual seria a atitude da Prefeitura, do Ibama, da AMMA, se um sobralense, que se sentindo incomodado com uma árvore plantada na sua calçada, e que estivesse com as ‘paredes rachadas’, em função das raízes profundas e grossa dessas arvores, e que por conta disso decidisse cortá-la? Acredito que o cidadão seria multado, responderia por crime ambiental etc”, escreveu em seu blog Bené Fernandes.

Bené Fernandes continua sua lamentação afirmando que “na tarde da última sexta- feira (24), a natureza chorou novamente na Avenida Pericentral. Todas as árvores plantadas pelo ex-prefeito Cid Gomes, foram “assassinadas” e “destruídas”, em nome do progresso humano, o Metrô vem aí”.

Parte da Câmara Municipal chamou a derrubada de “crime ambiental”. Pelo menos dez dos atuais 12 vereadores sobralenses, são contra a forma como as obras do Metrô estão acontecendo. “Vamos cobrar responsabilidades”, diz o vereador Paulo Vasconcelos (PRB). O mesmo sentimento têm Marcos Prado e Zé Vytal.

A população da Avenida John Sanford reclama que o metrô vai impedir a entrada de carros nas garagens. Essa é outra reclamação contra as obras. Manifestantes procuraram o prefeito Clodoveu Arruda que prometeu tomar todas as providências para evitar esta dificuldade. Segundo o prefeito o projeto inicial do metrô foi alterado para exatamente evitar a dificuldade de acesso às casas e comércios e que o impacto negativo será o menor possível.

O Metrô de Sobral tem previsão de conclusão para começo de setembro deste ano. As obras  começaram em março de 2011. O Metrô de Sobral custa R$ 71,6 milhões, sendo R$ 50 milhões de recursos do Governo do Estado e R$ 21,6 milhões do Governo Federal, através da Companhia Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU). O Metrô deve transportar 5 mil pessoas diariamente. Serão, ao todo, 64 viagens ligando diversos bairros da cidade em 12,1 quilômetros de ferrovias.

Procurada a Engexata Engenharia Ltda não quis se manifestar sobre o assunto.

14:55 · 25.01.2012 / atualizado às 14:55 · 25.01.2012 por

O site do Ministério Público (MP) Cearense divulgou hoje notícia sobre a ação pedindo a suspensão das obras do Metrô de Sobral. Eis a nota: “O Ministério Público do Estado do Ceará, através dos promotores de Justiça da comarca de Sobral, Irapuan da Silva Dionizio Júnior, Alexandre Pinto Moreira e André Luís Tabosa de Oliveira, propôs, uma ação civil pública com pedido de liminar contra a Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), o Estado do Ceará e o Município de Sobral, com o intuito de que os réus paralisem, imediatamente, qualquer atividade relativa à construção do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Sobral, devendo os mesmos se eximirem de continuar a construir contra as disposições legais, até que sejam realizados os estudos técnicos.
A ação pretende, ainda, que sejam suspensos os atos administrativos ilícitos, advindos da Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (SEMACE) e da Autarquia Municipal de Meio Ambiente (AMMA), que concedeu licenças de instalação e Prévias quanto à obra citada, determinando ao IBAMA como órgão ambiental superior, para analisar as futuras concessões, face à exigência constitucional, bem como de violação da legislação municipal. De acordo com a ação, em caso de descumprimento da ordem judicial, deverá ser aplicada multa diária no valor de R$ 15 mil em favor do Fundo das Ações Civis Públicas e em desfavor dos acionados.
Ao averiguar irregularidades quanto à violação do Estatuto da Cidade em seus diversos artigos, os promotores de Justiça verificaram que nenhuma das fases previstas na Lei nº 10.257 de 10 de julho de 2001 (Estatuto das Cidades) foi respeitada pelos demandados, nem mesmo a necessidade de audiência pública exigida como uma das diretrizes gerais a serem buscadas pelo poder público, pois é seu dever a busca pela gestão democrática, devendo o mesmo se utilizar de segmentos da comunidade na formulação, execução e acompanhamento de planos, programas e projetos de desenvolvimento urbano.
Além disso, outros dispositivos legais não foram utilizados pelos demandados, como o Estudo de Impacto de Vizinhança, o Estudo de Polo Geradores de Tráfegos e, por fim, o Estudo de Impacto Ambiental, devidamente considerados”.

