Busca

Música na escola: recital didático é realizado em escola de Sobral

15:51 · 13.06.2018 / atualizado às 15:53 · 13.06.2018 por
Escola José Parente Prado, Sumaré, Sobral-CE; alunos da rede pública têm acesso à música por meio de projeto social (Foto: Márcio Anderson).

Sobral- A Escola José Parente Prado, no Bairro Sumaré, periferia de Sobral, abriu suas portas, nessa terça-feira (12), para a apresentação do recital didático do projeto “Música na Escola”, com apresentações da Orquestra e da Camerata de Cordas Dedilhadas da Universidade Federal do Ceará (UFC). O objetivo do projeto é ampliar o universo musical de crianças e adolescentes, por meio da apresentação nas escolas públicas e concertos didáticos.

Recitais

Este é o sexto recital realizado nas escolas municipais de Sobral, que já contemplou os estudantes das escolas Gerardo Rodrigues e Netinha Castelo, no Junco; Raul Monte, no Alto da Brasília; Trajano de Medeiros, no Alto da Expectativa; e Maria José Ferreira Gomes, no Dom José. Desenvolvido pelo curso de Música da Universidade Federal do Ceará com o apoio da Secretaria da Educação de Sobral, o projeto “Música na Escola” promove recitais didáticos nas escolas municipais de ensino fundamental, desenvolvendo ações formativas em música para estudantes das escolas municipais e para estudantes da licenciatura em Música da UFC Sobral.

Estrutura

Implantado em 2011, no Bloco Mucambinho, o Curso de Música de Sobral, é o único em licenciatura do interior do Ceará ligado à UFC. Todos os anos, cerca de 40 novos alunos ingressam nas turmas para uma jornada de formação de quatro anos. Ao sair, todos estão aptos a atuar como educadores musicais na rede de ensino pública ou privada. Segundo João Emanuel Benvenuto, vice-coordenador do Curso, a música executada no campus vai além da estrutura universitária. “ Estamos em plena atuação do projeto “Música na Escola”, executado todas as sextas-feiras com os grupos de extensão da Universidade em todas as instituições de ensino da rede pública de Sobral. Com o desejo de incluir também as da rede estadual”, antecipa sobre o projeto, que apresenta aos estudantes da cidade, grupos de choro, orquestras, bandas de música, camerata de cordas friccionadas, grupos vocais, além de uma roda de conversa com os participantes para divulgar as atividades de extensão e fomentar pesquisas sobre o tema.

UFC, Sobral-CE; curso de música foi implantado em 2011, em Sobral (Foto: Marcelino Júnior).

Acesso

O interessado em entrar no Curso de Música deve atingir a taxa de ingresso via Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Na primeira semana de integração, o aluno aprovado passa por aulas de teclado, cordas friccionadas, sopro e violão, práticas instrumentais ofertadas para escolha de uma delas, sempre reforçando os eixos do ensino, da extensão e da pesquisa, na busca por uma maior abrangência da comunidade.

Pesquisa

Segundo Adeline Stervinou, professora, “na área da pesquisa desenvolvemos várias linhas, com a colaboração de professores de outros países, como o Canadá, por exemplo, onde estão sendo trabalhados dois projetos, na ambientação do jovem no mundo atual e um outro que trata do ensino formal e informal da música, tanto numa cidade como Quebec, por exemplo, e uma cidade do Nordeste, como Fortaleza, onde vemos a procura de jovens em situação de risco em busca de oportunidades, por meio da música. Com esse perfil, Sobral, que recebe o Festival Eurochestries (três adições), que mobiliza em dez dias, um extenso trabalho musical com profissionais e estudantes da Europa. Por enquanto, só é realizado aqui”, explica.

Curso de Música de Sobral possui parceria com a Escola de Música da cidade, por meio de extensão (Foto: marcelino Júnior).

Extensão

O trabalho realizado no Campus Universitário tem repercussão também nas salas de aula da Escola de Música de Sobral. Criada para atender gratuitamente alunos da rede pública municipal, em sua maioria provenientes da periferia da cidade, com perfil de baixa renda familiar e certa vulnerabilidade social, a instituição conta com apoio da UFC na execução de seu projeto político pedagógico com consultoria e formação de professores, além de parcerias para o avanço técnico do aprendizado dos alunos, como a extensão “Orquestra de Flauta Doce”. Segundo a coordenadora pedagógica Laiany de Sousa, “ a Escola, que atende em média 600 estudantes, nos três turnos, com cursos variados, ajuda a desenvolver nossos alunos, dando a eles uma ampliação da visão de mundo. Nosso foco é que a musicalização contribua para o desenvolvimento integral dessa pessoa, tendo contato com outro universo”, finaliza.

Colabore com o Blog Zona Norte pelo WhasApp 88 9 9659-4083.

 

Comentários 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *