Busca

Categoria: Mucambo


09:24 · 15.02.2012 / atualizado às 09:24 · 15.02.2012 por

Diário do Nordeste – ZONA NORTE

Artesanato comunitário ganha mercado com 1ª loja virtual

15.02.2012

  • Tecelagem e produtos naturais como matéria-prima caracterizam o trabalho dos artesãos

Mucambo. A primeira loja virtual de artesanato comunitário do Ceará está no ar. É a loja da Associação dos Artesãos de Carqueijo, nesta cidade da Zona Norte do Ceará. As belas peças fabricadas pelo pessoal de Carqueijo já podem ser adquiridas pela internet através do endereço www.carqueijoartesanato.com.br/lojavirtual. No site, pode ser comprada, via internet, toda a gama de peças feitas em Mucambo. Comprar na Carqueijo Artesanato, nome fantasia da loja, é muito simples. Mas, se o interessado tiver alguma dificuldade, pode ligar para (88) 3654.4013. A qualquer momento da navegação pela loja da Carqueijo Artesanato, o consumidor poderá encontrar as mercadorias que está procurando.

Segundo o idealizador da loja, Gilmar Martins, no menu lateral da loja, consta a relação de categorias de produtos. Clicando em qualquer uma dessas categorias, serão listados produtos relacionados a ela selecionada.

Outra maneira é utilizar a ferramenta Busca Rápida localizada ao lado direito da página eletrônica da loja. “Ali, você deverá digitar uma palavra que identifique aquilo que está buscando e o sistema localizará o item. Favor digitar no mínimo três caracteres”, esclarece Gilmar Martins.

O critério utilizado pela Carqueijo Artesanato para compra é o do fundamento do carrinho de compras. “Este método é mais interativo e mais adequado à comodidade do cliente. Desta maneira, ele poderá ter sempre o controle sobre os produtos já lançados, impedindo-o de cometer um erro de avaliação no momento da escolha dos produtos pretendidos”, frisa Gilmar Martins.

Carrinho de compras

Após encontrar o produto desejado, o consumidor clica no botão comprar. Esse botão encontra-se próximo ao produto desejado. Clicando no botão, o produto escolhido será inserido no carrinho de compras localizado na lateral direita, demonstrando qual o valor individual de cada item, assim como a somatória dos itens já escolhidos. Caso queira continuar sua compra, o sistema o conduzirá para o setor onde foi feita a última escolha.

A qualquer momento, o consumidor poderá editar seu carrinho, bastando para isso clicar sobre o link “Editar Pedido” na barra lateral direita, obtendo assim uma listagem dos produtos adicionados, onde ele poderá verificar a quantidade e preços individuais de cada produto, calcular o frete e ainda alterar a quantidade de algum item. O cliente poderá também excluir um produto caso queira. Para finalizar a compra, basta clicar no link “Finalizar Pedido”, localizado na barra lateral direita. Será exibida a listagem de produtos adicionados, na qual o cliente terá a opção de editar sua compra caso seja necessário (alterar quantidade, deletar algum item etc). Nesta página, o consumidor deverá informar um CEP válido para o cálculo do frete e escolher a forma de pagamento. Após este procedimento clique no botão “Fechar Pedido”.

Na loja virtual o cliente deverá informar seu usuário e senha. Caso não seja cadastrado será necessário fazê-lo. Para isso, ele deve informar os dados pessoais e endereço de entrega e, após este passo, o consumidor será encaminhado para página de confirmação. Após feito o registro, será exibida a ficha do pedido com o valor do frete calculado e acrescentado ao total. “Uma vez decidida a compra, o pedido será colocado no nosso sistema, estando sujeito à confirmação do pagamento.

O usuário declara conhecer e aceitar que os seus dados pessoais e a sua interação como comprador em nosso site sejam usados rotineiramente para a verificação e aprovação de seu crédito, estando nossa empresa livre para verificar a veracidade de todos os dados do comprador e condições de crédito”, destaca Gilmar Martins.

Com a organização da comunidade por meio da Associação dos Pequenos Produtores Rurais e Artesãos de Carqueijo, as famílias vem desenvolvendo uma série de atividades no sentido de beneficiar os associados e a comunidade em geral. Dentre as atividades, o artesanato em tecelagem à base de fio de algodão e fibras naturais têm se destacado devido à grande potencialidade do produto. Hoje, a comunidade de Carqueijo cresceu graças ao artesanato. É considerada modelo na região. Os artesãos são conhecidos no mercado nacional e até internacional. Já vendeu para Cabo Verde, Portugal e Estados Unidos. Para isto, foi preciso coragem de aceitar desafios, enfrentar obstáculos em busca de melhores resultados e qualidade de vida a este povo.

Os artesãos de Carqueijo conquistaram por dois anos consecutivos o Prêmio Top 100 do Artesanato no Sebrae/Nacional, 2006 e 2008. Em 2010, mais um reconhecimento: o Prêmio Aliança Empreendedorismo Comunitário, de Curitiba, no Paraná.

Produção

15 famílias de Carqueijo produzem diariamente 25 tipos de peças artesanais. Já houve pedidos de mil peças de uma vez para Cabo Verde

LAURIBERTO BRAGA
REPÓRTER

09:03 · 15.11.2011 / atualizado às 15:46 · 15.11.2011 por
A comunidade de Carqueijo, em Mucambo, com seu belo artesanato, foi destaque, na edição de hoje do Bom Dia Ceará, da TV Verdes Mares
Fibra artesanal melhora vida de comunidade em Mucambo, no Ceará

Vinte artesãos conseguem aumentar os rendimentos com a arte. Fibra do coqueiro com a linha do algodão formam peças diferentes.