14:48 · 23.01.2012 / atualizado às 14:48 · 23.01.2012 por

Os promotores de Justiça Irapuan da Silva Dionísio Júnior, Alexandre Pinto Moreira e André Luiz Tabosa de Oliveira querem a imediata suspensão das obras do Metrô de Sobral. Eles ingressaram na Justiça com uma nova ação civil pública pedindo que as obras parem já. Os motivos alegados pelo Ministério Público Estadual para que as obras sejam suspensas são que o Metrô não tem estudo de impacto ambiental e a população não foi consultada para saber se queria o benefício. A ação denuncia ainda a ausência de estudo de impacto de vizinhança e estudo de pólos geradores de tráfegos.

O Metrofor, que é o responsável pelas obras, diz que foi realizada sim uma audiência pública na Câmara Municipal de Sobral e as obras têm todos os estudos de impacto exigidos pela Lei. E lembra que uma ação no ano passado foi impedida pela Justiça, dando ganho de causa ao Metrofor devido todas condicionantes terem sido atendidas.

Mas agora os promotores destacam na nova ação que a audiência pública acontecida na Câmara de Sobral em três de março de 2011 não levou em consideração o Estatuto da Cidade, que exige uma série de cumprimentos legais. O Metrofor reafirma que tudo exigido pelo Estatuto da Cidade foi cumprido.

O presidente da Câmara, vereador João Alberto Adeodato Júnior, lamenta esta questão, mas afirma que as etapas já foram vencidas e que agora é esperar pela conclusão da obra. “Infelizmente a população não foi ouvida devidamente, mas não tem mais jeito. É esperar que o Metrô de Sobral circule causando o mínimo de impacto”, diz.

Este mínimo de impacto também é reforçado pelo prefeito de Sobral, Clodoveu Arruda. Ele se comprometeu a conversar diretamente com os moradores para mostrar os benefícios do Metrô. Clodoveu esclarece que os impactos eram até grande, mas por ordem do governador Cid Gomes, o projeto foi refeito para não causar, por exemplo, muitas indenizações de casas e terrenos. Ai, o prefeito lembra que o Estudo de Impacto de Vizinhança foi observado.

Porém na nova ação, os promotores salientam que “infelizmente, o administrador cearense ainda vive no Século XIX, ou seja: nos tempos em que ainda não existia a Gestão Democrática das cidades, e as obras públicas eram realizada pelos ‘coronéis do cangaço’, sem que o grande interessado na obra, o administrado, pudesse ser ouvido. Razão que os levou a construir os chamados ‘elefantes brancos’: obras que não eram de interesse da população, mas tão somente de grupos políticos e/ou econômicos”.

Os promotores questionam na ação, que está havendo má utilização da obra: “…trazer um trem para realizar viagens durante todo o dia, por várias horas, e a todo instante, atravessando toda a malha viária da cidade, dentre as ruas e avenidas, principalmente, nos horários em que o trânsito estará a todo pico de tráfego, sem a realização de estudos dessa natureza, não trarão Transtornos de toda a ordem para a cidade?”

A ação mais adiante particulariza os moradores da Avenida Jonh Sanford, por onde o Metrô de Sobral também vai passar: “Qual o resultado da utilização do VLT – Veículo Leve sobre Trilhos nos meio das residências, principalmente da estreita Avenida Jonh Sanford?… E o trânsito de motocicletas, bicicletas, e outros veículos, como serão afetados?”.

O prefeito Clodoveu Arruda novamente sai em defesa do Metrô e diz que nenhum morador será impedido de entrar em casa por causa do Metrô. “É como se fosse um ônibus que passasse na rua”, compara.

O Metrô de Sobral, a exemplo do Metrô de Fortaleza e do Metrô do Cariri, este em funcionamento há dois anos, são tentativas de recuperar a malha viária cearense, que foi abandonada após a extinção da Rede Ferroviária Federal S.A (Rffsa). Há ainda o projeto em andamento da Transnordestina. Num primeiro momento para transporte de carga e no estágio seguinte para transporte de passageiros.