LINK DA NOTÍCIA
http://g1.globo.com/ceara/noticia/2011/11/fibra-artesanal-melhora-vida-de-comunidade-em-mucambo-no-ceara.html?utm_source=g1&utm_medium=email&utm_campaign=sharethis
15:37 · 23.10.2011 / atualizado às 15:37 · 23.10.2011 por

Mucambo. A pequena Carqueijo, neste Município, a 280 quilômetros de Fortaleza, é tipo exportação. A tecelagem produzida pela comunidade de cerca de 40 famílias chegou a Cabo Verde, na África. Antes já tinha sido levada para São Paulo. O artesanato Carqueijo está em exposição permanente na Central de Artesanato do Ceará (Ceart), em Fortaleza, e no Centro de Artesanato Ana Sancho Martins, na própria Carqueijo.

A produção é feita pela Associação dos Artesãos de Carqueijo. Logo no selo dos produtos há um recado: “Este é um produto 100% artesanal”. E o recadinho dos artesãos de Carqueijo continua: “Ao adquirir uma peça de Carqueijo você valoriza o artesanato regional; resgata a dignidade e promove o desenvolvimento sustentável e ajuda a remuneração do artesão”. O selo da comunidade encerra afirmando: “Respeitamos e preservamos a natureza. Os produtos são feitos a partir de fibras naturais”. São dessas fibras naturais da bananeiras e do coqueiro que saem lindos jogos americanos, belos tapetes, baús, crochês e redes de varanda.

Já se preparando para a Copa 2014, com apoio do Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequena Empresa (Sebrae), aconteceu, em Carqueijo, cursos de tecelagem, de criação de novos produtos, crochê e varanda. Mais de 40 pessoas, entre jovens e adultos, fizeram os cursos. A Associação dos Artesãos de Carqueijo é a única entidade de artesanato da Zona Norte inscrita no Sebrae Oportunidades de Negócios 2014.

“Preparamos a comunidade para aumentar a mão-de-obra, qualificando e inovando nossos produtos. Este é o investimento do lucro com as vendas que fazemos para a Ceart”, diz o instrutor do curso, Francisco Martins Gilmar de Sousa, de 30 anos, filho de Carqueijo e vai seguindo a tradição iniciada pela avó Ana Sancho Martins, continuada pelo pai de Gilmar, Isaías Martins e agora por Gilmar.

Prejuízo

A Associação teve no começo deste ano um baque muito grande com um prejuízo de R$ 50 mil em vendas erradas. “Estamos superando. Pois, à princípio, ficamos preocupados com o desemprego de mais de 40 pessoas. Era a nossa morte. Mas procuramos vários órgãos de apoio e demos as mãos para levantar a Associação”, diz ele.

Gilmar fez a ressurreição da entidade, ganhando, em 24 de maio passado, o segundo lugar do Primeiro Prêmio Aliança de Empreendedores Comunitários, entregue na Federação das Indústrias do Estado do Paraná, em Curitiba. O Prêmio é patrocinado pela Itaipu Binacional e Instituto Camargo Correia. Eles observaram primeiro o empreendimento e o empreendedor para, depois, fiscalizar como o ganhador iria usar o prêmio. Com o dinheiro do prêmio, R$ 3 mil, investiu em matéria-prima para produção e atender à demanda da Ceart, de outros estados e do Exterior. “Aqui mantemos viva a cultura com a tradição do artesanato passando de geração em geração”.

Durante o evento de entrega da premiação, chamado de “Fazer para mudar – novas perspectivas para a responsabilidade social corporativa através do apoio ao empreendedorismo comunitário”, Gilmar foi comparado a um super herói de Carqueijo. A história de Gilmar é contada pela organização do Prêmio Aliança. “Ele transformou o trabalho de artesanato que era o sustento da sua família desde o tempo dos avós e bisavós em um negócio organizado e rentável. Depois, ele passou a ensinar o que sabia para gerar mais empregos na cidade onde mora e em seguida em todo o Ceará. Mais tarde, passou a fazer isso fora do Brasil, ministrando cursos em Cabo Verde, na África”.

Gilmar foi ao sítio do avô, pegou algumas palhas de bananeira e taliscas de coqueiro e pediu à mãe que colocasse aquilo no tear, de modo a criar um tipo de jogo americano. “Assim, foram feitas as minhas duas primeiras peças artesanais em fibras naturais, que meu pai, Isaías, levou para a Central de Artesanato do Ceará, a Ceart”. “Dali em diante as coisas foram acontecendo”, relata o Prêmio Aliança. “A primeira encomenda, de 300 peças, feitas de palha de bananeira e taliscas de coqueiro para entrega em 30 dias. Em seguida, ele começou a treinar artesãs para fabricar os produtos.

Multiplicação

40 pessoas, hoje, em Mucambo, produzem cerca de 25 modelos de jogos americanos e tapetes de fibras naturais. Esse trabalho foi multiplicado por Gilmar pelo Ceará e em mais de 15 cidades.

MAIS INFORMAÇÕES

Carqueijo Artesanato
Rua São Joaquim, s/n
Carqueijo – Mucambo, CEP 62175-000
Telefone: (88) 3654.4013