As obras do Metrô de Sobral começaram em março de 2011 e a previsão é que sejam concluídas no início de setembro de 2012. O Metrô de Sobral custa R$ 71,6 milhões, sendo R$ 50 milhões de recursos do Governo do Estado e R$ 21,6 milhões do Governo Federal, através da Companhia Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU). O Metrô deve transportar 5 mil pessoas diariamente. Serão, ao todo, 64 viagens ligando diversos bairros da cidade em 12,1 quilômetros de ferrovias.

07:56 · 07.01.2012 / atualizado às 07:56 · 07.01.2012 por

ZONA NORTE

VLT do metrô de Sobral está exposto a sol e chuva

07.01.2012

Clique para Ampliar

LAURIBERTO BRAGA
O Veículo leve sobre Trilho (VLT) está em exposição nas proximiddes do parque da Cidade, na rotatória da Avenida Doutor Pimentel, na saída de Sobral para o Município de Massapê. Com o tempo, a estrutura fica degradada

Vagão inoperante do metrô da “Princesa do Norte” vira alto de críticas nas emissoras de rádio deste Município

Sobral. Já virou motivou de piada nesta cidade da Zona Norte do Estado. “Sobral tem trem, mas não tem metrô”. Esta é a piada repetida diariamente na programação de algumas emissoras de rádio e nas redes sociais. Ela se refere ao Veículo Leve sobre Trilho (VLT) que está exposição nas proximidades do Parque da Cidade, na rotatória da Avenida Doutor Pimentel Gomes, na saída de Sobral para Massapê, no bairro Coração de Jesus. O Metrô de Sobral está previsto para começar a circulação em setembro próximo, mas desde agosto do ano passado que um VLT está em exposição sujeito a sol e chuva.

O VLT em exposição integra o conjunto de cinco composições fabricadas pela empresa Bom Sinal, que tem sede em Barbalha, na Região do Cariri.

O Governo do Ceará investiu na compra dos equipamentos cerca de R$ 22,4 milhões. Cada VLT é formado por dois carros, tem movimentação bidirecional e capacidade de transporte de 358 passageiros. Os VLTs que serão utilizados em Sobral têm ainda motorização diesel, tração hidráulica, duas cabines de comando e ar condicionado.

A Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), administradora dos metrôs cearenses, não vê nenhum problema na exposição do VLT. “A exposição do VLT é para permitir a população de Sobral conhecer de perto o equipamento que vai andar a partir de setembro próximo”, diz uma nota da Metrofor.

Realmente até agora nenhuma avariação foi verificada na unidade. Mas exposto, o VLT pode ter sua estrutura desgastada antes mesmo de começar a rodar nos trilhos sobralenses. Há ainda o perigo de depredação, uma vez que não há segurança no local por 24 horas.

Piada

O fato se agrava ainda mais quando se comparado aos trens já comprados da Itália para o Metrô de Fortaleza, e que estão guardados em garagens em Maracanaú. O prefeito de Sobral, Clodoveu Arruda, afirma que a exposição do VLT é para mostrar a população que a obra é séria e os trens já começaram a chegar. Ele também não vê nenhum problema na exposição.

Piada à parte, o Metrô de Sobral, quando concluído, terá 12,1km divididos em dois ramais que ligarão todos os bairros sobralenses. A obra foi iniciada em março do ano passado, recebendo um investimento de R$ 71 milhões. O metrô vai transportar 5 mil pessoas por dia em cinco composições. Serão, ao todo, 64 viagens ligando diversos bairros da cidade. A execução das obras chega no início de janeiro de 2012, a 25%. Os recursos são da União e Estado.

Mais informações
Metrô de Fortaleza (Metrofor)
Rua 24 de Maio, 60 – Centro
Fone: (85) 3101.7100
http://www.metrofor.ce.gov.br

Usuários

5 mil pessoas por dia em cinco composições deverão ser atendidas pelo metrô. Serão, ao todo, 64 viagens ligando diversos bairros da cidade